Tchekhov, o cirurgião da alma | Jonas Lopes | Digestivo Cultural

busca | avançada
30385 visitas/dia
851 mil/mês
Mais Recentes
>>> Sidney Rocha lança seu novo livro, A Lenda da Seca
>>> Oficina de Alegria encerra o mês das crianças com a festa Bloquinho na Praça - 27 de outubro
>>> EMP Escola de Música faz apresentação gratuita de alunos e professores
>>> Miami Ad School Rio promove curso sobre criatividade que desmistifica o padrão do que é ser criativo
>>> Exposição destaca figura feminina com a leveza da aquarela
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Inferno em digestão
>>> Hilda Hilst delirante, de Ana Lucia Vasconcelos
>>> As pedras de Estevão Azevedo
>>> O artífice do sertão
>>> De volta à antiga roda rosa
>>> O papel aceita tudo
>>> O tigre de papel que ruge
>>> Alice in Chains, Rainier Fog (2018)
>>> Cidades do Algarve
>>> Gosta de escrever? Como não leu este livro ainda?
Colunistas
Últimos Posts
>>> Eleições 2018 - Afif na JP
>>> Lançamentos em BH
>>> Lançamento paulistano do Álbum
>>> Pensar Edição, Fazer Livro 2
>>> Ana Elisa Ribeiro lança Álbum
>>> Arte da Palavra em Pernambuco
>>> Conceição Evaristo em BH
>>> Regina Dalcastagné em BH
>>> Leitores e cibercultura
>>> Sarau Libertário em BH
Últimos Posts
>>> Sete chaves a sete cores
>>> Feira livre
>>> Que galho vai dar
>>> Relâmpagofágico
>>> Caminhada
>>> Chama
>>> Ossos perduram
>>> Pensamentos à política
>>> A santidade do pecado em Padre António Vieira
>>> Casa de couro III
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Cigarro, apenas um substituto da masturbação?
>>> Conceição Evaristo em BH
>>> Queijos
>>> A trilogia da vingança de Park Chan-Wook
>>> Redentor, a versão nacional e atualizada da Paixão
>>> Como detectar MAVs (e bloquear)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte II)
>>> Filmes on-line
>>> A Trilogia de Máximo Górki
>>> Apresentação
Mais Recentes
>>> Líderes religiosos da humanidade 2 volumes de Dr. Hugo Schlesinger & Pe. Humberto Porto pela Paulinas (1986)
>>> Folkloristas e Instituciones Folkloricas del Mundo de Felix Coluccio pela El Ateneo (1951)
>>> Deuses e heróis. O apogeu da Grécia Antiga de Mary Renault pela Nova Fronteira (1984)
>>> O Vermelho e o Negro de Stendhal pela Nova Cultural/Círculo do Livro (2003)
>>> Nos Submundos Da Antiguidade de Catherine Salles pela Brasiliense (1982)
>>> Curso De Midiologia Geral de Régis Debray pela Vozes (1993)
>>> Margens na Literatura de Luiza Lobo e Angélica Soares: Organizadoras pela Numen (1994)
>>> Livre mercado para todos de Stiglitz,Joseph E; Charlton,Andrew pela Campus/Elsevier (2007)
>>> A Correspondência Completa De Sigmund Freud para Willhelm Fliess de Jeffrey Moussaieff Masson pela Imago (1986)
>>> A alquimia das finanças de Soros,George pela Nova fronteira (1996)
>>> A jogada do século de Lewis,Michael pela Best business (2011)
>>> Nietzsche - O Bufão dos Deuses de Maria Cristina Franco Ferraz pela Relume Dumará (1994)
>>> O mapa e o território de Greenspan,Alan pela Portfolio,Penguin (2013)
>>> O sequestro da América de Ferguson, Charles H. pela Zahar (2013)
>>> O Matrimônio de Sören Kierkegaard pela Editorial Psy II (1994)
>>> O Que faria Maquiavel? - Os Fins Justificam Os Maus de Stanley Bing pela Rocco (2002)
>>> A Mão do Artista de W.H. Auden pela Siciliano (1993)
>>> Contos de Voltaire pela Victor Civilta (1979)
>>> Grandes imperios e civilizaçoes--1 e 2. de Delprado pela Delprado (2018)
>>> Maos de ouro--1,2 e 3. de Abril pela Abril (2018)
>>> Trabalhos maravilhosos--1,2,3,4 e 5. de Editora abril pela Abril (2018)
>>> Eneida de Virgílio pela Nova Cultural (2003)
>>> Maravilhas do mundo de Elvira de oliveira pela Klick (2018)
>>> Museu de arte da catalunha--barcelona. de Juan ainaud de lasarte pela Codex (2018)
>>> National museum of anthropology-mexico-geniuses of art de Laura garcia sanchez pela Susaeta (2018)
>>> A nova secretaria--1,2 e 3. de Editora globo pela Globo (2018)
>>> O Leopardo de Giuseppe Tomasi Di Lampedusa pela Nova Cultural (2018)
>>> A dieta da superenergia do dr. atkins de Robert c. atkins e shirley linde pela Arte nova (2018)
>>> Republica socialista do paraguay de Antonio sonsin pela Soft-set (2018)
>>> O bicho,meu deus,era um homem de Usf pela Usf (2018)
>>> Rio quente-uma historia aquecida pelas suas proprias aguas. de Arnaldo nogueira pela Grafica brasil (2018)
>>> Curso de formaçao de membros de Igreja messianica do brasil pela Moa (2018)
>>> Fragmentos de lembranças de Neuza das neves pela Degaspari (2018)
>>> Aluna do telhado de Clotilde do carmo dias pela Everest (2018)
>>> Dilemas da educaçao dos apelos populares a constituiçao. de Joao baptista herkenhoff pela Cortez (2018)
>>> Novelle e filastrocche tosco-brozzesi de Gabrielli di tante pela Litteraria riservata (2018)
>>> A sociedade responsavel de Stephen roman e eugen loebl pela Mestre jou (2018)
>>> Etiqueta sem frescura de Claudia matarazzo pela Melhoramentos (2018)
>>> O alquimista de Paulo coelho pela Rocco (2018)
>>> O demonio e a srta.prym de Paulo coelho pela Objetiva (2018)
>>> Divergente de Veronica Roth pela Rocco (2012)
>>> Migração e Mão-de-obra: Retirantes Cearenses na Economia Cafeeira... de Paulo Cesar Gonçalves pela Humanitas (2006)
>>> Italianos Sob a Mira da Polícia Polícia Política de Viviane Teresinha dos Santos pela Humanitas (2008)
>>> Catatau de Paulo Leminski pela Iluminuras (2010)
>>> Armagedom em Retrospecto de Kurt Vonnegut pela Lpm (2018)
>>> Democracia Sindical no Brasil de Ericson Crivelli pela LTr (2000)
>>> Instituições de Direito Civil - Volume 1 de Caio Mário da Silva Pereira pela Forense/Gen (2010)
>>> Maçonaria - Coletânea de Trabalhos dos Anais de 10 Anos - Acomp. CD de Loja Francisco Xavier Ferreira pela Grande Oriente do Rio Grande do Sul (2007)
>>> Prática de Contratos e Instrumentos Particulares de Antonio Celso Pinheiro Franco e Celina Raposo do Amaral Pinheiro Franco pela Revista dos Tribunais (2005)
>>> O Livro do Travesseiro de Sei Shonagon pela 34 (2018)
COLUNAS

Quinta-feira, 13/7/2006
Tchekhov, o cirurgião da alma
Jonas Lopes

+ de 10100 Acessos
+ 1 Comentário(s)

Afirmações decisivas e generalizantes são sempre perigosas, falaciosas. Mas como são elas que dão à crítica algum sabor, aqui vai uma: Anton Tchekhov é o maior contista de todos os tempos. Com todo o respeito a mestres do gênero como Poe, Maupassant e Hemingway, nenhum outro escritor conseguiu concentrar tanta densidade e sutileza em tão pequeno número de páginas. Não são necessárias mais do que algumas linhas para que ele trace a psicologia e a condição de um personagem, com todas as aflições e contradições.

Ao contrário dos compatriotas Tolstói e Dostoiévski, Tchekhov não traça grandes painéis da sociedade russa de seu tempo. Não de forma tão explícita: seu objeto é o homem comum, o mujique, os funcionários públicos, uma inócua classe média (se é que se pode falar de classe média na Rússia novecentista); seu cenário é o cotidiano, a vida como ela é; sua abordagem é a sugestão, aquilo que não é dito, apenas sentido; seu tom é introspectivo, amargo, pessimista, típico de um homem que nunca se entregou a credos (nada do moralismo de Tolstói e das redenções cristãs de Dostoiévski, portanto). Se o contista tece um painel russo, é através de uma ótica invertida, de dentro para fora, do indivíduo para a sociedade - miniaturas enganadoras. O gênio de Tchekhov está em encontrar poesia no banal.

Nisso e em seus finais inconclusos e epifânicos - tão estranhos ao neófito, tão hipnóticos ao fã de carteirinha - ele se assemelha a Machado de Assis ("Missa do Galo", com seus subentendidos, é um conto bastante tchekhoviano, embora seja provável que o Bruxo do Cosme Velho nunca tenha lido o russo). Sua influência, imensurável, vai do Joyce de Dublinenses a Borges, de Katherine Mansfield a Hemingway, de Dalton Trevisan a Raymond Carver - e essa lista poderia continuar por algum tempo. Na década de oitenta, uma pesquisa perguntou a alguns autores norte-americanos qual seria a maior influência no seu trabalho. Adivinhe quem ganhou.

O Beijo e outras histórias é a segunda coletânea de Tchekhov lançada pela editora 34, em sua hercúlea missão de lançar traduções diretas do russo. A empreitada ficou a cargo de Boris Schneiderman, como naquela primeira coletânea A Dama do Cachorrinho e outros contos. Enquanto aquela trazia os contos mais curtos do autor, talvez aqueles que melhor o sintetizam - pérolas como "Angústia", "Um caso clínico" e "A dama do cachorrinho" -, essa O Beijo traz estórias longas, quase novelas, na linha da compilação da Cosac & Naify, O Assassinato e outras histórias.

No conto "O Beijo" fica clara a habilidade do russo de trabalhar com tramas simples, frívolas, de tons menores e delas fazer inefáveis. Um grupo de soldados em marcha é convidado a tomar chá na casa de um fazendeiro, por educação. Um jovem soldado, perdido na mansão, é beijado no escuro por alguém que, logo a seguir, foge. O jovem passa dias e dias pensando no beijo, em quem o teria dado.

"Viérotchka", como "O Beijo", pode ser chamado de história de amor à moda tchekhoviana (traduz-se como "sem pieguice"). Um intelectual prepara-se para deixar a cidade onde descansou por alguns meses. Na caminhada até a saída da aldeia, ele é acompanhado pela filha do seu senhorio, e ela declara seu amor. O homem a rejeita para, minutos depois, se arrepender e descobrir que a amava, mas o sentimento fora sempre soterrado por sua arrogância. O distanciamento narrativo de Tchekhov lembra o de Flaubert. A diferença é que enquanto o francês nutria indiferença por seus personagens, o russo sentia sincero carinho pelos seus. Um exemplo disso é "Kaschtanka", em que a protagonista é uma cadela, "mistura de basset e vira-lata", foge de casa e vira artista de palco. "Kaschtanka" prova a versatilidade do autor.

"Uma crise" e "Uma história enfadonha" exploram questões parecidas. No primeiro, um estudante de direito vai a alguns bordéis pela primeira vez, em companhia de amigos. O estudante, que desprezava a vida das prostitutas, descobre que nos bordéis "de fato vivia gente, gente de verdade, que, a exemplo do que ocorre em toda parte, se ofende, sofre, chora, pede socorro...". Em "Uma história enfadonha" um professor de medicina relata seus últimos dias de vida, o desprezo por sua família e a admiração contida por sua filha adotiva.

O clima existencial das duas histórias remonta ao homem do subsolo de Dostoiévski, sem os extremos febris do autor de Crime e Castigo: Tchekhov leva seus protagonistas a extremos, mas sem que eles nunca percam a razão. Dostoiévski ganha em intensidade, Tchekhov em pessimismo, já que não oferece saída para os seus heróis.

O último e melhor conto do livro (e, talvez, de Tchekhov) é "Enfermaria Nº6". A enfermaria é um pavilhão afastado de um hospital onde ficam os supostos doentes mentais, guardados (e surrados) por um soldado. Entre os internos, está o Ivan Dmítrich Gromov, filho de um nobre que sofre de mania de perseguição desde que viu um grupo de presos acompanhados por guardas: "Não sabia de nenhuma transgressão que tivesse cometido e era capaz de jurar que também no futuro jamais haveria de matar, incendiar algo ou roubar; mas é acaso difícil cometer um crime sem querer, e não são também possíveis a calúnia ou mesmo um erro judiciário?".

A enfermaria é visitada pelo Dr. Andriéi Iefímitch Ráguin, médico do hospital. Andriéi Iefímitich se interessa por Gromov e suas idéias sobre loucura e sanidade e passa a visitar o pavilhão todos os dias. Logo constata que Gromov é mais são do que qualquer pessoa fora dali. Os outros médicos e amigos de Andriéi notam o seu novo comportamento e o internam no próprio sanatório. "Enfermaria Nº6" era adorado por Lenin, que leu o conto quando estava preso e se identificou com o médico. Há também muitas comparações com "O Alienista". A associação é pertinente pelo tema (em um mundo insano, quem é são é louco), ainda que as abordagens dos autores difiram: Machado faz uma sátira com fundo trágico, Tchekhov uma tragédia com fundo satírico.

Médico que era, Tchekhov manejava a pena com a precisão de um bisturi. Não há contra-indicações para sua obra. Se o efeito dessas histórias longas não é tão implacável e vigoroso quanto o das curtas, é, pelo menos, mais duradouro.

Para ir além






Jonas Lopes
Florianópolis, 13/7/2006


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Entrevista com a tradutora Denise Bottmann de Jardel Dias Cavalcanti
02. O dia em que não conheci Chico Buarque de Elisa Andrade Buzzo
03. Um Furto de Ricardo de Mattos
04. Sebastião Rodrigues Maia, ou Maia, Tim Maia de Renato Alessandro dos Santos
05. Entrevista com o poeta mineiro Carlos Ávila de Jardel Dias Cavalcanti


Mais Jonas Lopes
Mais Acessadas de Jonas Lopes em 2006
01. Ser escritor ou estar escritor? - 2/6/2006
02. 15 anos sem Miles Davis, o Príncipe das Trevas - 11/10/2006
03. Tchekhov, o cirurgião da alma - 13/7/2006
04. Cony: o existencialista, agora, octogenário - 3/5/2006
05. Herzog e o grito de desespero humanista - 18/9/2006


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
13/7/2006
04h36min
Não que eu concorde. Isso não quer dizer nada, opiniões, como a minha, são estritamente pessoais. Mas é ótimo que existam afirmações assim como a do Jonas que, visivelmente, teve uma conversa com Tchekhov. Boa leitura é isso, afinal, uma conversa esclarecedora entre autor e leitor. Admiro o Jonas que lê, com atenção, esses contos, difíceis pra mim. Foram difíceis, talvez até por culpa de uma tradução mal feita. Mas não sou mesmo muito chegado no séc. XIX nem na sua transição. O azar é meu, claro. Penso que pouca coisa na lit. russa se aproxima de Tolstoi. Tá certo, estamos falando de contos. É um gênero difícil também, mais ainda porque todo contista tem a tentação fatal de escrever sobre nada. Vou fazer uma analogia meio grosseira: se escrever é uma corrida, o conto é a zona antes da linha de chegada. O lugar da freiada. O final de um processo. Muitos autores ficam lá no começo, só esquentando os motores. Não estou dizendo isso de Tchekhov, claro. Só tô viajando na minha maionese.
[Leia outros Comentários de Guga Schultze]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




SIMPÁTICO CORAÇÃO
MYRIA RAMOS / SILVA
OBJETIVA
(1996)
R$ 18,00



TRÊS SEMANAS EM PARIS
BARBARA TAYLOR BRADFORD
RECORD
(2003)
R$ 24,90



ESTUDOS DE COMPLEXIDADE
CLEIDE ALMEIDA & IZABEL PETRAGLIA (ORGS.)
XAMÃ
(2006)
R$ 35,00



AVENTURAS DO CAPITÃO HATTERAS - OS INGLEZES NO POLO NORTE
JÚLIO VERNE
LIVRARIA FRANCISCO ALVES
R$ 7,00



O ASSASSINATO E OUTRAS HISTORIAS
ANTON TCHEKHOV
COSACNAIFY
R$ 12,00



LORD JIM - JOSEPH CONRAD (LITERATURA INGLESA)
JOSEPH CONRAD
ABRIL CULTURAL
(1980)
R$ 7,00



A TRAGÉDIA - ESTRUTURA & HISTÓRIA
LIGUA MILITZ DA COSTA E MARIA LUIZA RITZEL REMÉDIOS
ÁTICA
(1988)
R$ 22,00



O QUE E MILAGRE NA BIBLIA
ALFONS WEISER
PAULINAS
R$ 18,00



WINTROBES ATLAS OF CLINICAL HEMATOLOGY + DVD
DOUGLAS C. TKACHUK
LWW
(2007)
R$ 280,00



FAZER ACONTECER - 10ª EDIÇÃO
JULIO RIBEIRO
CULTURA
(1999)
R$ 10,00





busca | avançada
30385 visitas/dia
851 mil/mês