Tempo vida poesia 5/5 | Elisa Andrade Buzzo | Digestivo Cultural

busca | avançada
59113 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Quinta-feira, 14/10/2010
Tempo vida poesia 5/5
Elisa Andrade Buzzo

+ de 3100 Acessos


foto: Alberto Krone-Martins

"El cuerpo del sueño corre y se dispersa, vuela y se agrega
a los torrentes,
una por una tiemblan todas sus materias. (...)
a muy lenta marcha pasea el tiempo por los afluentes
del cuerpo" (Alejandro Ortiz González)

"Detrás del tórax-mesa-vidrio-tubo,
sortea toda pared, todo tejido (.)
hasta encontrar principio último tramo,
el más central, cercano de los mundos." (Carla Faesler)

No torvelinho das sensações gastas estou deitada numa maca macia, plumas espumas flutuantes, apenas uma camisola de pano bruto cobrindo o corpo, na cabeça uma leve touca, são muitas as luzes, rostos disformes, até que ponto posso distinguir entre o sonho e o real, aonde vou e o compasso que me leva, impulsiona, o guerreiro-águia sobe as escadas correndo, mete siriguelas na boca, ah, eu quero viver, beber perfumes, vou rangendo dentes e rodas até o centro cirúrgico, na coxia outros doentes aguardam, o médico fala no celular palavras também ininteligíveis, mas reconheço o timbre tenro, logo mais ele irá tocar meu ombro, morrer... quando este mundo é um paraíso, dissuadir-me do perigo, dormir, de vez, ao sabor da anestesia, mais rostos falantes, enormes e risonhos, morrer ― é trocar astros por círios, depois uma tela de alta resolução onde meu joelho será devassado, esta que será uma das duas mil cirurgias, mas o momento não é banal, eu iria declamar uma poesia, sete anos de pastor Jacó servia, mas a língua derreteu, uma leve picada de inseto em meu braço é o suficiente para entorpecer o corpo-consciência da palavra.

Ainda antes, na internação, flauta mágica, abro a boca, inclino o pescoço para trás e demonstro que não haverá problema se necessário entubar, você é jovem, magra, tudo bem, sem risco, a paciente está doente, mas parece acompanhante de convalescente, a altura das catedrais já não enfastia, da leitura dos poemas, dos sermões e das rezas restaram as palavras soltas, ditas como explicação dos males, quero boiar à tona das espumas, a cirurgia é pouco invasiva, mera rotina, eles sobem em pânico as escadas do templo, o alimento do sol será este sangue, mas não há profecia alguma de que os astecas devam procurar pés prateados cobertos por pedrarias raras (nelas estão as almas), e oferecer seu dono em sacrifício, embora o povo não se cansasse de olhar para os meus, envoltos em barata indumentária, ou seria meu passo manco, agora prestes a ser curado? Despedem-se de mim, com um leve aceno, as amenas antenas da cucaracha, o vinho do viver ante mim passa. Quando a poesia invade uma vida, fica difícil delimitar o que é a vida e o que é poesia. Quando a vida invade a poesia, não se distingue mais entre o que foi escrito, o que foi vivido e o que foi delírio.

Bajando por esta calle que tiembla desde la puerta hacia
sus cloacas enormes donde el sueño cae brillando como las monedas (Ernesto Carrión)

One-two-three-four Uno-do'-tres-cuatro O zumbido do ventilador só faz relembrar que está muito quente no subsolo do hospital I know you want me you know I want cha I know you want me you know I want cha Aquela mesma risadinha idiota do rapper Pitbull ressoa na rádio local. São Paulo, a princípio sem grandes novidades, é a mesma de sempre: grande, ruidosa, congestionada. Como a capital mexicana, mas diferente. Aqui a aparência é de realidade, urbanidade que vai se contornando como um traço cinza que se insinua, e mais um, e um viaduto, e um esboço de esqueleto se forjando em prédio novo, e um formigamento humano crepitando além das forças. Enquanto as músicas se repetem, a secretária preenche meus dados para as sessões de fisioterapia, que, após a cirurgia, deve reabilitar meu joelho. A viagem até as pirâmides e os passeios intermináveis pelo Centro Histórico mexicano romperam algo que eu não esperava. Depois, uma fissura incomensurável em alguma artéria mais frágil do meu coração. Agora eu não mais me arrasto pelo Paseo de la Reforma em busca de livrarias de poesia e artesanato mexicano, na esperança de que o Ángel de la Independéncia me tome pelos braços e me leve tão alto quanto a coroa de louro em suas mãos. No entanto, a ousadia de conhecer a beleza é merecedora de todas as cicatrizes e chagas que dela decorram.

Saio do hospital com o andar manco e os olhos cansados, em busca do silêncio e da frescura da capela São Joaquim. Os ambulantes me observam como observam qualquer transeunte cambaleante. Logo abaixo está o precipício que leva à via expressa 23 de Maio. Desvio, e me dirijo ao gradeado cubista. Subo a pequena escadaria. Uma mulher acende a vela e ajeita o microfone no altar. Clac, clac, cac, CLAC, vão se acendendo as luzes, da frente para trás, e o topo do grande lustre de cristal oferece um ultimato à penumbra. No calor de trinta graus da capital paulistana, a capela é um refrigério para ossos e alma, refúgio, leve fuga da outra vida, em meio às buzinas, que aguarda do lado de fora. Uma luz azul-amarelada se difrata através dos vitrais ― pela superfície translúcida vislumbram-se copas de árvores balouçando; passarinhos cantam e o ruído do tráfego a poucos metros se difunde doce aos ouvidos. Locus amenus. Como não poderia deixar de ser num ambiente árcade demais. Acaso a poesia seria outra se as cidades fossem assim, pouco citadinas, na cadência dos sinos? Fugere urbe. A fuga é inútil quando as amarras não se podem ver.

"Quem fica na frente é melhor", ordena brandamente a freira que me estende uma folha com hinos. Penso, "os últimos serão os primeiros", localizando chicletes colados no banco de madeira. Poderia desta vez até dobrar os joelhos sãos se quisesse; mas minha oração é leve, ondula sem necessidade de cerimonial ou imagem, embora hoje se insinue um ritual. A capela está relativamente vazia para as 17h27 de uma quarta-feira. A essa hora, a Basílica de Guadalupe deve estar lotada de fiéis. Ah, as loucuras das peregrinas que acampam descerimoniosamente no pátio externo e comem frango, se fartam de orações, as tranças bem presas e sujas. Aqui, a fé é mais contida.

Enfim, o religioso, que estava sentado até o momento encarando de leve o pequeno público, começa a falar. Esforço-me para compreender as linhas gerais do sermão, mas os ventiladores estão sempre aí, deturpando a fala dos padres e dos poetas. Os hinos são entoados como uma grande poesia ― fervorosa pelos mais experientes, tímida para os recém-chegados e, atrás de mim, uma voz ecoa numa estridência familiar. Ah, mas as leituras de poesia são assim, algumas estrondosas como os portentosos pulmões dos venezuelanos e dos equatorianos, algumas no ritmo sincopado do sono, outras ainda nos levam a lugares perdidos na memória, reconfortando dores amortecidas. "Come isto". E a hóstia, hora gloriosa do verbo palatável, começa a se dissolver em minha língua, embora um naco endurecido resista no céu da boca.

Nota do Editor
Leia também "Tempo vida poesia 1/5", "Tempo vida poesia 2/5, "Tempo vida poesia 3/5" e "Tempo vida poesia 4/5".


Elisa Andrade Buzzo
São Paulo, 14/10/2010


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Notas confessionais de um angustiado (VI) de Cassionei Niches Petry
02. Super-heróis ou vilões? de Cassionei Niches Petry
03. Omissão de Ricardo de Mattos
04. A odisseia do homem tecnomediado de Guilherme Mendes Pereira
05. Tempo de nebulosas de Elisa Andrade Buzzo


Mais Elisa Andrade Buzzo
Mais Acessadas de Elisa Andrade Buzzo em 2010
01. Tempo vida poesia 2/5 - 19/8/2010
02. A arqueologia secreta das coisas - 4/2/2010
03. Como se enfim flutuasse - 3/6/2010
04. Sobre jabutis, o amor, a entrega - 2/12/2010
05. A natureza se reveste de ti - 25/2/2010


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




OS DEZ MANDAMENTOS - PRINCÍPIOS DIVINOS PARA MELHORAR SEUS...
LORON WADE
CASA PUBLICADORA BRASILEIRA
(2007)
R$ 7,80



O MUNICÍPIO COMO SISTEMA POLÍTICO
ANA MARIA BRASILEIRO
FGV
(1973)
R$ 9,99



A MULHER EM ISRAEL
ORGANIZAÇÃO DAS PIONEIRAS
ORGANIZAÇÃO DAS PIONEIRAS
(1975)
R$ 5,00



DIGITAL CASH COMMERCE ON THE NET
PETER WAYNER
AP PROFESSIONAL
(1997)
R$ 22,36



DIÁRIO DE UMA SONHADORA
FRANCISCA A. CASTRO CORRÊA
EDIÇÃO DO AUTOR
R$ 7,00



AUTODEFESA PSIQUICA - 1ª EDIÇÃO
DION FORTUNE
PENSAMENTO
(2015)
R$ 27,00



ESTRELA DA NOITE OS IMORTAIS VOLUME 5
ALYSSON NOEL
ÍNTRISECA
(2013)
R$ 7,00



TEMPO DE EPIGRAMA
ROLANDO ROQUE DA SILVA
EDIPE ARTES GRÁFICAS
(1979)
R$ 10,00



PRISIONEIROS DO INVERNO
JENNIFER MCMAHON; ANA CAROLINA MESQUITA
RECORD
(2014)
R$ 18,00



BRIGA DE CASAL LIÇÕES DE AMOR
JOSE ANGELO GAIARSA
GENTE
(1997)
R$ 22,00





busca | avançada
59113 visitas/dia
1,1 milhão/mês