Um livro para ler no (ou lembrar do) carnaval | Marcelo Spalding | Digestivo Cultural

busca | avançada
39219 visitas/dia
1,2 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Terça-feira, 6/6/2006
Um livro para ler no (ou lembrar do) carnaval
Marcelo Spalding

+ de 2900 Acessos

Há livros que se deve ler como um oriental aprecia uma xícara de chá e outros que se pode ler na fila do banco, na beira da praia, no trem ou no ônibus. Não entenda isso como juízo de valor, há livros "profundos" e ruins e outros "superficiais" maravilhosos (não vou citar o Dom Quixote como exemplo para evitar incomodações). Digamos que essa segunda categoria seja feita de livros ideais para se ler no feriado de carnaval, quando a mente está descansada e o espírito, desarmado.

Não por acaso o segundo livro do músico e jornalista João Gabriel de Lima se chama Carnaval (Objetiva, 2006, 132 págs.). Pedro, o narrador egocêntrico, é um comerciante obscuro casado com uma executiva multinacional. Enquanto ela viaja a negócios ele permanece atrás do balcão de sua locadora de DVDs imaginando clientes em cenas de filmes. O cinema, aliás, é sua única paixão pós-desgaste matrimonial, até conhecer Lenita Duarte, uma famosa chef. Pedro apaixona-se por Lenita, torna-se seu amante e o casal combina de se encontrar no Rio de Janeiro, no desfile da Império Serrano (o de 2005, em que o samba-enredo foi novamente "Aquarela Brasileira").

Utilizando este como ponto de partida do livro, Pedro relata para a amante o que teria se passado entre o vôo para o Rio e o desfile da Império: "se eu tivesse um diário, teria anotado cada detalhe daquela noite que você [a amante] me convidou para passar o carnaval no Rio de Janeiro". As histórias daquela noite carioca em que Pedro conhece músicos e musas (e aqui o autor espalha um tanto de sua formação musical) é intercalada por flashbacks que remetem à história do narrador em São Paulo, toda permeada pela sua lembrança de filmes que vão de Coração Satânico a Brilho Eterno de uma Mente sem Lembranças.

Vivêssemos ainda no tempo do formalismo, não haveria esta resenha, pois o texto é simples, a linguagem, coloquial e a leitura, rápida. Digamos que se o autor estivesse escrevendo um filme, e não um livro, seria um longa hollywoodiano para passar no cinema, ter sobrevida para chegar na Sessão da Tarde mas jamais perto de um Oscar. E este também não é um juízo de valor.

Romance desigual, as primeiras páginas de Carnaval abusam da primeira pessoa e do discurso debochado, mas aos poucos a narrativa cresce, envolve, firma personagens, conflitos e termina magistralmente. "Como Femme Fatale", diria o narrador, "como o final surpreendente e desconstrutivo filme Femme Fatale".

Não sendo nossa intenção contar o final, voltemos para a primeira página do livro, mais especificamente para uma frase que servirá de chave mestra da história: "registrei aquela noite apenas na memória e ela não é muito confiável". A partir daí temos uma seqüência veloz de cenas em que realidade e ficção tornam-se difusas. Tudo parece verossímil, afinal estamos no carnaval, mas um bom leitor não deixará de notar uma ou outra contradição: "como Pedro pretenderia anotar tudo em papel e caneta no meio do turbilhão da marquês?". Ou "como o narrador conhece melhor a história de Zédinho do que ele próprio?". E mesmo não revelando a surpresa podemos dizer que no final as coisas se encaixam e a proposta da obra se torna clara: desconstruir a noção de realidade não só da vida, noção bastante abalada em tempos de carnaval, como do próprio romance.

Dentro dessa proposta desconstrutiva da obra, as cenas a partir do capítulo onze, em que a ligação do narrador com o cinema é intensificada (o capítulo em que a relação com Marta do primeiro sexo ao desgaste matrimornial é contada a partir de filmes hollywoodianos contemporâneos é o ponto alto do livro), o narrador faz diversas referências a cenas, lugares e personagens do cinema transpondo-os para a realidade e vice-versa, suscitando uma questão crucial para a arte: será que a representação do real não se torna o próprio real? Quer ver: se perguntarem a você se conhece as pirâmides do Egito você dirá que sim ou não? E se perguntarem se você conhece Gandhi? E Paris?

Claro que sim, estamos fartos de ver filmes, livros e fotografias sobre as pirâmides, Gandhi ou Paris.

Claro que não, nunca vimos pessoalmente Gandhi e raros são os que visitaram as pirâmides ou Paris.

Entre o sim e o não absolutos estão as noções difusas que temos sobre cidades, personalidades, áreas do conhecimento, noções obtidas apenas através de representações, sejam elas ficcionais ou pretensamente não ficcionais. Mergulhados nesse oceano de representações, acabamos por conhecer o mundo e a vida a partir de representações artísticas do real e estas, enquanto subjetividades, não são o real, o que nos leva a um paradoxo complexo que transforma toda memória, e não apenas a de Pedro, em algo inconfiável.

Rio X São Paulo

Merece capítulo à parte os espaços escolhidos para a história, as cidades do Rio de Janeiro e São Paulo. Pedro, sua esposa mora em São Paulo, mas é no carnaval do Rio que o narrador encontrará sua amante. Esta ponte aérea dentro da história aparentemente não tem função específica, mas podemos entender a dicotomia Rio/São Paulo como mais uma entre as diversas dicotomias suscitadas pelo livro (esposa/amante, cinema/música, morro/universidade), culminando na dicotomia real/irreal.

A representação das cidades, um tanto caricatural, talvez não tenha sido um problema para o autor, nascido em São Paulo e hoje morando no Rio, mas causa um efeito interessante num leitor gaúcho que jamais passou mais do que um fim de semana numa dessas capitais. São Paulo é Marta, a esposa de Pedro, uma mulher bem sucedida, pragmática, eficiente, que adora o dia e perdeu a capacidade de apreciar filmes com o marido. O Rio de Janeiro é Paula, bela mulher que o narrador conhece na cidade maravilhosa, uma filha de músico transformada em musa por algumas canções e hoje ainda bela, embora envelhecida, disposta a gozar os prazeres da vida ainda que precise conviver com diversas angústias e neuroses. São Paulo é o progresso, Rio é a decadência, São Paulo é fria, o Rio preserva uma beleza lasciva, São Paulo é o dia, o Rio é a noite, São Paulo é o cinema, o pós-moderno, o Rio é a música, os anos dourados. E entre todas essas dicotomias, entre Paula/Marta, mulher/amante, vida/arte, música/cinema, real/irreal, emerge um indivíduo incapaz de reconhecer a própria realidade, afogado no seu próprio oceano de representações: Pedro.

Para ir além






Marcelo Spalding
Porto Alegre, 6/6/2006


Quem leu este, também leu esse(s):
01. O tigre de papel que ruge de Celso A. Uequed Pitol
02. Reflexões sobre o ato de fotografar de Celso A. Uequed Pitol
03. Luz sob ossos e sucata: a poesia de Tarso de Melo de Jardel Dias Cavalcanti
04. Em nome dos filhos de Luís Fernando Amâncio
05. Notas confessionais de um angustiado (IV) de Cassionei Niches Petry


Mais Marcelo Spalding
Mais Acessadas de Marcelo Spalding em 2006
01. O centenário de Mario Quintana, o poeta passarinho - 8/8/2006
02. Romanceiro da Inconfidência - 10/1/2006
03. Um defeito de cor, um acerto de contas - 31/10/2006
04. As cicatrizes da África na Moçambique de Mia Couto - 5/12/2006
05. A literatura feminina de Adélia Prado - 25/7/2006


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




PROJETO RADIX - RAIZ DO CONHECIMENTO - ESPANHOL 8
FERNANDA E WILSON
SCIPIONE
(2013)
R$ 30,00



GO LIVE 5 EM PORTUGUÊS
WILLIAM PEREIRA ALVES
ÉRICA
(2001)
R$ 7,06



THE HOLY BIBLE - OLD AND NEW TESTAMENTS
NÃO MENCIONADO
LONDON BRITSH AND FOREIGN BIBL
R$ 60,00



SUA SAÚDE E O AMBIENTE QUE CONSTRUÍMOS - A SÍNDROME DO SAPO COZIDO
THOMAS SAUNDERS
CULTRIX
(2004)
R$ 12,00



EXIBICIONISMO
BRETT KAHR
RELUME DUMARÁ
(2005)
R$ 20,00
+ frete grátis



MOLDURAS DA FILOSOFIA E HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO
ABRAHÃO BENJAMIM
MARTINS
(1954)
R$ 17,91



MINHA RAZÃO DE VIVER - MEMÓRIAS DE UM REPORTER
SAMUEL WAINER
RECORD
(1987)
R$ 10,00



PEDAÇOS DO COTIDIANO
ZÍBIA GASPARETTO
ESPAÇO VIDA & CONSCIÊNCIA
R$ 10,00



MENINAS SUPER PODEROSAS: OS MONSTROS DE GIZ
E. S. MOONEY
NBL
(2002)
R$ 7,98



CONSTRUINDO POLÍTICA COM A JUVENTUDE (AUTOGRAFADO)
ANTONIA MÁRICA ARAÚJO GUERRA E OUTROS ORGS
PUC
(2011)
R$ 35,00





busca | avançada
39219 visitas/dia
1,2 milhão/mês