Minhas caixas de bombons | Adriana Carvalho | Digestivo Cultural

busca | avançada
44531 visitas/dia
1,9 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Projeto cultural leva cinema até paradas de descanso de caminhoneiros
>>> HOMENS NO DIVÃ Ano XV
>>> Paulo Goulart Filho é S. Francisco de Assis na peça de Dario Fo
>>> Momo e o Senhor do Tempo estreia dia 15 de janeiro
>>> Rafa Castro leva canções de Teletransportar ao palco do Sesc Belenzinho
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eleições na quinta série
>>> Mãos de veludo: Toda terça, de Carola Saavedra
>>> A ostra, o Algarve e o vento
>>> O abalo sísmico de Luiz Vilela
>>> A poesia com outras palavras, Ana Martins Marques
>>> Lourival, Dorival, assim como você e eu
>>> O idiota do rebanho, romance de José Carlos Reis
>>> LSD 3 - uma entrevista com Bento Araujo
>>> Errando por Nomadland
>>> É um brinquedo inofensivo...
Colunistas
Últimos Posts
>>> O melhor da Deutsche Grammophon em 2021
>>> A história de Claudio Galeazzi
>>> Naval, Dixon e Ferriss sobre a Web3
>>> Max Chafkin sobre Peter Thiel
>>> Jimmy Page no Brasil
>>> Michael Dell on Play Nice But Win
>>> A história de José Galló
>>> Discoteca Básica por Ricardo Alexandre
>>> Marc Andreessen em 1995
>>> Cris Correa, empreendedores e empreendedorismo
Últimos Posts
>>> Fazer o que?
>>> Olhar para longe
>>> Talvez assim
>>> Subversão da alma
>>> Bons e Maus
>>> Sempre há uma próxima vez
>>> Iguais sempre
>>> Entre outros
>>> Corpo e alma
>>> O tempo é imbatível
Blogueiros
Mais Recentes
>>> No Festival de Curitiba 2010
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> O balé dos coletivos
>>> Meu malvado favorito
>>> Django Unchained, de Quentin Tarantino
>>> E não sobrou nenhum (o caso dos dez negrinhos)
>>> Vamos pensar: duas coisas sobre home office
>>> Leituras, leitores e livros – Final
>>> A culpa é dos escritores, também
>>> Entrevista com Jacques Fux, escritor e acadêmico
Mais Recentes
>>> Ocupação Maria e Hebert Duschenes de Itaú Cultural - Maria e Hebert Duschenes pela Itaú Cultural (2016)
>>> Fushigi Yugi Vol. 27 de Yu Watanabe pela Conrad (2004)
>>> Revista Pegn Pequenas Empresas N. 328 Maio 2016 - Família Hope de Globo pela Globo (2016)
>>> Contos de Perrault - Ruth Rocha de Ruth Rocha / Cárcamo Ilustrador pela Salamandra (2010)
>>> A Estréia do Novo Namor N°42 - Grandes Herois Marvel de John Byrne pela Abril (1993)
>>> Revista Marie Claire N. 302 Maio 2016 Capa Julianne Moore de Revista Marie Claire pela Globo (2016)
>>> Teias do Passado de Amarilis de / Salles Oliveira pela Mundo Maior (2003)
>>> O Pequeno Príncipe de Antoine de Saint Exupéry pela O Pequeno Príncipe
>>> Revista Harpers Bazaar Brasil Nº 52 Capa Amanda Wellsh de Harpers Bazar Brasil pela Carta Editorial (2016)
>>> Portugal (aa Essential Spiral Guides) de Automobile Association Publishing pela Automobile Association Publish (2008)
>>> Lance Corinthians Campeão Paulista 2017 1º e 2º Jogos Finais de Jornal Lance pela Jornal Lance (2017)
>>> O Irremediável - Moíses e o Espírito Trágico do Judaísmo de Santiago Kovadloff pela José Olympio (2005)
>>> Contos de Perrault - Ruth Rocha de Ruth Rocha / Cárcamo Ilustrador pela Salamandra (2010)
>>> Contos de Perrault - Ruth Rocha de Ruth Rocha / Cárcamo Ilustrador pela Salamandra (2010)
>>> Revista Roadie Crew 1986 - Heavy Rock no Mainstream 86 Discos Coment de Roadie Crew pela Roadie Crew (2016)
>>> A Nova Constituição Para as Crianças de Luiz Orlando Carneiro; Inês Carneiro Cavalcanti pela Banerj
>>> Sobre a Leitura de Marcel Proust / Carlos Vogt Tradutor pela Pontes (1989)
>>> Robinson Crusoé - Reencontro Infantil de Daniel Defoe - Laura Bacellar Adap Ivan Zigg Ilust pela Scipione (2012)
>>> Revista Lance! - Timão da América Libertadores 2012 - Corinthians de Revista Lance - Corinthians pela Lance (2012)
>>> Revista Pôster Homem de Aço Especial Super-heroi Preview de Sampa pela Sampa
>>> Superman - os Novos 52 - Avante! Nª 29 de Dc Comics pela Panini Comics (2014)
>>> Revista Lance! - Timão da América Libertadores 2012 - Corinthians de Revista Lance - Corinthians pela Lance (2012)
>>> Save Big - Cut Your Top 5 Costs and Save Thousands! de Elisabeth Leamy pela Wiley (2010)
>>> Diário de um Banana 1 - um Romance Em Quadrinhos de Jeff Kinney pela Vergara & Riba (2014)
>>> Disney - um Sonho de Princesa - Livro para Gravar de Disney / Caramelo pela Caramelo (2010)
COLUNAS >>> Especial O que ler

Quinta-feira, 14/6/2007
Minhas caixas de bombons
Adriana Carvalho

+ de 8800 Acessos
+ 2 Comentário(s)

"Livros devem ser oferecidos como uma caixa de bombons."
Adélia Prado, em entrevista sobre como despertar o interesse de novos leitores.

Aqui estão três caixinhas. Coloquei em cada uma meus bombons literários preferidos. Embrulhei um a um, com muito esmero. No final, amarrei com laço de fita. São para você. Espero que goste.

A primeira caixinha, como pode ver, é a mais colorida. Você precisa ter 4 anos ou um pouquinho mais para poder sentir de verdade o gosto desses livrinhos. Como sentia quando comia tesouros inteiros de moedinhas de chocolate (da marca Pan, que já disseram ser o "melhor chocolate ruim que existe"), escondendo o papel atrás do sofá para a mamãe não ver. Ah, você já passou dessa idade? Não faz mal. Como diz o meu filho, o Francisco, "quando você nascer de novo e for pequenininho outra vez" terá nova oportunidade. Está nessa caixinha o primeiro livro de que eu me lembro, guardado na memória, mas que hoje não acho mais nem em livrarias nem em sebos. Chamava Gatinhozinho e me impressionava porque dizia que o gatinho da história tinha olhos da cor dos miosótis. E eu achava essa palavra tão linda e nem me importava com o que ela queria dizer. Coloquei aqui também os preferidos do Francisco, que nós dois lemos e relemos e relemos todas as noites. A série do castorzinho é a campeã. Levei horas numa livraria para escolher quando comprei. Tem ainda Boa noite, Marcos e Estela, Princesa do Céu, ambos da autora e ilustradora Marie-Louise Gay. Há muito livro infantil nas prateleiras, mas poucos são os que realmente têm boas ilustrações e conteúdo. Parece que editores e autores acreditam que a pouca idade desse público dispensa a inteligência, o bom gosto, a poesia e que qualquer coisa com bichinhos, cores e histórias repetitivas vai "distrair" as crianças.

Na segunda caixa, que tem gosto de Suflair, Tentação, Batom e Bis, reservei um espaço para alguns títulos que com certeza serão melhor apreciados pelas meninas, pré-adolescentes ou adolescentes e meias. Como A bolsa amarela, de Ligya Bojunga, sobre uma menina que tinha três vontades: de ser grande, de ser escritora e de ser menino. Eu também queria tudo isso (menos ser menino...). Adorava A fada que tinha idéias, de Fernanda Lopes de Almeida. Ah, veja aqui, temos um outro bombonzinho perdido no tempo como o Gatinhozinho: um pequeno livro chamado Mônica e o Fantasma. Eu adorava suspense e fantasmas!

Na outra parte dessa caixa, na ala "unissex" (que palavra velha!) tem mais guloseimas: uma tonelada de gibis da turma da Mônica e do Tio Patinhas. Um dia minha mãe teve um ataque de limpeza e jogou tudo fora. Quase tive um treco. Os gibis estão na memória do meu marido também, a recordação de ganhar uma preciosa moeda de cruzeiro para ir à banca. E a lembrança do pai dele, que sem nenhuma cerimônia que pegou o número 1 de uma de suas coleções para acender o fogo da churrasqueira! Pais, mães! Não desprezem os gibis! Eles têm sua função, sua arte, seu fio de encantamento que vai puxando os pequenos para o hábito da leitura. Dia desses, numa sala de espera, ofereci um gibi para um menino de dez anos, pensando que ele ia achar o máximo mas, para minha surpresa, ele recusou. O pai respondeu: "Ele não lê nada". Com dez anos, nem gibi?!? Deus nos salve a todos!

Gostava nessa época de Sessão da Tarde e pipoca dos manuais, como o do detetive-mirim, que me fez encher o chão da casa de praia de sucrilhos para ouvir o barulho dos passos caso algum ladrão tentasse invadi-la. Também enloqueci minha mãe espalhando talco no parapeito das janelas para colher impressões digitais.

Lembro que na agenda do colégio tinha umas frases sobre como se preparar para ler um livro. Como eu era CDF eu devo ter sido a única que lia a agenda. Mas nunca esqueci: dizia que o livro é como um amigo. E como todo amigo, você tem que ser apresentado a ele antes de estabelecer um contato maior. Por isso, antes de correr ao primeiro capítulo, orientava a demorar-se na capa, olhar a lombada, prestar atenção ao nome do autor e/ou do tradutor, olhar a contra-capa. Depois disso, ler com atenção o prefácio, as informações sobre o autor e só então partir para a leitura. Assim eu fiz com o primeiro livro "grande", ou seja, com mais páginas, que li na vida, aos sete ou oito anos: Robinson Crusoé, na versão de Monteiro Lobato. Incluo também nessa segunda caixinha pilhas de Agatha Christie e Sherlock Holmes para tardes trancadas no quarto, deliciosamente sozinha, se estiver frio, melhor ainda. Além de alguns volumes da coleção Vaga-lume, principalmente as Aventuras de Xisto. Talvez para essa faixa de idade Machado de Assis não pareça tão palatável, equivalha às verduras e legumes que a mãe insiste em pôr no prato. Mas acredito que, preparado o terreno, se o gosto da leitura já tiver sido despertado, é possível colocar um pedacinho de Memórias póstumas de Brás Cubas na língua do leitor. E torcer para que ele perceba que é delicioso e precioso como uma boa salada de endívias. E que salada e Machado de Assis são coisas muito saudáveis, que fazem bem para o corpo e a alma.

Na terceira caixinha, a mais sóbria das três, estão os bombons para adultos, meio amargos às vezes, mas com alta porcentagem de cacau. Estão sempre à minha cabeceira, se alguém pedir emprestado é capaz de eu amarrar uma corda bem comprida para ter certeza que eles vão voltar. Vários José Saramago, um sem número de Gabriel García Márquez e surpreendentes Julio Cortázar. Tem também textos que me fizeram chorar, não por que eram tristes, mas porque eram incrivelmente belos, como o poema "Aniversário", de Fernando Pessoa (Nos dias dos meus anos/ Eu era feliz e ninguém estava morto) ou uma das cartas de Fernando Sabino a Clarice Lispector, que consta de Cartas perto do coração, que estou lendo agora, por indicação dos meus amigos deste Digestivo. Não posso deixar de citar Alexandre Dumas, com o Grande dicionário de culinária. Estão nessa caixa ainda o encantamento que tive com Carl G. Jung em sua autobiografia Memórias, sonhos, reflexões, que me fez pular de surpresa na cadeira muitas vezes. E Walden, de Henri Thoreau, que escrevia olhando para o plácido lago que dá nome ao livro enquanto produzia turbulências nos leitores, como eu.

Bom, agora que você já abriu as três caixinhas, aproveite. Coma devagar. Devore tudo de uma vez. Para cada momento, em cada idade, haverá um tipo de apetite.


Adriana Carvalho
São Paulo, 14/6/2007


Quem leu este, também leu esse(s):
01. A ostra, o Algarve e o vento de Elisa Andrade Buzzo
02. Silêncio e grito de Ana Elisa Ribeiro
03. Fragmentos de Leituras e Sentido de Ricardo de Mattos
04. Noites azuis de Elisa Andrade Buzzo
05. Política e Cidadania no Sertão do Brasil (parte 1) de Diogo Salles


Mais Adriana Carvalho
Mais Acessadas de Adriana Carvalho em 2007
01. Meta-universo - 16/8/2007
02. Minhas caixas de bombons - 14/6/2007
03. Esses romanos são loucos! - 22/3/2007
04. Práticas inconfessáveis de jornalismo - 12/7/2007
05. Meus discos, meus livros, e nada mais - 11/10/2007


Mais Especial O que ler
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
18/6/2007
21h37min
Quando a gente oferece bombons, é sempre um gesto carinhoso. As crianças deveriam receber livros assim. Muito legal, Adriana, as três caixas para todas as idades.
[Leia outros Comentários de Guga Schultze]
4/7/2007
17h08min
Adorei o texto, Adriana. Fiz uma viagem para a minha infância, adolescência.... Boas lembranças dos momentos "trancada no quarto" com os livros que me levavam para lugares maravilhosos. Adorava Agatha Christie, Machado de Assis... Acho que vou reler alguns.
[Leia outros Comentários de Fabíola Bessa]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Quando uma criança não aprende a ler e a escrever
Elvira Souza Lima
Sobradinho 107
(2002)



Só o Amor Pode Curar
Clara Benicio
Jangada
(2015)



Three Little Pigs (inglês( "os Três Porquinhos")) (1999)
Modern Pub
Modern Pub
(1992)



O Coração da Esfinge 2
Houck Colleen
Arqueiro
(2016)



Estranhos Embora Íntimos e Outros Contos Inéditos
F. Scott Fitzgerald
Nova Fronteira
(1981)



A Criança e Seu Desenvolvimento
Zilma de M. Ramos de Oliveira
Cortez
(2001)



História Universal Vol V
Cesare Cantú
Das Américas
(1965)



Tommelise - Contos de Andersen
Mary Frana
Paradidaticos)
(1992)



Manual de Plano de Negocios
Luiz Antônio Bernardi
Atlas
(2008)



Islam e Islamismo (lacrado)
Roberto Cattani
Claridade
(2008)





busca | avançada
44531 visitas/dia
1,9 milhão/mês