Terminar o ano correndo | Elisa Andrade Buzzo | Digestivo Cultural

busca | avançada
28698 visitas/dia
2,2 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Conto HAYEK, de Maurício Limeira, é selecionado em coletânea da Editora Persona
>>> Os Três Mosqueteiros - Um por Todos e Todos por Um
>>> Sesc 24 de Maio recebe o projeto Parlavratório - Conversas sobre escrita na arte
>>> Cia Caravana Tapioca faz 10 anos e comemora com programação gratuita
>>> Eugênio Lima dirige Cia O GRITO em novas intervenções urbanas
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eleições na quinta série
>>> Mãos de veludo: Toda terça, de Carola Saavedra
>>> A ostra, o Algarve e o vento
>>> O abalo sísmico de Luiz Vilela
>>> A poesia com outras palavras, Ana Martins Marques
>>> Lourival, Dorival, assim como você e eu
>>> O idiota do rebanho, romance de José Carlos Reis
>>> LSD 3 - uma entrevista com Bento Araujo
>>> Errando por Nomadland
>>> É um brinquedo inofensivo...
Colunistas
Últimos Posts
>>> Uma história do Mosaic
>>> Uma história da Chilli Beans
>>> Depeche Mode no Kazagastão
>>> Uma história da Sambatech
>>> Uma história da Petz
>>> A história de Chieko Aoki
>>> Uma história do Fogo de Chão
>>> BDRs, um guia
>>> Iggor Cavalera por André Barcinski
>>> Dave Brubeck Quartet 1964
Últimos Posts
>>> Os inocentes do crepúsculo
>>> Inação
>>> Fuga em concerto
>>> Unindo retalhos
>>> Gente sem direção
>>> Além do ontem
>>> Indistinto
>>> Mais fácil? Talvez
>>> Riacho da cacimba
>>> Mimético
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Como Steve Jobs se tornou Steve Jobs
>>> 10 coisas que a Mamãe me ensinou
>>> Um brasileiro no Uzbequistão (I)
>>> Maupassant e Flaubert
>>> Feijão preto com paio: daqui não saio
>>> O Aspirante a Corrupto
>>> O Aspirante a Corrupto
>>> Na calada do texto, Bentinho amava Escobar
>>> Deus
>>> Thou shalt not be afraid for the terror
Mais Recentes
>>> Adestramento Inteligente: Com Amor, Humor e Bom Senso de Alexandre Rossi pela Cms (1999)
>>> Zadig Ou La Destinée de Voltaire pela Marcel Didier (paris)
>>> Dicionário Bíblico Vida Nova de Derek Williams pela Vida Nova (2000)
>>> Levantando uma Nova Geração na Janela 4/14 para Transformar o Mundo de Luís Bush pela Não Encontrada (2011)
>>> Direito Administrativo 20 Parte II de Márcio Fernando Elias Rosa pela Saraiva (2018)
>>> Informática: Aplicada às áreas - Livro de Exercícios de Vários pela Atlas (2003)
>>> Introdução à Administração (5ª) de Antonio Cesar Amaru Maximiano pela Atlas (2000)
>>> E Business na Infoera o Impacto da Infoera na Administracao de Empr... de Carlos F Franco Jr pela Atlas (2006)
>>> O Senhor dos Anéis de J. R. R. Tolkien pela Martins Fontes (2001)
>>> Benção Diária de Max Lucado pela Thomas Nelson (2014)
>>> The Story of San Michele de Axel Munthe pela Mayflower (1975)
>>> Uma História de Natal Charles Dickens de Charles Dickens pela Ática (2008)
>>> Diante do Espelho de Ricky Medeiros pela Vida e Consciencia (2005)
>>> Direito Constitucional 18 de Rodrigo César Rebello Pinho pela Saraiva (2018)
>>> Direito Constitucional 17 : Teoria Geral da Constituição e Direitos... de Rodrigo César Rebello Pinho pela Saraiva (2018)
>>> Construindo o Futuro Através da Educação: do Fortran à Internet de Tércio Pacitti pela Cengage (2002)
>>> Manual de Direito Público e Privado de Max e Édis pela Revista dos Tribunais (2008)
>>> Jornalismo de Trânsito de J. Bispo Morais pela Do Autor (2016)
>>> Whats So Amazing About Grace? - Hardcover de Philip Yancey pela Zondervan Usa (1997)
>>> Oab Nacional 1ª Fase, V. 8 - Direito Administrativo de Alexandre Mazza pela Saraiva (2011)
>>> O Casamento de Nicholas Sparkes pela Arqueiro (2012)
>>> Caminho das Estrelas de César Souza pela Sextante (2008)
>>> Quem Conta um Conto... e Outros Contos de Machado de Assis e Outros pela Objetivo
>>> Dicionário de Português - Schifaizfavoire de Mário Prata pela Globo (1993)
>>> Ivanhoé de Walter Scott pela Ediouro
COLUNAS

Quinta-feira, 6/1/2011
Terminar o ano correndo
Elisa Andrade Buzzo

+ de 2700 Acessos
+ 1 Comentário(s)


foto: Sissy Eiko

Houve algo de olímpico em adentrar no Estádio do Pacaembu por seu portão principal ― Estádio Municipal Paulo Machado de Carvalho ―, apesar de tê-lo feito ao lado de centenas de esportistas amadores numa corrida noturna permeada por poucos espectadores, muitos incentivadores e cachorrinhos vestidos de Papai Noel.

Eu mesma, corredora de última hora, de última esperança, louca por bola, já tendo desistido de procurar parceiros para esportes coletivos. Não sabendo ao certo o motivo de ter embarcado num esporte que me deixava estafada, achando-o insosso e até mesmo parado, embora prestes a rever minha opinião. Eu mesma nadadora por obrigação, agora nadadora por paixão e diversão. O caminho foi inesperado e natural: da água rumei para a terra. O esporte nos faz melhores, só não sei exatamente em quê e para quê, mas nos faz sensação, sangue correndo, músculos, cansaço, satisfação.

Continuando, beirou o sublime aquela entrada, como na verdade todas as largadas são: o átimo em que se inicia, ainda que lentamente, a corrida é sair da jaula, o encontro da floresta. Embaralhados, os corredores vão encontrando o lugar de seus corpos, se não é um fio que os atravessa, a princípio todos aptos para a pequena provação. E por que o esporte nos traz este sentimento, de superioridade? Mas não em seu lado pejorativo ― em que se menospreza o outro, pois aqui não se trata de pisar os adversários, sem subverter o asfalto, há medalhas para todos e a luta contra o tempo é de si para si ―, e sim como elevação.

Dizem que não se pensa em nada enquanto se nada. É isso mesmo? Sim, ainda que se esboce um pensamento, este se oblitera em algum momento do nado. Como quando vamos dizer algo e a ideia se dissipa para depois emergir sua lembrança. Ficamos, então, durante um treino de natação, numa atitude frágil, levemente esquecida ― em suspenso. Talvez o pensamento se resuma a dois pontos: o controle ritmado da respiração e a sincronicidade dos movimentos dentro d'água. Caso isso se perca não se está imerso, nadando de fato, mas apenas a passeio.

Correr não deixa de ter seus paralelos com a natação, atividade solitária. O cansaço que sinto no início do treino é tão grande que penso: não dá mais, vou parar. Ou: por que estou me dando ao trabalho de fazer isso? E assim: por que continuo então? Há uma meta adiante, a linha de chegada que parece se distanciar como uma miragem, os metros de praxe? Felizmente o ritmo da respiração sobreleva e, a partir daí, parece que o corpo pode suportar o que quer que seja, uma maratona, uma travessia em águas geladas ou escaldantes. Uma onda de felicidade, um gozo perpassa o final de uma corrida.

Por outro lado, enquanto se corre se pensa em tudo, na desistência, na paisagem, na bexiga cheia. É como se preparar para uma viagem, tentar de antemão entender os caminhos a serem percorridos, mas saber que o caminho a ser de fato traçado inquestionavelmente se faz de forma diferente. Não era de carro que cruzava a inofensiva avenida? Pois agora o ritmo é outro; embora mais lento, a velocidade é alucinante, já que se trata do pensamento em movimento.

Nos finais de ano temos a perspectiva dos corredores, repassando o caminho antes vagarosamente percorrido num flash, às pressas, sentindo o vento batendo no rosto e no corpo, o sol usurpando a brancura da pele. Por outro lado, a concentração pode impedir a contemplação da paisagem. Reconheço a farmácia, algumas casas, mas me esqueço totalmente de olhar, por exemplo, para a escultura de coelho no decorrer da prova. E ainda bem, pois aí pareço ter entrado no ritmo, mais uma vez é o seu encontro com a respiração que está em jogo!

Eis-me agora já fora do estádio, depois de completada uma volta em torno dele, agora atravessando a Avenida Pacaembu. O silêncio de interior é calcado de pisadas. Parecem tão próximas e familiares as árvores revestidas de luzes azuis de Natal. As casas e os apartamentos soam como parte indissolúvel da paisagem. Alguns corredores encontram fôlego para conversar sobre a saudosa concha acústica. Do céu noturno escorre um bálsamo que alivia o cansaço. Daqui não se é privado da dor, embora o final possa recompensar.


Elisa Andrade Buzzo
São Paulo, 6/1/2011


Mais Elisa Andrade Buzzo
Mais Acessadas de Elisa Andrade Buzzo em 2011
01. No tempo da ficha telefônica - 12/5/2011
02. Triste fim de meu cupcake - 17/2/2011
03. Adeus, Belas Artes - 20/1/2011
04. Doces bárbaros - 23/6/2011
05. Um mundo além do óbvio - 28/4/2011


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
6/1/2011
23h38min
A emoção canta mais alto dentro de nós e toda a nossa vida é como a ilusão de um barco que navega em alto mar. Às vezes, somos racionais. Mas em todas as datas comemorativas corremos, presenteamos, muitas vezes choramos. É a emoção que canta mais alto, mesmo.
[Leia outros Comentários de Manoel Messias perei]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Monster Volume 3 511 Kinderheim
Naoki Urasawa
Conrad
(2006)



A Autoridade no Espelho
Alexandre Carnevali da Silva
Cbje
(2010)



Cachorros Encrenqueiros Se Divertem Mais
John Grogan
Ediouro
(2008)



Presença do Axe - 1ª Edição
Denise Pini Rosalem da Fonseca
Pallas
(2014)



Introduccion a las Técnicas de Investigación Social
Ezequiel Ander Egg
Hvmanitas
(1971)



Nutricion y Politicas Publicas
Geneviève Le Bihan e Outros (coord.)
Chales Léopold Mayer
(2003)



Positivismo Jurídico – Lições de Filosofia do Direito - 1ª Edição
Norberto Bobbio
Ícone
(1995)



501 Animais na Fazenda e Muito Mais
Ciranda Cultural
Ciranda Cultural
(2013)



A Hora é Agora
Zibia Gasparetto
Vida e Consciencia
(2015)



Depois do Silêncio
Raul Marques
7 Letras
(2009)





busca | avançada
28698 visitas/dia
2,2 milhões/mês