Fragmentos de história ou a história em frangalhos | Marcelo Spalding | Digestivo Cultural

busca | avançada
80910 visitas/dia
2,2 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Contos do Índio e da Floresta estreia dias 03 e 04 de outubro na Sympla Streaming
>>> “Conversa de Criança – Coronavírus” discute o acolhimento das emoções das crianças durante pandemia
>>> São Paulo ganha grafitti gigante que propõe reflexão sobre igualdade racial
>>> Buena Onda Reggae Club faz maratona de shows online a partir de 1ª de outubro
>>> Filó Machado e Felipe Machado dividem o palco em show online pelo CulturaEmCasa
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Meu malvado favorito
>>> A pintura do caos, de Kate Manhães
>>> Nem morta!
>>> O pai tá on: um ano de paternidade
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - I
>>> Contentamento descontente: Niketche e poligamia
>>> Cinemateca, Cinemateca Brasileira nossa
>>> A desgraça de ser escritor
>>> Um nu “escandaloso” de Eduardo Sívori
>>> Um grande romance para leitores de... poesia
Colunistas
Últimos Posts
>>> A última performance gravada de Jimmi Hendrix
>>> Sebo de Livros do Seu Odilon
>>> Sucharita Kodali no Fórum 2020
>>> Leitura e livros em pauta
>>> Soul Bossa Nova
>>> Andreessen Horowitz e o futuro dos Marketplaces
>>> Clair de lune, de Debussy, por Lang Lang
>>> Reid Hoffman sobre Marketplaces
>>> Frederico Trajano sobre a retomada
>>> Stock Pickers ao vivo na Expert 2020
Últimos Posts
>>> Três tempos
>>> Matéria subtil
>>> Poder & Tensão
>>> Deu branco
>>> Entre o corpo e a alma
>>> Amuleto
>>> Caracóis me mordam
>>> Nome borrado
>>> De Corpo e alma
>>> Lamentável lamento
Blogueiros
Mais Recentes
>>> The perfect servant
>>> Trauma a ser evitado
>>> É Julio mesmo, sem acento
>>> 28 de Abril #digestivo10anos
>>> É Julio mesmo, sem acento
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> O jornalismo que dá nojo
>>> É Julio mesmo, sem acento
>>> Útil paisagem
>>> O Brasil da inovação
Mais Recentes
>>> A Ira dos Anjos de Sidney Sheldon pela Nova Cultural (1985)
>>> Nada Dura Para Sempre de Sidney Sheldon pela Círculo do Livro (1998)
>>> Um Estranho no Espelho de Sidney Sheldon pela Círculo do Livro (1987)
>>> O Outro Lado da Meia-Noite de Sidney Sheldon pela Círculo do Livro (1989)
>>> Palavras que Curam - A força terapêutica das hist. bíblicas de Walther H, Lechler/Alfred Meier pela Prestígio (2006)
>>> A História da Primeira Guerra Mundial. 1914-1918 - Com 4 Volumes de David Stevenson pela Novo Século (2018)
>>> Wild Cards: Ases Nas Alturas - Livro 2 de George R. R. Martin pela Leya (2013)
>>> Wild Cards: Guerra aos Curingas - Livro 9 de George R. R. Martin pela Leya (2018)
>>> Wild Cards: Luta de Valetes - Livro 8 de George R. R. Martin pela Leya (2017)
>>> Wild Cards: Ás na Manga: Livro 6 de George R. R. Martin pela Leya (2017)
>>> Pense e Enriqueça - para Mulheres Texto Completo de Sharon Lechter pela CDG Grupo Editorial (2017)
>>> Atitude Mental Positiva de Napoleon Hill pela CDG Grupo Editorial (2015)
>>> O Caso dos Dez Negrinhos de Agatha Christie pela Círculo do Livro (1975)
>>> Mistério no Caribe de Agatha Christie pela Nova Cultural (1964)
>>> Sebastiana Quebra Galho Guia Prático das donas de casa 16ªed. de Nenzinha Machado Salles pela Civilização Brasileira (1994)
>>> Assassinato no Expresso do Oriente de Agatha Christie pela Nova Fronteira
>>> Cem Anos de Solidão de Gabriel García Marquez pela Sabiá (1971)
>>> Melhor que comprar sapatos de Cristiane Cardoso pela Unipro (2015)
>>> Imposto sobre a propriedade territorial rural de Dejalma de Campos pela Atlas (1993)
>>> Archi de soleil de Patrick Bardou e Varoujan Arzoumanian pela Parenthèses (1978)
>>> Passo a passos de Ioberto Tatsch Banunas pela Sulina (1997)
>>> A máquina de fazer espanhóis- 2ª ed. de Valter Hugo Mãe pela BIblioteca Azul- Globo (2016)
>>> Memórias 2º volume - A Aliança Liberal e a Revolução de 1930 de João Neves da Fontoura pela Globo (1963)
>>> Sofrimento como lidar? de Adriano Rocha pela Conselho (2014)
>>> Manuscrito revista de Filosofia Volume II No 2 abril 1979 de Gérard Lebrun, Herman Parret, Yuval Lurie e outros pela Unicamp (1979)
>>> Ele ela 71 março 1975 de Diversos autores pela Bloch (1975)
>>> Tex especial de férias 10 de Mythos editora pela Mythos (2011)
>>> Novo Vocabulário Político Volume Um - Hegemonia e Pluralismo de Pedro Claudio Cunca Bocayuva; Sandra Mayrink Veiga pela Fase-Vozes (1992)
>>> Costos sociales de las reformas neoliberales en America Latina de Anita Kon / Catalina Banko / Dorothea Melcher / Maria Cristina pela Miguel Á. Garcia / Venezuela (2000)
>>> Ícone de Frederick Forsyth pela Record (1997)
>>> Câes de guerra de Frederick Forsyth pela Circulo do Livro (1974)
>>> Gre-nalzinho é sempre gre-nalzinho de Kalunga pela Maneco (2011)
>>> Receitas Comemorativas de Rede feminina de combate ao cancer pela Do autor (1999)
>>> Sob Pressão de Bruce Hoverd pela Gente (2015)
>>> Ai comprei um bode e um bezerro de Nilton Ferreira pela Kirios (2013)
>>> Casa de vó é sempre domingo de Marina Martinez pela Nova Fronteira (2014)
>>> O mundo de Sofia de Jostein Gaarder pela Jostein Gaarder (1996)
>>> Introdução à psicologia vol. 100 de Ernest R. Hilgard / ///Richard C. Atkinson pela Nacional (1979)
>>> Teologia do Antigo Testamemto de Eugene H. Merriell pela Shedd (2009)
>>> Scientia et Virtus Julho 1956 de Colegio Estadoal Lemos Junior pela Do autor (1956)
>>> La guerra de Matisse de Peter Everett pela Circe (1998)
>>> Compêndio de Teologia Apologética de François Turretine pela Cultura Cristã (2011)
>>> Alergia na infância de Maria Candida Faria Rizzo pela Lemos (2002)
>>> Archivos de la universidad de Buenos Aires año 26 n 1 de Diversos autores pela Meuba (1951)
>>> Anais do Primeiro congresso de câmaras Municipais do estado de São Paulo 1° volume de Diversos autores pela Ibge (1948)
>>> Os filhos da África em Portugal: Antropologia, multiculturalidade e educação (2ªed.) de Neusa Maria Mendes de Gusmão pela Autêntica (2006)
>>> A arte de desenhar Perspectiva 14 de Renato Silva pela Conquista
>>> Almanaque do tchê! de Diversos autores pela Tchê (1984)
>>> Cinderela - coleção fantasminha de Cordélia Dias D'Aguiar pela Ediouro (1975)
>>> Signale der Sinnlichkeit erotik de Wolf Donner pela Whilhelm heyne (1989)
COLUNAS

Terça-feira, 4/7/2006
Fragmentos de história ou a história em frangalhos
Marcelo Spalding

+ de 4400 Acessos

De uma coisa os robozinhos do século XXX não poderão reclamar: nós, homens e mulheres do século XX, estamos produzindo retratos do nosso tempo em profusão, de teses acadêmicas a pinturas, de livros didáticos a notícias de jornal, representações, reproduções e interpretações de nossa própria história. Se os nossos filhos e netos souberem preservar parte dessa riqueza, se não repetirmos a queima de Alexandria ou a bomba atômica não explodir o mundo, os robozinhos dos anos três mil terão material de sobra para pesquisar sobre a vida dos dois mil.

A fartura de registros, aliada a uma tendência pós-moderna de revisitar e problematizar a história, tirando dela a aura de verdade intocada, parece estar gerando um gênero literário particular e curioso, algo que podemos chamar memorialista-histórico-ficcional. O caso mais nítido é O livro dos fragmentos (Civilização Brasileira, 2006, 160 págs.), de Antônio Carlos Villaça.

Villaça é, ele próprio, um verbete da história brasileira dos 900s. Carioca de 1928, é reconhecido como um dos mais importantes memorialistas e resenhistas do Brasil, saudado por homens como Cassiano Ricardo, Carlos Drummond de Andrade, Gilberto Freyre, Manuel Bandeira e Graciliano Ramos e vencedor do Prêmio Machado de Assis de 2003. Faleceu no dia 29 de maio de 2005, mas graças a Luciana Villas-Boas foi publicado, no começo deste ano, O livro dos fragmentos, onde o autor recompõe em poucas linhas fragmentos de histórias de personagens que fizeram parte da sua vida, alguns mais outros menos renomados.

Os primeiros fragmentos são dedicados a Gilberto Amado, jornalista, político, diplomata, poeta, ensaísta, cronista, romancista e memorialista falecido em 1969 e personagem preferida de Villaça. Adiante encontraremos histórias de muitos outros jornalistas cariocas hoje praticamente desconhecidos (pelo menos para um jovem de fora do Rio) misturadas com histórias de personalidades como Getúlio Vargas, Guimarães Rosa, Rui Barbosa, Machado de Assis, Carlos Lacerda, Hélder Câmara. Tratando suas personagens com a mesma importância e respeito, todos com certa intimidade e sem receio em emitir juízos negativos de valor, Villaça conquista a simpatia do leitor e desarma este da eterna cobrança pela verdade, algo descabido neste gênero memorialista-histórico-ficcional.

As datas e os lugares, os nomes e os sobrenomes são reais, mas o narrador em nenhum momento pretende ir além de sua memória e de sua subjetividade. Não poupa adjetivos em nome da objetividade, não presta referência a ditos heróis, simplesmente conta histórias - ou estórias, como diria Guimarães Rosa -, muitas das quais insignificantes para o leitor ou para o país, todas fundamentais para ajudar a compor o painel de um Rio de Janeiro pós segunda guerra e pré Brasília.

Também é este o tempo e o espaço preferidos de Fausto Wolff em A Milésima Segunda Noite (Bertrand Brasil, 2005, 742 págs.). O jornalista gaúcho radicado no Rio compõe uma obra monumental (pela originalidade e pelo tamanho) misturando micronarrativas, poesias, pensamentos, ensaios filosóficos, críticas políticas e também textos de feitio memorialista-histórico-ficcional. Ainda que as histórias de Wolff alcancem da Cleópatra a Fernando Henrique Cardoso, neste momento nos interessa os inúmeros textos em que Fausto conta passagens de Millôr Fernandes, Antônio Maria, Joel Silveira, Elmar Machado e do impagável e fictício Nataniel Jebão.

Como Villaça, Wolff conta fragmentos, na maioria cômicos e saudosos, em que seus amigos surgem como seres geniais e espirituosos. Com exceção de um ou outro, como Millôr, são personagens que não terão seus nomes repetidos até os robozinhos dos anos 3000 (talvez como os próprios autores destas memórias-histórico-ficcionais) e que são ali transformados em personagens como uma forma de eternizá-los em palavras.

Nesse ponto não se pode deixar de citar também Minhas Histórias dos Outros (Planeta, 2005, 270 págs.), de Zuenir Ventura. Apesar de trazer uma proposta diferente, aprofundando suas histórias em textos maiores do que duas páginas (como fazem Villaça e Fausto), também Zuenir se propõe a recontar ou dar sua interpretações de fragmentos históricos do século XX, especialmente do século XX carioca pós-segunda guerra.

É difícil explicar o porquê de as três obras terem sido editadas no Rio de Janeiro em 2005. Talvez seja coincidência ou a percepção de um nicho de mercado. Mais fácil é entender por que os três autores são jornalistas (e não historiadores ou sociólogos ou doutores). Em sendo jornalistas, os três já abandonaram a ilusão da objetividade e da verdade e não se constrangem (como possivelmente aconteceria com um historiador) em narrar suas memórias com todas as suas imperfeições. Também estão acostumados a escolher fragmentos em meio à multidão de fatos diários que chegam a uma redação (o que talvez um sociólogo não saberia fazer). E por fim (como nenhum doutor) sabem ser superficiais e explorar a caricatura de suas personagens, não pretendendo que o leitor conheça a "real" personalidade delas.

Curioso, ao final das três leituras, é constatar que o trio jamais se cita ou se encontra em suas histórias (sem dúvida se conhecem mas não são do mesmo grupo, apesar de pertencerem ao mesmo círculo). Por vezes contam as mesmas histórias, mas nem por aí se pode confirmar a veracidade ou não delas. Na verdade, o que menos importa neste novo gênero é a História, essa dos livros didáticos ou das grandes narrativas. Estando ela cada vez mais em frangalhos, entendem os jornalistas que a única forma de contá-la é a partir de fragmentos. E assim temos o princípio não de um livro dos fragmentos mas de um "cânone dos fragmentos".

Para ir além












Marcelo Spalding
Porto Alegre, 4/7/2006


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Discos de MPB essenciais de Jardel Dias Cavalcanti
02. Haiti, o cisne negro, já virou branco de Vicente Escudero
03. Fórum das Letras de Ouro Preto de Rafael Rodrigues
04. Qual é, afinal, a melhor idade? de Marcelo Spalding
05. Verdadeiros infiltrados: em defesa de Miami Vice de Marcelo Miranda


Mais Marcelo Spalding
Mais Acessadas de Marcelo Spalding em 2006
01. O centenário de Mario Quintana, o poeta passarinho - 8/8/2006
02. Romanceiro da Inconfidência - 10/1/2006
03. Um defeito de cor, um acerto de contas - 31/10/2006
04. As cicatrizes da África na Moçambique de Mia Couto - 5/12/2006
05. A literatura feminina de Adélia Prado - 25/7/2006


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




OS TIJOLOS NAS PAREDES DAS CASAS
KATE TEMPEST
CASA DA PALAVRA
(2016)
R$ 27,00



PROBLEMAS TERAPÊUTICOS CLÍNICA MÉDICA DA AMÉRICA DO NORTE,
HENRY E. ZELLMAN
GUANABARA KOOGAN
(1972)
R$ 16,75



O POVO DAS ÁGUAS : ENSAIOS DE ETNO-HISTÓRIA AMAZÔNICA
ANTONIO PORRO
EDUA
(2017)
R$ 27,20



POLÊMICAS NA IGREJA
AUGUSTUS NICODEMUS
MUNDO CRISTÃO
(2015)
R$ 15,00



REFLEXÕES SOBRE O COTIDIANO - 533
MARTA SUOLICY
ESPAÇO E TEMPO
(1985)
R$ 8,00



CURSO DE DIREITO PROCESSUAL CIVIL: PROCESSO COLETIVO
FREDIE DIDIER E HERMES ZANETI
JUSPODIVM
(2008)
R$ 5,00



CARAÚNA
FLÁVIO ANSELMO
NELPA / NÚCLEO DE SO
(2011)
R$ 11,00



EMPOWER B1+
ADRIAN DOFF E CRAIG THAINE
CAMBRIDGE ENGLISH
(2015)
R$ 60,00



NA CAMA COM PICASSO - 762
CARLOS VON SCHMIDT
ARTES
(1996)
R$ 15,00



ENCICLOPÉDIA DE ARTE CULINÁRIA DA TIA THEREZA
TIA THEREZA
EGERIA
(1978)
R$ 5,00





busca | avançada
80910 visitas/dia
2,2 milhões/mês