Crise (de vergonha na cara?) | Adriana Baggio | Digestivo Cultural

busca | avançada
29791 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
Colunistas
Últimos Posts
>>> Banco Inter É uma BOLHA???
>>> Não Aguento Mais a Empiricus
>>> Nubank na Hotmart
>>> O recente choque do petróleo
>>> Armínio comenta Paulo Guedes
>>> Jesus não era cristão
>>> Analisando o Amazon Prime
>>> Amazon Prime no Brasil
>>> Censura na Bienal do Rio 2019
>>> Tocalivros
Últimos Posts
>>> O céu sem o azul
>>> Ofendículos
>>> Grito primal V
>>> Grito primal IV
>>> Inequações de um travesseiro
>>> Caroço
>>> Serial Killer
>>> O jardim e as flores
>>> Agradecer antes, para pedir depois
>>> Esse é o meu vovô
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O Salão e a Selva
>>> Ed Catmull por Jason Calacanis
>>> Por que a Geração Y vai mal no ENEM?
>>> Por que a Geração Y vai mal no ENEM?
>>> A massa e os especialistas juntos no mesmo patamar
>>> Entrevista com Jacques Fux, escritor e acadêmico
>>> Nuno Ramos, poesia... pois é
>>> Literatura e interatividade: os ciberpoemas
>>> O Valhalla em São Paulo
>>> Por dentro do Joost: o suco da internet com a TV
Mais Recentes
>>> Aprenda Xadrez com Garry Kasparov de G. Kasparov pela Ediouro (2003)
>>> Poemas para Viver de P. C. Vasconcelos Jr. pela Salesiana Dom Bosco (1982)
>>> A Casa dos Bronzes de Ellery Queen pela Círculo do livro (1976)
>>> Warcraft Roleplaying Game de Christopher Aylott e outros pela Blizzard / Arthaus / wizards (2004)
>>> A Dama do Lago de Raymond Chandler pela Abril cultural (1984)
>>> ABC do Vôo Seguro de Manoel J. C. de Albquerque Filho pela O Popular (1981)
>>> A Relíquia de Eça de Queirós pela Klick (1999)
>>> Manual Completo de Aberturas de Xadrez de Fred Reinfeld pela Ibrasa (1991)
>>> Para Sempre - Os Imortais - volume 1 de Alyson Noel pela Intrínseca (2009)
>>> A Máscara de Dimítrios de Eric Ambler pela Abril cultural (1984)
>>> Rômulo e Júlia - Os Caras-Pintadas de Rogério Andrade Barbosa pela Ftd (1993)
>>> O Nariz do Vladimir de José Arrabal pela Ftd (1989)
>>> Perigosa e Fascinante de Merline Lovelace pela Nova Cultural (2002)
>>> Brincar de Viver de Maggie Shayne pela Nova Cultural (2001)
>>> O Grande Conquistador de Rita Sofia Mohler pela Escala (1978)
>>> Comédias para se Ler na Escola de Luis Fernando Veríssimo pela Objetiva (2001)
>>> As 21 Irrefutáveis Leis da Liderança de John C. Maxwell pela Agir (2007)
>>> Dungeon master guide de Jonathan Tweet / Skip Williams pela Core Rulebook II (2000)
>>> Disfunção Cerebral Mínima de Antonio Branco Lefévre - Beatriz Helena Lefevre pela Sarvier (1983)
>>> Viagem Fantástica II - Rumo ao Cérebro de Isaac Asimov pela Best Seller (1987)
>>> Tpm Número 57 Maio 2009 de Caetano Veloso pela Trip (2009)
>>> Incorporações Imobiliárias de J. Nascimento Franco/ Nisske Gondo pela Revista dos Tribunais (1984)
>>> Cavalo-Marinho no Céu de Edmund Cooper pela Hemus
>>> Suspensão de Liminares e Sentenças Contrárias ao Poder Público de Elton Venturi pela Revista dos Tribunais (2019)
>>> Revista Trip número 184 de Lyoto Machida pela Trip (2009)
>>> Revista Trip número 132 de Melaine, 21, o primeiro ensaio de uma trip girl na cadeia pela Trip (2005)
>>> A Casa do Penhasco de Agatha Christie pela Nova Fronteira (1996)
>>> A Brasileira de Prazins de Camilo Castelo Branco pela Nova Fronteira (1995)
>>> Seitas e Novos Movimentos Religiosos de Coleção Quinta Conferência pela Paulus (2006)
>>> O Dia da Sua Morte de Neimar de Barros pela Shalom (1987)
>>> A Interpretação Sistemática do Direito de Juarez Freitas pela Malheiros (2002)
>>> Tiras de Letra de Diversos pela Virgo (2003)
>>> O Guia dos Curiosos de Marcelo Duarte pela Cia das letras (2001)
>>> Ensaio sobre a Cegueira de José Saramago pela Cia. das Letras (1998)
>>> Quebrando o Código da Vinci de Darrell L. Bock, Ph.D. pela Novo século (2004)
>>> O Caso dos Irmãos Naves de João Alamy Filho pela Círculo do livro (1978)
>>> Hercólubus ou Planeta Vermelho de V. M. Rabolú pela Milenium Edições do Brasil (2003)
>>> Anjo da Morte de Pedro Bandeira pela Moderna (1996)
>>> História Social da Criança e da Família de Philippe Ariès pela Guanabara (1973)
>>> Homo Loquens - O Homem como Animal Falante de Dennis Fry pela Zahar (1977)
>>> Homem Total e Parapsicologia de Albino Aresi pela Albino Aresi (1982)
>>> Ilusões - As Aventuras de um Messias Indeciso de Richard Bach pela Record (1977)
>>> Buddha de Ordem do Graal na Terra pela Círculo do livro (2002)
>>> Você verdadeiramente nasceu de Novo da Água e do Espírito? de Paul C. Jong pela Hefzibá (2002)
>>> Trip número 139 de Danielli Freitas pela Trip (2005)
>>> 500 Perguntas sobre Sexo de Laura Muller e Nélson Vitiello pela Objetiva (2002)
>>> Direito Eleitoral Brasileiro:... (acompanha Cd) de Thales Tácito Pontes Luz de Pádua Cerqueira pela Del Rey/ Belo Horizonte (2004)
>>> Iniciação à Sociologia de Nelson Dacio Tomazi pela Atual (1993)
>>> Memórias do Armandinho Do Bixiga de Depoimento a Júlio Moreno pela Senac de SP./ SP. (1996)
>>> Convite a filosofia de Marilena Chauí pela Ática (1998)
COLUNAS >>> Especial Crise

Quinta-feira, 19/3/2009
Crise (de vergonha na cara?)
Adriana Baggio

+ de 2800 Acessos
+ 6 Comentário(s)

Você, com certeza, toma café, almoça e janta a tal da crise. Mas na opinião de um executivo das Casas Bahia (li isso no editorial do jornal do mercado publicitário Meio&Mensagem de 2 de fevereiro), as classes mais populares continuam consumindo porque não estão impactadas pelas notícias alarmantes. O assunto é abordado com mais profundidade em veículos/programas jornalísticos que teriam menos audiência nas classes C, D e E. Então, como "quando os olhos não veem, o coração não sente", o pessoal segue comprando.

Já as classes mais abastadas e bem-informadas, mesmo que não estejam sentindo na prática os aguilhões da recessão cutucando o bolso, botam o pé no freio por prevenção. E, assim, o mercado sente a diminuição na compra de carros e vinhos importados, mas não na de feijão, arroz e geladeiras à prazo.

Passados quatro ou cinco meses do início da crise, já se começa a falar que ela não está tão forte. Alguns pensam que nem mesmo chegou por aqui. Parece aqueles furacões que desviam a rota antes de atingir determinada região. O problema com a crise é que ela não aparece nas imagens de satélite. E aí tudo cheira a especulação.

Será que a crise existe mesmo? Eu poderia dizer que sim porque, teoricamente, senti na pele. Um contrato definitivo de trabalho, em certa instituição de ensino de Curitiba, virou temporário. Nem dá para reclamar muito, se for comparar com os professores que estavam lá há anos e foram demitidos praticamente no fim do ano letivo, quando já era tarde para buscar emprego em outras faculdades. O motivo alegado, nem preciso falar: cortes para sobreviver à crise.

Com certeza existem situações em que as vendas foram afetadas, os prejuízos tomaram o lugar dos lucros, a sombra da bancarrota pairou sobre as cabeças. Porém, muita gente se questiona: a crise não acabou virando desculpa para algumas empresas tomarem certas medidas, que vão da demissão ao aumento de preços, e que teriam sido extremamente impopulares em um período de bonança?

Complexos cenários econômicos, impactados por variáveis inalcançáveis para a maior parte dos mortais, tornam difícil a um leigo ter uma opinião técnica sobre o assunto. Mas a gente pode traçar um paralelo com a vida pessoal, e aí fica mais fácil entender.

Sabe aquele namoro que não vai muito bem das pernas, mas onde não existe nenhum grande motivo para terminar? Quem quer terminar não tem coragem de ficar de vilão. E aí, o que essa pessoa faz? Arranja um pretexto. Qualquer situação pode ser transformada em motivo para "demitir" o namorado ou a namorada. Não que as coisas estivessem às mil maravilhas. Mas a crise em si não é tão grande que justifique o rompimento. A pessoa que quer terminar às vezes não tem coragem de revelar seus verdadeiros sentimentos. Então, aproveita qualquer bobagem para justificar "atitudes impopulares". Eu, por exemplo, já levei um fora por causa de um frango defumado, acredita?

Em alguns lugares, a crise deve existir mesmo. Mas no Brasil? Os bancos continuam lucrando bem direitinho e não baixaram os juros proporcionalmente à diminuição da Selic, estratégia do governo para manter/aumentar o consumo. As montadoras, que encheram a burra de dinheiro em 2008, talvez tivessem reservas suficientes para segurar as demissões mais um tempo (agora estão até recontratando). Os hotéis do Nordeste estiveram lotados no carnaval. E diz (novamente) o Meio&Mensagem de 16 de fevereiro que muitas das maiores agências de propaganda do Brasil não chegaram a perder dinheiro, em comparação com o início de 2008. Algumas empataram, outras até aumentaram o faturamento. Mesmo assim, esse mercado está sendo bastante atingido por demissões desde o fim do ano passado.

Qual seria a vantagem de demitir profissionais se a situação está regular, se existe até uma expectativa de crescimento? Afinal, essas pessoas não vão fazer falta? Suspeito que as empresas acham que essas coisas precisam acontecer de tempos em tempos. Uma espécie de limpeza, meio sem saber onde e nem por que fazer.

Ondas de demissões geram uma sensação ambígua em quem fica: alívio por ter sobrevivido junto com o medo de ser o próximo. Essas pessoas vão suportar trabalho e pressão dobrados, motivadas por essa sensação ― "puxa, eles gostam de mim; ops, preciso fazer das tripas coração para continuar com o emprego". Com isso, a empresa tem a mesma produtividade pagando menos salários.

Depois de um tempo, claro, os profissionais que acumularam o trabalho dos demitidos vão começar a fraquejar ― ninguém aguenta a pressão muito tempo. E aí, coitados, também eles serão mandados embora, taxados de incompetentes, por serem incapazes de suportar indefinidamente essa situação absurda. Troca todo mundo de novo, aumenta o quadro funcional, as coisas vão bem por um tempo até... surgir a próxima crise.

Não desanime, isso não é o apocalipse. Se perdeu o emprego, um cliente, um contrato (ou até mesmo o namorado) com a desculpa esfarrapada de uma crise, tente tirar algum proveito disso. As épocas ruins nos fazem cortar os excessos, valorizar o essencial, descobrir novas maneiras de viver. Lembra do apagão elétrico, quando teve aquela onda de racionamento? As pessoas reclamaram, foi péssimo no começo. Mas depois que o racionamento acabou, muita gente manteve os hábitos de economia de luz, porque descobriram no bolso os benefícios.

Seja meio falsa ou totalmente verdadeira, a crise talvez possa nos ensinar alguma coisa. Podíamos começar aprendendo a "dar o fora" em empresas (e pessoas) que se aproveitam de uma situação ruim, de fragilidade, para explorar os outros. Afinal, será que não está faltando um pouquinho de vergonha na cara dessa gente?


Adriana Baggio
Curitiba, 19/3/2009


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Os olhos de Ingrid Bergman de Renato Alessandro dos Santos
02. Fake news, passado e futuro de Luís Fernando Amâncio
03. Viena expõe obra radical de Egon Schiele de Jardel Dias Cavalcanti
04. Essas moças de mil bocas de Elisa Andrade Buzzo
05. Imprimam - e repensem - suas fotografias de Ana Elisa Ribeiro


Mais Adriana Baggio
Mais Acessadas de Adriana Baggio
01. Apresentação - 31/5/1974
02. Maria Antonieta, a última rainha da França - 16/9/2004
03. Dicas para você aparecer no Google - 9/3/2006
04. Ser bom é ótimo, mas ser mau é muito melhor* - 24/4/2003
05. E você, já disse 'não' hoje? - 19/10/2011


Mais Especial Crise
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
11/3/2009
14h20min
Impressionante como crises, de qualquer espécie, revelam facilmente o jogo que todos nós praticamos: presas e predadores. Em tempos de crise, não sei o que é mais vantajoso: ser ou torcer pela terceira opção, os carniceiros.
[Leia outros Comentários de Guilherme Montana]
19/3/2009
07h51min
A necessidade de uma crise é evidente, pra quem respira a sedução da mercadoria e tem os empresários todos fazendo com que todos consumam seus produtos. E isto vale pra quem não tem o dinheiro, mas tem o creédito, e segue até o dia em que pagar é o problema. A bola de neve é tão grande que passam a hipotecar todos os seus bens, daí surge a crise, de forma violenta. Ou seja, ela faz parte do sistema capitalista, e Keynes já taxou isto de obsolescência da mercadoria. E há uma obra de Marx que em 1865 já previa a crise do consumo.
[Leia outros Comentários de Manoel Messias Perei]
19/3/2009
11h02min
As empresas estão aproveitando da "crise" para enxugar o quadro, fazendo "dos que ficam" vitoriosos, mas com o trabalho "de quem se foi" a fazer...
[Leia outros Comentários de Adriano]
19/3/2009
17h14min
Penso que esta crise no Brasil é mais psicossomática. Daí se cria uma neurose acreditando que ela realmente existe. Pode ser que exista alguma crise, em determinados setores. Se levarmos a sério tudo que a Míriam Leitão fala logo de manhã, nosso dia estaria perdido. Seu texto vai ao encontro do que realmente acho sobre esta "crise".
[Leia outros Comentários de Marcos Arrebola]
20/3/2009
09h01min
Esse oportunismo não é de hoje. Enquanto nos EUA o mercado de trabalho cresce e diminui rapidamente, sempre amparado pelo dinamismo da estrutura econômica com poucos gargalos, aqui qualquer sintoma de recessão vira catarse. A questão central é cultural: lá, o valor é o trabalho, aqui, na maioria dos casos, é apenas o lucro, ainda que esse pessoal não entenda que ele não é gerado espontaneamente...
[Leia outros Comentários de Vicente Escudero]
21/3/2009
00h55min
Estimada Adriana, adorei o texto! Na verdade, devemos festejar o fim da farra monetarista dos figurões do neoliberalismo (crise pra eles, pra Davos!). Que é isso afinal de passar uma existência inteira a reboque do irracional mercado mundial financeiro?!! Em 2002 desisti da docência universitária, em universidades e faculdades particulares, preferi o desemprego, a miséria, a assistir ao sucateamento do saber promovido por estúpidos tecnocratas do "saber"... ganhar dinheiro! Oxalá, a partir de agora, eles possam nos restituir com juros e com os juros dos juros a perdida dignidade do campo educacional brasileiro.
[Leia outros Comentários de Sílvio Medeiros]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




PRIMEROS PASOS EN PINTURA ARTÍSTICA
JOSÉ PARRAMÓN
PARRAMÓN
(1991)
R$ 40,00



GRUPOS FAMILIARES A EXPLOSÃO DA IGREJA NOS LARES
ALUÍZIO ANTONIO SILVA
O FRUTO DA VIDE
(1995)
R$ 20,00



MODIFICAÇÃO DE COMPORTAMENTO PRINCÍPIOS BÁSICOS 2
R. VANCE HALL
EPU
(1975)
R$ 4,40



FANTASMA
LUIZ ALFREDO GARCIA-ROZA
COMPANHIA DAS LETRAS
(2012)
R$ 24,00



SERENDIPITY NEW TESTAMENT FOR GROUPS
VÁRIOS AUTORES
ZONDERVAN
(1987)
R$ 40,00



CARTWHEELS IN A SARI: A MEMOIR OF GROWING UP CULT
JAYANTI TAMM
BROADWAY BOOKS
(2010)
R$ 19,82



DIÁRIO DE UM ZUMBI DO MINECRAFT: UM DESAFIO ASSUSTADOR
HEROBRINE BOOKS
SEXTANTE
(2015)
R$ 23,86



LIVRO DIDÁTICO EM DEBATE
SUZANNA NEVES FERREIRA
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 349,00



THE LAST DAYS OF NEWGATE (A PYKE MYSTERY)
ANDREW PEPPER
PHOENIX
(2011)
R$ 19,82



TE CUIDA! GUIA PARA UMA VIDA SAUDÁVEL
DR CLÁUDIO DOMÊNICO
CASA DA PALAVRA
(2012)
R$ 39,00
+ frete grátis





busca | avançada
29791 visitas/dia
1,1 milhão/mês