MPTA, Dança feita de Afetos Condensados | Duanne Ribeiro | Digestivo Cultural

busca | avançada
59113 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Terça-feira, 18/3/2014
MPTA, Dança feita de Afetos Condensados
Duanne Ribeiro

+ de 2500 Acessos

As relações humanas são compostos instáveis, desequilibram-se e transformam-se, desfazem-se e reconstituem-se - são devir. Nas coreografias Nós somos semelhantes a esses sapos... e Ali, apresentadas pela companhia francesa Les Mains, les Pieds et la Tête Aussi (MPTA) em março, no Centro Cultural São Paulo, o conforto, a tensão crescente e a violência dos relacionamentos é exibida através da dança com sutileza e sagacidade - os movimentos dos artistas compondo um percurso narrativo ponteado de metáfora e de ironia, com uma visualidade marcante.

O mais impressionante das duas peças é sua capacidade de representar sentimentos e processos com signos concisos, descrever o essencial de certos tipos de relação com ciclos sutis de gestos. O MPTA é atuante desde 2001; Nós somos semelhantes a esses sapos..., de 2013, foi concebida por Ali e Hédi Thabet; Ali, de 2008, é encenada por Mathurin Bolse e Hédi Thabet. Por aqui, as peças foram montadas na 1ª Mostra Internacional de Teatro de São Paulo, que ocorreu de 9 a 16 de março e trouxe à cidade espetáculos de vários países do mundo e um ciclo de debates. Abaixo, tentamos exibir como a companhia condensa e cifra os afetos, e os faz dança.

Equilíbrio feito do Desequilíbrio Alheio
Ali é uma peça curta. Dois homens de muletas azuis volteiam o palco. Um deles tem ambas as pernas, o outro apenas uma. De imediato o que pensamos saber sobre a deficiência física vem à tona; especulamos sobre a dança de que é capaz esse bailarino, e cremos cômico que o outro não ande por si só. Nessa primeira percepção, já está em jogo um tema da peça: nossa relação com a fraqueza e a força do próximo, com ele quando está "abaixo" ou "acima" de nós. Vamos passear de um ponto a outro dessa relação.

Já essa situação inicial enquadra uma pergunta nesse sentido: pelo homem não-deficiente estar de muletas, isso significa que ele "se desfalca" pelo benefício do outro? Ainda outra: eles podem parecer iguais nos movimentos iniciais, mas quando estiverem em choque, as diferenças vão se converter em vantagens desiguais. Existe uma dialética deste gênero em todo relacionamento? Os dois personagens se unem e andam juntos, se separam e se desafiam. Variam as relações de poder entre eles: por ora um "domina", depois outro é "dominado". Os sentimentos envolvidos nessas mudanças não são estanques, bem definidos. Um bom exemplo disso é a agressividade gratuita e engraçada de um tapa na nuca do outro, molecagem.

Há, por fim, os momentos em que eles se mesclam. Dispondo-se de certa maneira no palco, parecem ser partes de um mesmo corpo, a perna de um ocupando a que falta do outro. Até o ponto em que não sabem bem qual é o corpo de quem: sentados juntos, ao colocar a mão sobre o joelho que seria seu, a coloca na do próximo, e assim por diante. Essa dissociação, essa mistura, ela parece ter uma versão mais dramática nos versos de Chico Buarque: "Se nós, na travessura das noites eternas, já confundimos tanto as nossas pernas, diz, com que pernas eu devo seguir? (...) Se na bagunça do teu coração meu sangue errou de veia e se perdeu (...) Te dei meus olhos pra tomares conta, agora conta, como hei de partir?".

Tudo se passa como se o bem estar de alguém, seu equilíbrio, se construísse por vezes sobre os vários desequilíbrios alheios de que consegue fazer bom proveito - e vice-versa, as pessoas se conectando e desconectando como quebra-cabeças.

Os Desníveis Temporais entre os Corpos
Nós somos semelhantes a esses sapos que nas austeras noites dos pântanos se chamam e não se veem, seus gritos de amor curvados frente à fatalidade do universo (em tradução livre - o título cita um verso do poeta René Char), põe em cena um triângulo amoroso. A princípio, quatro músicos sentam-se em um lado do palco e permanecem em silêncio. Um casal entra - parecem noivos recém-casados, ele de casaco e calças pretas, ela de vestido branco. Satisfeitos, felizes, caminham, cumprindo uma primeira volta no palco. Na segunda volta, a satisfação é contida, e na terceira o homem já está francamente contrariado: anda à frente e a puxa pelo braço. O amor enferruja. Surge então o terceiro personagem. Sem uma perna, movendo-se com muletas azuis, ele acompanha os dois anteriores, tanto atrás. Nas voltas sucessivas, ele pisa no vestido dela - interrompe o fluxo, a peça paralisa neste gesto - mas ela se solta. Outra captura parcial: pisa, paralisam-se, prosseguem. Por fim, ele se suspende e lhe chuta as costas: a captura completa.



Os músicos começam a tocar - o rebético, um estilo tradicional grego, de tom sofrido e vocais que lembram a música árabe, seguirá como trilha sonora até o fim. A canção ressalta a quebra daquele primeiro casal. Vimos os jogos da sedução, insistência, resistência e conquista, e agora assistiremos, no movimento circular, a uma paixão. Este segundo casal não anda lado a lado. Ela engatinha, recuando, frente ao homem que a derrubou; o outro, abandonado, anda sozinho de casaco na mão. Ela se levanta, ele morde seu vestido. Ela, de quatro no chão, o carrega; ela, as pernas sobre seus ombros, o cavalga também. É uma ligação intensa, sexual, em que o poder de um sobre o outro se troca com o tempo - até que algo muda e um deles se torna um fardo (a mesma linha narrativa acontece nos filmes Nove Canções e O Último Tango em Paris). No caso, é ela, como um saco sobre as espáduas dele. Deixando-a, o bailarino com deficiência empreende uma coreografia cheia de força e agilidade, um elogio à independência e autonomia.

Abre-se uma oportunidade de reconciliação ao primeiro casal. Sentados lado a lado, sucedem-se nos gestos do primeiro casal a hesitação, a carência, a agressividade - se enlaçam um momento, apenas para se repelir no seguinte; deixam a cabeça do outro recostar-se, apenas para empurrá-lo para longe. Quero e não quero, diz simultaneamente essa dança; talvez: preciso... Segue-se a isso uma luta entre os dois personagens masculinos. O primeiro deles, o "noivo", vence, com uma poderosa voadora no peito - o chute aéreo é simétrico àquele da "captura", e significa algo semelhante: trata-se da força à serviço do desejo. O vitorioso, preenchido de empáfia, baila sozinho, exibe trocas de perna complexas e abre os braços e o peito em desafio ao mundo - e mesmo esquecido dela, a mulher por quem lutou. Esse estado de coisas é instável como os demais, e novamente a roda embaralhará a relação do trio: abatido, será a vez do homem com as muletas se arrastar no solo, preso à barra do vestido, para iniciar uma nova relação, de humor e erotismo.

É sempre como se houvesse alinhamentos temporários entre a vontade de um e outro, e, para além desses momentos tensos, os corpos separados por bruscos desníveis. Enfim, vemos que os três se enredam em um mesmo bailado; dançam juntos, e esse é só o resumo do que fizeram ao longo de todo esse tempo - entre avanços e recuos, formavam uma constância, possuíam o apego, o descaso e o desafio que precisavam em cada instante dado. Aqueles sapos, assim, são como nós, que nos chamamos e não nos vemos, gritando por um amor dobrado pelo acaso.


Duanne Ribeiro
São Paulo, 18/3/2014


Quem leu este, também leu esse(s):
01. O tigre de papel que ruge de Celso A. Uequed Pitol
02. Bruta manutenção urbana de Elisa Andrade Buzzo
03. Da varanda, este mundo de Elisa Andrade Buzzo
04. Minha finada TV analógica de Elisa Andrade Buzzo
05. Simone Weil no palco: pergunta em forma de vida de Heloisa Pait


Mais Duanne Ribeiro
Mais Acessadas de Duanne Ribeiro em 2014
01. O Público Contra Yayoi Kusama - 22/7/2014
02. Cavaleiros e o Inexplicável - 7/10/2014
03. Margarida e Antônio, Sueli e Israel - 4/2/2014
04. O Hobbit - A Desolação de Smaug - 7/1/2014
05. Kurt Cobain; ou: I Miss the Comfort in Being Sad - 8/4/2014


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O QUE TODA MULHER INTELIGENTE DEVE SABER COMO LIDAR COM OS HOMENS COM SABEDORIA E CONSEGUIR O AMOR QUE VOCE MERECE
STEVEN CARTER/JULIA SOKOL
SEXTANTE
(2006)
R$ 7,00



CARTAS ENTRE AMIGOS SOBRE GANHAR E PERDER
GABRIEL CHALITA E FÁBIO DE MELO
GLOBO
(2010)
R$ 10,00



PROPRIEDADE INTELECTUAL E DIREITO À INFORMAÇÃO
LADISLAU DOWBOR, HÉLIO SILVA (ORGS)
EDUC
(2014)
R$ 32,28



NOSSA VIDA LIVRO 1 E LIVRO 2 PARTE DO MESTRE
FLORIANO TESCAROLO
FTD
(1976)
R$ 20,00



GENESIS & ÊXODO BIBLIA 2000
JOSE AUGUSTO RAMOS
ALFA
(1997)
R$ 37,17



A PARÓDIA EM NOVELAS FOLHETINS CAMILIANAS
JOSÉ ÉDIL DE LIMA ALVES
BIBLIOTECA BREVE
(1990)
R$ 41,70



CONSTELAÇÕES ORGANIZACIONAIS - 1ª EDIÇÃO
KLAUS GROCHOWIAK
CULTRIX
(2011)
R$ 52,95



PERU ANTIGO: GRANDE CIVILIZAÇÕES DO PASSADO
MARIA LONGHENA - WALTER ALVA
FOLIO
R$ 25,00



NOS CAMINHOS DE JESUS
RITA DE CASSIA GOMES REIS DE ALMEIDA
DO AUTOR
(1998)
R$ 10,00



PUBLICAÇÕES ELETRÔNICAS NA INTERNET
MARCELO SABBATINI
YEDIS
(2005)
R$ 23,00





busca | avançada
59113 visitas/dia
1,1 milhão/mês