Doces bárbaros | Elisa Andrade Buzzo | Digestivo Cultural

busca | avançada
29791 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
Colunistas
Últimos Posts
>>> Não Aguento Mais a Empiricus
>>> Nubank na Hotmart
>>> O recente choque do petróleo
>>> Armínio comenta Paulo Guedes
>>> Jesus não era cristão
>>> Analisando o Amazon Prime
>>> Amazon Prime no Brasil
>>> Censura na Bienal do Rio 2019
>>> Tocalivros
>>> Livro Alma Brasileira
Últimos Posts
>>> O céu sem o azul
>>> Ofendículos
>>> Grito primal V
>>> Grito primal IV
>>> Inequações de um travesseiro
>>> Caroço
>>> Serial Killer
>>> O jardim e as flores
>>> Agradecer antes, para pedir depois
>>> Esse é o meu vovô
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O Salão e a Selva
>>> Ed Catmull por Jason Calacanis
>>> Por que a Geração Y vai mal no ENEM?
>>> Por que a Geração Y vai mal no ENEM?
>>> A massa e os especialistas juntos no mesmo patamar
>>> Entrevista com Jacques Fux, escritor e acadêmico
>>> Nuno Ramos, poesia... pois é
>>> Literatura e interatividade: os ciberpoemas
>>> O Valhalla em São Paulo
>>> Por dentro do Joost: o suco da internet com a TV
Mais Recentes
>>> O Homem Eterno de G. K. Chesterton pela Mundo Cristão (2010)
>>> O Observador no Escritório de Carlos Drummond de Andrade pela Record (1985)
>>> Verde e Branco Ano 1 Número 1 Abril de 2004 de Eduardo Del Claro Jornalista pela Sulminas (2004)
>>> Verde e Branco Ano 1 Número 1 Abril de 2004 de Eduardo Del Claro Jornalista pela Sulminas (2019)
>>> Nada a perder volume 3 de Edir Macedo pela Planeta (2014)
>>> Campinas no início do século 20: percursos do olhar de Suzana Barretto Ribeiro pela Annablume (2006)
>>> A privataria tucana de Amaury Ribeiro Júnior pela Geração Editorial (2012)
>>> Campinas: visões de sua história de Lília Inés Zanotti de Medrano pela Átomo (2006)
>>> Direito Romano - Vol. II de José Carlos Moreira Alves pela Forense (2003)
>>> Divinas Desventuras: Outras Histórias da Mitologia Grega de Heloisa Prieto pela Companhia das Letrinhas (2011)
>>> Le Nouveau Sans Frontières 1 - Méthode de Français de Philippe Dominique e Jacky Girardet e Michele Verdelhan e Michel Verdelhan pela Clé International (1988)
>>> Sobrevivência de Gordon Korman pela Arx Jovem (2001)
>>> Ética Geral e Profissional de José Renato Nalini pela Revista dos Tribunais (2001)
>>> Mas Não se Mata Cavalos ? de Horace McCoy pela Abril (1982)
>>> O Menino no Espelho de Fernando Sabino pela Record (2016)
>>> Labirintos do Incesto: O Relato de uma Sobrevivente de Fabiana Peereira de Andrade pela Escrituras-Lacri (2004)
>>> Mas Não se Mata Cavalos ? de Horace McCoy pela Círculo do Livro (1975)
>>> Ponte para Terabítia de Katherine Patersin pela Salamandra (2006)
>>> O Desafio da Nova Era de José M. Vegas pela Ave-Maria (1997)
>>> Casa sem Dono Encadernado de Heinrich Boll pela Círculo do Livro (1970)
>>> Trabalho a Serviço da Humanidade de Escola Internacional da Rosa Cruz Áurea pela Rosacruz (2000)
>>> Casa sem Dono Encadernado de Heinrich Boll pela Círculo do Livro (1976)
>>> Ensinando a Cuidar da Criança de Nébia Maria Almeida de Figueiredo (org.) pela Difusão (2004)
>>> Ensinando a Cuidar da Mulher, do Homem e do Recém-nascido de Nébia Maria Almeida de Figueiredo (org.) pela Difusão (2004)
>>> Luxúria Encadernado de Judith Krantz pela Círculo do Livro (1978)
>>> Fundamentos, Conceitos, Situações e Exercícios de Nébia Maria Almeida de Figueiredo (org.) pela Difusão (2004)
>>> Personality: How to Unleash your Hidden Strengths de Dr. Rob Yeung pela Pearson (2009)
>>> Um Mês Só de Domingos de John Updike pela Record (1975)
>>> Um Mês Só de Domingos Encadernado de John Updike pela Círculo do Livro (1980)
>>> Um Mês Só de Domingos Encadernado de John Updike pela Círculo do Livro (1980)
>>> Caravanas de James Michener pela Record (1976)
>>> A Terra Ainda é Jovem de J.M. Simmel pela Nova Fronteira (1981)
>>> A Terra Ainda é Jovem de J. M. Simmel pela Nova Fronteira (1981)
>>> Deus Protege os Que Amam de J.M. Simmel pela Nova Fronteira (1977)
>>> Um Ônibus do Tamanho do Mundo de J. M. Simmel pela Nova Fronteira (1976)
>>> Um Ônibus do Tamanho do Mundo de J. M. Simmel pela Nova Fronteira (1976)
>>> O Quarto das Senhoras de Jeanne Bourin pela Difel (1980)
>>> Beco sem Saída de John Wainwright pela José Olympio (1984)
>>> Casais Trocados de John Updike pela Abril (1982)
>>> O Hotel New Hampshire Encadernado de John Irving pela Círculo do Livro (1981)
>>> As Moças de Azul de Janet Dailey pela Record (1985)
>>> Amante Indócil Encadernado de Janet Dailey pela Círculo do Livro (1987)
>>> A Rebelde Apaixonada de Frank G. Slaughter pela Nova Cultural (1986)
>>> Escândalo de Médicos de Charles Knickerbocker pela Record (1970)
>>> A Turma do Meet de Annie Piagetti Muller pela Target Preview (2005)
>>> O Roteiro da Morte de Marc Avril pela Abril (1973)
>>> Luz de Esperança de Lloyd Douglas pela José Olympio (1956)
>>> Confissões de Duas Garotas de Aluguel de Linda Tracey e Julie Nelson pela Golfinho (1973)
>>> Propósitos do Acaso de Ronaldo Wrobel pela Nova Fronteira (1998)
>>> Olho Vermelho de Richard Aellen pela Record (1988)
COLUNAS

Quinta-feira, 23/6/2011
Doces bárbaros
Elisa Andrade Buzzo

+ de 4400 Acessos


foto: Sissy Eiko

O doce é primórdio, aconchego, agrura, amargura. Objeto contraditório, não deixa de ser uma necessidade importante e banal, pois para satisfazer-se é preciso engendrar artimanhas ou então sucumbir. O doce caminha, assim, ao lado do desejo e da saciedade, do controle e do descontrole. Ele pode ser a perdição, mas no caso das doceiras que conheci é o pão repartido. E essa é uma história que se desvenda aos poucos, entre o passado marcado por uma doceira e o futuro destas jovens doceiras, como se de cada experiência inaugurasse a lei do retorno.

No começo estava a infância marcada por alguma guloseima. Rosquinhas fritas, bolo de chocolate, brigadeiro, bala de açúcar na panela, cocada... Quantas festinhas infantis e tardes entre as "lições de casa" e a Sessão da Tarde não são rememoradas a partir de um gosto especial, algum cheiro que diretamente lhes remete? Tempos claros e despreocupados.

Meus livros de receitas preferidos eram os de doces, claro, infantil paladar a sonhar com bolos em forma de coelho, beijinhos com rosto de ursinho, uma mousse tricolor decorada com bolinhas de gude. E, também, algo além do gosto e da vontade imediata: como fazê-los? Aquela literatura culinária poderia se transformar em algo material, e bom, tal como nas fotos ilustrativas. Não me parecia possível (e ainda não me parece que eu consiga fazer) uma dúzia de palavras e verbos imperativos resultar em algo bonito e comestível. Havia alguma mágica em quem conseguisse construir aquilo?

Assim, há certa arte nas doceiras. E o encontro de um grupo bem específico de algumas delas, as Doceiras Twitteiras, em que fui no final de maio deste ano a convite da Michele Pazo, me fez pensar na relação que se tem com o doce, o desejo, e lembrar a primeira doceira que conheci. Da mesma forma, me levou a tecer aproximações e comentários acerca de seus novos tempos, estes marcados pelo contato virtual e, por que não, mais do que nunca, a vontade do real.

"Todo mundo tem uma boa lembrança relacionada a algum doce. Resgatar esse sentimento nas pessoas é mágico e muito compensador", me fala a Luciana D'Agosto, que me recebeu no II Encontro de Doceiras Twitteiras(!) na Casa Tcheca, diante de um grupo de mais de quarenta jovens doceiras que curiosamente se conheceram pelo Twitter e, partir daí, criaram uma rede de relacionamentos entre si e negócios. Elas trocam ideias, fazem parcerias e, principalmente, da amizade virtual surgiu a real e os animados encontros em que trazem suas principais criações.

Daquela alegria em torno do doce emergiram recordações, algo que o tempo trata de ir escondendo sob o peso dos acontecimentos e das palavras diárias, mas que ressurge bastando um sopro, um cheiro, uma cena. Disseram-me que minha primeira gata, a Hanna, gostava de comer os biscoitos de amêndoas da Dona Weiss. Não seria de se estranhar, os biscoitos de meia-lua, como chamávamos, eram uma sensação ― acabava em pouco tempo o pacote embrulhado em papel cor-de-rosa. A Dona Weiss era uma doceira que conheci já velhinha, na minha infância passada no Bom Retiro, e fazia diversas especialidades húngaras, dentre elas uma torta de maçã que, apesar de nunca mais ter experimentado, ficou na minha memória como algo mítico que possa talvez até não ter existido.

Enquanto ela ressurge em mim quando estive em sua casa e conheci sua cozinha, as altas prateleiras com vasilhas e a batedeira planetária Arno, agora vejo estas tantas doceiras trocando figurinhas, prestes a começar a degustação de suas especialidades. A Luciana levou trufas e brigadeiros de pistache, a Carolina Gadelha trouxe os cupcake bites, a Flávia Cox diversos sabores de cupcakes, a Monise Tonoli fez cupcakes decorados com um passarinho azul lembrando que o encontro era de twitteiras, a Andréia Scharwz veio com bisnagas de brigadeiro e um bolo para comemorar o segundo ano do encontro. Eram muitos os docinhos, bem-casados, cookies, pães de mel, numa profusão de rosas, azuis e marrons. Cada doceira orgulhosa de sua cria ajeitava com capricho a mesa principal. E eu na expectativa de conhecer tudo, saber dos recheios e das coberturas daquele mundo de era uma vez. Agora era só aguardar o momento de dividir, experimentar, exceder, relembrar.

E se o gosto ainda está forte na boca o que se espera a não ser sua continuidade? Pelo contrário: merecemos uma distância diante dos acontecimentos. Por isso, em algum momento me afastei da mesa repleta, dos flashes e do rumor de conversa animada e me dirigi aos fundos da casa, onde um bonito jardim se abria a céu aberto. Deixei para trás a infância de gosto amendoado, constatei o amor do trabalhar e do compartilhar o doce. Aquelas mulheres estavam ali, reunidas, com uma alegria boa a discutir, elogiar a beleza e a doçura e trocar experiências. E imaginei que aquele encontro se concretizava a partir de uma vontade maior, assim como tantos outros que se lançam ardentes, indecisos, nunca forçados. Isso porque o encontro pressupõe um afã em criar laços, lança a oportunidade de reaver as respostas, tecer perguntas, sugere, enfim, um diálogo. Restava entender que eu estava mais uma vez do lado de cá da bancada, admirando e experimentando coisas que o mundo proporciona. Uma pequena cascata esvai-se na piscina azul pálida de outono. O dia se estende e ainda é novo. Todo encontro é cristalino. E os doces gestos ou as intermitências silenciosas são os que dizem mais?


Elisa Andrade Buzzo
Lisboa, 23/6/2011


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Poesia sem ancoradouro: Ana Martins Marques de Jardel Dias Cavalcanti
02. Senhor, perdoai a nossa pressa de Ana Elisa Ribeiro


Mais Elisa Andrade Buzzo
Mais Acessadas de Elisa Andrade Buzzo em 2011
01. Triste fim de meu cupcake - 17/2/2011
02. No tempo da ficha telefônica - 12/5/2011
03. Adeus, Belas Artes - 20/1/2011
04. Doces bárbaros - 23/6/2011
05. Um mundo além do óbvio - 28/4/2011


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




COMPLEMENTOS DE CASAS, CHALÉS, PALACETES E MANSÕES
FEDERICO ULSAMER
MEC
(1977)
R$ 22,97



O RELATÓRIO POPCORN
FAITH POPCORN
CAMPUS
(1993)
R$ 10,00



GUIA POLITICAMENTE INCORRETO DA HISTÓRIA DO BRASIL
LEANDRO NARLOCH
LEYA CASA DA PALAVRA
(2009)
R$ 20,00



UNITED STATES OF AMERICA
PATRIZIA RAFFIN
TIGER BOOKS INTERNAT
(1996)
R$ 21,00



MATEMÁTICA PARA ELETRÔNICA
JOHN J DULIN E VICTOR VELEY
HEMUS
R$ 169,00



A FELICIDADE DE CADA UM
HELEN VAN SLYKE
NOVA CULTURAL
(1986)
R$ 12,00
+ frete grátis



BOLETIM DA SOCIEDADE DE ESTUDOS FILÓGICOS ANO 1 N. 1 TOMO 1
SOCIEDADE DE ESTUDOS FILÓGICOS
SOCIEDADE DE ESTUDOS FILÓGI
(1945)
R$ 111,65



CINCO DIAS EM PARIS
DANIELLE STEEL
ALTAYA/RECORD
R$ 7,00



A CIDADE INTEIRA DORME E OUTROS CONTOS
RAY BRADBURY
BIBLIOTECA AZUL
(2019)
R$ 14,90



ARTE PARA SENNA 6288
PAULO SOLARIS
PIBLIHAUS
(2004)
R$ 20,00





busca | avançada
29791 visitas/dia
1,1 milhão/mês