Reflexão para eleitores | Ram Rajagopal | Digestivo Cultural

busca | avançada
74210 visitas/dia
2,2 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Buena Onda Reggae Club faz maratona de shows online a partir de 1ª de outubro
>>> Filó Machado e Felipe Machado dividem o palco em show online pelo CulturaEmCasa
>>> Cassio Scapin e artistas de grandes musicais fazem campanha contra o abuso sexual infantil
>>> Terça Aberta na Quarentena une teatro e a dança
>>> “Um pé de biblioteca” estimula imaginação e ajuda a criar novas bibliotecas pelo Brasil
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Meu malvado favorito
>>> A pintura do caos, de Kate Manhães
>>> Nem morta!
>>> O pai tá on: um ano de paternidade
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - I
>>> Contentamento descontente: Niketche e poligamia
>>> Cinemateca, Cinemateca Brasileira nossa
>>> A desgraça de ser escritor
>>> Um nu “escandaloso” de Eduardo Sívori
>>> Um grande romance para leitores de... poesia
Colunistas
Últimos Posts
>>> A última performance gravada de Jimmi Hendrix
>>> Sebo de Livros do Seu Odilon
>>> Sucharita Kodali no Fórum 2020
>>> Leitura e livros em pauta
>>> Soul Bossa Nova
>>> Andreessen Horowitz e o futuro dos Marketplaces
>>> Clair de lune, de Debussy, por Lang Lang
>>> Reid Hoffman sobre Marketplaces
>>> Frederico Trajano sobre a retomada
>>> Stock Pickers ao vivo na Expert 2020
Últimos Posts
>>> Três tempos
>>> Matéria subtil
>>> Poder & Tensão
>>> Deu branco
>>> Entre o corpo e a alma
>>> Amuleto
>>> Caracóis me mordam
>>> Nome borrado
>>> De Corpo e alma
>>> Lamentável lamento
Blogueiros
Mais Recentes
>>> 7 de Setembro
>>> Amor fati
>>> É Julio mesmo, sem acento
>>> Maria Erótica e o clamor do sexo
>>> Arte, cultura e auto-estima
>>> Escrevendo um currículo
>>> Frases que soubessem tudo sobre mim
>>> Por que somos piratas musicais
>>> 6 pedras preciosas do rock
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST)
Mais Recentes
>>> Introdução à Programação Usando O Pascal de J. Pavão Martins pela Mcgraw-hill (1994)
>>> Bíblia Sagrada de Ivo Storniolo e Euclides Martins Balancin pela Paulus (2000)
>>> A Descoberta Diária de Org. João Ferreira De Almeida pela Alfalit Brasil (1998)
>>> Deus Ajuda Preces de Lorival Lopes pela Otimismo (1998)
>>> Gado Nelore 100 Anos de Seleção de Alberto Alves Santiago pela Dos Criadores (1987)
>>> Annuário De Jurisprudência Federal com um Apêndice de Legislação 1930 de Octavio Kelly pela A. Coelho Branco F. (1930)
>>> This Side Of Innocence de Taylor Caldwell pela Charles Scribner´s Sons (1946)
>>> Lands And Peoples 7 América Latina de Não Informado pela Grolier (1969)
>>> Lands And Peoples 6 Canadá de Não Informado pela Grolier (1969)
>>> Lands And Peoples 4 Ásia de Não Informado pela Grolier (1969)
>>> Soltando a Língua 8 de Sérgio Nogueira pela Gold (2007)
>>> Soltando a Língua 7 de Sérgio Nogueira pela Gold (2007)
>>> Soltando a Língua 6 de Sérgio Nogueira pela Gold (2007)
>>> Soltando a Língua 5 de Sérgio Nogueira pela Gold (2007)
>>> Soltando a Língua 4 de Sérgio Nogueira pela Gold (2007)
>>> Soltando a Língua 3 de Sérgio Nogueira pela Gold (2007)
>>> Soltando a Língua 2 de Sérgio Nogueira pela Gold (2007)
>>> Soltando a Língua 1 de Sérgio Nogueira pela Gold (2007)
>>> Acervo Artístico E Cultural dos Palácios do Governo do Estado de São Paulo de Org Ika Passos Fleury pela Gov. São Paulo
>>> Introdução à Estatística + CD de Mario F. Triola pela Ltc (2008)
>>> A Era Da Incerteza de John Kenneth Galbraith pela Pioneira (1998)
>>> Pc Guia Do Programador Soluções de Problemas de Robert Jourdain e outros pela Editora Campos (1993)
>>> Aprenda Brincando Artesanato e Atividades de Domingo Alzugaray e Cátia Alzugaray pela Três
>>> Lógica De Programação A Construção de Algoritmos e Estrutura de Dados de André Luiz Villar Forbellone e outro pela Mcgraw-hill (1993)
>>> Musculação Modelo Didático para Prescrição e Controle das Atividades de José Ricardo Claudio Ribeiro pela Casa Da Educação Física (2009)
>>> Porcelana Fria Encadernadas o Vol 1 ao Vol 10 de Org. Hugo García pela Bem Vindas (1999)
>>> Orçamento Participativo – A Experiência de Porto Alegre de Tarso Genro e Ubiratan de Souza pela Perseu Abramo (1997)
>>> A Mosca Azul – Reflexão Sobre o Poder de Frei Betto pela Rocco (2006)
>>> Ética e Cidadania de Herbert de Souza (Betinho) e Carla Rodrigues pela Moderna (2002)
>>> Olhares Sobre a Experiência da Governança Solidária Local de Porto Alegre de Jandira Feijó e Augusto de Franco (Org.) pela Puc/RS (2008)
>>> O Futuro da Cidade – A Discussão Pública do Plano Diretor de José Paulo Teixeira e Jorge E. Silva (Org.) pela Instituto Cidade Futura (1999)
>>> Ninguém Vive Sem Política de Adeli Sell pela Palmarinca (2002)
>>> O Impeachment de Olívio Dutra e o Estado Democrático de Direito de Paulo do Couto e Silva pela Do Autor (2000)
>>> Histórias Reais para Melhorar a Vida dos Gaúchos de Vários Autores pela PT Sul (2006)
>>> Congresso de Direito Municipal – A Federação e as Políticas Públicas em Debate – Oficinas de Vários Autores pela ESDM / VT Propaganda (2007)
>>> Discursos do Senador Pinheiro Machado de Pedro Simon (Org.) pela Senado Federal (2004)
>>> O Futuro do Trabalho – Fadiga e Ócio na Sociedade Pós-Industrial de Domenico de Masi pela José Olympio (2003)
>>> Mudando Paradigmas na Formação de Quadros Políticos de Ricardo João Santin (Org.) pela Hs (2009)
>>> Os Militares e a Guerra Social de Péricles da Cunha pela Artes e Ofícios (1994)
>>> Dez Anos de Leis e de Ações Municipais: 2002 a 2011 de Vários Autores pela Câmara Municipal de Porto Alegre (2011)
>>> aris Boêmia. Cultura, política e os limites da vida burguesa 1830-1930 de Jerrold Seigel pela L&PM (1992)
>>> 30 anos do The New York Review of Books. A primeira antologia de Robert B. Silvers et alii pela Paz e Terra (1997)
>>> Lendo Freud. Investigações e entretenimentos de Peter Gay pela Imago (1992)
>>> 1680-1720. O império deste mundo de Laura de Mello Souza & Fernanda Baptista Bicalho pela Companhia das Letras (2000)
>>> The Face Magazine 4, Spring 2020 de Lara Strong pela Wasted Talent (2020)
>>> Photo 543 Octobre-Nevembre 2019 de Tony Kelly pela Photo (2019)
>>> The Entrepreneurs 2, 2020 de Business Handbook pela Monocle (2020)
>>> A Nave de Noé de Trigueirinho pela Pensamento (1995)
>>> Miz Tli Tlan – Um Mundo que Desperta de Trigueirinho pela Pensamento (1995)
>>> Entertainment Weekly Magazine de Black Widow pela Time (2020)
COLUNAS >>> Especial Eleições 2006

Segunda-feira, 4/9/2006
Reflexão para eleitores
Ram Rajagopal

+ de 7300 Acessos
+ 6 Comentário(s)

Estamos todos um pouco enfastiados com mais uma eleição presidencial que se aproxima, e todo aquele quiprocó tradicional que acompanha um pleito. Desde as promessas dos candidatos, as imagens de promessas não cumpridas em horário eleitoral, as tradicionais reclamações dos eleitores. Em geral, estes, os eleitores são os mais chatos de todos. Entre eles não há um que se encontre satisfeito ou em paz com as escolhas que fez na eleição anterior. Em geral, já tem uma longa lista do que o próximo candidato escolhido por ele tem que fazer, tem que deixar de fazer e assim por diante. Mas uma das perguntas que faz arder a língua é: o quanto o eleitor refletiu na escolha?

Para a maioria de nós, uma bela discussão em bar, embalisada por uma leitura diagonal de um jornal e por quitutes gostosos é reflexão mais do que suficiente para a escolha de um candidato. Imagine refletir sobre os nossos desejos sobre os candidatos. Isto nem pensar. Para a maioria das pessoas, a reflexão não é parte integral da vida, e sim uma pequena conveniência, que deve ser relegada aos ditos "tipos intelectuais". E muitos assumem seu tipo intelectual e passam suas vidas dia após dia refletindo na mesa de um bar, em alguma esquina de uma cidade como o Rio de Janeiro. Volta e meia, um destes filósofos de botequim aparecem no noticiário para nos alertar quanto a sua escolha eleitoral. Tá, eles aparecem mesmo em épocas sem eleição, dando seus infames palpites, que são somente a integração linguística do gosto do bolinho de bacalhau com o último pensamento da moda. Não pense que se tratam de desconhecidos também. Alguns balaurtes das artes nacionais se prestam a este deprimente papel.

Mas por que este tipo de situação vem se repetindo com cada vez mais freqüência? Por que acreditamos em pseudo-especialistas, que de especial tem somente seus contatos jornalísticos e midiáticos? Ora, a razão me parece relativamente simples: nós nos desacostumamos a refletir. A reflexão, como ferramenta para uma vida melhor, foi descartada do cotidiano de cada um. A reflexão é cada vez menos valorizada numa sociedade onde a pressa, a busca pelo prazer instantâneo, é encarada como a única forma possível de se construir uma vida para si mesmo.

O que é refletir? Refletir não é somente produzir palavras em cima de palavras ou pensamentos em cima de pensamentos, com opiniões sobre tudo o que se observa. Refletir é a capacidade de integrar nossas experiências com a observação sobre o cotidiano. É saber fazer um questionamento inteligente das nossas idéias e desejos. Em última instância, refletir significa aceitar que sua vida não é tão significativa assim para a sociedade, mas é muito significativa para si mesmo. Aquela que deveria ser uma ferramenta do nossos dia a dia, como bem expôs Luis Eduardo Matta em um outro artigo aqui do Digestivo Cultural, foi relegado a ser um fetiche de alguns.

Quase diariamente leio nos jornais e vejo na televisão, e no YouTube, que estamos vivendo a "era da informação". Mas sem reflexão, sem vivência, informação é somente uma coleção de dados inconclusivos, que servem de bagagem para que possamos discutir em uma mesa de bar. A informação só se torna formação, quando a entendemos sob a ótica de nossas idéias e princípios, se utilizando da tecnologia da reflexão. Infelizmente, o Google não vai fazer isso por você, apesar de vários músicos da MPB tentarem ser seu Google Oracle neste sentido...

Uma vez ouvi de um colega: "mas refletir parece tão chato...". Pois aí está mais um estereótipo que caracteriza qualquer ato de reflexão como sendo uma atividade parada, sem emoção, baseada em pura demagogia lógica, sem os verdadeiros saltos intuitivos e qualitativos que uma verdadeira busca reflexiva lhe oferecerá. A realidade é que quanto mais você reflete, menos você pensa mecanicamente. Como assim? Ora, menos você se atém a termos do discurso da sociedade, e mais você descobre seu próprio caminho, aquele onde você anda com naturalidade, onde suas idéias e intuições acontecem sem exigir grandes esforços. Como você pode ver, quando você reflete, você esta fazendo um favor a si mesmo, pois está tão somente formando um artigo de luxo chamado personalidade.

Não se engane, muitos professores por aí jamais refletem. Refletir não se dá por decreto ou por diploma, não depende de ideologia, não requer nem mesmo sequências lógicas de argumentos. Muitas vezes, podemos dar saltos intuitivos, ou podemos descobrir que estamos despreparados para entender um desejo ou idéia própria. Mas ao menos você terá a clareza de "saber que não sabe". É melhor ter a certeza da dúvida, do que ter a crença de que somos completamente sólidos e consistentes.

Esta é outra expressão que acompanha o discurso de muitas pessoas: temos que ser consistentes. Especialmente em época de eleição, muitos se utilizam do discurso da consistência para induzir você ao mesmo ralo anti-reflexivo aonde eles se meteram. Não, meus queridos, não precisamos ser consistentes. Na realidade, se você pensar bem, somos todos inconsistentes, porque nossos desejos mudam com o tempo, e a própria realidade muda de minuto a minuto, com cada evento novo que acontece. Seria a inconsistência o fim do mundo? Afinal o que é consistência?

Consistência é de certa forma o oposto da reflexão. Ser consistente significa ter seu comportamento atrelado a algum dogma mental com o qual você se acostumou. Na maioria das vezes significa tão somente agir de alguma maneira pré-determinada, de acordo com outras ações suas. Ou seja, se você faz ou aceita A, então necessariamente terá que fazer e aceitar B. Como vocês podem observar, a consistência é justamente o que ocorre na ausência de reflexão. E o resultado final daqueles que vivem uma vida consistente é uma profunda confusão mental, já que a realidade está mudando continuamente, as informações - hoje em tempo real - são novas a toda hora. Como agir com consistência, sem refletir, num mundo assim? Todos dogmas serão sempre triturados ao pó...

Neste novo mundo só há lugar para idéias que estão embasadas na experiência pessoal e na profunda reflexão. Ao menos deveria ser assim. Uma existência saudável deve se basear somente em idéias assim. Senão você está criando o veículo para continuar o ciclo de mesmice que observamos no cotidiano da sociedade: as mesmas reclamações de sempre, os mesmos protagonistas de sempre, e os mesmos problemas de sempre... De certa forma, estamos felizes e acostumados com estes problemas, e como sociedade decidimos que é melhor a tragédia sabida do que o inesperado que surge de uma resolução deles.

Numa sociedade em que, infelizmente, a maioria entre aqueles que podem se dar ao luxo de refletir, não o fazem, teremos sempre o atual panorama de desvairio que acompanha toda eleição, ou toda e qualquer discussão de idéias no país. Imagine então quando se trata de dar pitacos sobre leis e projetos que determinarão alguns dos rumos da sociedade... Tudo feito às cegas a maioria das vezes. Portanto, quando puder, tire um tempo consigo mesmo e reflita sobre suas idéias. Pense de onde elas vieram, por que você pensa daquele jeito, e que experiência pessoal sua embasa sua crença. Se entregue honestamente a este belo ato de contemplação.

E mais uma coisa, não acredite que pessoas veementes necessariamente refletiram sobre aquilo que defendem com unhas e dentes. Muito pelo contrário, minha experiência prática é que a maioria destes fanáticos e tipos intelectualóides jamais investiram mais do que alguns minutos para adotar um discurso. E muitas vezes o discurso adotado é mais por conveniência, por consistência, do que por ter surgido de uma intuição ou como consequência de uma reflexão... Podemos rapidamente identificar pessoas assim: em geral tem opiniões sobre qualquer assunto; Julgam qualquer experiência, mas sempre baseados em sua base pré-fabricada de idéias; E raramente sabem levar uma vida com bom humor e leveza. Para este tipo de pessoa nada é suficiente, nada é possível, nada é satisfatório, portanto a única saída é uma existência lamentável de filósofo de bar.

Qual é a vantagem em se ser filósofo de bar? Você não precisa de compromisso com suas idéias, não precisa aplicá-las no seu cotidiano, e muito menos arriscar o seu traseiro tentando ver se elas funcionam de verdade. É fácil falar, cobrar, e continuar escondido sob a fachada do anonimato. Se para cada filósofo de bar, existisse um cidadão disposto a tentar a administração pública com idéias embasadas em sua própria experiência, o ano de eleição seria de escolha entre várias boas opções, ao invés do cansativo embate entre dogmas ideológicos.


Ram Rajagopal
Rio de Janeiro, 4/9/2006


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Apresentação autobiográfica muito solene de Ana Elisa Ribeiro
02. Um brasileiro no Uzbequistão (X) de Arcano9


Mais Ram Rajagopal
Mais Acessadas de Ram Rajagopal em 2006
01. Sobre responsabilidade pessoal - 1/5/2006
02. Como o Google funciona - 14/3/2006
03. Como começar uma carreira em qualquer coisa - 24/4/2006
04. Música é coração, computadores, não? - 28/2/2006
05. Reflexão para eleitores - 4/9/2006


Mais Especial Eleições 2006
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
15/9/2006
08h03min
Nesta escalada na busca da eficiência, a todo custo, e até sem custo nenhum, numa guerra vinda de todos os fronts, contra a individualidade humana, ninguém pára pra pensar... Viramos autômatos comandados por outros autômatos, rumo a direções que são como se não existissem, caminhando à deriva para lugar nenhum, ao menos para um lugar de verdade que se justifique... É pena que tenhamos chegado a este ponto. Haverá alguma saída?
[Leia outros Comentários de José Pereira]
15/9/2006
15h00min
Sensacional este artigo. Minha identificação com o Julião veio em função de ambos termos características reflexivas e, depois que comecei a me relacionar com minha atual esposa (psicóloga), valorizo e pratico cada vez mais a reflexão como forma de melhorar a vida, seja com um terapeuta ou sozinho. Parabéns e prazer em conhecê-lo!
[Leia outros Comentários de Alfredo Mello]
19/9/2006
18h06min
Vou guardar seu artigo, porque ele é precioso. Fala do que é mais importante no momento em todos os campos. Pode não ser da noite para o dia, mas alguns momentos de reflexão em meio à correria e às solicitações externas podem fazer diferença. Um abraço da leitora do DF.
[Leia outros Comentários de Gisele Lemper]
20/9/2006
23h19min
Após ler seu artigo, eu me pergunto, naturalmente, refletindo sobre a questão. Quantos brasileiros teriam capacidade, ou melhor, oportunidade de refletir? Quando lhes falta quase tudo, desde um teto, até comida na mesa, será que este cidadão pode parar para refletir sobre algo ou ele pára mesmo - ou nem pára - para pensar em como vai arrumar um emprego ou então se seu salário - quando tem um - vai ser suficiente para alimentar família. Penso que a idéia da reflexão é excelente, entretanto, difícil de se concretizar. Talvez, quem sabe, deveríamos ensinar e habituar nossas crianças, desde cedo, a cultivar esse hábito saudável. Poderia mesmo ser incluído no currículo escolar o momento da reflexão, quando a criança seria orientada a como refletir, como pensar sobre si mesma, mas sempre dentro de um contexto pois não vivemos sós. A reflexão necessita de treino e até mesmo que se explique o que significa, para que serve e para onde ela nos leva. É uma idéia... posso estar errada... reflitam!
[Leia outros Comentários de regina mas]
21/9/2006
10h49min
Obrigado por nos brindar com a sensatez de alguém que vive o processo, mesmo que a certa distância. Nossas escolhas eleitorais determinarão o futuro coletivo. Quem será que eu quero prá determinar em que bases financeiras, culturais, de compromisso, o país, ao qual amo pertencer, vai caminhar? Um texto profundo, aliás como todos de sua autoria, e uma leitura muito prazerosa. Parabéns!!
[Leia outros Comentários de Iza]
26/9/2006
08h22min
Se existem sadhus nos Himalaias que refletem, e tudo que possuem e' a roupa do corpo, e vivem de esmolas; se Budha tinha 10000 seguidores, e viviam como mendicantes e refletiam; se o grande matematico Paul Erdos nem propriedade tinha e refletia... Pq ninguem mais pode faze-lo? Ate mesmo para quem tem fome, a escolha entre roubar e trabalhar e' um ato de reflexao. Noves fora que, no Brasil, mesmo quem pode nao reflete... A verdade e' que sempre estamos atras de desculpas para justificar a ausencia de consciencia em nossas vidas. E' um fenomeno natural. Mas, repito: ao menos, nos, da classe media, poderiamos, sim, refletir.
[Leia outros Comentários de Ram]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




INTRODUÇÃO À GEOGRAFIA HUMANA
J. H. G. LEBON
ZAHAR EDITORES
(1966)
R$ 12,00



CHAVES DA PSICOLOGIA
JACQUES COSNIER
ZAHAR
(1976)
R$ 20,72



FLAVIA DE LUCE E O MISTÉRIO DA TORTA
ALAN BRADLEY
ARX
(2010)
R$ 17,00



GETTING STARTED IN ASSET ALLOCATION
BILL BRESNAN / ERIC GELB
JOHN WILEY & SONS
(1999)
R$ 49,90



MAPA DO MERCADO DE TRABALHO NO BRASIL - Nº 2
IBGE
IBGE (RJ)
(1994)
R$ 22,28



CAOS NÃO CARÊNCIA O SEGREDO DA VITÓRIA
SIMÃO PEDRO ABDALA NETO
KELPS
(2001)
R$ 15,00



POESIAS DE EMÍLIO MOURA
FÁBIO LUCAS
ART
(1991)
R$ 12,00



BELA REDENÇÃO LIVRO 2
JAMIE MCGUIRE
VERUS
(2018)
R$ 30,00



A PRINCESA QUE ENGANOU A MORTE E OUTROS CONTOS
SONIA SALERNO FORJAZ
AQUARIANA
(2011)
R$ 5,00



XADREZ ESCOLAR
DANILO SOARES MARQUES
CLUBE DE AUTORES
(2020)
R$ 37,88





busca | avançada
74210 visitas/dia
2,2 milhões/mês