Encontre seu motivo para blogar | Adriana Baggio | Digestivo Cultural

busca | avançada
54628 visitas/dia
1,7 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Maré Tardia lança o surf punk 'As Ondas' e prepara o EP Jovens Estúpidos
>>> L7, que faz show em Porto Alegre com Black Flag dia 25 de outubro, lança nova música
>>> Menos1 Invisível apresenta 'Refúgio' no Teatro Flávio Império
>>> Favelivro inaugura Biblioteca Fábio Judice
>>> Espetáculo teatral “Odila” chega ao interior de Caxias do Sul
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Olimpíada de Matemática com a Catarina
>>> Mas sem só trapaças: sobre Sequências
>>> Insônia e lantanas na estreia de Rafael Martins
>>> Poesia sem oficina, O Guru, de André Luiz Pinto
>>> Ultratumba
>>> The Player at Paramount Pictures
>>> Do chão não passa
>>> Nasce uma grande pintora: Glória Nogueira
>>> A pintura admirável de Glória Nogueira
>>> Charges e bastidores do Roda Viva
Colunistas
Últimos Posts
>>> Graham Allison no All-In Summit (2023)
>>> Os mestres Alfredão e Sergião (2023)
>>> Como enriquecer, segundo @naval (2019)
>>> Walter Isaacson sobre Elon Musk (2023)
>>> Uma história da Salon, da Slate e da Wired (2014)
>>> Uma história do Stratechery (2022)
>>> Uma história da Nvidia (2023)
>>> Daniel Mazini, country manager da Amazon no Brasil
>>> Paulo Guedes fala pela primeira vez (2023)
>>> Eric Santos sobre Lean Startup (2011)
Últimos Posts
>>> CHUVA
>>> DECISÃO
>>> AMULETO
>>> Oppenheimer: política, dever e culpa
>>> Geraldo Boi
>>> Dê tempo ao tempo
>>> Olá, professor Lúcio Flávio Pinto
>>> Jazz: 10 músicas para começar II
>>> Não esqueci de nada
>>> Júlia
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O machete e o violoncelo
>>> Pergunte ao Polvo #worldcup
>>> 2007 e os meus CDs - Versão Nacional 2
>>> Nada é capaz de envelhecer Renato Aragão
>>> Outro mundo
>>> Ascensão e Queda de Leandro Karnal
>>> Grupos de teatro do Rio e de São Paulo em Paraty
>>> A rentável miséria da literatura
>>> 2008 e os meus CDs
>>> Modernismo e Modernidade
Mais Recentes
>>> Ferramentas Para Empreendedores de Richard Luecke pela Record (2007)
>>> Un Rosto en El Tiempo de Manuel Alfonseca pela Edelvives (2015)
>>> O Homem da Ilha e os Pioneiros da Caça Submarina de C. Hugo Stockler de S pela Dehon (1999)
>>> Livro Literatura Estrangeira Espártaco de Howard Fast pela Abril Cultural (1981)
>>> Nós, o povo - A revolução de 1989 em Varsóvia, Budapeste, Berlim e Praga de Timothy Garton Ash pela Companhia das letras (1990)
>>> Livro Religião Metafisica Trilógica Volume 2 Fenômenos Sensoriais de Norberto R. Keppe pela Proton (2002)
>>> Filosofia e Cidadania - Ensino Fundamental II - 9º Ano de José Ferreira da Silva Nonato Nogueira pela Projeto Ethos (2014)
>>> Normas Práticas para a Interpretação do Mapa Astral de Stephen Arroyo pela Pensamento (2011)
>>> Paz Guerreira: O Caminho das Dezesseis Pétalas de Talal Husseini pela Edições Nova Acrópole (2011)
>>> Coleção Flor da Pele 11 Volumes de Leslie Kelly e Outros pela Harlequin (2014)
>>> Livro Infanto Juvenis Spharion Vaga-Lume de Lúcia Machado de Almeida pela Ática (1985)
>>> O Abraço do Samurai de Dominique Nora pela Paz & Terra (1992)
>>> Livro Capa Dura Literatura Estrangeira O Senhor Embaixador Obras Completas de Erico Verissimo 22 de Erico Verissimo pela Globo (1965)
>>> Nove Noites de Bernardo Carvalho pela Companhia de Bolso (2020)
>>> Eu Escolhi Esperar de Nelson Junior pela Mundo Cristão (2017)
>>> Coleção Abril Grandes Sucessos -33 volumes de Abril pela Abril
>>> Estação das Chuvas de José Eduardo Agualusa pela Lingua Geral (2010)
>>> Our Way. 1 de Eduardo Amos pela Moderna (2016)
>>> Solidão, Nunca Mais - Vol. 3 de Américo Simões pela Barbara (2012)
>>> Os Saqueadores de Harold Robbins pela Record (2012)
>>> As Crônicas de Spiderwick Livro 5 de Tomy Diterlizzi; Holly Black pela Rocco (2006)
>>> Corruption: Roman de C. J. Sansom pela Éditions de Noyelles (2011)
>>> Livro História do Brasil Breve História do Brasil (1500-1995) de Hernâni Donato pela Lisa (1995)
>>> Capitães do Brasil. de Eduardo bueno. pela Objetiva. (1998)
>>> Livro Capa Dura Literatura Estrangeira Saga Obra Completa de Erico Verissimo 9 de Erico Verissimo pela Globo (1979)
COLUNAS >>> Especial A Arte de Blogar

Segunda-feira, 12/10/2009
Encontre seu motivo para blogar
Adriana Baggio
+ de 5100 Acessos
+ 5 Comentário(s)

Meu primeiro post foi aos 26 anos, no início de 2001. Havia acabado de trocar Curitiba por João Pessoa e ainda não tinha emprego, ocupações e vida social na nova cidade. Passava boa parte do tempo escondida do sol no fresquinho do apartamento. E nessas horas eu escrevia.

Aliás, quando soube que iria para João Pessoa, a primeira coisa que pensei foi em aproveitar a mudança geográfica para mudar também de vida. Em Curitiba, um ou dois anos após a faculdade, passei em uma seleção para o cargo de redatora em uma agência de marketing direto. Eles nem me pagavam salário com a justificativa de era um "período de experiência". Mesmo assim eu curtia. Durou umas 2 semanas até me chamarem de uma outra agência, bem maior e mais famosa, desta vez para a área de atendimento.

O glamour e a perspectiva de ganhar algum salário, ainda que não fosse muito, me seduziram. A experiência foi ótima e serviu para eu descobrir que escrevia briefings excelentes, mas era péssima na politicagem com os clientes. Nos anos seguintes zanzei por uma e outra área da comunicação. Quando surgiu a oportunidade da mudança, decidi aproveitar e voltar para a área de redação.

Escrever blogs não tem nada a ver com ser redatora. Contei essa historinha pra explicar que, quando fiz meu blog, estava com muita vontade de escrever, coisa que eu sempre gostei. Só que escrever sem ninguém para ler não tem graça. Os diários secretos nunca tiveram apelo para mim. Na adolescência, adorei quando chegou a moda das agendas. A gente escrevia, às vezes em código, e mostrava para as amigas. Elas liam, comentavam, davam conselhos. Além do texto havia os desenhos com canetinha, os adesivos, os recortes de revista. Vivia atrás dos anúncios do Club Med porque tinha escolhido o tridente da marca do resort como sinal de conteúdo relativo a um certo menino por quem era apaixonada ― veja só, mesmo na agenda já usava tags!

Nos primeiros dias de João Pessoa, teria sido mais romântico sentar nas areias da praia de Manaíra, pedir uma água de coco e preencher páginas e páginas de um lindo caderno com capa em rosa pálido e folhas de papel creme. Ele seria o único testemunho da solidão que acomete os forasteiros em novas cidades ou da incredulidade em relação a costumes tão diferentes do seus.

Totalmente sem graça. Quem iria ler? Foi por isso que apelei para o blog. Ali eu contava minhas peripécias, analisava as diferenças de cultura e tentava atualizar a família e os amigos sobre as novidades. E também me exibia um pouco, já que as pessoas achavam os textos divertidos.

Mesmo com certa audiência, um dia abandonei o blog. Acho que foi quando comecei a escrever aqui no Digestivo. Sou daquelas pessoas que precisa de motivo para escrever. Contribuir com um site de cultura era motivo mais poderoso do que o blog. Nessa época também entrei em uma pós e arranjei emprego em uma agência ― cargo de redatora, salário de faxineira. Não importava. Eu estava repleta de oportunidades e motivos para escrever.

Anos depois, saudosa daqueles anos vivendo no Nordeste, tentei resgatar o blog, só que ele não existia mais. Encontrei alguns posts no cache do Google e reproduzi no meu segundo blog. Esse foi criado em 2005, quando eu já morava de novo em Curitiba. Era pra ser um blog de crônicas, ou de comentários inteligentes sobre a vida, algo que não tivesse a ver com meu trabalho de redatora, mas que mostrasse a sutil elegância do meu texto e uma precoce sagacidade diante das coisas do mundo. É claro que não deu certo. Relendo, agora, até que os posts são legais. Mas era um blog faminto, mal alimentado e complexado. Não precisa ser médico de blogs para diagnosticar o problema: falta de motivo, de foco, de posicionamento. Na minha opinião, é por isso que muitos blogs não vão pra frente. O blog é ferramenta. Se você não tiver conteúdo e uma intenção bem clara, de nada adianta.

E aí chegamos em meu terceiro blog, lançado em 2006. Parrudinho, alimentado com uma frequência razoavel, ele é meu cartão de visitas. Este já nasceu com um motivo: eu precisava de um portfolio virtual para mostrar meus trabalhos como redatora, e o blog é uma ferramenta fácil de utilizar. Nele também eu poderia escrever bastante, o que, no fim das contas, é o peixe que eu vendo. Não satisfeita em apenas colocar a imagem das peças e reproduzir textos e títulos, comecei a fazer alguns comentários sobre elas. Cada post, além da divulgação do trabalho, acabava trazendo conceitos sobre publicidade, marketing direto e comunicação dirigida.

Os estudantes também passaram a visitar esse meu módico espaço. Normalmente eles pedem dicas de livros e conselhos sobre como ser um redator. Sempre respondo porque também sou professora e gosto de dar atenção a quem se dispõe a ler as coisas que escrevo. E assim, de visita em visita, de link em link, acabei alcançando o 6º lugar da busca orgânica do Google quando alguém busca por "redação publicitária" (já estive em 4º, preciso correr atrás do prejuízo!).

Para mim o blog é meio, não fim. Apesar de me permitir ampliar um pouco os assuntos, ele continua servindo para divulgar trabalhos. O endereço está na assinatura do e-mail e no cartão de visitas. Digamos que ele seja um ponto fixo na mobilidade do ambiente virtual. Posso até postar mensagens rápidas no Twitter, mas conteúdo em profundidade vai estar lá.

Vejo o blog como uma ferramenta que democratizou a produção de informação e a visibilidade. A internet já proporcionava isso, mas foi o surgimento de um recurso acessível, que qualquer pessoa pudesse usar mesmo sem saber de programação, que permitiu a divulgação de um imenso conteúdo na Web. Claro, vem muito lixo junto. Porém, o joio se separa do trigo naturalmente, pela própria dinâmica do meio. É por isso que o blog não se sustenta em si mesmo como ferramenta. É preciso existir uma motivação para escrevê-lo, um posicionamento claro para que os leitores saibam o que vão encontrar ali e uma regularidade para mantê-lo.

Não acredito que o blog, assim como Twitter, sites de relacionamento e qualquer outro recurso, tenham uma única função, derivada de seu funcionamento ou códigos de programação. Acho que tudo isso deve ser encarado como ferramenta. Depois de compreender a ferramenta você pode decidir como ela será útil para suas necessidades e objetivos.

Todo mundo que tem algo a dizer e sabe como dizer pode ter um blog de relativo ou até grande sucesso. Basta encontrar sua praia. Sabe cozinhar? Coloque receitas diferentes. Tem talento para encontrar pechinchas? Faça um blog de ofertas. Gosta de música sertaneja? Escreva sobre seus ídolos e torne-se referência no assunto.

Aproveite que a cauda é longa, ache um lugar nela para o seu blog e seja feliz!


Adriana Baggio
Curitiba, 12/10/2009

Quem leu este, também leu esse(s):
01. Guimarães Rosa em Buenos Aires de Wellington Machado
02. O óbvio ululante da crônica esportiva de Luiz Rebinski Junior
03. Biografias da discórdia de Pilar Fazito
04. Revisitar-se ou não, eis a questão de Pilar Fazito
05. 2006, o ano dos livros de Fabio Silvestre Cardoso


Mais Adriana Baggio
Mais Acessadas de Adriana Baggio
01. Apresentação - 31/5/1974
02. Maria Antonieta, a última rainha da França - 16/9/2004
03. Dicas para você aparecer no Google - 9/3/2006
04. Ser bom é ótimo, mas ser mau é muito melhor* - 24/4/2003
05. Traficante, sim. Bandido, não. - 16/6/2005


Mais Especial A Arte de Blogar
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
14/10/2009
11h45min
O próprio Andrew Solomon no prefácio do seu livro chegou a dizer "escrever sobre depressão é doloroso, triste, solitário e estressante. Contudo, a ideia de que eu estava fazendo algo que poderia ser útil a outros era gratificante". Ainda podemos ajudar outras pessoas contando nossas experiências, como superamos nossas angústias, problemas, crises. Por que você tem medo de escrever? O que teria para revelar ao mundo, quais suas angústias, seus medos, o que colocaria no papel e deixaria para a posteridade, o que se desvelaria para o mundo com a sua escrita? Por que não escrever para si próprio, ou mandar uma carta, um e-mail, contar sua vida, ver seu pensamento organizando em palavras, frases, linhas, parágrafos...? É um desafio interessante.
[Leia outros Comentários de Ronaldo Magella]
19/10/2010
12h04min
Adriana, os blogs hoje estão ganhando importância devido ao fato de possibilitarem que empresas (marcas) falem diretamente com seus clientes. O Google adora texto e os sites são cada vez mais indexados em função das palavras chave e da frequência com que atualizam seus conteúdos. Isso tudo é um reflexo da evolução do marketing digital. Bom futuro aos blogueiros!
[Leia outros Comentários de Marcelo Fernandes]
20/10/2010
01h38min
Oi, Adriana. Gostei do teu post e de tua sinceridade em escrevê-lo contando as suas andanças através da publicidade e da arte de escrever. Muita gente pensa que escrever é "moleza", emprestando uma gíria antiga; eu convivi com parceiros poetas, contistas que trabalhavam como sociólogos ou como professores de história para a sua sobrevivência, mas o que eles curtiam mesmo eram os poemas, os contos e as letras de músicas. Um deles era "erudito", com o perdão de palavra, que lia Karl Marx em alemão, Maurice Merleau Ponty em francês e poemas de Walt Whitman no original; fora isto era coordenador de cursos nos cursinhos e faculdades; mas, ao terminar o processo de composição de uma canção, ele perguntava: "você gostou, maestro?", como se minha opinião fosse de um expert em poemas e letras; é claro que o resultado da soma da música e letra eu sabia, mas tinha horas que eu ficava meio que "encolhido" no meio de tanta erudição. Daí o meu medo de escrever, mesmo querendo dizer (escrever) alguma coisa.
[Leia outros Comentários de CRRochaGuitar]
20/11/2010
21h11min
Os motivos para blogar são tantos e ao mesmo tempo não existem. Fica um dilema: blogar ou não blogar? Para quê possuir um blog? As respostas eu não possuo, mas eu possuo um blog e continuo blogando sem parar, de forma contundente e delirante. Bom, vou ficar por aqui e continuar a blogar sem parar, sem trégua para o ócio.
[Leia outros Comentários de Roberto]
16/10/2011
20h13min
Adriana, descobri no blog uma excelente terapia. Com formação em engenharia e com muito gosto pela escrita, montei o blog e me delicio com as possibilidades sempre crescentes de leitores. Sacramentei a vocação quando cursei jornalismo e aprendi técnicas para tornar um texto mais dinâmico e agradável. Meus primeiros posts foram contos e matérias. Aos poucos descobri que as narrativas poderiam fazer parte e iniciei a contar minhas viagens. Penso que o blog é um meio eficaz para quem escreve e conta histórias, de ficção ou não.
[Leia outros Comentários de Marco Linhares]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Odisséia
Homero
Ediouro
(2005)



Livre das Garras do Sucesso
Miguel Bispo dos Santos
Cpb Didaticos
(2004)



Uma Lição Inesquecível
Laura Schroff e Alex Tresniowski
Universo dos livros
(2013)



O Retrato Mortuário
Vitor Bellucci
Sendas
(2019)



Vinte Mil Léguas Submarinas
Júlio Verne
Ciranda Cultural
(2010)



Textos Matematicos. Produção, Interpretação e Resolução de Problemas
Edmar Henrique Rabelo
Vozes
(2000)



Oswald de Andrade
Carla Caruso
Callis
(2000)



Via-sacra do Senhor Bom Jesus
Benedito Sergio Vieira de Melo
Santuario
(2013)



Aleister Crowley A Biografia de um mago
Johann Heyss
Madras
(2010)



The Magic Mountain
Thomas Mann
Vintage
(1996)





busca | avançada
54628 visitas/dia
1,7 milhão/mês