Trabalhar e cantar | Adriana Carvalho | Digestivo Cultural

busca | avançada
75143 visitas/dia
2,1 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Lewis Wolpert explica como os organismos multicelulares se formam a partir de um simples óvulo
>>> Festival Aparecida Criativa surge para transformar a produção cultural de Sorocaba
>>> Com 21 apresentações gratuitas, FLOW Literário celebra presença da literatura nas artes
>>> Com 21 apresentações gratuitas, FLOW Literário aborda multi linguagens da literatura
>>> MASP, Osesp e B3 iniciam ciclo de concertos online e gratuitos
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Um antigo romance de inverno
>>> O acerto de contas de Karl Ove Knausgård
>>> Assim como o desejo se acende com uma qualquer mão
>>> Faça você mesmo: a história de um livro
>>> Da fatalidade do desejo
>>> Cuba e O Direito de Amar (3)
>>> Isto é para quando você vier
>>> 2021, o ano da inveja
>>> Pobre rua do Vale Formoso
>>> O que fazer com este corpo?
Colunistas
Últimos Posts
>>> Queen na pandemia
>>> Introducing Baden Powell and His Guitar
>>> Elon Musk no Clubhouse
>>> Mehmari, Salmaso e Milton Nascimento
>>> Gente feliz não escreve humor?
>>> A profissão de fé de um Livreiro
>>> O ar de uma teimosia
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
Últimos Posts
>>> Relógio de pulso
>>> Centopéia perambulante
>>> Fio desemcapado
>>> Verbo a(fiado)
>>> Janelário
>>> A vida é
>>> (...!)
>>> Notívagos
>>> Sou rosa do deserto
>>> Os Doidivanas: temporada começa com “O Protesto”
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> A importância da virtude
>>> Deus ex machina
>>> Mulher-Flamingo
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Frederico Trajano sobre a retomada
>>> Marchand da resistência
>>> Evasivas admiráveis, de Theodore Dalrymple
>>> Cinema em 2002
>>> Ser intelectual dói
Mais Recentes
>>> Garota Pare de Mentir Pra Você Mesma de Rachel Hollis pela Sextante (2018)
>>> Mundo das Sombras 1 - Vampiro Secreto de L. J. Smith pela Record
>>> It a Coisa de Stephen King pela Suma de Letras (2017)
>>> Obras Completas de Antonio Machado - Manuel Machado pela Biblioteca Nueva (1984)
>>> Iniciação à Administração Financeira de Idalberto Chiavenato pela McGraw-Hill (1990)
>>> Diário de Perséfone de Heloisa Seixas pela Record (1998)
>>> Iniciação à Administração de Materiais de Idalberto Chiavenato pela McGraw-Hill (1991)
>>> Iniciação à Administração de Pessoal de Idalberto Chiavenato pela McGraw-Hill (1990)
>>> Estrutura e Funcionamento da Educação Básica - Leituras de Varios pela Pioneira (1999)
>>> Câncer nos Cólons e no Reto de Pedro Henrique Saraiva Leão pela Ufc (1984)
>>> As Muitas Vistas de uma Rua - histórias e políticas de uma paisagem - Curitiba e a Rua Riachuelo de Aline Fonseca Iubel - Daiana Cordova - Fabiano Stolev pela Máquina de Escrever (2014)
>>> A condição humana de Hannah Arendt pela Forense Universitaria (1995)
>>> Mar de Histórias (Antologia do Conto Mundial 4º Volume) de Aurélio Buarque de Holanda e Paulo Rónai pela Nova Fronteira (1980)
>>> Coleção Só Testes – Língua Portuguesa 1.000 Exercícios Questões Simuladas de Central dos Concursos pela Degrau cultural
>>> Língua Portuguesa Ensino Fundamental Unidade II Educação de Jovens e Adultos de Ceteb 2002 pela 0 (2002)
>>> Língua Portuguesa Ensino Fundamental Unidade I Educação de Jovens e Adultos de Ceteb pela 0 (2002)
>>> Mar de Histórias (Antologia do Conto Mundial - 2º Volume) de Aurélio Buarque de Holanda e Paulo Rónai pela Nova Fronteira (1979)
>>> O Século do Cinema de Glauber Rocha pela Alhambra (1983)
>>> Na diagonal do campo de Carlos Simon pela Unisinos (2004)
>>> Guia e recursos didáticos: português 7 ensino fundamental de nove anos de Áurea Regina Kanashiro pela Moderna
>>> Conversas com quem gosta de ensinar de Rubem Alves pela Cortez (1987)
>>> 8º Ano – Ensino Fundamental : Grupo 6 – Teoria e Atividade de Sistema de Ensino COC pela Coc
>>> As formas do silêncio - no movimento dos sentidos de Eni Puccinelli orlandi pela Da Unicamp (1993)
>>> 8º Ano – Ensino Fundamental : Grupo 5 – Teoria e Atividade de Sistema de Ensino COC pela Coc
>>> A estrutura das revoluções científicas de Thomas S. Kuhn pela Perspectiva (1992)
COLUNAS

Quinta-feira, 10/1/2008
Trabalhar e cantar
Adriana Carvalho

+ de 11400 Acessos

Atirei no sofrê
No pendão do milho
Atirei, mas não matei
No pendão do milho

(cantiga das trabalhadoras de Serrinha, Bahia)

Destalar o fumo significa retirar o veio principal da planta, que é aproveitado industrialmente. Hoje há máquinas que fazem esse serviço, mas décadas atrás era nos chamados salões de fumo que os trabalhadores rurais, principalmente mulheres, se reuniam para fazê-lo manualmente. Os movimentos das mãos, cadenciados, se repetiam por horas a fio, muitas vezes invadiam a madrugada. E a única certeza é que no dia seguinte seria tudo igual. E assim também no próximo. E no próximo.

Mas o sertanejo é, antes de tudo, um forte, escreveu Euclides da Cunha. Forte, criativo e solidário. Por meio do canto e do trabalho em mutirão, as destaladeiras de fumo de Arapiraca, em Alagoas, tornavam a lida menos dura.



Também faziam assim as mulheres que trabalhavam na colheita de cacau em Ilhéus e as descacadeiras de mandioca de Barrocas, na Bahia; as plantadeiras de arroz de Propiá, em Sergipe; as fiandeiras de algodão de Francisco Badaró, em Minas Gerais.

E tantas outras, agora já senhoras que trancaram as músicas no baú da memória desde que o patrão ligou o rádio no pátio de trabalho, desde que a TV chegou e que as crianças foram deixando de ser embaladas pelas cantigas de suas mães.

O resgate e o registro dessas memórias foi o objetivo do trabalho da musicista Renata Mattar que há mais de dez anos percorre o Brasil visitando comunidades em que havia a cultura de cantar durante o trabalho. O resultado pode ser visto no CD Cantos de Trabalho, lançado pelo selo Sesc, do Sesc de São Paulo e que tem a participação das destaladeiras de fumo de Arapiraca, da Cia. Cabelo de Maria e da cantora Ceumar. O repertório foi apresentado no palco do Sesc Pompéia, no começo de dezembro. "Eu viajava e ia perguntando quem conhecia uma comunidade em que as pessoas cantavam na hora do trabalho. Vi que essa cultura estava se perdendo. Em alguns vilarejos, ficávamos horas, com muito jeito, tentando estimular as mulheres a lembrar das músicas", conta Renata. Mas quando uma puxava o canto, o fio das lembranças ia se desenrolando e as outras adicionavam as vozes.

Em 2003, com o apoio do Ministério do Desenvolvimento Agrário, Renata conseguiu viajar pelo país com mais estrutura para gravar os cantos de trabalho. Focou sua pesquisa nos cantos das mulheres, embora haja também aqueles entoados pelos homens, que ela pretende registrar no futuro. Conheceu 19 comunidades em vários estados do Nordeste, Sudeste e Sul do País. "No Sul, talvez por ser uma região onde a industrialização chegou mais cedo, a cultura dos cantos de trabalho já estava muito descaracterizada. No Nordeste encontramos material mais autêntico. Na Bahia ainda havia algumas casas de farinha muito artesanais, como em São Nicolau, onde encontramos um material fantástico", diz Renata.

Foi durante essas viagens que ela conheceu as mulheres destaladeiras de fumo de Arapiraca. Lá as cantigas estavam mais preservadas por obra do mestre Nelson Rosa, que aos 74 anos é "coordenador de grupos de canto, poeta popular e patrimônio vivo do estado", em suas próprias e justas palavras. Ele as incentiva a continuar cantando e se apresentando na região. Há décadas luta para preservar as tradições locais, como o coco de roda, cantado em outra ocasião em que o trabalho em mutirão se fazia necessário: para bater o chão das casas de taipa. Chegou a dar aulas de coco na escola da região. Uma das alunas, agora com seus 40 anos, apresentou-se com ele e as destaladeiras de fumo no palco do Sesc Pompéia.

Os cantos não têm como único papel amenizar o duro trabalho diário, conforme explica Renata. Unem as comunidades. "Em uma das comunidades que visitamos, um senhor me disse assim: aqui, se um passa fome, todos passam. Se um come, todos comem", diz Renata. Quando cantam, ninguém é mais do que ninguém. "Notei que nas comunidades que utilizam o canto no trabalho uma harmonia maior em relação a outras comunidades. Eles também têm seus problemas e picuinhas humanas, mas mostram uma união maior", diz Renata.

As letras das cantigas falam da lida, mas também têm como temas o amor, a saudade, o sofrer. Algumas são engraçadas. Umas são muito dançantes. Outras embalam como cantigas de roda ou de ninar, tanto que eram também cantadas pelas mães para suas crianças. A maior parte tem poucos versos e melodia curta, repetida muitas vezes, como um mantra.

As mudanças que houve na agropecuária nas últimas décadas, o aumento do uso da tecnologia e a industrialização, são processos inevitáveis, é verdade. Mas a dinâmica de trabalho das mulheres com seus cantos é ainda de uma vanguarda que nenhum grande produtor, empresa ou gestor de recursos humanos teve a capacidade de compreender. Se a cultura do trabalho de mutirão, a música e a espontaneidade estivessem mais presentes na lida contemporânea não seria necessário gastar tanto tempo, dinheiro e saliva com palestras e treinamentos sobre "motivação" e "trabalho em equipe". Repetir o velho e demagógico bordão "nossa empresa é como uma família" também seria dispensável.

Como diz o etnomusicólogo Paulo Dias no livreto do CD Cantos de Trabalho, "o sentido da palavra 'trabalho', nos dias de hoje, parece cada vez mais recuar às origens, à raiz etimológica: 'trabalhar', segundo o Aurélio, vem do latim 'tripaliare - martirizar com o tripaliu (instrumento de tortura)'. É como (...) realizar gestos mecânicos, os mesmos de ontem e anteontem, em ambientes onde a solidariedade entre as pessoas cede lugar à competição por produtividade, com intervalo para a marmita".

Os frutos do trabalho de Renata, por sua vez, têm sido bem mais doces e nutritivos do que o do martírio descrito por Dias. "O interesse de pessoas de fora pelos cantos das comunidades está fazendo com que as crianças e adolescentes valorizem mais sua cultura. Antes eles menosprezavam as senhoras que cantavam essas músicas, hoje já se interessam em aprender as canções", diz Renata, acrescentando que na pequena escola de Arapiraca, hoje os cantos de trabalho são ensinados em sala de aula. É um reconhecimento que, assim como os aplausos da platéia lotada no Sesc Pompéia, as destaladeiras de fumo não esperavam a essa altura da vida. Ao final da apresentação, vou cumprimentar dona Rosália Gomes dos Santos, 63 anos, que trabalhou na roça de fumo desde pequena e é, segundo Renata "um verdadeiro baú de músicas". Ela me abraça como se me conhecesse há muitos anos e não me visse há muito tempo. Enche-me de beijos maternais. "Eu antes olhava um avião passar no céu e dizia que nunca que ia entrar num bicho daqueles. Mas foi como se eu tivesse nascido num avião, não tive medo nenhum. É muito bom viajar e se apresentar", conta ela. Que bom tê-la conosco, para nos embalar com refrões centenários, mesmo já sendo crescidos e em pleno século XXI.

Para ir além
Cantos de Trabalho


Adriana Carvalho
São Paulo, 10/1/2008


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Pastelão literário na terra do Nobel de Tais Laporta
02. O Rei Roberto Carlos e a Ditadura de Urariano Mota
03. The Matrix Reloaded de Nemo Nox
04. Marguerite Yourcenar: a última aristocrata de Helena Vasconcelos


Mais Adriana Carvalho
Mais Acessadas de Adriana Carvalho
01. Trabalhar e cantar - 10/1/2008
02. Meta-universo - 16/8/2007
03. Minhas caixas de bombons - 14/6/2007
04. Esses romanos são loucos! - 22/3/2007
05. Meditação sobre São Francisco - 19/10/2006


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Eldorado
Michael Pye
Círculo do Livro
(1988)
R$ 12,00



Luzia - Homem
Domingos Olympio
Melhoramentos
(1964)
R$ 7,00



Sobreviventes - o Apocalipse Vol. 1
Aldemir Alves
Selo Jovem
(2013)
R$ 15,00



Rassena Médica 2
F. M. Chiancone Rassegna Médica
Sagdos
(1956)
R$ 10,05



Revista Paulista de Medicina Vol. 26 Nº 5 Maio
Associação Paulista de Medicina
Associação Paulista de Medi
(1945)
R$ 11,05



Supervision Today
Stephen P. Robbins
Prentice Hall
(1994)
R$ 25,82



Mulheres Celebrando a Libertação
Grupos de Mulheres do Brasil
Paulinas
(1990)
R$ 15,00



Mega - Dicionário de Termos Técnicos e Populares
Dr Eduardo de Almeida Nogueira
Nogueira
(2006)
R$ 20,00



Ciencias e Educaçao Ambiental -os Seres Vivos
Daniel Cruz
Ática
(1999)
R$ 7,00



Práticas de Cidadania
Jaime Pinsky
Contexto
(2004)
R$ 18,00





busca | avançada
75143 visitas/dia
2,1 milhões/mês