Eu podia estar matando, podia estar roubando | Adriane Pasa | Digestivo Cultural

busca | avançada
65370 visitas/dia
2,1 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Missão à China
>>> Universidade do Livro desvenda os caminhos da preparação e revisão de texto
>>> Mississippi Delta Blues Festival será On-line
>>> Tykhe realiza encontro com Mauro Mendes Dias sobre O Discurso da Estupidez
>>> Trajetória para um novo cinema queer em debate no Diálogos da WEB-FAAP
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Alameda de água e lava
>>> Entrevista: o músico-compositor Livio Tragtenberg
>>> Cabelo, cabeleira
>>> A redoma de vidro de Sylvia Plath
>>> Mas se não é um coração vivo essa linha
>>> Zuza Homem de Mello (1933-2020)
>>> Eddie Van Halen (1955-2020)
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - II
>>> Vandalizar e destituir uma imagem de estátua
>>> Partilha do Enigma: poesia de Rodrigo Garcia Lopes
Colunistas
Últimos Posts
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
>>> Chico Buarque em bate-papo com o MPB4
>>> Como elas publicavam?
>>> Van Halen no Rock 'n' Roll Hall of Fame
>>> A última performance gravada de Jimmi Hendrix
Últimos Posts
>>> Normal!
>>> Os bons companheiros, 30 anos
>>> Briga de foice no escuro
>>> Alma nua
>>> Perplexo!
>>> Orgulho da minha terra
>>> Assim ainda caminha a humanidade
>>> Três tempos
>>> Matéria subtil
>>> Poder & Tensão
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Asia de volta ao mapa
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Micronarrativa e pornografia
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Literatura Falada (ou: Ora, direis, ouvir poetas)
>>> Viva a revolução
>>> AC/DC 1977
>>> As maravilhas do mundo que não terminam
>>> Nem Aos Domingos
>>> A pintura do caos, de Kate Manhães
Mais Recentes
>>> Los Condenados de la Tierra (Os Condenados da Terra) de Frantz Fanon pela Fondo de Cultura Econónica (2018)
>>> Les Confessions de Jean-Jacques Rousseau pela Hachete (1903)
>>> O primo Basílio de Eça de Queirós pela Abril Cultural (1979)
>>> Revue Française de Science Politique Volume XXI Numéro 3 juin 1971 de Jean Brusset, Mattei Dogan e outros pela Puf (1971)
>>> Introdução à Geografia da População de Wilbur Zelinsky pela Zahar (1974)
>>> Revista do Brasil de Antonio Candido, Celso Furtado, Julio Cortázar, Manoel Bonfim, Poty e outros pela Rioarte / Funarte (1984)
>>> Painel da Literatura em Língua Portuguesa de José de Nicola pela Scipione (2010)
>>> Crónica de una muerte anunciada de Gabriel García Márquez pela Plaza Janés (1999)
>>> Marlene D de Marlene Dietrich pela Nordica (1984)
>>> Notícia de un secuestro de Gabriel Gacía Máquez pela Plaza Janés (1999)
>>> Há Males Que Vêm Para Bem de Alec Guinness pela Francisco Alves (1990)
>>> Vivir para Contarla de Gabriel García Márquez pela Debolsillo (2017)
>>> Tango Solo de Anthony Quinn, Daniel Paisner pela Nova Fronteira (1995)
>>> El Coronel no Tiene Quien le Escriba de Gabriel Gacía Máquez pela Plaza Janés (1999)
>>> Laços Eternos de Zibia Gasparetto pela Edicel (1979)
>>> A garota que eu quero de Markus Zusak pela Intrínseca (2013)
>>> O inverno das fadas de Carolina Munhóz pela Casa da palavra (2012)
>>> Treinando a emoção para ser feliz de Augusto Cury pela Academia (2010)
>>> E se for você? de Rebecca Donovan pela Globo (2016)
>>> O guardião de Nicholas Sparks pela Arqueiro (2013)
>>> O casamento de Nicholas Sparks pela Arqueiro (2012)
>>> Inferno atlântico. Demonologia e colonização. Séculos XVI-XVIII de Laura de Mello e Souza pela Companhia das Letras (1993)
>>> Um porto seguro de Nicholas Sparks pela Novo Conceito (2012)
>>> Ouse ir Além - Coaching para Resultados Extraordinários de José Roberto Marques pela Ibc (2016)
>>> Segundo - Eu me chamo Antônio de Pedro Gabriel pela Intrínseca (2014)
>>> Doce Cuentos Peregrinos de Gabriel García Márques pela Plaza Janés (1999)
>>> A cadeira de prata - As crônicas de Nárnia de C. S. lewis pela Martins Fontes (2003)
>>> Ases nas alturas - Wild Cards de George R. R. Martin pela Leya (2013)
>>> Homens de grossa aventura. Acumulação e hierarquia na praça mercantil do Rio de Janeiro 1790-1830 de João Luís Fragoso pela Civilização Brasileira (1998)
>>> Anjos caídos de Asa Schwarz pela Planeta (2010)
>>> Um conto do destrino de Mark Helprin pela Novo Conceito (2014)
>>> O diabo e a Terra de Santa Cruz de Laura de Mello e Souza pela Companhia das Letras (1986)
>>> O Antigo Regime nos trópicos de João Fragoso & Maria Fernanda Bicalho & Maria de Fátima Gouvêa. Organizadores pela Civilização Brasileira (2010)
>>> Dominguinhos o Neném de Garanhuns de Antônio Vilela de Souza pela Garanhuns (2014)
>>> Viva a Vagina de Nina Brochman / Ellen Sorkken Dahl pela Pararela (2017)
>>> Grandes Pensadores em Psicologia - 10A de Rom Harré pela Roca (2009)
>>> A Amiga Genial de Elena Ferrante pela Biblioteca Azul/ Globo (2015)
>>> Steve Jobs : a biografia de Walter Isaacson pela Companhia Das Letras (2011)
>>> A Encantadora de Bebês de Tracy Hogg; Melinda Brau pela Manole (2006)
>>> Cien Años de Soledad de Gabriel Garcia Marques pela Plaza Janés (1999)
>>> O Taro Adivinhatório de Vários pela Pensamento
>>> Os Segredos de Uma Encantado de Bebês de Tracy Hogg; Melinda Brau pela Manole (2002)
>>> A Droga da Obediência de Pedro Bandeira pela Moderna (2009)
>>> O Paraíso na Outra Esquina de Mario Vargas Llosa pela Arx (2003)
>>> A Festa da Insignificância de Milan Kundera pela Companhia das Letras (2014)
>>> História da Menina Perdida de Elena Ferrante pela Biblioteca Azul/ Globo (2017)
>>> A Lenda do Graal (Do Ponto de Vista Psicológico) de Emma Jung e Marie Louise Von Franz pela Cultrix (1991)
>>> Capitães da Areia de Jorge Amado pela Record (1975)
>>> O Verão Sem Homens de Siri Hustvedt pela Companhia das Letras (2013)
>>> Hostória de Quem Foge e de Quem Fica de Elena Ferrante pela Biblioteca Azul/ Globo (2016)
COLUNAS

Segunda-feira, 7/4/2014
Eu podia estar matando, podia estar roubando
Adriane Pasa

+ de 4400 Acessos

Mas não. Estou aqui, escrevendo este texto. De acordo com as leis dos "Dez Mandamentos Bíblicos" - para quem é católico - "Não matarás" é o quinto mandamento e "Não roubar" é o sétimo. Para as demais religiões muda um pouco a ordem, mas essas duas grandes leis estão lá, junto das outras. Aliás, na Bíblia estão algumas das histórias mais dramáticas sobre homicídios, como a de Davi, filho de Jessé, que matou o gigante Golias.

Matar é contra os princípios morais, sociais e a gente pode ser preso. Mas todo mundo já pensou nisso na vida. Poucos assumem, é verdade. O peso na consciência e o conflito interno de alguém que comete um homicídio (não sendo um psicopata, claro), deve ser de matar. Ops, de doer.

Acho que todo ser humano tem um pouco de Raskólnikov, de Norman Bates, de Sharon Stone em Instinto Selvagem, de Dexter, de Hannibal Lecter (quem já não desejou comer e mastigar alguém? Super normal). Se não tem, gosta de ver esse povo em ação e se realizar um pouco.

Segundo uma matéria da revista Super Interessante, "no maior estudo realizado sobre fantasias homicidas, 91% dos homens e 84% das mulheres admitiram já ter pensado (em minúcias) como se livrar de outra pessoa. A esmagadora maioria dos cinco mil entrevistados (entre os quais 375 assassinos) confessaram esse fato, o que levou o coordenador da pesquisa, David Buss, chefe do Departamento de Psicologia Evolutiva da Universidade do Texas, a concluir que a capacidade de tirar a vida é uma característica comum a todos os seres humanos, resultado da seleção natural". Vejam só, minha gente. As pessoas matam por dinheiro, amor, ciúmes, vingança, prazer, medo, defesa, guerra, engano e muitas vezes por quase nada. Em nosso país então, o Brasilzão, matar é tão comum quanto escovar os dentes. Aliás, acho que aqui se mata mais que nas guerras do Oriente Médio. Apesar da TV espirrar sangue na hora dos telejornais, infelizmente a coisa já virou paisagem por conta de tanta repetição e as pessoas fecham os olhos e têm náuseas só quando vão ao cinema mesmo. Só sei que o dia em que o mundo acabar e o juízo final acontecer, o Brasil tá ferrado. Quero ver explicar isso aí.


Roubar também é mais velho que andar pra frente. E como os homicídios, têm muitas variações, tipos, intenções. Assim como o psicopata é o doente dos assassinos, o cleptomaníaco é o doente dos ladrões. Quem não se lembra dos vexames da Winona Ryder? Aliás, como tem gente famosa cleptomaníaca ou que usa essa desculpa. O fato é que quase tudo no mundo dá pra ser roubado. Precisa de cara de pau, coragem, um bom esquema logístico, vocação e competência. Jóias, ideias, pessoas, dinheiro, tempo, pontos, cartas, órgãos vitais, trens, aviões, carros, obras de arte, senhas, beijos, textos, imagens, sonhos, comida, nossa, tanta coisa. Literal ou metafórico, desse pecado acho que ninguém escapa.

Ladrões ousados e assassinos em série acabam ficando famosos. Confira aqui uma lista dos 10 maiores roubos da história e dos maiores assassinos em série que já existiram. A coisa é para o mal, mas não é para qualquer um. É uma pena que mentes malignas sejam também muitas vezes tão inteligentes e corruptas. Mas no cinema está tudo liberado (no Brasil também).

Há também os ladrões atrapalhados ou que roubam por motivos "nobres" ou passionais como o personagem de Al Pacino em Um Dia de Cão (Dog Day Afternoon, 1975, de Sidney Lumet), bandido bonzinho e pouca prática que acaba virando celebridade. Com roteiro baseado em fatos reais, é um filme obrigatório, numa das mais impressionantes atuações do cinema. Acho que Al Pacino já nasceu bom ator. No filme ele faz o papel de Sonny que, junto com um colega, rouba um banco no Brooklyn numa desastrosa tarde de muito calor e acaba chamando a atenção da mídia, transformando-se em notícia nas redes de TV. Era para ser um assalto de dez minutos, mas dura muito tempo e acaba por causar uma empatia do público pelos assaltantes. O filme venceu o Oscar de melhor roteiro original em 1976.

Separei mais alguns filmes que considero muito bons dentro destes temas, excluindo terror e máfia (que aí já considero outro departamento).

Esse papo de pecado me fez pensar nos personagens bíblicos. Acho que o mundo mudou pouco.


Não matarás


Psicose, de Alfred Hitchcock, 1960.

Laranja Mecânica, de Stanley Kubrick, 1971.

Pixote, a Lei do Mais Fraco, de Hector Babenco, 1981.

Nascido para Matar, de Stanley Kubrick, 1987.

Louca Obsessão, de Rob Reiner, 1990.

Nikita - Criada para Matar, de Luc Besson, 1990.

O Silêncio dos Inocentes, de Jonathan Demme, 1991.

Instinto Selvagem, de Paul Verhoeven, 1992.

Assassinos por Natureza, de Oliver Stone, 1994.

Seven - Os 7 Crimes Capitais, de David Fincher, 1995.

Fargo, Ethan Coen e Joel Coen, 1996.

O Livro Secreto de um Jovem Envenenador, de Benjamin Ross, 1996.

Monster, de Patty Jenkins, 2003.

O Corte, de Costa-Gavras, 2005.

Dexter, série de TV americana, de James Manos, Jr., estreou em 2006.

Zodíaco, de David Fincher, 2007.


Não Roubarás


Ladrões de Bicicleta, de Vittorio De Sica, 1948.

O Grande Golpe, de Stanley Kubrick, 1956.

Bonnie and Clyde, de Arthur Penn, 1967.

Golpe de Mestre, de George Roy Hill, 1973.

Um Dia de Cão, de Sidney Lumet, 1975.

Não Tenho Troco, de Bill Murray e Howard Franklin, 1990.

Caçadores de Emoção, de Kathryn Bigelow, 1991.

Cães de Aluguel, de Quentin Tarantino, 1992 (também poderia estar em "Não Matarás").

Cova Rasa, de Danny Boyle, 1994 (também poderia estar em "Não Matarás").

Thomas Crown - A Arte do Crime, de John McTiernan, 1999.

O Assalto, de David Mamet, 2001.

Vida Bandida, de Barry Levinson, 2001.

Onze Homens e um Segred", de Steven Soderbergh, 2002.

De qualquer forma, se for para ter um comportamento meio "Psycho Killer", melhor ficar com este:


Adriane Pasa
Vancouver, 7/4/2014


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Entrevista: o músico-compositor Livio Tragtenberg de Jardel Dias Cavalcanti
02. Nem morta! de Ana Elisa Ribeiro
03. Os Doze Trabalhos de Mónika. 8.Heroes of the World de Heloisa Pait
04. Sabemos pensar o diferente? de Guilherme Carvalhal
05. Kleztival: celebrando a música judaica de Heloisa Pait


Mais Adriane Pasa
Mais Acessadas de Adriane Pasa em 2014
01. Quando morre uma paixão - 22/9/2014
02. Casamento atrás da porta - 3/2/2014
03. Eu podia estar matando, podia estar roubando - 7/4/2014
04. A firma como ela é - 7/7/2014
05. Mamilos - 10/3/2014


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




CÁLCULO MATEMÁTICA PARA TODOS 41- EMPACADOS NO TEMPO
VÁRIOS AUTORES - REVISTA
SEGMENTO
(2014)
R$ 10,00



MARTIN MYSTÈRE 5
PAOLO MORALES
MYTHOS
(2019)
R$ 15,50



STARTERS
LISSA PRICE
NOVO CONCEITO
(2012)
R$ 15,00



WHATS THAT NOISE?
JADE MICHAELS
MACMILLAN
(2004)
R$ 6,00



TONICO E O SEGREDO
ANTONIETA DIAS DE MORAES
SALAMANDRA
(1980)
R$ 6,90



PRECIS D HYGIENE
P. COURMONT A. ROCHAIX
MASSON ET CIE
(1921)
R$ 87,54



CONFERÊNCIAS, DISCURSOS E PERFIS
JACINTO GUIMARÃES
IMPRENSA OFICIAL BELO HORIZON
(1961)
R$ 29,86



REVISTA MAD ESPECIAL HALLOWEEN Nº 3 - 9922
MARCO M LUPOL
MYTHOS
(2008)
R$ 17,00



DE FRENTE E PERFIL
SPENCER LUÍS MENDES
RAZÃO CULURAL
(1999)
R$ 9,80



JORNAL DE SERRA VERDE
WALDEMAR VERSIANI DOS ANJOS
ITATIAIA
(1960)
R$ 8,90





busca | avançada
65370 visitas/dia
2,1 milhões/mês