As trevas modernas de Arcand | Marília Almeida | Digestivo Cultural

busca | avançada
46744 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
>>> Do inferno ao céu
Colunistas
Últimos Posts
>>> Analisando o Amazon Prime
>>> Amazon Prime no Brasil
>>> Censura na Bienal do Rio 2019
>>> Tocalivros
>>> Livro Alma Brasileira
>>> Steve Jobs em 1997
>>> Jeff Bezos em 2003
>>> Jack Ma e Elon Musk
>>> Marco Lisboa na Globonews
>>> Jorge Caldeira no Supertônica
Últimos Posts
>>> O céu sem o azul
>>> Ofendículos
>>> Grito primal V
>>> Grito primal IV
>>> Inequações de um travesseiro
>>> Caroço
>>> Serial Killer
>>> O jardim e as flores
>>> Agradecer antes, para pedir depois
>>> Esse é o meu vovô
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Redes e protestos: paradoxos e incertezas
>>> 2005: Diário de bordo
>>> Alfa Romeo e os bloggers
>>> Defesa dos Rótulos
>>> O Jovem Bruxo
>>> Sua Excelência, o Ballet de Londrina
>>> O diabo veste Prada
>>> Hilda Hilst delirante, de Ana Lucia Vasconcelos
>>> Daniel Piza by Otavio Mesquita
>>> The Making of A Kind of Blue
Mais Recentes
>>> México em Transe de Igor Fuser pela Scritta (1996)
>>> Sociologia Política da Guerra camponesa de Canudos - Da destruição do Belo Monte ao aparecimento do MST de Clóvis Moura pela Expressão Popular (2000)
>>> Exclusão Escolar Racializada - Implicações do Racismo na Trajetória de Educandos da EJA de Tayná Victória de Lima Mesquita pela Paco Editorial (2019)
>>> Crítica da Razão Negra de Achille Mbembe pela N-1 Edições (2018)
>>> Esferas da Insurreição - Notas para uma vida não cafetinada de Suely Rolnik pela N-1 Edições (2013)
>>> Arqueofeminismo - Mulheres filósofas e filósofos feministas – Séculos XVII-XVIII de Maxime Rovere (Org.) pela N-1 Edições (2019)
>>> A Doutrina Anarquista ao Alcance de Todos de José de Oiticica pela A Batalha (1976)
>>> Helena de Machado de Assis pela Ática (1994)
>>> A 3° Visão de T. Lobsang Rampa pela Record (1981)
>>> A História Da Indústria Têxtil Paulista de Francisco Teixeira pela Artemeios (2007)
>>> Ciência tecnologia e gênero abordagens Iberoamericanas de Marília Gomes de Carvalho (org.) pela utfPR (2011)
>>> A Jornada de Erin. E. Moulton pela Nova Conceito (2011)
>>> A Melodia Feroz de Victoria Schwab pela Seguinte (2016)
>>> Despertar ao Amanhecer de C.C. Hunter pela Jangada (2012)
>>> Sussurro - Coleção Hush Hush de Becca Fitzpatrick pela Intrínseca (2009)
>>> Holocausto Nunca mais de Augusto Cury pela Planeta
>>> Lusíada (Nº 1): Revista Ilustrada de Cultura.- Arte.- Literatura.- História.- Crítica de Martins Costa/ Portinari/ Texeira Pascoaes (obras de) pela Simão Guimarães & Filhos./ Porto (1952)
>>> Fábulas que Ajudam a Crescer de Vanderlei Danielski pela Ave Maria (1998)
>>> Ninguém é igual a ninguém de Regina Otero e Regina Rennó pela Do Brasil (1994)
>>> Você Pode Escolher de Regina Rennó pela Do Brasil (1999)
>>> Apelido não tem cola de Regina Otero e Regina Rennó pela Do Brasil (2019)
>>> Coração que bate, sente de Regina Otero e Regina Rennó pela Do Brasil (1994)
>>> A galinha que criava um ratinho de Ana Maria Machado pela Ática (1995)
>>> Pinote, o fracote e Janjão, o fortão de Fernanda Lopes de Almeida pela Ática (2000)
>>> A lenda da noite de Guido Heleno pela José Olympio (1997)
>>> A História de uma Folha de Leo Buscaglia pela Record (1999)
>>> Chapeuzinho Amarelo de Chico Buarque pela José Olympio (1999)
>>> O último judeu: uma história de terror na Inquisição de Noah Gordon pela Racco (2000)
>>> Confissões de um Torcedor: Quatro copas e uma Paixão de Nelson Motta pela Objetiva (1998)
>>> Controle de Infecções e a Prática Odontológica em Tempos de Aids de Vários pela Brasília (2000)
>>> A Roda do Mundo de Edimilson de Almeida Pereira e Ricardo Aleixo pela Mazza/ Belo Horizonte (1996)
>>> Roda Mundo de Fanny Abramovich/ Ilustrações: Paulo Bernardo Vaz pela Formato/ Belo Horizonte (1993)
>>> Roda Mundo de Fanny Abramovich/ Ilustrações: Paulo Bernardo Vaz pela Formato/ Belo Horizonte (1993)
>>> Roda Mundo de Fanny Abramovich/ Ilustrações: Paulo Bernardo Vaz pela Formato/ Belo Horizonte (1993)
>>> A Propagação do Amor: Sobre o Plantio e a Colheita do Bem de Betty J. Eadie pela Nova Era/ Record (2003)
>>> Auto- Estima: Amar a Si Mesmo para Conviver Melhor Com os Outros de Christophe André - Françoise Lelord pela Nova Era/ Record (2003)
>>> Os Lusíadas: Reprodução Paralela das duas Edições de 1572 / Ed. Ltd. de Luis de Camões pela Impr. Nac. Casa da Moeda/ Lis (1982)
>>> Administração de Marketing: Desvendando os segredos de: Vendas. Promoç de Stephen Morse pela McGraw Hill (1988)
>>> Obras Completas de Álvares de Azevedo - 02 Tomos ) de Álvares de Azevedo/ Org. Notas: Homero Pires pela Companhia Ed. Nacional (1942)
>>> Obras Completas (Poesia, Prosa e Gramática) de Laurindo José da Silva Rabelo/ Org: O. de M. Braga pela Companhia Ed. Nacional (1946)
>>> Sempre Em Desvantagem de Walter Mosley pela Record (2001)
>>> Sempre Em Desvantagem de Walter Mosley pela Record (2001)
>>> Os Anos 80: Contagem Regressiva para o Juízo Final de Hall Lindsey pela Record/ RJ.
>>> Na Linha de Frente de Lawrence Block pela Companhia das Letras/ SP. (2010)
>>> Na Linha de Frente de Lawrence Block pela Companhia das Letras/ SP. (2010)
>>> O Fator Psicológico na Evolução Sintática (Encadernado) de Cândido Jucá (filho)/ Autografado pela Organização Simões/ Rio (1958)
>>> Príncipe das Trevas, Ou Monsieur - o Quinteto de Avignon- I de Lawrence Durrell pela Estação da Liberdade (1989)
>>> Pare de Engordar- Obesidade: um Problema Psicológico de Dr. Nelson Senise pela Record/ RJ.
>>> Os Hospedeiros de Belém de Maria Pires pela Imprensa Oficial/ B. Horizonte (1984)
>>> Os Hospedeiros de Belém de Maria Pires (autografado) pela Imprensa Oficial/ B. Horizonte (1984)
COLUNAS

Terça-feira, 15/1/2008
As trevas modernas de Arcand
Marília Almeida

+ de 4700 Acessos

Após mais de vinte anos, finalmente o diretor quebequiano Denys Arcand termina sua trilogia sobre a depressão e os conflitos causados pela modernidade com A época da inocência (L'Age des Ténèbres, 2007), inspirado pelo sucesso dos filmes anteriores. O encerramento, definitivamente, não é feito com chave de ouro após o ótimo Invasões Bárbaras (Les Invasions Barbares, 2003), que recebeu os prêmios de melhor atriz e melhor roteiro no Festival de Cannes e concorreu a Palma de Ouro no mesmo ano de seu lançamento; e o engajado O declínio do Império Americano (Declin de L' Empire Americain, 1986), ambas seqüências que contam duas etapas diferentes da vida do socialista boêmio e apaixonado pela vida, Remy, passando por temas como a americanização da cultura, a sociedade do consumo, a poligamia, a família fragmentada e até a eutanásia.

O filme começa mecânico, sem surpresas e demora a engrenar. Logo percebemos que o ordinário funcionário Jean-Marc, interpretado pelo popular ator cômico de TV do país, Marc Labrèche, se esconde atrás de delírios eróticos para fugir da dura realidade colocada à sua frente: um emprego banal, uma chefe autoritária, uma mulher empresária e duas filhas adolescentes que o ignoram. Seus sonhos são compostos basicamente por duas mulheres opostas: a princesa medieval e mulher perfeita, no papel de Diane Kruger, e a figura moderna de mulher superficial e carnal, uma jornalista que adora fazer sexo com as celebridades que entrevista, no caso, Jean-Marc transformado em um escritor célebre, na pele de Emma de Caunes. Ambas parecem exercer a mesma força na mente de Jean-Marc, que parece sempre dividido entre o amor e o sucesso, entre cair de cabeça no novo mundo que se apresenta diante dele, com todo seu egoísmo e jogo de interesses; ou conservar os valores antigos de outrora, como a compreensão e o companheirismo.

Um jogo linear e tedioso entre sonho e realidade cede, enfim, a uma lenta subida até o ápice desse estado sufocante, cuja passagem mais notável é um original jogo de final de semana em um castelo, ao estilo dos atuais RPGs e que encontra paralelo no virtual Second Life. É nessas cenas que se concentra o maior humor do filme e Jean-Marc percebe, finalmente, que não está sozinho em sua fuga. Uma vida sem grandes feitos parece desesperar cada vez mais o protagonista, que se vê rodeado somente por estereótipos e caricaturas de pessoas, e não o contrário. Não há alguém que seja real e espontâneo. Todos parecem usar máscaras e atuar em um mundo de aparências. É clara a ausência do engajamento político e aberto do primeiro filme. Aqui, ele é muito mais um existencialismo mórbido e pessimista: um reflexo dos tempos modernos? Ele exaspera e faz com que o protagonista, finalmente, comece a agir e o filme a efetuar sua descida rumo a um pouco de esperança.

A primeira impressão é que o filme retrata um homem na andropausa, a menopausa masculina. Afinal, ele passa pelo peso de ver sua mulher ser mais bem sucedida que ele próprio, suas filhas começarem a fazer sexo, além de sentir falta do amor de uma mulher bela e jovem. Mas, para quem conhece os dois outros filmes do diretor, sabe que o filme vai além. Afinal, não é somente o sucesso, mas o seu preço, no caso, o abrir mão da própria família por prêmios artificiais; e não é o sexo, mas os valores que ele destrói, sugados pela tecnologia que fragmenta relações. Uma cena caricata e realista é quando Jean-Marc diz a suas filhas que irá se separar e recebe em troca uma exclamação sem surpresas ― todos o fazem, não seria diferente com eles - ou quando o filme mostra um passeio de família no campo, nem por isso salvo de todo tipo de tecnologia, que parece onipresente e principal instrumento desse cenário desolador.

A época da inocência não pode, enfim, ser classificado apenas como comédia satírica. Na verdade, há menos humor do que drama. Tudo é cru diante dos olhos do espectador. O emprego de Jean-Marc, como agente de informação na comissão de proteção dos direitos do cidadão, na província de Quebec, não poderia ser mais ilustrativo para percebermos com mais força a decadência da humanidade através da corrupção política e de leis burocráticas. Ele é também um instrumento para que o filme mostre o espírito da época com ironia mordaz. Como não poderia deixar de ser, o filme passa pela fila que nunca termina, o "nos preocupamos com você, te escutamos e daremos uma resposta quando chegar a sua vez" e até as sessões de psicologia quase espirituais para motivar funcionários insatisfeitos.

Sentimos falta, no final da trilogia, do personagem carismático de Remy e seus amigos inseparáveis. Agora, não há qualquer relação com esses personagens a não ser o mesmo sentimento e equipe técnica do filme anterior. Lá estão o mesmo cenário urbano e pesado em contraste com o calor e calma do campo, os planos fechados e intimistas e caracterização impecável de personagens, tipos bem realistas, apesar de caricatos. Arcand, transportando as invasões e declínios de antigos impérios para hoje, parece dizer que tudo ruma para a Idade das Trevas, quando a história nos diz que ela já acabou. Mas, comparando-a com fatos atuais, o filme parece dizer para revermos esse conceito.


Marília Almeida
São Paulo, 15/1/2008


Mais Marília Almeida
Mais Acessadas de Marília Almeida
01. Dez obras da literatura latino-americana - 10/7/2007
02. A trilogia da vingança de Park Chan-Wook - 22/5/2007
03. Nouvelle Vague: os jovens turcos - 30/1/2007
04. 10º Búzios Jazz e Blues - 14/8/2007
05. Cinema é filosofia - 28/8/2007


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




CUPIDO E PSIQUE E OUTRAS NARRATIVAS DA LITERATURA MUNDIAL
PAULO SERGIO DE VASCONCELLOS (ORG)
OBJETIVO
R$ 6,00



TRABALHO VOCÊ E SUAS RELAÇÕES PROFISSIONAIS
BRUNO PORTO E OUTROS
SENAC
(2014)
R$ 10,00



FIND FENÔMENO INTERVENIENTE DE NATUREZA DESCONHECIDA
J. KAUFFMANN
NOVA ERA
(2003)
R$ 58,00



OS NÚMEROS NA HISTÓRIA DA CIVILIZAÇÃO - VIVENDO A MATEMÁTICA
LUIZ MÁRCIO IMENES MARCELO LELLIS
SCIPIONE
(2006)
R$ 12,00



INFÂNCIA DOS MORTOS
JOSÉ LOUZEIRO
CÍRCULO DO LIVRO
(1977)
R$ 20,97



DESENVOLVIMENTO DA METODOLOGIA LOPA-BAYESIANA EM DOIS ESTÁGIOS
EDLAINE CORREIA SINÉZIO MARTINS
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 454,00



100 DÚVIDAS DE CARREIRA PARA EXECUTIVOS DE FINANÇAS
JOSÉ CLÁUDIO SECURATO / LUIZ ROBERTO CALADO
SAINT PAUL
(2009)
R$ 5,00



LA CRISIS DE LA INVESTIGACION EN EL CAMPO DE LA DIALÉCTICA MATERI
MAURO OLMEDA
VILLALAR
(1977)
R$ 28,28



OS 55 MAIORES JOGOS DAS COPAS DO MUNDO
PAULO VINICIUS COELHO
PANDA BOOKS
(2010)
R$ 19,90



STALINE: LE DERNIER DES TSARS
PIERRE NOUAILLE, CLAUDE GUILLAUMIN, A MANEVY
FAMOT (GENEVE)
(1974)
R$ 19,82





busca | avançada
46744 visitas/dia
1,1 milhão/mês