A vez dos veteranos | Jonas Lopes | Digestivo Cultural

busca | avançada
53050 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Segunda-feira, 21/8/2006
A vez dos veteranos
Jonas Lopes

+ de 3700 Acessos

2006 tem sido um ano em que o mercado editorial brasileiro se dedicou a observar a tal ascensão dos novos autores, tendo como destaque as estréias de André Sant'Anna (O Paraíso é Bem Bacana) e Daniel Galera (Mãos de Cavalo) na toda poderosa editora Companhia das Letras. Outros fatos corroboram isso: o recente prêmio Jabuti concedido a Marcelino Freire por seus Contos Negreiros, o sem-número de coletâneas de contos e iniciativas como a Safra XXI, da Rocco, além da notícia de que a Globo pretende transformar o primeiro romance de JP Cuenca em minissérie. Ninguém pode reclamar que eles não vêm ganhando chances de mostrar o que sabem.

Por isso é importante comemorar a chegada de novos romances de dois autores veteranos: Moacyr Scliar (Os Vendilhões do Templo), de 69 anos, e Carlos Heitor Cony (O Adiantado da Hora), que há poucos meses completou 80. É um choque essencial até para que possamos compreender e analisar os novos autores com maior propriedade, já que são (ou deveriam ser) os conflitos das gerações anteriores - o embate entre seus pontos positivos e negativos - que concebem os anseios que acometem as posteriores.

Os Vendilhões do Templo (Companhia das Letras, 2006, 296 páginas) é composto por três narrativas dispostas de forma distinta em tempo e espaço, porém algumas idéias tangenciam cada uma. A primeira e mais longa delas é a própria parábola dos vendilhões do templo, explorada timidamente na Bíblia. Scliar transfere a ótica e concentra a narrativa no vendilhão, um homem pobre que deixa as dificuldades do plantio no campo e leva sua família a Jerusalém. Descobre sua vocação para comerciante e vira a sensação no Templo vendendo pombos para os sacrifícios. A maré de sorte termina, como sabemos, quando Jesus derruba as mesas dos vendilhões, acusando-os de comercializar a fé ("a minha casa é uma casa de oração, mas vós fizestes dela um covil de ladrões").

A segunda narrativa do livro tem lugar em 1635. O jovem padre Nicolau é enviado a uma missão jesuítica no interior do Rio Grande do Sul para ajudar um padre mais velho no trabalho de catequização dos índios. O padre mais velho morre e Nicolau fica sozinho, sem saber falar a língua dos indígenas. Um homem misterioso aparece e se oferece para servir como intérprete, e aos poucos Nicolau descobre outras intenções por trás da gentileza do estranho. Na terceira narrativa de Os Vendilhões do Templo estamos em 1997, e um assessor de imprensa da prefeitura da cidade fundada séculos antes pelo padre Nicolau da parte anterior relembra uma encenação escolar da parábola do vendilhão do templo, ao mesmo tempo em que acompanha os efeitos do novo governo de esquerda da pequena cidade.

Moacyr Scliar não é e nem pretende ser um romancista de idéias, e por isso Os Vendilhões do Templo traz mais perguntas do que respostas. Como não poderia deixar de ser em um livro com esse título, há reflexões sobre relações de poder e lucro. O autor gaúcho acerta em não se posicionar diretamente ou apelar para soluções edificantes e/ou maniqueístas. Sim, o vendilhão é ganancioso e vive do dinheiro que ganha comercializando a fé; mas deixemos de hipocrisia: ele também tem uma família para sustentar. Depois de ver Cristo crucificado, o vendilhão tem a oportunidade de conseguir uma grande quantia em dinheiro e a recusa: "tivera a riqueza em suas mãos e a recusara; tivera nas mãos a salvação e a recusara, mas não se arrependia: a teimosia era sua melancólica vingança". Ao mesmo tempo em que é cínico o suficiente para vender a fé, é "honesto" para dispensar o que não lhe pertence. Não são bifurcações morais como essa que fazem do humano humano, afinal?

O padre da segunda parte do livro, em sua pureza imaculada, desconfia do forasteiro que parece não querer que ele aprenda o idioma dos índios. Julga-o e condena-o, e por fim acaba surpreendido. A força da última parte de Os Vendilhões do Templo está no fato de Scliar buscar um assunto que poucos autores brasileiros parecem querer encarar: o Brasil contemporâneo. Nossa literatura moderna, cada vez mais voltada para dentro, carece de tentativas de tentar entender nosso tempo, e na prefeitura de São Nicolau do Oeste sentimos aquela desesperança advinda da frustração com a esquerda (existe algo mais em pauta?). A corrupção, aliás, permeia todo o livro (um "lubrificante que facilitava o movimento das engrenagens sociais", na visão do vendilhão do templo). Embora não haja tanta profundidade, o texto de Scliar é fluente e bem humorado, irônico sem ser cáustico.

Já Carlos Heitor Cony adia mais uma vez o aguardado Messa para o Pappa Marcello (que ele vem prometendo terminar há décadas) e retoma, em O Adiantado da Hora (Objetiva, 2006, 217 páginas), o gênero picaresco explorado em livros como Pilatos e O Piano e a Orquestra. Saem a postura existencialista e as reflexões sobre a vida da classe média carioca e dos relacionamentos entre casais; entram personagens rocambolescos metidos numa trama burlesca.

Na verdade não há muita trama: Zé Mário, uma espécie de adjunto e quebra-galhos de um escritório de advocacia, é enviado a Cabo Frio para "captar informações" acerca de um suposto acordo entre Brasil e Alemanha para montar ali uma usina nuclear. Fora isso, a única outra informação é o desaparecimento inexplicado uma alemã de "coxas teutônicas". Em Cabo Frio, Zé Mário entra em contato com algumas figuras curiosas, que o ajudam a entender o desaparecimento da alemã. Entre elas, um homem que jura ter passado uma noite tórrida com Madre Teresa de Calcutá, uma mulher que ressuscitou durante o próprio velório e um feiticeiro negro, "esguio como um pente" e artesão de talento.

O problema é que Cony não transita nesse território burlesco com a mesma eficiência e naturalidade de seus livros mais típicos. Falta em O Adiantado da Hora (seu romance mais fraco até hoje) um daqueles seus grandes protagonistas, narrador amargurado, dono de humor corrosivo e geralmente autodepreciativo - o mote do livro é ter humor, e Zé Mário pouco nos faz rir. Por outro lado, se o protagonista não empolga, o elenco de malucos que ele encontra diverte e compensa a falta de risadas do resto do livro.

Falta também certo foco na condução da história - em alguns momentos as tramas paralelas parecem soltas e dão a impressão de que o autor está apenas acumulando um punhado de fatos excêntricos para divertir o leitor e fazer jus à pretensão picaresca. Não basta reunir bizarrices e deixar que elas bastem por si só. Pilatos partia de uma situação pouco usual (um homem que sofre um acidente, perde o pênis e passa a carregá-lo dentro de um vidro de compota), mas também abordava questões como a repressão da ditadura militar, grupos guerrilheiros clandestinos e todo um lado "sujo" do Rio de Janeiro.

Os dois livros não são marcos de nada e nem vão quebrar paradigmas. São leituras rápidas: se encaradas dentro de sua pretensão (e no caso de O Adiantado da Hora, descontados alguns de seus defeitos), valem algumas horas do nosso tempo. E são adendos dignos às carreiras dos dois autores; sobretudo à de Scliar.

Para ir além









Jonas Lopes
Florianópolis, 21/8/2006


Quem leu este, também leu esse(s):
01. A arte da ficção política de Vicente Escudero
02. Um sopro de vida na literatura de Ram Rajagopal
03. Confissões de um crítico em tempos de internet de Marcelo Spalding
04. Filmes extremos e filmes extremistas de Marcelo Miranda
05. Espelho de Aline Pereira


Mais Jonas Lopes
Mais Acessadas de Jonas Lopes em 2006
01. Ser escritor ou estar escritor? - 2/6/2006
02. 15 anos sem Miles Davis, o Príncipe das Trevas - 11/10/2006
03. Tchekhov, o cirurgião da alma - 13/7/2006
04. Cony: o existencialista, agora, octogenário - 3/5/2006
05. Herzog e o grito de desespero humanista - 18/9/2006


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




ÂNSIA DE VIVER
DANIELLE STEEL
RECORD
(1996)
R$ 10,00



INVENTARIO SUMARIO DOS DOCUMENTOS DA SECRETARIA DO ESTADO DA MARI
HENRI BOULLIER DE BRANCHE
ARQUIVO NACIONAL
(1960)
R$ 25,28



PERFIL NACIONAL DOS CUIDADOS PRESTADOS ÀS CRIANÇAS COM IDADE INFERIOR
JOAQUIM BAIRRÃO MARIA BARBOSA ISOLINA BORGES OR...
FUNDAÇÃO CALOUSTE GULBENKIAN
(1990)
R$ 11,16



CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL
EDITORA SARAIVA
SARAIVA
(2002)
R$ 19,90



AS INVENTAÇÕES DA BRUXINHA TATÁ
MARTA MELO
ATICA
(1994)
R$ 8,00



REFLEXÕES SOBRE A PRÁTICA NA ATENÇÃO BÁSICA
M. AKERMAN / L. PAIXÃO/ E. MONTAGNA/ C. K. MORAIS
MÍDIA ALTERNATIVA
(2014)
R$ 53,00



GUIA DO ESTUDANTE CURSO PREPARATÓRIO ENEM 2010 HISTÓRIA I
ABRIL COLEÇÕES
ABRIL COLEÇÕES
(2010)
R$ 10,00



ESTA É NOSSA COZINHA! RECEITAS DO NORDESTE EM PORTUGUÊS E INGLÊS
JEWELL FENZI E RUTH FENZI REEDER
JEWELL PRESS
(1981)
R$ 19,82



SOB O OLHAR DE DEUS
MALBA TAHAN
CONQUISTA
(1957)
R$ 5,00



A RENOVAÇÃO DO PROCESSO CIVIL E OUTROS ESTUDOS PROCESSUAIS
JUSTINO MAGNO ARAÚJO
MÉTODO
(2004)
R$ 12,00





busca | avançada
53050 visitas/dia
1,8 milhão/mês