Eu podia estar matando, podia estar roubando | Adriane Pasa | Digestivo Cultural

busca | avançada
64744 visitas/dia
1,7 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Evento de reinauguração da Praça do Centro de Convenções da Unicamp
>>> Oficina Som Entre Fronteiras está com inscrições abertas
>>> Projeto “Curtas de Animação” com estudantes da zona rural de Valinhos/SP
>>> Novos projetos do Festival de Dança de Joinville promovem atividades culturais para 120 alunos
>>> Toca do Morcego anuncia agenda primavera/verão 2022/2023
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A pior crônica do mundo
>>> O que lembro, tenho (Grande sertão: veredas)
>>> Neste Momento, poesia de André Dick
>>> Jô Soares (1938-2022)
>>> Casos de vestidos
>>> Elvis, o genial filme de Baz Luhrmann
>>> As fezes da esperança
>>> Quem vem lá?
>>> 80 anos do Paul McCartney
>>> Gramática da reprodução sexual: uma crônica
Colunistas
Últimos Posts
>>> Marcelo Tripoli no TalksbyLeo
>>> Ivan Sant'Anna, o irmão de Sérgio Sant'Anna
>>> A Pathétique de Beethoven por Daniel Barenboim
>>> A história de Roberto Lee e da Avenue
>>> Canções Cruas, por Jacque Falcheti
>>> Running Up That Hill de Kate Bush por SingitLive
>>> Oye Como Va com Carlos e Cindy Blackman Santana
>>> Villa candidato a deputado federal (2022)
>>> A história do Meli, por Stelleo Tolda (2022)
>>> Fabio Massari sobre Um Álbum Italiano
Últimos Posts
>>> Baby, a chuva deve cair. Blade Runner, 40 anos
>>> Conforme o combinado
>>> Primavera, teremos flores
>>> Além dos olhos
>>> Marocas e Hermengardas
>>> Que porcaria
>>> Singela flor
>>> O cerne sob a casca
>>> Assim é a vida
>>> Criança, minha melhor idade
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Nuvem Negra*
>>> Discurso de William Faulkner
>>> Os Incríveis
>>> Erik Satie
>>> Ronnie James Dio em 1983
>>> O Leão e o Unicórnio
>>> O outro Carpeaux
>>> Something that grows
>>> Façam suas apostas
>>> Tempo de aspargos
Mais Recentes
>>> Princípios de Finanças Corporativas de Brealey/ Myers/ Allen pela Mcgraw - Hill/ Bookman (2018)
>>> Livro - O Divino Jogo do Ser - Uma nova visão para o despertar espiritual de Roberto Saul pela Alaúde (2005)
>>> Depois do Funeral de Agatha Christie pela Circulo do Livro
>>> Todo Mundo Tem um Anjo da Guarda de Pedro Siqueira pela Sextante (2016)
>>> Livro - A Literatura Inglesa de Anthony Burgess pela Ática (1999)
>>> Cidade dos Ossos 1 de Cassandra Clare pela Galera Record (2014)
>>> Livro - As Valkírias - Coleção Paulo Coelho de Paulo Coelho pela Rocco (1992)
>>> Brasil/ Brazil - Lugares e Histórias/ Places and History de Beppe Ceccato pela Manole (1995)
>>> O que Einstein disse a seu cozinheiro de Robert L. Wolke pela Jorge Zahar (2003)
>>> Cidade de Vidro 3 de Cassandra Clare pela Galera Record (2011)
>>> A Menina Que Descobriu o Brasil (6ª Edição) de Ilka Brunhilde Laurito pela Ftd (1999)
>>> Clínica do Social de Célio Garcia pela Projeto
>>> Livro - O Crisântemo e a Espada de Ruth Benedict pela Perspectiva (1972)
>>> Processo de Execução e Cautelar de Marcus Vinícius Rios Gonçalves pela Saraiva (2005)
>>> O Silêncio Que Eu Perdi de Roque Schneider pela Paulinas (1981)
>>> As Irmãs Penderwick de Jeanne Birdsall pela Pavio (2009)
>>> Convite para um Homicídio de Agatha Christie pela Record (1950)
>>> Imagens da arte brasileira de Cecília Jucá de Hollanda pela Fundação Cesgranrio (2005)
>>> À Imagem e Semelhança de Deus: uma Analogia Entre o Corpo Humano E... de Philip Yancey e Outros pela Vida (2003)
>>> Livro - O Orgulho de Hannah de Janet Dailey pela Record (1987)
>>> Ventilação Pulmonar Mecânica Em Neonatologia e Pediatria de Werther B. de Carvalho e Outros pela Lovise
>>> Cidade das Cinzas 2 de Cassandra Clare pela Galera Record (2017)
>>> Identificação dos Mortos? uma Sensacional Polêmica de Oscar González- Quevedo pela Loyola (2001)
>>> Livro - Minha Vida Com Boris - Coleção Folha - Mulheres na Literatura #20 de Thays Martinez pela Folha de São Paulo (2017)
>>> O Azulejo em Portugal no século XX de Edições Inapa pela Inapa (2000)
COLUNAS

Segunda-feira, 7/4/2014
Eu podia estar matando, podia estar roubando
Adriane Pasa

+ de 5000 Acessos

Mas não. Estou aqui, escrevendo este texto. De acordo com as leis dos "Dez Mandamentos Bíblicos" - para quem é católico - "Não matarás" é o quinto mandamento e "Não roubar" é o sétimo. Para as demais religiões muda um pouco a ordem, mas essas duas grandes leis estão lá, junto das outras. Aliás, na Bíblia estão algumas das histórias mais dramáticas sobre homicídios, como a de Davi, filho de Jessé, que matou o gigante Golias.

Matar é contra os princípios morais, sociais e a gente pode ser preso. Mas todo mundo já pensou nisso na vida. Poucos assumem, é verdade. O peso na consciência e o conflito interno de alguém que comete um homicídio (não sendo um psicopata, claro), deve ser de matar. Ops, de doer.

Acho que todo ser humano tem um pouco de Raskólnikov, de Norman Bates, de Sharon Stone em Instinto Selvagem, de Dexter, de Hannibal Lecter (quem já não desejou comer e mastigar alguém? Super normal). Se não tem, gosta de ver esse povo em ação e se realizar um pouco.

Segundo uma matéria da revista Super Interessante, "no maior estudo realizado sobre fantasias homicidas, 91% dos homens e 84% das mulheres admitiram já ter pensado (em minúcias) como se livrar de outra pessoa. A esmagadora maioria dos cinco mil entrevistados (entre os quais 375 assassinos) confessaram esse fato, o que levou o coordenador da pesquisa, David Buss, chefe do Departamento de Psicologia Evolutiva da Universidade do Texas, a concluir que a capacidade de tirar a vida é uma característica comum a todos os seres humanos, resultado da seleção natural". Vejam só, minha gente. As pessoas matam por dinheiro, amor, ciúmes, vingança, prazer, medo, defesa, guerra, engano e muitas vezes por quase nada. Em nosso país então, o Brasilzão, matar é tão comum quanto escovar os dentes. Aliás, acho que aqui se mata mais que nas guerras do Oriente Médio. Apesar da TV espirrar sangue na hora dos telejornais, infelizmente a coisa já virou paisagem por conta de tanta repetição e as pessoas fecham os olhos e têm náuseas só quando vão ao cinema mesmo. Só sei que o dia em que o mundo acabar e o juízo final acontecer, o Brasil tá ferrado. Quero ver explicar isso aí.


Roubar também é mais velho que andar pra frente. E como os homicídios, têm muitas variações, tipos, intenções. Assim como o psicopata é o doente dos assassinos, o cleptomaníaco é o doente dos ladrões. Quem não se lembra dos vexames da Winona Ryder? Aliás, como tem gente famosa cleptomaníaca ou que usa essa desculpa. O fato é que quase tudo no mundo dá pra ser roubado. Precisa de cara de pau, coragem, um bom esquema logístico, vocação e competência. Jóias, ideias, pessoas, dinheiro, tempo, pontos, cartas, órgãos vitais, trens, aviões, carros, obras de arte, senhas, beijos, textos, imagens, sonhos, comida, nossa, tanta coisa. Literal ou metafórico, desse pecado acho que ninguém escapa.

Ladrões ousados e assassinos em série acabam ficando famosos. Confira aqui uma lista dos 10 maiores roubos da história e dos maiores assassinos em série que já existiram. A coisa é para o mal, mas não é para qualquer um. É uma pena que mentes malignas sejam também muitas vezes tão inteligentes e corruptas. Mas no cinema está tudo liberado (no Brasil também).

Há também os ladrões atrapalhados ou que roubam por motivos "nobres" ou passionais como o personagem de Al Pacino em Um Dia de Cão (Dog Day Afternoon, 1975, de Sidney Lumet), bandido bonzinho e pouca prática que acaba virando celebridade. Com roteiro baseado em fatos reais, é um filme obrigatório, numa das mais impressionantes atuações do cinema. Acho que Al Pacino já nasceu bom ator. No filme ele faz o papel de Sonny que, junto com um colega, rouba um banco no Brooklyn numa desastrosa tarde de muito calor e acaba chamando a atenção da mídia, transformando-se em notícia nas redes de TV. Era para ser um assalto de dez minutos, mas dura muito tempo e acaba por causar uma empatia do público pelos assaltantes. O filme venceu o Oscar de melhor roteiro original em 1976.

Separei mais alguns filmes que considero muito bons dentro destes temas, excluindo terror e máfia (que aí já considero outro departamento).

Esse papo de pecado me fez pensar nos personagens bíblicos. Acho que o mundo mudou pouco.


Não matarás


Psicose, de Alfred Hitchcock, 1960.

Laranja Mecânica, de Stanley Kubrick, 1971.

Pixote, a Lei do Mais Fraco, de Hector Babenco, 1981.

Nascido para Matar, de Stanley Kubrick, 1987.

Louca Obsessão, de Rob Reiner, 1990.

Nikita - Criada para Matar, de Luc Besson, 1990.

O Silêncio dos Inocentes, de Jonathan Demme, 1991.

Instinto Selvagem, de Paul Verhoeven, 1992.

Assassinos por Natureza, de Oliver Stone, 1994.

Seven - Os 7 Crimes Capitais, de David Fincher, 1995.

Fargo, Ethan Coen e Joel Coen, 1996.

O Livro Secreto de um Jovem Envenenador, de Benjamin Ross, 1996.

Monster, de Patty Jenkins, 2003.

O Corte, de Costa-Gavras, 2005.

Dexter, série de TV americana, de James Manos, Jr., estreou em 2006.

Zodíaco, de David Fincher, 2007.


Não Roubarás


Ladrões de Bicicleta, de Vittorio De Sica, 1948.

O Grande Golpe, de Stanley Kubrick, 1956.

Bonnie and Clyde, de Arthur Penn, 1967.

Golpe de Mestre, de George Roy Hill, 1973.

Um Dia de Cão, de Sidney Lumet, 1975.

Não Tenho Troco, de Bill Murray e Howard Franklin, 1990.

Caçadores de Emoção, de Kathryn Bigelow, 1991.

Cães de Aluguel, de Quentin Tarantino, 1992 (também poderia estar em "Não Matarás").

Cova Rasa, de Danny Boyle, 1994 (também poderia estar em "Não Matarás").

Thomas Crown - A Arte do Crime, de John McTiernan, 1999.

O Assalto, de David Mamet, 2001.

Vida Bandida, de Barry Levinson, 2001.

Onze Homens e um Segred", de Steven Soderbergh, 2002.

De qualquer forma, se for para ter um comportamento meio "Psycho Killer", melhor ficar com este:


Adriane Pasa
Vancouver, 7/4/2014


Quem leu este, também leu esse(s):
01. A pós-modernidade de Michel Maffesoli de Guilherme Carvalhal
02. Aquarius, quebrando as expectativas de Guilherme Carvalhal
03. E por falar em aposentadoria de Fabio Gomes
04. Pokémon Go, você foi pego de Luís Fernando Amâncio
05. Eu blogo, tu blogas? de Fabio Gomes


Mais Adriane Pasa
Mais Acessadas de Adriane Pasa em 2014
01. Casamento atrás da porta - 3/2/2014
02. Quando morre uma paixão - 22/9/2014
03. Eu podia estar matando, podia estar roubando - 7/4/2014
04. A firma como ela é - 7/7/2014
05. Mamilos - 10/3/2014


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Three Guineas
Virginia Woolf
Hbj
(1866)



Maçonaria - Religião e Simbolismo
Samuel Nogueira Filho
Traço
(1984)



Volta às Aulas
Adeilson Salles
Feb
(2008)



Livro - Técnicas de Relaxamento - 2ª Parte: Exercícios de Movimento
Kum Nye
Tarthang Tulku
(2003)



The Pleasure Prescription
Paul Pearsall
Hunter House
(1996)



Seleções de Livros
Readers Digest
Readers Digest
(2010)



Psicanálise como Percurso
Franco Borgogno
imago
(2004)



Lições da Vida
Henrique Rodrigues
freitas bastos
(1990)



Retrato Mortal ( N. 16)
Nora Roberts J. D. Robb
Bertrand Brasil
(2011)



Pride and Prejudice - Livro de Bolso
Jane Austen
Bantam Books
(1989)





busca | avançada
64744 visitas/dia
1,7 milhão/mês