Tchekhov, o cirurgião da alma | Jonas Lopes | Digestivo Cultural

busca | avançada
54332 visitas/dia
2,0 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Inspirado nas Living Dolls, espetáculo de Dan Nakagawa tem Helena Ignez como atriz convidada
>>> As Caracutás apresentam temporada online de Tecendo Diálogos com bate-papo e oficina
>>> Obra de referência em nutrição de plantas ganha segunda edição revista e ampliada
>>> FAAP promove bate-papo com as atrizes Djin Sganzerla, Zezita Matos e com o diretor Allan Deberton
>>> Elísio Lopes Jr comanda oficina gratuita de dramaturgia nesta sexta-feira (27)
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> O fim dos livros físicos?
>>> A sujeira embaixo do tapete
>>> Moro no Morumbi, mas voto em Moema
>>> É breve a rosa alvorada
>>> Alameda de água e lava
>>> Entrevista: o músico-compositor Livio Tragtenberg
>>> Cabelo, cabeleira
>>> A redoma de vidro de Sylvia Plath
>>> Mas se não é um coração vivo essa linha
>>> Zuza Homem de Mello (1933-2020)
Colunistas
Últimos Posts
>>> A profissão de fé de um Livreiro
>>> O ar de uma teimosia
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
>>> Chico Buarque em bate-papo com o MPB4
>>> Como elas publicavam?
Últimos Posts
>>> O poder da história
>>> Caraminholas
>>> ETC. E TAL
>>> Acalanto para a alma
>>> Desde que o mundo é mundo
>>> O velho suborno
>>> Normal!
>>> Os bons companheiros, 30 anos
>>> Briga de foice no escuro
>>> Alma nua
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Eugênio Christi
>>> Um tweet que virou charge
>>> Lugar de mulher é...
>>> 27 de Março #digestivo10anos
>>> Remix Narrativo
>>> Asia de volta ao mapa
>>> A Era do Gelo
>>> As cartas de Dostoiévski
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> 9 de Abril #digestivo10anos
Mais Recentes
>>> Um Conto de Duas Cidades de Charles Dickens pela Nova Cultural (2002)
>>> Tomás de Aquino - Os Pensadores de Sto. Tomás de Aquino pela Nova Cultural (2004)
>>> As Raízes do Rock de Florent Mazzoleni pela Companhia Ed. Nacional (2012)
>>> As Relações Perigosas de Choderlos de Laclos pela Nova Cultural (2002)
>>> More - Os Pensadores de Thomas More pela Nova Cultural (2004)
>>> Aprendendo coreano (segundo tradução do Google) de Diversos AutoresKo pela Korean (1994)
>>> Bons Fluidos 23 - Abril 2001 - Dia de Festa: celebrar aniversários de Alda Palma pela Abril (2001)
>>> The Da Vinci Code de Dan Brown pela Harlan Coben (1990)
>>> Coronelismo, enxada e votos. O município e o regime representativo no Brasil de Victor Nunes Leal pela Nova Fronteira (1997)
>>> Coronelismo, enxada e votos. O município e o regime representativo no Brasil de Victor Nunes Leal pela Nova Fronteira (1997)
>>> Coronelismo, enxada e votos. O município e o regime representativo no Brasil de Victor Nunes Leal pela Nova Fronteira (1997)
>>> Jogos de Cintura de Fernanda de M. S. Macruz e Outros Autores pela Vozes (2000)
>>> Direito Penal - Parte Geral Esquematizado - Volume 1 de Cleber Masson pela Método (2020)
>>> O teatro dos vícios. Transgressão e transigência na sociedade urbana colonial de Emanuel Araújo pela José Olympio (1993)
>>> Mulheres Inteligentes Jogam Para Ganhar de Ivanka Trump pela Lua de Papel (2010)
>>> O Fascínio do Stress de Rodrigo Pires do Rio pela Del Rey (1995)
>>> A história da família de James Casey pela Ática (1992)
>>> O Sucesso Não Ocorre Por Acaso de Dr. Lair Ribeiro pela Rosa dos Tempos (1992)
>>> De Onde vêm os Bebês de Andrew C. Andry e Steven Schepp pela José Olympio (2013)
>>> Água Mole Em Pedra Dura Tanto Bate Até Que... de Clóvis Tavares pela Gente (2001)
>>> seu Rubens - Histórias do Binho da Barra Funda e do Rubão de Maresia de José Rubens de Cenço pela Primavera (2010)
>>> ... e o Amor Continua de Francisco Candido Xavier / Divaldo Pereira Franco pela Livraria Espirita Alvorada (1983)
>>> ... quando Florescem os Ipês. de Ganymédes José pela Brasiliense (1984)
>>> ... Quando Florescem os Ipês. de Ganymédes José pela Brasiliense (1981)
>>> ...E as Vozes Falaram de Fernando do Ó pela Feb (1987)
>>> ...E as Vozes Falaram de Fernando do Ó pela Feb (1984)
>>> ...E Se Falta a Palavra, Qual Comunicação, Qual Linguagem? de Tania Maria Tupy / Don Giancarlo Pravettoni (orgs) pela Menmon (1999)
>>> ...Homem Novo - Tomo 1/ Vol. 2 de Escola de Aprendizes do Evangelho pela Feesp (1981)
>>> ...Longe da Terra - 4ª Ed. de José Mauro de Vasconcelos pela Melhoramentos (1969)
>>> ´novo´ Paisagens do Brasil de Instituto Brasileiro de Geografia pela Fundacao Ibge: Rio de Janeiro (1972)
>>> 0 de Nelly Martins Ferreira Candeias pela Escrituras (2013)
>>> 10 Conselhos para Quem Tem uma Chefe Mulher de Gabrielle Rolland pela Scipione (1994)
>>> 10 Mandamentos para Fracassar nos Negócios de Donald R. Keough pela Sextante (2010)
>>> 10 Razões para Ser Espírita de José Carlos Leal pela Novo Ser (2014)
>>> 100 Anos da Doença de Alzheimer de Paulo Caramelli / Angela H. Viel pela Segmento Farma (2006)
>>> 100 Anos de Amor de Francisco Candido Xavier / Autores Diversos pela Grupo Espírita da Prece de Fr (2010)
>>> 100 Anos de Amor - Homenagem a Chico Xavier de Grupo de Ideal Espírita André Luiz pela Ideal (2010)
>>> 100 Anos de Amor - Homenagem a Chico Xavier de Grupo de Ideal Espírita André Luiz pela Ideal (2010)
>>> 100 Coisas de Fernando Bonassi pela Angra (2000)
>>> 100 Crônicas de Mario Prata pela Cartaz (1997)
>>> 100 Crônicas de Mario Prata pela Cartaz (1997)
>>> 100 Crônicas de Mario Prata pela Cartaz (1997)
>>> 100 Crônicas Escolhidas de Rubem Braga pela José Olympio (1958)
>>> 100 Jogos de Bolso - Número 1 de Autor Girassol pela Girassol
>>> 100 Piores Ideias da História de Michael N. Smith / Eric Kasum pela Valentina (2016)
>>> 100 Viagens Que Toda Mulher Precisa Fazer de Stephanie Elizondo Griest pela Novo Conceito (2011)
>>> 100 Viagens Que Toda Mulher Precisa Fazer de Stephanie Elizondo Griest pela Novo Conceito (2011)
>>> 1000 Erros de Português da Atualidade de Luiz Antonio Sacconi pela Nossa (1990)
>>> 1000 Perguntas: Direito do Menor de Alyrio Cavallieri pela Rio (1983)
>>> 101 Bichanos - por Amor aos Gatos de Rachael Hale pela Alles Trade (2005)
COLUNAS

Quinta-feira, 13/7/2006
Tchekhov, o cirurgião da alma
Jonas Lopes

+ de 11600 Acessos
+ 1 Comentário(s)

Afirmações decisivas e generalizantes são sempre perigosas, falaciosas. Mas como são elas que dão à crítica algum sabor, aqui vai uma: Anton Tchekhov é o maior contista de todos os tempos. Com todo o respeito a mestres do gênero como Poe, Maupassant e Hemingway, nenhum outro escritor conseguiu concentrar tanta densidade e sutileza em tão pequeno número de páginas. Não são necessárias mais do que algumas linhas para que ele trace a psicologia e a condição de um personagem, com todas as aflições e contradições.

Ao contrário dos compatriotas Tolstói e Dostoiévski, Tchekhov não traça grandes painéis da sociedade russa de seu tempo. Não de forma tão explícita: seu objeto é o homem comum, o mujique, os funcionários públicos, uma inócua classe média (se é que se pode falar de classe média na Rússia novecentista); seu cenário é o cotidiano, a vida como ela é; sua abordagem é a sugestão, aquilo que não é dito, apenas sentido; seu tom é introspectivo, amargo, pessimista, típico de um homem que nunca se entregou a credos (nada do moralismo de Tolstói e das redenções cristãs de Dostoiévski, portanto). Se o contista tece um painel russo, é através de uma ótica invertida, de dentro para fora, do indivíduo para a sociedade - miniaturas enganadoras. O gênio de Tchekhov está em encontrar poesia no banal.

Nisso e em seus finais inconclusos e epifânicos - tão estranhos ao neófito, tão hipnóticos ao fã de carteirinha - ele se assemelha a Machado de Assis ("Missa do Galo", com seus subentendidos, é um conto bastante tchekhoviano, embora seja provável que o Bruxo do Cosme Velho nunca tenha lido o russo). Sua influência, imensurável, vai do Joyce de Dublinenses a Borges, de Katherine Mansfield a Hemingway, de Dalton Trevisan a Raymond Carver - e essa lista poderia continuar por algum tempo. Na década de oitenta, uma pesquisa perguntou a alguns autores norte-americanos qual seria a maior influência no seu trabalho. Adivinhe quem ganhou.

O Beijo e outras histórias é a segunda coletânea de Tchekhov lançada pela editora 34, em sua hercúlea missão de lançar traduções diretas do russo. A empreitada ficou a cargo de Boris Schneiderman, como naquela primeira coletânea A Dama do Cachorrinho e outros contos. Enquanto aquela trazia os contos mais curtos do autor, talvez aqueles que melhor o sintetizam - pérolas como "Angústia", "Um caso clínico" e "A dama do cachorrinho" -, essa O Beijo traz estórias longas, quase novelas, na linha da compilação da Cosac & Naify, O Assassinato e outras histórias.

No conto "O Beijo" fica clara a habilidade do russo de trabalhar com tramas simples, frívolas, de tons menores e delas fazer inefáveis. Um grupo de soldados em marcha é convidado a tomar chá na casa de um fazendeiro, por educação. Um jovem soldado, perdido na mansão, é beijado no escuro por alguém que, logo a seguir, foge. O jovem passa dias e dias pensando no beijo, em quem o teria dado.

"Viérotchka", como "O Beijo", pode ser chamado de história de amor à moda tchekhoviana (traduz-se como "sem pieguice"). Um intelectual prepara-se para deixar a cidade onde descansou por alguns meses. Na caminhada até a saída da aldeia, ele é acompanhado pela filha do seu senhorio, e ela declara seu amor. O homem a rejeita para, minutos depois, se arrepender e descobrir que a amava, mas o sentimento fora sempre soterrado por sua arrogância. O distanciamento narrativo de Tchekhov lembra o de Flaubert. A diferença é que enquanto o francês nutria indiferença por seus personagens, o russo sentia sincero carinho pelos seus. Um exemplo disso é "Kaschtanka", em que a protagonista é uma cadela, "mistura de basset e vira-lata", foge de casa e vira artista de palco. "Kaschtanka" prova a versatilidade do autor.

"Uma crise" e "Uma história enfadonha" exploram questões parecidas. No primeiro, um estudante de direito vai a alguns bordéis pela primeira vez, em companhia de amigos. O estudante, que desprezava a vida das prostitutas, descobre que nos bordéis "de fato vivia gente, gente de verdade, que, a exemplo do que ocorre em toda parte, se ofende, sofre, chora, pede socorro...". Em "Uma história enfadonha" um professor de medicina relata seus últimos dias de vida, o desprezo por sua família e a admiração contida por sua filha adotiva.

O clima existencial das duas histórias remonta ao homem do subsolo de Dostoiévski, sem os extremos febris do autor de Crime e Castigo: Tchekhov leva seus protagonistas a extremos, mas sem que eles nunca percam a razão. Dostoiévski ganha em intensidade, Tchekhov em pessimismo, já que não oferece saída para os seus heróis.

O último e melhor conto do livro (e, talvez, de Tchekhov) é "Enfermaria Nº6". A enfermaria é um pavilhão afastado de um hospital onde ficam os supostos doentes mentais, guardados (e surrados) por um soldado. Entre os internos, está o Ivan Dmítrich Gromov, filho de um nobre que sofre de mania de perseguição desde que viu um grupo de presos acompanhados por guardas: "Não sabia de nenhuma transgressão que tivesse cometido e era capaz de jurar que também no futuro jamais haveria de matar, incendiar algo ou roubar; mas é acaso difícil cometer um crime sem querer, e não são também possíveis a calúnia ou mesmo um erro judiciário?".

A enfermaria é visitada pelo Dr. Andriéi Iefímitch Ráguin, médico do hospital. Andriéi Iefímitich se interessa por Gromov e suas idéias sobre loucura e sanidade e passa a visitar o pavilhão todos os dias. Logo constata que Gromov é mais são do que qualquer pessoa fora dali. Os outros médicos e amigos de Andriéi notam o seu novo comportamento e o internam no próprio sanatório. "Enfermaria Nº6" era adorado por Lenin, que leu o conto quando estava preso e se identificou com o médico. Há também muitas comparações com "O Alienista". A associação é pertinente pelo tema (em um mundo insano, quem é são é louco), ainda que as abordagens dos autores difiram: Machado faz uma sátira com fundo trágico, Tchekhov uma tragédia com fundo satírico.

Médico que era, Tchekhov manejava a pena com a precisão de um bisturi. Não há contra-indicações para sua obra. Se o efeito dessas histórias longas não é tão implacável e vigoroso quanto o das curtas, é, pelo menos, mais duradouro.

Para ir além






Jonas Lopes
São Paulo, 13/7/2006


Quem leu este, também leu esse(s):
01. O marketing da mendicância de Adriana Baggio
02. Mosaico da tragédia brasileira de Lucas Rodrigues Pires


Mais Jonas Lopes
Mais Acessadas de Jonas Lopes em 2006
01. Ser escritor ou estar escritor? - 2/6/2006
02. Tchekhov, o cirurgião da alma - 13/7/2006
03. 15 anos sem Miles Davis, o Príncipe das Trevas - 11/10/2006
04. Cony: o existencialista, agora, octogenário - 3/5/2006
05. Herzog e o grito de desespero humanista - 18/9/2006


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
13/7/2006
04h36min
Não que eu concorde. Isso não quer dizer nada, opiniões, como a minha, são estritamente pessoais. Mas é ótimo que existam afirmações assim como a do Jonas que, visivelmente, teve uma conversa com Tchekhov. Boa leitura é isso, afinal, uma conversa esclarecedora entre autor e leitor. Admiro o Jonas que lê, com atenção, esses contos, difíceis pra mim. Foram difíceis, talvez até por culpa de uma tradução mal feita. Mas não sou mesmo muito chegado no séc. XIX nem na sua transição. O azar é meu, claro. Penso que pouca coisa na lit. russa se aproxima de Tolstoi. Tá certo, estamos falando de contos. É um gênero difícil também, mais ainda porque todo contista tem a tentação fatal de escrever sobre nada. Vou fazer uma analogia meio grosseira: se escrever é uma corrida, o conto é a zona antes da linha de chegada. O lugar da freiada. O final de um processo. Muitos autores ficam lá no começo, só esquentando os motores. Não estou dizendo isso de Tchekhov, claro. Só tô viajando na minha maionese.
[Leia outros Comentários de Guga Schultze]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




OS PARAÍSOS ARTIFICIAIS / O ÓPIO E POEMA DO HAXIXE
CHARLES BAUDELAIRE
L&PM
(1982)
R$ 12,00



FORA DE RUMO
JAMES SIEGEL
RECORD
(2006)
R$ 9,39



THE FALL OF ADVERTISING & THE RISE OF PR
AL RIES & LAURA RIES
HARPER BUSINESS
(2002)
R$ 11,00



ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO DO ENSINO DE 1º E 2º CRAUS
MOYSÉS BREJON
PIONEIRA
(1986)
R$ 10,00



SANTA MISÉRIA - COLEÇÃO DOS PRÊMIOS NOBEL DE LITERATURA
FRANS EEMIL SILLANPAA
DELTA
(1966)
R$ 11,00



OLHA PARA O CÉU, FREDERICO! 10474
JOSE CÂNDIDO DE CARVALHO
VECCHI
(1939)
R$ 65,00



REVELAÇÕES INÉDITAS DO HISTÓRIA DO BRASIL
ROSELIS VON SASS
ORDEM DO GRAAL NA TERRA
(1978)
R$ 15,00



A REVOLUÇÃO NA SEGURANÇA PÚBLICA
GUARDAS MUNICIPAIS
SÃO PAULO
(2012)
R$ 5,00



UM CORAÇÃO DE DOIS OLHOS
MARIA ZILMA BARBOSA
AO LIVRO TÉCNICO
(1992)
R$ 8,38



A ESPADA SELVAGEM DE CONAN 19
EDITORA ABRIL
ABRIL
(1986)
R$ 10,00





busca | avançada
54332 visitas/dia
2,0 milhões/mês