Doces bárbaros | Elisa Andrade Buzzo | Digestivo Cultural

busca | avançada
38289 visitas/dia
1,4 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Quinta-feira, 23/6/2011
Doces bárbaros
Elisa Andrade Buzzo

+ de 4500 Acessos


foto: Sissy Eiko

O doce é primórdio, aconchego, agrura, amargura. Objeto contraditório, não deixa de ser uma necessidade importante e banal, pois para satisfazer-se é preciso engendrar artimanhas ou então sucumbir. O doce caminha, assim, ao lado do desejo e da saciedade, do controle e do descontrole. Ele pode ser a perdição, mas no caso das doceiras que conheci é o pão repartido. E essa é uma história que se desvenda aos poucos, entre o passado marcado por uma doceira e o futuro destas jovens doceiras, como se de cada experiência inaugurasse a lei do retorno.

No começo estava a infância marcada por alguma guloseima. Rosquinhas fritas, bolo de chocolate, brigadeiro, bala de açúcar na panela, cocada... Quantas festinhas infantis e tardes entre as "lições de casa" e a Sessão da Tarde não são rememoradas a partir de um gosto especial, algum cheiro que diretamente lhes remete? Tempos claros e despreocupados.

Meus livros de receitas preferidos eram os de doces, claro, infantil paladar a sonhar com bolos em forma de coelho, beijinhos com rosto de ursinho, uma mousse tricolor decorada com bolinhas de gude. E, também, algo além do gosto e da vontade imediata: como fazê-los? Aquela literatura culinária poderia se transformar em algo material, e bom, tal como nas fotos ilustrativas. Não me parecia possível (e ainda não me parece que eu consiga fazer) uma dúzia de palavras e verbos imperativos resultar em algo bonito e comestível. Havia alguma mágica em quem conseguisse construir aquilo?

Assim, há certa arte nas doceiras. E o encontro de um grupo bem específico de algumas delas, as Doceiras Twitteiras, em que fui no final de maio deste ano a convite da Michele Pazo, me fez pensar na relação que se tem com o doce, o desejo, e lembrar a primeira doceira que conheci. Da mesma forma, me levou a tecer aproximações e comentários acerca de seus novos tempos, estes marcados pelo contato virtual e, por que não, mais do que nunca, a vontade do real.

"Todo mundo tem uma boa lembrança relacionada a algum doce. Resgatar esse sentimento nas pessoas é mágico e muito compensador", me fala a Luciana D'Agosto, que me recebeu no II Encontro de Doceiras Twitteiras(!) na Casa Tcheca, diante de um grupo de mais de quarenta jovens doceiras que curiosamente se conheceram pelo Twitter e, partir daí, criaram uma rede de relacionamentos entre si e negócios. Elas trocam ideias, fazem parcerias e, principalmente, da amizade virtual surgiu a real e os animados encontros em que trazem suas principais criações.

Daquela alegria em torno do doce emergiram recordações, algo que o tempo trata de ir escondendo sob o peso dos acontecimentos e das palavras diárias, mas que ressurge bastando um sopro, um cheiro, uma cena. Disseram-me que minha primeira gata, a Hanna, gostava de comer os biscoitos de amêndoas da Dona Weiss. Não seria de se estranhar, os biscoitos de meia-lua, como chamávamos, eram uma sensação ― acabava em pouco tempo o pacote embrulhado em papel cor-de-rosa. A Dona Weiss era uma doceira que conheci já velhinha, na minha infância passada no Bom Retiro, e fazia diversas especialidades húngaras, dentre elas uma torta de maçã que, apesar de nunca mais ter experimentado, ficou na minha memória como algo mítico que possa talvez até não ter existido.

Enquanto ela ressurge em mim quando estive em sua casa e conheci sua cozinha, as altas prateleiras com vasilhas e a batedeira planetária Arno, agora vejo estas tantas doceiras trocando figurinhas, prestes a começar a degustação de suas especialidades. A Luciana levou trufas e brigadeiros de pistache, a Carolina Gadelha trouxe os cupcake bites, a Flávia Cox diversos sabores de cupcakes, a Monise Tonoli fez cupcakes decorados com um passarinho azul lembrando que o encontro era de twitteiras, a Andréia Scharwz veio com bisnagas de brigadeiro e um bolo para comemorar o segundo ano do encontro. Eram muitos os docinhos, bem-casados, cookies, pães de mel, numa profusão de rosas, azuis e marrons. Cada doceira orgulhosa de sua cria ajeitava com capricho a mesa principal. E eu na expectativa de conhecer tudo, saber dos recheios e das coberturas daquele mundo de era uma vez. Agora era só aguardar o momento de dividir, experimentar, exceder, relembrar.

E se o gosto ainda está forte na boca o que se espera a não ser sua continuidade? Pelo contrário: merecemos uma distância diante dos acontecimentos. Por isso, em algum momento me afastei da mesa repleta, dos flashes e do rumor de conversa animada e me dirigi aos fundos da casa, onde um bonito jardim se abria a céu aberto. Deixei para trás a infância de gosto amendoado, constatei o amor do trabalhar e do compartilhar o doce. Aquelas mulheres estavam ali, reunidas, com uma alegria boa a discutir, elogiar a beleza e a doçura e trocar experiências. E imaginei que aquele encontro se concretizava a partir de uma vontade maior, assim como tantos outros que se lançam ardentes, indecisos, nunca forçados. Isso porque o encontro pressupõe um afã em criar laços, lança a oportunidade de reaver as respostas, tecer perguntas, sugere, enfim, um diálogo. Restava entender que eu estava mais uma vez do lado de cá da bancada, admirando e experimentando coisas que o mundo proporciona. Uma pequena cascata esvai-se na piscina azul pálida de outono. O dia se estende e ainda é novo. Todo encontro é cristalino. E os doces gestos ou as intermitências silenciosas são os que dizem mais?


Elisa Andrade Buzzo
Lisboa, 23/6/2011


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Apontamentos de inverno de Elisa Andrade Buzzo
02. Nem tudo é pessoal de Marta Barcellos
03. 10 maneiras de tentar abolir o debate de Julio Daio Borges
04. O Hobbit - A Desolação de Smaug de Duanne Ribeiro
05. Eu, personagens de mim de Carina Destempero


Mais Elisa Andrade Buzzo
Mais Acessadas de Elisa Andrade Buzzo em 2011
01. No tempo da ficha telefônica - 12/5/2011
02. Triste fim de meu cupcake - 17/2/2011
03. Adeus, Belas Artes - 20/1/2011
04. Doces bárbaros - 23/6/2011
05. Um mundo além do óbvio - 28/4/2011


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




DISTÚRBIOS NEURÓTICOS DA CRIANÇA
HAIM GRUNSPUN
LIVRARIA ATHENEU
(1976)
R$ 30,00



PURO
ANDREW MILLER
BERTRAND BRASIL
(2013)
R$ 7,00



MUTTS - CÃES , GATOS E OUTROS BICHOS
PATRICK MCDONNELL
COQUETEL
(2015)
R$ 25,00



4 EM 1 - CÓDIGOS CIVIL, COMERCIAL, PROCESSO CIVIL E CONSTITUIÇÃO NOVO
EDITORA SARAIVA
SARAIVA
(2006)
R$ 19,00



CIAK SI MANGIA: DIZIONARIO DEL CINEMA IN CUCINA
SALVATORE GELSI
TRE LUNE
(2000)
R$ 60,00



POR UMA EDUCAÇÃO LIBERTADORA
LUCI GUIMARÃES WATANABE
O MISTÉRIO DA ESTRELA CADENTE
(1997)
R$ 4,00



IGREJA O CORPO DE CRISTO - 40 DIAS DE JEJUM E ORAÇÃO
PR EDISON QUEIROZ
IMPRENSA DA FÉ
(2011)
R$ 4,90



CONVERSAÇÕES COM RENATO RUSSO
JÚLIO VASCO
LETRA
(1996)
R$ 25,00



MATURIDADE: A RESPONSABILIDADE DE SER VOCÊ MESMO - 1ª EDIÇÃO
OSHO
CULTRIX
(2001)
R$ 28,95



A CRIANÇA NA FAMÍLIA E NA SOCIEDADE
EUNICE M L SORIANO DE ALENCAR
VOZES
(1985)
R$ 9,92





busca | avançada
38289 visitas/dia
1,4 milhão/mês