Podcast mental | Adriana Carvalho | Digestivo Cultural

busca | avançada
64869 visitas/dia
2,2 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Conto HAYEK, de Maurício Limeira, é selecionado em coletânea da Editora Persona
>>> Os Três Mosqueteiros - Um por Todos e Todos por Um
>>> Sesc 24 de Maio recebe o projeto Parlavratório - Conversas sobre escrita na arte
>>> Cia Caravana Tapioca faz 10 anos e comemora com programação gratuita
>>> Eugênio Lima dirige Cia O GRITO em novas intervenções urbanas
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eleições na quinta série
>>> Mãos de veludo: Toda terça, de Carola Saavedra
>>> A ostra, o Algarve e o vento
>>> O abalo sísmico de Luiz Vilela
>>> A poesia com outras palavras, Ana Martins Marques
>>> Lourival, Dorival, assim como você e eu
>>> O idiota do rebanho, romance de José Carlos Reis
>>> LSD 3 - uma entrevista com Bento Araujo
>>> Errando por Nomadland
>>> É um brinquedo inofensivo...
Colunistas
Últimos Posts
>>> Uma história do Mosaic
>>> Uma história da Chilli Beans
>>> Depeche Mode no Kazagastão
>>> Uma história da Sambatech
>>> Uma história da Petz
>>> A história de Chieko Aoki
>>> Uma história do Fogo de Chão
>>> BDRs, um guia
>>> Iggor Cavalera por André Barcinski
>>> Dave Brubeck Quartet 1964
Últimos Posts
>>> Os inocentes do crepúsculo
>>> Inação
>>> Fuga em concerto
>>> Unindo retalhos
>>> Gente sem direção
>>> Além do ontem
>>> Indistinto
>>> Mais fácil? Talvez
>>> Riacho da cacimba
>>> Mimético
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Uma vida bem sucedida?
>>> A morte da Capricho
>>> Quem é (e o que faz) Julio Daio Borges
>>> Bienal do Livro Bahia
>>> A primeira hq de aventura
>>> Como Passar Um Ano Sem Facebook
>>> Mulheres de cérebro leve
>>> O curioso caso de Alberto Mussa
>>> O idiota do rebanho, romance de José Carlos Reis
>>> Digestivo Cultural: 10 anos de autenticidade
Mais Recentes
>>> Os Mistérios da Rosa-cruz de Christopher Mcintosh pela Ibrasa (1987)
>>> Las Glandulas Nuestros Guardianes Invisibles de M. W. Kapp pela Amorc (1958)
>>> Experiências Práticas de Ocultismo para Principiantes de J. H. Brennan pela Ediouro (1986)
>>> As Doutrinas Secretas de Jesus de H. Spencer Lewis pela Amorc (1988)
>>> Amigos Secretos de Anamaria Machado pela Ática (2021)
>>> A Vós Confio de Charles Vega Parucker pela Amorc (1990)
>>> O Segredo das Centúrias de Nostradamus pela Três (1973)
>>> Para Passar em Concursos Jurídicos - Questões Objetivas com Gabarito de Elpídio Donizetti pela Lumem Juris (2009)
>>> Dicionário espanhol + Bônus: vocabulário prático de viagem de Melhoramentos pela Melbooks (2007)
>>> Memorias De Um Sargento De Milicias de Manuel Antônio de Almeida pela Ática (2010)
>>> Turma da Mônica Jovem: Escolha Profissional de Maurício de souza pela Melhoramentos (2012)
>>> Xógum Volume 1 e 2 de James Clavell pela Círculo do Livro
>>> Viva à Sua Própria Maneira de Osho pela Academia
>>> Virtudes - Excelência Em Qualidade na Vida de Paulo Gilberto P. Costa pela Aliança
>>> Vida sem Meu Filho Querido de Vitor Henrique pela Vitor Henrique
>>> Vida Nossa Vida de Francisco Cândido Xavier pela Geem
>>> Vida Depois da Vida de Dr. Raymond e Moody Jr pela Circulo do Livro
>>> Vícios do Produto e do Serviço por Qualidade, Quantidade e Insegurança de Paulo Jorge Scartezzini Guimarães pela Revista dos Tribunais
>>> Viagem na Irrealidade Cotidiana de Umberto Eco pela Nova Fronteira
>>> Uma Só Vez na Vida de Danielle Steel pela Record (1982)
>>> Uma Família Feliz de Durval Ciamponi pela Feesp
>>> Um Roqueiro no Além de Nelson Moraes pela Speedart
>>> Um Relato para a História - Brasil: Nunca Mais de Prefácio de D. Paulo Evaristo pela Vozes
>>> Um Longo Amor de Pearl S Buck pela Circulo do Livro
>>> Um Estranho no Espelho de Sidney Sheldon pela Circulo do Livro
COLUNAS >>> Especial Podcasts

Quinta-feira, 21/9/2006
Podcast mental
Adriana Carvalho

+ de 3000 Acessos
+ 2 Comentário(s)

Devido a minha preguiça internética, tudo que sei sobre podcasts é que eles são listas de músicas divulgadas na web. O que eu acho muito legal, porque me parece uma ampliação e uma facilitação daquilo que a gente fazia no século passado: gravar uma fita cassete para os amigos com a nossa seleção favorita. Se a fita não estava no começo, precisava rebobinar usando uma caneta Bic ou o dedo mesmo. A edição das músicas às vezes deixava espaços enormes entre uma e outra, às vezes comia um pedaço. E o pior era o final da fita, quando não cabia uma música inteira. Eu cheguei a ter algumas nas quais a canção "continuava" do lado B. A opção para não ter o trabalho de fazer uma fita era emprestar os próprios discos ou, mais recentemente, CDs. Só que aí perigava não ver mais sua coleção de volta. Com os podcasts e com as listas compartilhadas de músicas, esses problemas acabaram. Mas acabou também o caráter artesanal, mais pessoal e exclusivo, ainda que tosco, da troca de músicas.

Eu, pessoalmente, também tenho várias listas que gostaria de dividir com os outros. Só que como disse, tenho preguiça. Então deixo arquivos e arquivos guardados na minha cabeça. Conforme as situações se desenrolam no dia a dia, eles começam a se combinar e a tocar. São como trilhas sonoras. Se alguém encostar o ouvido na minha cabeça, é até capaz de escutar.

Outro dia, ouvindo indignada o caso de uma figura que resolveu dar uma demonstração de poder massacrando uma pessoa muito humilde, uma seleção começou a fluir automaticamente na minha cabeça. A primeira da lista foi "A Banca do Distinto", de Billy Blanco: ("Não fala com pobre/ Não dá mão a preto/ Não carrega embrulho/ Pra que tanta pose, doutor?/ Pra que esse orgulho?/ A bruxa que é cega, esbarra na gente/ A vida estanca/ O enfarte te pega, doutor/ Acaba essa banca./ A vaidade é assim/ Põe um bobo no alto/ Retira a escada/ Fica por perto esperando sentada/ Cedo ou tarde, ele acaba no chão/ Mais alto o coqueiro, maior é o tombo/ Do coco afinal, todo mundo é igual/ Quando o tombo termina/ Com terra por cima e na horizontal").

Depois disso, senti impulsos de crueldade e imaginei uma vingança cantada à la Clementina de Jesus: "Costurou/ Na boca do sapo um bocado de angu/ O resto do prato que o pato deixou/ Depois deu de rir feito Exu Caveira/ (Aqui muda-se o "marido infiel" para a denominação da dita criatura), vai levar rasteira!"

E então fiquei mais filosófica, com Gilberto Gil: ("Tu, pessoa nefasta/ Vê se afasta o teu mal/ Teu astral que se arrasta tão baixo no chão/ Tu, pessoa nefasta/ Tens a aura da besta/ Essa alma bissexta/ Essa cara de cão").

Tem outra música do Gilberto Gil que também toca na minha cabeça, com freqüência, como se fosse uma função fisiológica acionada involuntariamente quando alguém tenta abduzir minha mente. Acontece durante as sessões de tortura que são as reuniões que vão do nada ao lugar nenhum. Ou ainda durante as conversas-monólogo em que a pessoa toma o interlocutor por figurante e não deixa mais ninguém falar.

Primeiro meu olhar fica parado, dando impressão ao(s) predador(es) de que estou prestando muita atenção. Até balanço a cabeça, sorrio de leve e digo expressões de senso comum como "Agora você disse uma verdade!". Mas meu cérebro já está no modo proteção de tela. Se você olhar fundo nos meus olhos é capaz de ver até aquelas janelinhas do Windows flutuando na íris castanha. Torço para a pessoa não me perguntar nada durante a conversa porque eu não saberia o que responder. A única coisa que ouço é ("Vamos fugir/ Deste lugar, baby/ Vamos fugir/ Tô cansado de esperar/ Que você me carregue"). Se eu tiver um bloco de anotação nas mãos estarei desenhando paisagens e pensando em "qualquer outro lugar ao sol, outro lugar ao Sul, céu azul".

Às vezes meu podcast mental dá pau, acho que o de todo mundo dá. É só ouvir uma vez a música mais chata do mundo - um jingle de banco ou de político, por exemplo - e vem a praga. Ela não pára de tocar sem parar o dia inteiro na minha cabeça. Um tio me ensinou um truque para fazer a música sumir: é só pensar nela tocando cada vez mais e mais devagar. Às vezes dá certo, outras vezes (parece de propósito) ela dispara de novo a tocar mais alto e mais rápido.

Outra característica da minha transmissão musical cerebral é que as músicas são divididas em solares e lunares. Para mim Bob Marley é luz da manhã. De preferência com a janela do carro aberta, na estrada, indo para a praia. E é claro que não consigo pensar em "The Sky is crying/ Look at the tears rolling down the streets" num meio dia de fim de primavera.

Neste momento que escrevo já é fim de dia, sexta-feira num meio de feriado. Lá fora a trilha é de muitas sirenes, buzinas e da turba que aproveita a data para fazer compras na 25 de março. Para sublimar esse momento, eu não recorro a nenhum medalhão da música. O que me vem à mente é uma música do Cocoricó que meu filho ouve em casa: "Oh, que tarde tão bela/ Banana quente no forno com açúcar e canela!". Porque para mim, todo fim de tarde devia era ser assim.


Adriana Carvalho
São Paulo, 21/9/2006


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Vida conjugal de Guilherme Pontes Coelho


Mais Adriana Carvalho
Mais Acessadas de Adriana Carvalho
01. Trabalhar e cantar - 10/1/2008
02. Meta-universo - 16/8/2007
03. Minhas caixas de bombons - 14/6/2007
04. Esses romanos são loucos! - 22/3/2007
05. Meditação sobre São Francisco - 19/10/2006


Mais Especial Podcasts
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
21/9/2006
04h18min
Dá vontade de apresentar uma situação qualquer e perguntar pra Adriana Carvalho que música ela selecionaria. Dá pra fazer um programa de rádio assim. Ia ser sucesso absoluto.
[Leia outros Comentários de Guga Schultze]
18/1/2007
15h10min
E ficamos a escutar nossas musicas favoritas, como um fundo para nossos pensamentos e reflexões. Há quem diga que estamos distraídos...
[Leia outros Comentários de Franklin Anderson]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Positivismo Jurídico – Lições de Filosofia do Direito - 1ª Edição
Norberto Bobbio
Ícone
(1995)



Mundrackz - Coleção Piririca da Serra
Eva Furnari
Atica
(2001)



Fundamental Methods of Mathematical Economics
Chiang
International Students Edition
(1967)



Ri Melhor Quem Ri ... no Fim!
Telma Guimarães Castro Andrade
Do Brasil
(2005)



Deuses do Olimpo, Os: da Antiguidade aos Dias de Hoje
Barbara Graziosi
Cultrix
(2016)



A Fantástica Corrupção no Brasil
Mario Barros Junior
Do Autor
(1982)



De Olho Nas Penas
Ana Maria Machado
Salamandra
(1984)



Conversas Com Joao Carlos Martins
David Dubal
Green Forest do Brasil
(1999)



A Ditadura dos Cartéis: Anatomia de um Subdesenvolvimento
Kurt Rudolf Mirow
Civilização Brasileira
(1978)



Medidas Educacionais
Richard H. Lindeman
Globo
(1978)





busca | avançada
64869 visitas/dia
2,2 milhões/mês