A firma como ela é | Adriane Pasa | Digestivo Cultural

busca | avançada
60133 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Segunda-feira, 7/7/2014
A firma como ela é
Adriane Pasa

+ de 3700 Acessos

Relutei em fazer um texto com temas corporativos, mas não resisti. Essa vida que a gente leva na "firma" precisa ser levada a público, compartilhada de alguma forma com playboys, artistas, profissionais liberais, donas de casa, neohippies ou qualquer pessoa de pouca sorte que não faça parte deste maravilhoso mundo que não é de Marlboro. São dias tão intensos de trabalho e prazer, estresse e fúria e entre mortos e feridos, todo mundo está lá no dia seguinte de novo com um sorriso meio amarelo para garantir um holerite decente no fim do mês.

A grande verdade (pelo menos para mim, que faço parte desta fantástica experiência há bastante tempo) é que o mundo corporativo nada mais é do que um microcosmo do que se vive "lá fora". É onde está o verdadeiro significado de diversidade (palavra da moda) e resiliência. E chatice. E gente careta. Claro, tem a parte boa. Senão 90% do mundo já teria explodido em AVC ou assassinado seus colegas com uma metralhadora. Mas acho que a melhor parte só é vista por quem tem lentes bem-humoradas ou não se leva tão a sério assim. Não há nada mais chato que aquele que acha a sua profissão ou função a coisa mais importante do mundo, que entra nas reuniões com cara de quem está entrando na sala da ONU, que idolatra o chefe, que coloca a empresa como a coisa mais importante de sua vida, que tem discurso pronto, que diz que "detesta falhar", que não consegue rir das situações mais hilárias do mundo (que estão com certeza no mundo corporativo). Estas pessoas acabam virando um "tipo", caricaturas de si mesmas que podem perder a credibilidade e admiração com o passar do tempo, principalmente entre os mais jovens, que não estão nem aí pra maioria das baboseiras tradicionais do mundo empresarial. Tenho fé que essa geração nova vai mudar um pouco o dia a dia das corporações. Acho que já está mudando. Porque tudo poderia ser mais fácil, menos burocrático e as relações hierárquicas muito mais simples.

Tem uma definição de dicionário que explica o que é corporação assim: "Corporação é um grupo de pessoas que agem como se fossem um só corpo, uma só pessoa, buscando um resultado comum". E é exatamente aí que mora a confusão, porque nem todo mundo trabalha desta forma. Óbvio que cada empresa tem sua missão e seus valores e quem não concorda com isso que vá buscar outro emprego (afinal, é tão fácil, rápido e tranquilo arrumar outro emprego de uma hora pra outra). Mas, como acontece na vida em sociedade, nas empresas também têm muita gente preocupada só com seu próprio umbigo. Junte a isso o convívio de oito horas diárias com aqueles que chamamos de colegas de trabalho e são totalmente diferentes de nós, alguns com egos tão inflados que precisam dormir em beliches (uma cama para si e outra para o ego). Pronto, temos um desafio. "Desafio", aliás, é uma palavra que virou um clichê muito bem usado no mundo corporativo para disfarçar o que na verdade nada mais é do que um grande "pepino" pra resolver. Antigamente chamar um funcionário e dizer "temos um desafio para você" era algo bom, a pessoa sentia-se privilegiada, com o ego lá em cima. Hoje, a tal geração Y dá uma risadinha desse lugar-comum e já sabe que a tradução disso é "lá vem bomba!". Esperto esse povo que cresceu tomando Toddynho na cama. Eles põem a mão na massa e encaram as coisas, mas sem hipocrisia e com um pouco mais de leveza.

Outros termos também são usados para disfarçar o verdadeiro significado das coisas no mundo empresarial. Por exemplo, "feedback" = bronquinha light pra ver se a pessoa se toca que precisa melhorar, geralmente antes de mandá-la embora. "Coaching" = orientação para a pessoa que não se toca de jeito nenhum e o chefe já cansou dela e terceirizou o serviço para um profissional de aconselhamento, que tem mais paciência e técnicas para lidar com isso. Geralmente serve pra gente que não sabe de qual caminhão caiu. "Benchmark" = ato de verificar o que outro faz de melhor, porque ele é muito melhor que você, senão você não iria atrás disso. "Brainstorm" = conversa maluca onde todos falam ao mesmo tempo e todo mundo quer aparecer mais e anotam ideias que acreditam que servirão pra alguma coisa, mas na verdade, a maioria acaba engavetada. "Budget" = grana curta que se tem para os projetos anuais, mas podem cortar ou revisar a qualquer momento. "Deadline" = prazo final que nunca é o final de verdade, pois se disserem a verdade as pessoas se enrolam e entregam um dia depois. "Empowerment" = aquilo que nunca deveriam dar a certas pessoas e deveriam dar a outras . "Job rotation" = troca de trabalhos e projetos entre funcionários e áreas, que serve na verdade para comprovar que alguns são incompetentes em qualquer lugar mesmo e que outros são tão bons que podem trabalhar em qualquer projeto que vai dar certo. "Stand-by" = termo que geralmente o pessoal da gestão usa para acalmar os ânimos, mas na verdade é algo que nunca mais vai sair do papel, por mais que digam que é só uma pausa. "Turnover"= índice que quando está alto indica que a empresa é realmente um lugar horrível de se trabalhar e ninguém deveria mandar currículos pra lá mesmo que o salário seja alto. "Workaholic" = pessoa que não tem vida pessoal ou tem e odeia, geralmente é quem tem marido ou mulher chata e detesta ir para casa. Aí quer que todos os funcionários, ops, colaboradores também fiquem trabalhando até mais tarde junto com ela. Ai, que dó. Dos colaboradores.

O cinema já produziu alguns filmes muito bons sobre este tema. Segue uma lista com alguns que recomendo. São histórias que mostram aspectos do cotidiano de forma cômica, exagerada ou trágica. Quem não faz parte deste mundo cheio de códigos terá a oportunidade de assistir a cenas que traduzem um pouco essa vida louca. Os pobres mortais que fazem parte disso e batem seu ponto todo dia podem ver como a arte imita a firma e relaxar um pouco. Antes de matar seu chefe, colega ou a impressora, sugiro que assistam.

Como Enlouquecer seu Chefe (Office Space, 1999), de Mike Judge. - Cult movie, uma das melhores comédias que eu já vi. Tem uma cena com uma impressora que é simplesmente fantástica e tem até paródia. (O povo da T.I. vai adorar este filme)

O que Você Faria? (El Método, 2005), de Marcelo Pineyro - Sete executivos disputam uma única vaga em uma empresa e o filme se passa todo em uma sala onde começa uma espécie de jogo e muito "sangue no zóio".

O Diabo Veste Prada (The Devil Wears Prada, 2006), de David Frankel - ótimas atuações e figurino fashion pra qualquer mulher pirar. Vai fazer você achar a sua chefe uma santa.

The Office, série de humor de TV exibida pela NBC, criada por Ricky Gervais, Greg Daniels e Stephen Merchant, adaptada de uma série britânica de mesmo nome. Ou pode ser uma série britânica que foi adaptada para os americanos. É uma overdose de escritório num humor impagável, as duas versões são boas, cada uma com seu típico humor.

O Corte (Le Couperet, 2005), de Costa-Gavras. Roteiro adaptado de um livro de mesmo nome, com o excelente ator Bruno Davert como protagonista, é um filme de tirar o fôlego. Um cara desempregado simplesmente sai matando todos que têm a sua profissão na cidade, para que ele consiga uma vaga. Ixi, tô dando ideia.

Se Meu Apartamento Falasse (The Apartment, 1960), de Billy Wilder. Um puxa-saco resolve agradar os chefes e empresta o apartamento para encontros com a mulherada. Só podia dar confusão. Um clássico.

Deixo vocês com a música do Tim Maia, dizendo o que ninguém tem coragem de admitir. Afinal, todo mundo tem contas pra pagar, né? ;-P



Adriane Pasa
Curitiba, 7/7/2014


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Nuvem Negra* de Marilia Mota Silva
02. Nós o Povo de Marilia Mota Silva
03. Ah!... A Neve de Marilia Mota Silva
04. Memorial de Berlim de Marilia Mota Silva
05. A Mão Invisível de Marilia Mota Silva


Mais Adriane Pasa
Mais Acessadas de Adriane Pasa em 2014
01. Quando morre uma paixão - 22/9/2014
02. Casamento atrás da porta - 3/2/2014
03. Eu podia estar matando, podia estar roubando - 7/4/2014
04. A firma como ela é - 7/7/2014
05. Mamilos - 10/3/2014


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




MANUAL PRÁTICO DO HORÓSCOPO CHINÊS
MINAMI KEIZI
TRAÇO
(1988)
R$ 15,00



MUITO ALÉM DO CORPO- A CONSTRUÇÃO NARRATIVA DA SAÚDE
FERNANDO LOLAS STEPKE
LOYOLA
(2006)
R$ 13,90



101 NOITES DE NATAL - UMA ANTOLOGIA LITERÁRIA
FERNANDO PESSOA E OUTROS
101 NOITES PROD.CULT.
(2001)
R$ 50,00



O NACIONALISMO NA ATUALIDADE BRASILEIRA
HELIO JAGUARIBE
FUNDAÇÃO ALEXANDRE DE GUSMÃO
(2013)
R$ 35,90



GAFE, NÃO É PECADO
CLAÚDIA MATARAZZO
MELHORAMENTOS
(1996)
R$ 4,00



BOLOFOFOS E FINIFINOS
FERNANDO SABINO
EDIOURO
(2004)
R$ 7,00



COMO FAZER APRESENTAÇÕES
TIN HINDLE
PUBLI FOLHA
(1998)
R$ 10,00



CONVERSAS COM GERDA ALEXANDER
VIOLETA HEMSY DE GAINZA
SUMMUS
(1997)
R$ 50,00



INTRODUÇÃO À PSICOLOGIA EDUCACIONAL
RUY DE AYRES BELLO -2ª EDIÇÃO
BRASIL
(1964)
R$ 8,00



AS 100 TURMAS DA MEDICINA DA USP 3530
DIVERSOS
CASA DE SOLUÇÕES
(2012)
R$ 19,00





busca | avançada
60133 visitas/dia
1,1 milhão/mês