Copa do Mundo: agonia e êxtase | Jardel Dias Cavalcanti | Digestivo Cultural

busca | avançada
97126 visitas/dia
2,6 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Sesc 24 de Maio apresenta o último episódio do Música Fora da Curva
>>> Historiador Russell-Wood mergulha no mundo Atlântico português da Idade Moderna
>>> Livro ensina a lidar com os obstáculos do Transtorno do Déficit de Atenção
>>> 24 e 25/04: últimas apresentações do projeto 48h_48min acontecem neste fim de semana
>>> João Trevisan: Corpo e Alma || Museu de Arte Sacra
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Cem encontros ilustrados de Dirce Waltrick
>>> Poética e política no Pântano de Dolhnikoff
>>> A situação atual da poesia e seu possível futuro
>>> Um antigo romance de inverno
>>> O acerto de contas de Karl Ove Knausgård
>>> Assim como o desejo se acende com uma qualquer mão
>>> Faça você mesmo: a história de um livro
>>> Da fatalidade do desejo
>>> Cuba e O Direito de Amar (3)
>>> Isto é para quando você vier
Colunistas
Últimos Posts
>>> Hemingway by Ken Burns
>>> Cultura ou culturas brasileiras?
>>> DevOps e o método ágil, por Pedro Doria
>>> Spectreman
>>> Contardo Calligaris e Pedro Herz
>>> Keith Haring em São Paulo
>>> Kevin Rose by Jason Calacanis
>>> Queen na pandemia
>>> Introducing Baden Powell and His Guitar
>>> Elon Musk no Clubhouse
Últimos Posts
>>> Geração# terá estreia no feriado de 21 de abril
>>> Patrulheiros Campinas recebem a Geração#
>>> Curtíssimas: mostra virtual estreia sexta, 16.
>>> Estreia: Geração# terá sessões virtuais gratuitas
>>> Gota d'agua
>>> Forças idênticas para sentidos opostos
>>> Entristecer
>>> Na pele: relação Brasil e Portugal é tema de obra
>>> Single de Natasha Sahar retrata vida de jovem gay
>>> A melancolia dos dias (uma vida sem cinema)
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Crítica/Cinema: entrevista com José Geraldo Couto
>>> Pra entender a Lei Rouanet
>>> Uma baby boomer no Twitter
>>> No pé da orelha
>>> Machado e a AR-15
>>> Notas confessionais de um angustiado (V)
>>> Festival de interatividades
>>> O melhor de Steve Jobs
>>> Jane Fonda em biografia definitiva
>>> Leituras, leitores e livros – Parte I
Mais Recentes
>>> Retalhos de Agonia (Teatro Brasileiro) de Luiz de Assis Monteiro pela Confraria da Paixão (2021)
>>> Construindo um Blog de Sucesso no Wordpress 3 + Cd de Daniella Borges de Brito pela Brasport (2011)
>>> Revolução em Mim de Marcia Kupstas pela Moderna (1995)
>>> Lutas Do Povo Brasileiro de Julio Jose Chiavenato pela Moderna (1996)
>>> Agua Origem Uso e Preservacao de Samuel Murgel Branco pela Moderna (1998)
>>> Sexo, Sexualidade e Doenças Sexualmente Transmissíveis de Ruth Gouvêa Duarte pela Moderna (1995)
>>> O Grande Livro da Saúde Natural - 73 Segredos da Cura Sem Remedio de Agora Inc pela Jolivi (2018)
>>> Vinha de luz de Francisco Cândido Xavier pela Feb (2015)
>>> História da Riqueza do Homem de Leo Huberman pela Guanabara (1986)
>>> Por que os Homens Amam as Mulheres Poderosas? de Sherry Argov pela Sextante (2009)
>>> A Mágica de Pensar Grande de David J. Schwartz pela Record (1995)
>>> Abolição: Um Suave Jogo Político? de Leonardo Trevisan pela Moderna (1991)
>>> A Revolução Industrial de Roberto Antonio pela Moderna (2002)
>>> Globalização Estado Nacional e Espaço Mundial de Demétrio Magnoli pela Moderna (1998)
>>> A Marca de Uma Lágrima de Pedro Bandeira pela Moderna (1992)
>>> Evolução Das Espécies de Samuel Murgel Branco pela Moderna (2003)
>>> Plastico Bem Superfluo Ou Mal de Eduardo Leite do Canto pela Moderna (1995)
>>> História da Literatura Brasileira -2ª ed. revista e ampliada de Luciana Stegagno Picchio pela Nova Aguilar- Lacerda- ABL (2004)
>>> O Meio Ambiente em Debate de Samuel Murgel Branco pela Moderna (1998)
>>> Sentidos Da Vida Uma Pausa P Pensar de Flavio Gikovate pela Moderna (1998)
>>> A Industrialização Brasileira - de Sonia Medonças pela Moderna (2000)
>>> Multinacionais Desenvolvimento Ou Exploração? de Paulo Martinez pela Moderna (1987)
>>> Um Amor Alem Do Tempo de Leila R. Iannone pela Moderna (1990)
>>> O Novo Mapa do Mundo de Demétrio Magnoli pela Moderna (1999)
>>> Olhinhos de gato de Cecília Meireles pela Modernao (1983)
COLUNAS >>> Especial Copa 2006

Segunda-feira, 26/6/2006
Copa do Mundo: agonia e êxtase
Jardel Dias Cavalcanti

+ de 4000 Acessos
+ 2 Comentário(s)

Antigamente era mais divertido: à entrada dos gladiadores na arena do Coliseu de Roma, a platéia delirava aos gritos esperando assistir e se emocionar com o rio de sangue que se derramava sobre o chão de pedregulhos, por onde caiam mortos os fracos. Se fossem cristãos os abatidos, maior o prazer, evidentemente. Para a sede de sangue, além de guerreiros havia ainda leões devidamente esfomeados para triturar as frágeis carnes humanas.

Mas na contemporaneidade a possibilidade de prazer ainda se oferece às massas... e a quem não se julga pertencer a ela (como escapar de uma Copa do Mundo?). Um prazer derivado não da sede mórbida por sangue e morte, um prazer sem a agressividade produzida por músculos devidamente preparados para destruir o oponente, um prazer pela espera da vitória grandiosa de um time de futebol, um prazer, sim, mas com a sua devida assepcia. Nada de violência, nada de constrangimento ao adversário.

Cada país se envolve como um todo no momento da entrada de seus guerreiros, digo, jogadores, em campo. Uns talvez mais do que outros (o caso americano é exemplar, preferem vibrar por outros esportes, mesmo em tempos de Copa do Mundo). Há toda uma publicidade sobre a Copa e um acentuado nacionalismo brota no coração de cada cidadão. A bandeira ressurge como símbolo maior do encontro de almas que torcem pelo mesmo objetivo, a vitória de seu país. A questão sociológica que se coloca é se este nacionalismo é natural ou implantado pelos marqueteiros de plantão, que vivem seus dias de glória durante acontecimentos como estes.

Pouco importa agora as divagações intelectuais, o que interessa é que os corações são possuídos pela paixão pelo futebol de tal forma que o gosto se universaliza, para além das ideologias. Não há saída, mesmo que você odeie e ache ridículo ver tantas pernas correndo atrás de uma bola. Se houver uma jogadinha mais artística em campo, um lance espetacular que leve ao gol, você vai vibrar, se extasiar. Vai querer mais. Vai esperar por mais. E se não acontecer muitos outros lances fabulosos, o pouco ainda será muito, te levando a uma satisfação enorme e esse momento lúdico da partida será glorificado por todos os aparelhos midiáticos mundialmente conectados em tempo real para exibir aquele lance de gênio.

Sede de gol ou sede de arte? Os dois, se possível juntos. Um drible arriscado, um chapéu que seja: eis a glória de todo torcedor. Temos um desejo enorme por arte e o futebol pode proporcioná-lo universalmente. Tudo bem que o tempo de uma jogada genial seja curto. Mas ressoará para sempre na nossa memória. Pelé não será lembrado na história humana para sempre por causa de suas jogadas inimitáveis? Não vemos e revemos insistentemente suas jogadas e seus gols com uma emoção sempre renovada? Sim, ali há arte e ela é assim mesmo, como dizia Stendhal, "uma felicidade para sempre".

No caso brasileiro, e de outros países periféricos, há um elemento ainda a mais para se considerar sua paixão pela Copa do Mundo: a idéia de uma possível revanche. Sim, nós, os campeões em desigualdades sociais, o país da miséria, do crime, da justiça injusta, do racismo camuflado, dos políticos salafrários e inconseqüentes, assistimos encantados àquele menino magrinho, nascido na periferia, driblar, com sua genialidade, os grandalhões bem alimentados pela glória da sua riqueza historicamente assentada (em parte adquirida com o trabalho escravo do terceiro mundo).

Freud explica esse nosso prazer. Um mecanismo de compensação vivenciado ao mesmo tempo por uma grande massa de fracassados que encontra ali, na vitória de seu time, sua "descarga vingativa". Assim é melhor, não precisaremos pegar em armas e colocar nossa vida em jogo lutando contra a opressão dos países dominadores. Outros estarão na arena por nós e vencerão simbolicamente por todos nós. Afinal, somos civilizados, bem comportados, politicamente corretos. Não é mesmo? E o que importa é mostrar para eles como somos "diferentes", "artísticos", mesmo com a nossa miséria indestrutível. Afinal, temos a nossa "verdade tropical" (risos).

Durante a Copa do Mundo podemos identificar quem são os donos do mundo. Basta olhar pelas laterais dos campos durante os jogos e ver as marcas que aparecem cercando o gramado. Já reparou nisso, caro leitor? O que se exibe pode ser também um perigo, pois estes serão os prováveis alvos dos futuros homens bombas.

À parte tudo isso, aqui estamos nós, queimando de amor por nosso país, por nossos jogadores, pelo brilho fugaz de uma jogada divina, por um gol de mestre. Mais vibrante que uma batalha romana, uma bola lançada sobre a cabeça ou sob a perna de um jogador nos transporta para uma vibração alucinante que, talvez, devêssemos procurar em outro lugar.
Onde?

Só uma coisa nos desagrada, a todos, creio eu: o funcionamento técnico dos jogos, a pobreza artística dos jogadores que a cada dia que passa são sistematicamente treinados para perderem sua individualidade, seu estilo próprio, como havia nos atletas do passado. E sem esse estilo, não existe arte. Há a vitória, que queremos de qualquer maneira, mas a vida tem sede de arte e sem arte o futebol corre o risco de tornar-se um esporte desinteressante para nós e por todos. Aí será seu fim.


Jardel Dias Cavalcanti
Londrina, 26/6/2006


Mais Jardel Dias Cavalcanti
Mais Acessadas de Jardel Dias Cavalcanti em 2006
01. Guimarães Rosa: linguagem como invenção - 12/4/2006
02. Orkut, ame-o ou deixe-o - 27/1/2006
03. Bienal 2006: fracasso da anti-arte engajada - 24/11/2006
04. Renato Russo: arte e vida - 26/7/2006
05. Eleições: democracia como um falso slogan - 25/9/2006


Mais Especial Copa 2006
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
26/6/2006
08h35min
Caro Jardel, faz tempo que não nos falamos. Mudei de provedor e, conseqüentemente, de e-mail, não sabia mais o seu e assim nos desencontramos. Talvez vc não lembre de mim. Sou aquela garota de Recife, interessada nos clássicos, especialmente os russos e franceses. Finalmente, iniciei a leitura de Em Busca do Tempo Perdido. Ainda estou no Caminho de Swan, entorpecida. Desde já, obrigada pelas boas dicas. Quanto à Copa, como não se envolver? Difícil, mas acho fundamental diminuir o volume da Globo.
[Leia outros Comentários de Simone]
27/6/2006
09h07min
Simone, obrigado pelo comentário e boa leitura. sim, o volume da globo entorpece qualquer cidadão distraído. abraço, jardel
[Leia outros Comentários de jardel]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




A Vida Em Perigo
Louise L. Hay
Círculo do Livro



Argélia: Alguns Elementos Sobre o Movimento Separatista dos Archs
A Verdade Revista Teórica da Iv Internacional
Não Identificada
(2002)



New: Understanding Our Need For Novelty and Change
Winifred Gallagher
Penguin Press
(2011)



No Submundo de uma Prisão
Elvis Martins
A&c
(1999)



Aids e Celebridades - Mito e Verdade
Ursulino dos Santos Isidoro
Ícone
(2004)



Colégio Benjamim Constant 100 Anos de História
Gislaine Campos Azevedo
Tempo e Memória
(2001)



O Noviço
Martins Pena
Atelie
(2002)



Livro de Estudo (2): Proformação Espanhol - Unidades 1 a 8 -
Minde Badauy de Menezes e Wilsa Maria Ramos
Mec (brasília)
(2006)



Comemorações; Representação dos Negros Em Museus
Anais do Museu Histórico Nacional, Vol 40
Museu Histórico Nacional
(2008)



Porto das Catraias: um Memorial da Adolescência
Áureo Nonato
Governo do Estado do Am
(1987)





busca | avançada
97126 visitas/dia
2,6 milhões/mês