Na praia | Rafael Rodrigues | Digestivo Cultural

busca | avançada
34554 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
Colunistas
Últimos Posts
>>> Banco Inter É uma BOLHA???
>>> Não Aguento Mais a Empiricus
>>> Nubank na Hotmart
>>> O recente choque do petróleo
>>> Armínio comenta Paulo Guedes
>>> Jesus não era cristão
>>> Analisando o Amazon Prime
>>> Amazon Prime no Brasil
>>> Censura na Bienal do Rio 2019
>>> Tocalivros
Últimos Posts
>>> O céu sem o azul
>>> Ofendículos
>>> Grito primal V
>>> Grito primal IV
>>> Inequações de um travesseiro
>>> Caroço
>>> Serial Killer
>>> O jardim e as flores
>>> Agradecer antes, para pedir depois
>>> Esse é o meu vovô
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Por que escrevo
>>> História dos Estados Unidos
>>> Meu Telefunken
>>> Uma Receita de Bolo de Mel
>>> O apanhador no campo de centeio
>>> Curriculum vitae
>>> O Salão e a Selva
>>> Ed Catmull por Jason Calacanis
>>> Por que a Geração Y vai mal no ENEM?
>>> Por que a Geração Y vai mal no ENEM?
Mais Recentes
>>> O Ponto de Mutação de Fritjof Capra pela Círculo do Livro (1990)
>>> Plexus de Henry Miller pela Record (1967)
>>> Uma Questão de Fé de Jodi Picoult pela Planeta (2008)
>>> Vivendo seu Amor de Carolyn Rathbun Sutton e Ardis Dick Stenbakken (compilação) pela Casa Publicadora Brasileira (2017)
>>> O Significado da Astrologia de Elizabeth Teissier pela Bertrand (1979)
>>> Um amor de gato de Glenn Dromgoole pela Publifolha (2002)
>>> Origami & Artesanato em Papel de Paul Jackson & Angela A'Court pela Edelbra (1995)
>>> Gestão de Pessoas de Idalberto Chiavenato pela Campus (2010)
>>> Album de família de Danielle Stell pela Record
>>> Passageiros da ilusão de Danielle Stell pela Record (1988)
>>> Casa forte de Danielle Stell pela Record
>>> Segredo de uma promessa de Danielle Stell pela Record
>>> Enquanto o amor não vem de Iyanla Vanzant pela Sextante (1999)
>>> Relembrança de Danielle Stell pela Record
>>> O Egypto de Eça de Queiroz pela Porto (1926)
>>> Momentos de paixão de Danielle Stell pela Record
>>> Um desconhecido de Danielle Stell pela Record
>>> Uma vez só na vida de Danielle Stell pela Record
>>> O apelo do amor de Danielle Stell pela Record (1983)
>>> Agora e sempre de Danielle Stell pela Record (1985)
>>> O Princípio Constitucional da Igualdade e o Direito do Consumidor de Adriana Carvalho Pinto Vieira pela Mandamentos/ Belo Horizonte (2002)
>>> Histórias Anunciadas de Djalma França pela Decálogo/ belo Horizonte (2003)
>>> Constituição da República Federativa do Brasil de Senado Federal pela Senado Federal (2006)
>>> Eterna Sabedoria de Ergos pela Fraternidade Branca Universal do Arcanjo Mickael (1974)
>>> Leasing Agrário e Arrendamento Rural como Opção de Compra de Lucas Abreu Barroso pela Del Rey/ Belo Horizonte (2001)
>>> Contratos Internacionais de Seguros de Antonio Marcio da Cunha Guimarães pela Revista dos Tribunais (2002)
>>> Amor de Perdição / Eurico, o Presbítero de Camilo Castelo Branco / Alexandre Herculano pela Círculo do livro (1978)
>>> Carajás de Paulo Pinheiro pela Casa Publicadora Brasileira (2007)
>>> Menopausa de Diversos pela Nova Cultural (2003)
>>> Guia de Dietas de Diversos pela Nova Cultural (2001)
>>> Seguros: Uma Questão Atual de Coordenado pela EPM/ IBDS pela Max Limonard (2001)
>>> O Significado dos Sonhos de Diversos pela Nova Cultural (2002)
>>> A Dieta do Tipo Sanguíneo - A B O AB de Peter J. D'Adamo pela Campus (2005)
>>> Cem Noites - Tapuias de Ofélia e Narbal Fontes pela Ática (1982)
>>> Direito do Trabalho ao Alcance de Todos de José Alberto Couto Maciel pela Ltr (1980)
>>> Manon Lescaut de Abade Prévost pela Ediouro (1980)
>>> A Reta e a Curva: Reflexões Sobre o Nosso Tempo de Riccardo Campa (com) O. Niemeyer (...) pela Max Limonard (1986)
>>> Introdução às Dificuldades de Aprendizagem de Vítor da Fonseca pela Artes Médicas (1995)
>>> Dos Crimes Contra a Propriedade Intelectual: Violação... de Eduardo S. Pimenta/ Autografado pela Revista dos Tribunais (1994)
>>> O Cortiço de Aluísio Azevedo pela Ática (1988)
>>> A Voz do Mestre de Kahlil Gibran pela Círculo do livro (1973)
>>> O Jovem e seus Assuntos de David Wilkerson pela Betânia (1979)
>>> Emília no País da Gramática de Monteiro Lobato pela Brasiliense (1978)
>>> The Art Direction Handbook for Film de Michael Rizzo pela Focal Press (2005)
>>> A Escrava Isaura de Bernardo Guimarães pela Melhoramentos (1963)
>>> O Grande Conflito de Ellen G. White pela Casa Publicadora Brasileira (1983)
>>> Filosofia do Espírito de Jerome A. Shaffer pela Zahar (1980)
>>> Muito Além das Estrelas de Álvaro Cardoso Gomes pela Moderna (1997)
>>> A Grande Esperança de Ellen G. White pela Casa Publicadora Brasileira (2011)
>>> É Fácil Jogar Xadrez de Cássio de Luna Freire pela Ediouro (1972)
COLUNAS

Sexta-feira, 5/10/2007
Na praia
Rafael Rodrigues

+ de 5100 Acessos
+ 2 Comentário(s)

O escritor britânico Ian McEwan é um dos autores mais elogiados da literatura contemporânea. Seus romances Sábado e Reparação (este último, principalmente) são citados em qualquer lista de melhores livros dos últimos anos que almeje o mínimo de dignidade e credibilidade (mesmo que o leitor da lista não tenha lido ambos livros...).

Aqui, não discutiremos nenhuma das duas obras, até porque não as li (ainda). A razão desta coluna é Na praia (Companhia das Letras, 2007, 128 págs.), novela de McEwan recentemente publicada no Brasil. Não considero ser um romance, por conta do número de páginas e também por causa de uma das definições de romance - a que mais me apraz - dizer que "romance" é uma narrativa com diversas ações acontecendo paralelamente, com tais ações tendo uma ligação entre si.

Em Na praia há uma ação, uma história, e há também outras, mas que são contadas em flashbacks. Existe uma ligação, mas não são paralelas. E uma ação não interfere na outra.

Florence e Edward, os protagonistas da novela, são dois jovens ingleses recém-casados, que estão numa praia, em noite de núpcias. A época, início da década de 1960, um "tempo em que conversar sobre as dificuldades sexuais era completamente impossível", diz o narrador. O caminho até ali não foi tão complicado. Namoro, noivado, casamento. McEwan dá a impressão de que foi quase tudo muito simples, entre o casal.

Florence é de família rica, teve uma vida tranqüila, nunca precisou trabalhar, nem passou por dificuldades financeiras. É violinista, tem uma formação cultural mais "clássica", tradicional, digamos. Edward é de família simples, desde garoto sabe o que são dificuldades - sua mãe sofreu uma lesão cerebral e seu pai, ele e suas duas irmãs são quem cuidam dos afazeres domésticos -, mas é do tipo esforçado (com arroubos de jovem inconseqüente de vez em quando) e estudou História. Ambos se conheceram em uma reunião de um grupo da Campanha pelo Desarmamento Nuclear. Romântico, não?

Deixemos a política de lado e falemos um pouco mais sobre o livro. Na praia é uma novela, acima de tudo, divertida de ser lida. Prefiro enxergá-la como uma obra juvenil de McEwan. Não que tenha sido escrita para o público juvenil, não é isso. Mas a história, os personagens e até mesmo a maneira como o autor conduz a narrativa é revigorante. O resultado é uma leitura rápida, conseqüência também da escolha de McEwan em contar apenas o essencial. O que sobra, em Na praia, é muito pouco, e rende boas risadas. Como quando ele compara os políticos ingleses com os políticos americanos.

Mas o que move mesmo o livro é a noite de núpcias do casal protagonista. E, mais especificamente, o que não acontece nela. Edward e Florence não fazem jus ao nome da noite. Florence não consegue se desvincular do medo que tem do sexo; ela não revela seus receios ao marido e, pior, continua agindo como a "recém-esposa" que vai finalmente perder a virgindade com ele. Edward não percebe nada de estranho, até o momento em que um incidente deixa a ingênua e pura Florence aterrorizada. O casal não consuma o ato sexual e ela sai em disparada do quarto do hotel, rumo à praia.

Edward, atônito, tenta entender o que aconteceu e encontrar uma explicação racional para o ocorrido. Depois de algum tempo, sem respostas definitivas, vai atrás de Florence. Antes disso, uma das frases mais sagazes do livro: "Não é fácil perseguir verdades tão duras descalço e de cuecas".

Ele a encontra encostada em uma árvore caída. Nesse reencontro, o casal tem uma conversa áspera, dolorida. Edward não consegue enxergar outro lado que não o seu, e seus lábios pronunciam as frases mais cruéis da conversa. Não há reconciliação após o diálogo, tampouco há final feliz para Florence e Edward, juntos. Depois da praia, cada um segue seu rumo (por motivos óbvios, os detalhes da conversa e do ocorrido entre os dois não será relatado aqui). Sem direito a um novo encontro ou qualquer tipo de contato.

Ambos seguem suas vidas. Florence realiza seu objetivo de ser uma talentosa e reconhecida violinista. Edward, que antes do rompimento queria escrever livros de História, envereda pelo caminho da organização de shows de rock e acaba tornando-se sócio de uma loja de discos. A história de amor que imaginava-se eterna tem seu fim no mais improvável dos momentos, a noite de núpcias. O inusitado do acontecido é apenas a ponta do iceberg que é Na praia. O sexo tem um peso diferenciado para homens e mulheres. E, às vezes, ele pode não ter importância nenhuma para alguém, seja esse alguém homem ou mulher. Na praia é, no fundo, sobre isso. Sobre como homens e mulheres vêem o sexo, como podem existir visões tão discrepantes sobre um mesmo assunto. Homens são criados para serem viris, "machos", "pegadores". As mulheres ainda são criadas para serem ingênuas, puras, virgens até o casamento. Era assim na época em que se passa a história, e continua sendo assim hoje.

É também uma história sobre escolhas. Sobre amor e paciência, sobre o que poderia ter sido e não foi. Uma escolha mal feita, uma palavra mal dita, pode ser o fim não só de um destino, mas de vários. E quando um livro proporciona ao leitor uma reflexão desse porte, pode-se dizer que sua missão foi cumprida.

Para ir além






Rafael Rodrigues
Feira de Santana, 5/10/2007


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Um parque de diversões na cabeça de Renato Alessandro dos Santos
02. A imaginação do escritor de Renato Alessandro dos Santos
03. Sobre mais duas novelas de Lúcio Cardoso de Cassionei Niches Petry
04. Aqui sempre alguém morou de Elisa Andrade Buzzo
05. Afinidade, maestria e demanda de Fabio Gomes


Mais Rafael Rodrigues
Mais Acessadas de Rafael Rodrigues em 2007
01. O óbvio ululante, de Nelson Rodrigues - 2/11/2007
02. O nome da morte - 16/2/2007
03. Os dois lados da cerca - 7/12/2007
04. História dos Estados Unidos - 29/6/2007
05. O homem que não gostava de beijos - 9/3/2007


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
5/10/2007
10h52min
Pô, Rafa, encontro pelo desarmamento nuclear romântico? Até um show do Ari Toledo é mais romântico! =] E, bom, não li o livro ainda, mas já tenho certeza que a guria fez a coisa certa. Que sujeito panaca. Salute, dear fella.
[Leia outros Comentários de Eduardo]
27/1/2009
14h39min
Parabéns pela resenha. Perfeita. Fiquei até com vergonha de escrever a minha (rsrs). É que eu achei a leitura um pouco chata, maçante, sem ação nenhuma. Só que você contou o final do livro (rs).
[Leia outros Comentários de Gustavo do Carmo]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O ATENEU
RAUL POMPÉIA
KLICK
(1997)
R$ 4,00



OS PENSADORES - MARX
KARL MARX
NOVA CULTURAL
(1999)
R$ 22,70



COMO VIVER MAIS E MELHOR - SÓ PARA HOMENS
CRISTIANA ARCANGELI
NACIONAL
(2007)
R$ 25,00



GUIA FACIL DE SAUDE E BELEZA
SILVA,ROSE MARI
EDITORA NATUREZA
(2017)
R$ 52,67



A BRUXA DE PORTOBELLO
PAULO COELHO
PARALELA
(2018)
R$ 10,00



LIGAÇÕES TELEFONICAS ATRAVES DA INTERNET COM CD
LIGAÇÕES TELEFONICAS ATRAVES DA INTERNET CE C
MAKRON BOOKS
(1998)
R$ 14,70



MATEMÁTICA FINANCEIRA
LILIA LADEIRA VERAS
ATLAS
(1996)
R$ 30,00



DIÁLOGOS SOBRE A MÚSICA
WILHELM FURTWAENGLER
MINOTAURO
R$ 18,00



POR AMOR ÀS CIDADES
JACQUES LE GOFF
UNESP
(1998)
R$ 45,00
+ frete grátis



PIÁ, UM BRASILEIRO - CACILDA TICIANELLI MARINO (LITERATURA BRASILEIRA)
CACILDA TICIANELLI MARINO
DO AUTOR
R$ 5,00





busca | avançada
34554 visitas/dia
1,1 milhão/mês