TV Infinita | Rafael Fernandes | Digestivo Cultural

busca | avançada
29267 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Quarta-feira, 28/3/2007
TV Infinita
Rafael Fernandes

+ de 4300 Acessos

Criei uma conta no YouTube há alguns meses e coloquei lá vários clipes para garantir que um texto meu não corresse o risco de ficar "boiando", caso alguém tirasse o vídeo do ar. Como era de se esperar, a alegria durou pouco. Minha conta foi deletada por violação de copyright. Ok, sem problemas, é a vida. E meu texto? Sem problemas, também: procurei pelos vídeos lá no site e achei todos. Ou seja: a cada conta excluída, aparecem novas substituindo os vídeos anteriores. Foi basicamente o problema envolvendo o famigerado caso Cicarelli-Malzoni (aquele casal do "sexo na praia, sim, na Internet, não"). E é o que permeia a Internet por todos os lados, desde o boom da troca de arquivos, iniciado basicamente com o MP3: a rede é um poço sem fundo - se os "donos do poder" caçam os "piratas", dezenas de novas opções são apresentadas. O Napster não é mais de graça? Surge o Kazaa. Kazaa não tem mais graça? Dezenas de novos p2p surgem na calada da noite, de computadores de nerds ambiciosos à procura do próximo queridinho da rede.

Sem saber direito o que fazer com a tal da pirataria, as empresas de entretenimento e telecomunicações (que hoje são, basicamente, a mesma coisa) novamente perdem uma grande chance: de apresentar uma alternativa, uma opção ao consumidor internauta. Aconteceu com o MP3: o iTunes "explodiu" apenas 10 anos depois do Napster; naquele momento a indústria pensou apenas em processos, não quis ou não foi capaz de entender que ali estava uma mensagem do consumidor: "eu mudei o modo como me relaciono com música". Talvez pelo fato de as empresas serem mega corporações, faz com que as mudanças sejam feitas de maneira lenta, graças à sua estrutura pesada. O fato é que a história se repete: se por um lado a reação da sociedade faz com que os processos não tenham a gana de outrora, por outro as empresas parecem perdidas com o sucesso do YouTube: não sabem se entram no jogo, se inventam um próprio, se a grana deve entrar por anúncios ou por pagamentos mensais, ou seja lá o que é o futuro. Mas a mensagem desta vez novamente é clara pelos consumidores: queremos vídeos na Internet, e preferencialmente de graça! A MTV já percebeu: lançou o MTV Overdrive, site só de vídeos, que são acompanhados de anúncios entre exibições e na página em volta do tocador; a filial brasileira foi ainda mais radical: diminuiu drasticamente a exibição de clipes na TV e por ela apenas anuncia a exibição de novos vídeos exclusivamente on-line. E já pipocam pela rede diversos locais para se assistir vídeos, como o joost, wiiTV e TV Tuga.

Parece-me que, no momento, são duas as grandes questões - que encabeçam uma série de outras - em relação à exibição de vídeos na Internet, desencadeadas pelo sucesso do YouTube: como ganhar dinheiro com isso (não apenas para pagamento de direitos, mas obviamente para o lucro) e qual será o comportamento de massa para a TV na Internet: seguirá a tendência de vídeos curtos do YouTube? Ou os vídeos longos também farão parte, como os downloads de vídeos de seriados antes que cheguem ao Brasil? E, a partir disso, qual será o papel da TV nisso tudo? Vai perder espaço? Haverá uma convergência? Haverá adaptações, como o rádio teve que se adaptar em relação à TV? No momento, não há uma resposta única.

Por um lado, a maioria esmagadora de vídeos do YouTube é de curta duração, e parece ser isso que as pessoas gostam no momento. Mas uma série de vídeos de média duração ou até longa (divididos em partes) despontam no YouTube. "Sinhá Boça", sensacional novela trash da MTV está lá em todos seus capítulos. É possível ver um vídeo de quase vinte minutos no qual o diretor Kevin Smith (de Dogma, Clerks, e outros) conta de forma hilária como quase dirigiu um filme do Superman. Ou assistir uma longa entrevista de Woody Allen, dividida em partes. E, fora o YouTube, há uma série de programas americanos sendo vistos em outros países horas depois de sua exibição, no Brasil, temos o caso de Lost e 24 horas, para ficar em dois exemplos. Nos diversos p2p, fóruns e páginas por aí há uma enorme oferta - graças, evidentemente, à constante demanda - de seriados atuais ou antigos, filmes, shows e afins à espera apenas de um clique - e paciência para aguardar o download - para sua apreciação.

Mas nem tudo é tragédia e a indústria tem aprendido alguma coisa: os processos contra "piratas" ficam cada vez mais ridículos, Steve Jobs e Bill Gates se declaram contra o DRM, a Warner faz acordo com o YouTube, o iTunes já apresenta opções de compra de vídeo e por aí vai. É de se supor que em breve, assistir a filmes, clipes, shows, séries e afins na Internet (ou na sua provável, mas indefinida união com a TV) será muito fácil e, o melhor, o acervo tende a ser - num futuro talvez nem tão distante - quase que infinito, com cada vez menos chances de algo se perder em arquivos físicos queimados, apagados, esquecidos ou simplesmente inacessíveis ao público, seja qual for o motivo: uma espécie de "TV Infinita", com tudo ao nosso alcance, seja oficialmente ou de modo "alternativo" (um nome mais discreto para a pirataria). Isso fica mais claro ainda com a iminente popularização de placas de vídeo para computador que permitem ligar vídeos-cassete (sim, ainda existem), DVDs e a própria TV ao PC; assim, os aficcionados serão responsáveis pela digitalização de um grande acervo que fatalmente cairá na Internet e diversos produtos vão parar nas mãos de fãs de qualquer parte do mundo, mesmo que a indústria não os lancem no mercado - seja por problemas de acordos de direitos autorais ou por não verem retorno financeiro que compense sua comercialização. Assim, diversos filmes, séries, talk-shows e afins - sejam eles grandes clássicos ou obscuros - correriam menos riscos de se perderem e, ainda que suas detentoras não lançassem as obras oficialmente, poderiam aparecer graças aos seus admiradores. E aí entra a pergunta: como avaliar a pirataria nesses casos? Se os fãs não têm acesso no mercado a seus programas favoritos, acabam recorrendo à pirataria. São "bandidos" (como adoram dizer certos executivos e artistas) também?

E isso tudo acarreta uma série de mudanças comportamentais e de consumo: o quanto disso vai ser pago o quanto disso vai ser gratuito? O quanto disso vai ser oficial, o quanto será pirata? Os produtos, individualmente, vão ser nossos, dos consumidores, como CDs, DVDs e etc. ou pagaremos pelo consumo de um conteúdo em geral, como é hoje a TV a cabo ou conexão à Internet? Eu, claro, não consigo saber qual vai ser o pulo do gato. Mas fico à espera de que essa "TV Infinita" se torne realidade. Já está sendo, afinal.


Rafael Fernandes
São Paulo, 28/3/2007


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Manual para revisores novatos de Ana Elisa Ribeiro


Mais Rafael Fernandes
Mais Acessadas de Rafael Fernandes em 2007
01. Guinga e sua Casa de Villa - 1/8/2007
02. White Stripes, Icky Thump e a unanimidade burra - 26/12/2007
03. Scott Henderson, guitarrista fora-de-série - 21/3/2007
04. Ofício x Formato - 15/8/2007
05. Vale ouvir - 23/5/2007


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




THE GIVEN DAY
DENNIS LEHANE
WILLIAM MORROW
(2008)
R$ 35,00



TRATADO DE ANESTESIOLOGIA - VOLUMES 1 E 2
LUIZ MARCIANO CANGIANI E OUTROS
ATHENEU
(2006)
R$ 190,00



HISTÓRIA DA AMÉRICA
RAYMUNDO CAMPOS
ED. ATUAL
(1991)
R$ 4,90



COMÉRCIO INTERNACIONAL E LEGISLAÇÃO ADUANEIRA (ESQUEMATIZADO)
ROBERTO CAPARROZ
SARAIVA
(2014)
R$ 50,00



TEJE PRESO - CHICO ANÍSIO
CHICO ANÍSIO
ROCCO
(1975)
R$ 10,00



KAMA SUTRA - AS 101 POSIÇÕES MAIS SENSUAIS
ALICIA GALLOTTI
ACADEMIA
(2010)
R$ 25,00



MANDADO DE SEGURANÇA EM MATÉRIA TRIBUTÁRIA
HUGO DE BRITO MACHADO
DIALÉTICA
(2003)
R$ 10,00



POR CAUSA DO SR. TERUPT
JOHN IRVING
ROB BUYEA
(2015)
R$ 14,90



CASAS DE VAMPIROS
FLAVIO MEDEIROS
TARJA FECHOU
(2010)
R$ 35,00



PROJETO MULTIPLO - MATEMATICA 3
LUIZ ROBERTO DANTE
ATICA DIDÁTICOS
(2014)
R$ 37,90





busca | avançada
29267 visitas/dia
1,1 milhão/mês