Uma outra visão do jornalismo | Fabio Silvestre Cardoso | Digestivo Cultural

busca | avançada
62561 visitas/dia
2,3 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Série Brasil Visual tem pré-estreia neste sábado no RJ e estreia dia 25/6, no canal Curta!
>>> Thiago Monteiro apresenta seu primeiro álbum autoral “Despretensioso”, em Rib. Preto - 25/06
>>> DIADORIM | NONADA SP
>>> Porto Blue Sound, festival de música gratuito chega a Belo Horizonte em julho
>>> Projeto Memória leva legado de Lélia Gonzalez ao CCBB BH
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A pulsão Oblómov
>>> O Big Brother e a legião de Trumans
>>> Garganta profunda_Dusty Springfield
>>> Susan Sontag em carne e osso
>>> Todas as artes: Jardel Dias Cavalcanti
>>> Soco no saco
>>> Xingando semáforos inocentes
>>> Os autômatos de Agnaldo Pinho
>>> Esporte de risco
>>> Tito Leite atravessa o deserto com poesia
Colunistas
Últimos Posts
>>> Jensen Huang, da Nvidia, na Computex
>>> André Barcinski no YouTube
>>> Inteligência Artificial Física
>>> Rodrigão Campos e a dura realidade do mercado
>>> Comfortably Numb por Jéssica di Falchi
>>> Scott Galloway e as Previsões para 2024
>>> O novo GPT-4o
>>> Scott Galloway sobre o futuro dos jovens (2024)
>>> Fernando Ulrich e O Economista Sincero (2024)
>>> The Piper's Call de David Gilmour (2024)
Últimos Posts
>>> O mais longo dos dias, 80 anos do Dia D
>>> Paes Loureiro, poesia é quando a linguagem sonha
>>> O Cachorro e a maleta
>>> A ESTAGIÁRIA
>>> A insanidade tem regras
>>> Uma coisa não é a outra
>>> AUSÊNCIA
>>> Mestres do ar, a esperança nos céus da II Guerra
>>> O Mal necessário
>>> Guerra. Estupidez e desvario.
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O Código de Defesa do Consumidor e Maradona
>>> Gerald Thomas: cidadão do mundo (parte I)
>>> Meu Sagarana
>>> Enquanto agonizo, de William Faulkner
>>> Silêncio e grito
>>> O óbvio ululante, de Nelson Rodrigues
>>> The News is Now Public
>>> Adeus, Tony Scott!
>>> Debret e o Brasil, pela editora Capivara
>>> Contrate seu Personal Twitter
Mais Recentes
>>> Histórias de além-túmo de Alfred Hitchcock pela Record (1976)
>>> A Última Flecha de Erwin McManus pela Chara (2018)
>>> O Iluminado de Stephen King pela Planeta de Agostini (2004)
>>> 100% Vegetariano de Brenda Davis pela Cultrix (2012)
>>> A Casa do Escritor de Vera Lucia Marinzeck De Carvalho, pelo espirito Patricia pela Petit (1993)
>>> Cristo está vivo de Michel Quoist pela Duas cidades (1982)
>>> Os Cem Mil Reinos de N. K. Jemisin pela Galera Record (2021)
>>> Jaco: O Patrulheiro Galáctico de Akira Toriyama pela Panini Brasil (2017)
>>> Curso de Iniciação Logosófica de Carlos Bernardo González Pecotche pela Logosófica (1983)
>>> Trilogia A Divina Comédia de Dante Alighieri pela Principis (2020)
>>> Mangás Opus - 2 Volumes de Satoshi Kon pela Panini Comics (2017)
>>> Livro Filosofia Hermenêutica de Richard E. Palmer pela Edicoes 70 (1969)
>>> Prática da Honra de Danny Silk pela Chara (2018)
>>> Uma bruxa na Cidade Uma Bruxa Apaixonada de Ruth Warburton pela Leya (2013)
>>> Poemas para rezar de Michel Quoist pela Duas cidades (1978)
>>> E se Você Juntasse Seus Sonhos Aos Sonhos de Deus de Beni Johnson e Sheri Silk pela Chara (2015)
>>> A Tentação Totalitária de Jean François Revel pela Difel (1976)
>>> Catecismo da Filosofia de Huberto Rohden pela Alvorada (1991)
>>> Trilogia Bruxos e Bruxas de James Patterson pela Novo Conceito (2013)
>>> O Corpo Da Liberdade. Reflexoes Sobre A Pintura Do Seculo Xix de Jorge Coli pela Sesi (2018)
>>> Berserk - Guia Oficial de Kentaro Miura pela Panini Comics (2017)
>>> Livro Biografias Springsteen de Emerson Lopes pela Multifoco (2021)
>>> A Comedia Humana de William Saroyan pela Paz E Terra (2002)
>>> Um Novo Olhar Sobre as Vivências Mediúnicas - Falando Francamente de Agnaldo Paviani pela Luminus (2007)
>>> Arte Egípcia de Arte Egípcia pela Sem (2009)
COLUNAS >>> Especial 2000 Colunas

Terça-feira, 14/11/2006
Uma outra visão do jornalismo
Fabio Silvestre Cardoso
+ de 5500 Acessos
+ 3 Comentário(s)

Quando, em setembro de 2003, fui efetivado como colunista deste Digestivo Cultural, sinceramente, não imaginava que, menos de dois anos depois, eu me tornaria o editor-assistente do site, numa ascensão não somente no âmbito profissional, como também no ponto de vista intelectual. Em 2003, como um jornalista médio, ingressei para o site acreditando que colocaria em prática aquilo que havia aprendido ao longo dos quatro anos de faculdade: em síntese, a prática de um jornalismo ligado aos ideais da profissão, um jornalismo isento e engajado. Como Gabriel García Márquez, à época de minha estréia, eu acreditava que o jornalismo era, sim, a melhor profissão do mundo. O que mudou de lá pra cá? Mudou tão somente a forma de ver as coisas.

De fato, essa visão romântica, quase ingênua, do jornalismo tinha muito a ver com a influência de meus anos de universidade. Para quem não estudou jornalismo, vai um breve histórico. Grosso modo, professores realçam elementos importantes da profissão, mas que não condizem muito com a realidade do chamado "mercado de trabalho". Para citar um exemplo, e sempre de maneira geral, os docentes buscam como modelo de redação jornalística os principais veículos de imprensa do país, apostando, assim, que os estudantes estariam melhores capacitados se soubessem as regras dos manuais de redação, que, por sua vez, não passam de cartilhas. Do mesmo modo, na universidade, os alunos criam determinados consensos em relação às publicações e a opiniões políticas. Assim, é fácil identificar os estudantes de jornalismo não somente por seu aspecto descolado, mas, sobretudo, por suas opiniões politicamente corretas sobre o estado das coisas. É a partir daí que ele, esse jornalista ainda em formação, pára de considerar o público um interlocutor interessante, preferindo, em geral, a opinião (ou o consenso) dos colegas, como se as idéias e as opiniões dependessem de uma eterna reunião de pauta. E comigo não era diferente até ingressar no jornalismo on-line via Digestivo Cultural.

O primeiro choque de realidade foi na redação dos textos. Nas minhas primeiras resenhas para o site, não foram poucas as vezes em que me perguntava por que cargas d'água eu tinha de escrever um texto tão longo, algo entre 5 e 10 mil toques (que hoje já não acho tanto), sobre um único livro. Como acabava de entrar para o site, ficava receoso de confrontar esse modelo logo de início, mas ainda assim me incomodava. Foi somente em um dos encontros entre os Digestores que, entre uma pizza e outra, lembro-me do Julio ter comentado sobre o fato de as resenhas serem excessivamente descritivas e curtas, quando, na verdade, havia tanto para se falar dos livros. Fiquei com isso na cabeça e vi que os modelos da imprensa-impressa não eram tão absolutos assim e que, na internet, era possível publicar textos com extensão e fôlego. Tudo isso porque os livros teóricos acerca de webwriting pregam o conteúdo mínimo e chegam ao absurdo de pregar parágrafos de três linhas. Por quê? Eu também fiquei sem resposta...

Pouco tempo depois, ainda conhecendo os colegas, lembro-me de ter lido um contundente texto do Eduardo Carvalho sobre os intelectuais. Em verdade, a história remonta ao mesmo jantar do parágrafo anterior. Acompanhe: Eduardo confidenciara que, em breve, escreveria um texto contra os intelectuais. Eu perguntei: quais? E ele, sorrindo, respondeu: "contra todos". Achei, a um só tempo, escarnecedor e instigante, mas não disse nada, justamente por não me sentir à vontade, vejam só o absurdo, para manifestar-me contrário a uma opinião que me incomodava. Em síntese: não quis polemizar. Foi só quando eu li o artigo, algumas semanas depois, que eu vi a importância da polêmica. Não digo a polêmica como um fim em si mesmo, mas a importância de um ponto de vista pessoal que, mesmo não sendo o da maioria, pode ser legítimo e genuíno. Talvez mais importante do que a isenção jornalística seja a sinceridade com os leitores, interlocutores e semelhantes. E num debate de idéias isso não só pode, como deve, ser estimulado. O consenso jornalístico, aquele da Copa do Mundo ou das Eleições, é nocivo para a tão proclamada diversidade cultural e pluralidade de idéias. Àquela lenga-lenga politicamente correta do jornalismo é preciso enfrentar com pontos de vista consistentes e claros, como aquele do Edu sobre os intelectuais ou este do Julio sobre os blogs dos jornalistas (ainda que eu discorde parcialmente deste último, mas isso é assunto para depois).

Outros exemplos poderiam ser citados (cobertura em Búzios, Rio das Ostras, Cuiabá; Concertos da Osesp; exposições de arte; etc), mas penso que este texto perderia seu foco (e sabe-se lá se já não perdeu), que é trazer um relato de um jornalista cujo batismo de fogo foi neste Digestivo. Em verdade, depois da experiência acadêmica, que considero fundamental, apareceu outra, tão importante quanto, nesta revista eletrônica. Qual das duas foi melhor?, qual das duas é mais necessária? Questões difíceis de serem respondidas com essa clivagem preto-e-branco. Prefiro dizer que a primeira não se consolidaria sem a segunda e que o repórter seria tão somente um digitador se não tivesse estudado. Ainda assim, foi no Digestivo Cultural que eu aprendi que o jornalismo está além de todas as expectativas de um estudante, principalmente se este estiver disposto a saber por que esta pode ser a melhor profissão do mundo.


Fabio Silvestre Cardoso
São Paulo, 14/11/2006

Mais Fabio Silvestre Cardoso
Mais Acessadas de Fabio Silvestre Cardoso em 2006
01. Orgulho e preconceito, de Jane Austen - 5/5/2006
02. Por que quero sair do Orkut (mas não consigo) - 2/2/2006
03. Desejo de Status - 21/4/2006
04. As crônicas de Ivan Lessa - 30/3/2006
05. Google: aprecie com moderação - 2/3/2006


Mais Especial 2000 Colunas
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
14/11/2006
21h27min
Poxa, me deu um frio na barriga agora... estou formando.. estudando a hipermidia, com projeto experimental sobre..., para entregar na sexta... ai... não quero me decepcionar mesmo! Mas, em algumas parte, eu concordo com vc... a escola nos deixa "bitolados" a padrões... Complicado. Mas, q bom q a Internet está aí pra isso... pensa só... há alguns anos... qd os recém-formados não tinham por onde começar... onde mostrar o nome, o trab. Hj temos a rede e sites importantes q ajudam os jovens jornalistas a mostrarem a q vieram...
[Leia outros Comentários de Camila Martucheli]
24/11/2006
15h35min
Puxa, Fábio, fiquei feliz que lembrou da conversa e daquele texto. Escrevi sobre isso recentemente no blog. Seu texto, aliás, está muito bacana. Preciso depois escrever meu depoimento também. Abçs.
[Leia outros Comentários de Eduardo Carvalho]
2/5/2007
3. Boa
23h25min
Grande texto, ser estudante de jornalismo e depois jornalista é realmente um choque. Gostei da abordagem, mas fica uma questão: o que precisa mudar nas universidades? Ou no mercado de trabalho? Ou nos dois???
[Leia outros Comentários de Lucas Santiago]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Mulheres sem Sombra - Maternidade e Novas Tecnologia
Silvia Tubert
Rosa dos Ventos
(1996)



João e Maria
Humperdinck
Altea
(2006)



A Arte de ser mestre de si mesmo para ser líder de pessoas
Anselm Grun
Vozes
(2012)



Ele está de volta
Timur Vermes
Intrínseca
(2014)



Livro Religião Jesus Mestre de Nazaré A História que Desafiou 2000 Anos
Aleksandr Mien
Cidade Nova
(1998)



Em Busca do Rigor e da Misericordia - Reflexões de um Ermitão Urbano
Lobão
Record
(2015)



A Arte de Agora Agora
Herbert Read
Perspectiva
(1981)



A Consciencia da Nova Geraçao Alem das Crianças Indigo
P. M . H. Atwater
Prolibera
(2008)



Roda-Viva
Jayne Anne Phillips
Record
(1987)



Strange Bedfellows: the First American Avant-garde
Steven Watson
Perseus Books
(1993)





busca | avançada
62561 visitas/dia
2,3 milhões/mês