Terminar o ano correndo | Elisa Andrade Buzzo | Digestivo Cultural

busca | avançada
89692 visitas/dia
2,1 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Projeto Sinos volta a Teresópolis para oferecer aulas gratuitas
>>> Filó Machado encerra circulação do concerto 60 Anos de Música com apresentação no MIS
>>> Mundo Suassuna, no Sesc Bom Retiro, apresenta o universo da cultura popular na obra do autor paraiba
>>> Liberdade Só - A Sombra da Montanha é a Montanha”: A Reflexão de Marisa Nunes na ART LAB Gallery
>>> Evento beneficente celebra as memórias de pais e filhos com menu de Neka M. Barreto e Martin Casilli
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Marcelo Mirisola e o açougue virtual do Tinder
>>> A pulsão Oblómov
>>> O Big Brother e a legião de Trumans
>>> Garganta profunda_Dusty Springfield
>>> Susan Sontag em carne e osso
>>> Todas as artes: Jardel Dias Cavalcanti
>>> Soco no saco
>>> Xingando semáforos inocentes
>>> Os autômatos de Agnaldo Pinho
>>> Esporte de risco
Colunistas
Últimos Posts
>>> A melhor análise da Nucoin (2024)
>>> Dario Amodei da Anthropic no In Good Company
>>> A história do PyTorch
>>> Leif Ove Andsnes na casa de Mozart em Viena
>>> O passado e o futuro da inteligência artificial
>>> Marcio Appel no Stock Pickers (2024)
>>> Jensen Huang aos formandos do Caltech
>>> Jensen Huang, da Nvidia, na Computex
>>> André Barcinski no YouTube
>>> Inteligência Artificial Física
Últimos Posts
>>> Cortando despesas
>>> O mais longo dos dias, 80 anos do Dia D
>>> Paes Loureiro, poesia é quando a linguagem sonha
>>> O Cachorro e a maleta
>>> A ESTAGIÁRIA
>>> A insanidade tem regras
>>> Uma coisa não é a outra
>>> AUSÊNCIA
>>> Mestres do ar, a esperança nos céus da II Guerra
>>> O Mal necessário
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Estou para publicar, podem morrer
>>> O novo GPT-4o
>>> 8º Salão do Livro
>>> Da Renovação Papal
>>> Polonaises
>>> Uma Receita de Bolo de Mel
>>> YouTube, lá vou eu
>>> Bobagem
>>> Marcelo Mirisola e o açougue virtual do Tinder
>>> Delírios da baixa gastronomia
Mais Recentes
>>> A Vizinha Antipática Que Sabia Matemática. de Eliana Martins pela Melhoramentos (2014)
>>> Teoria Geral Da Administração. - Vol. 2 de Idalberto Chiavenato pela Campus (2001)
>>> Para Gostar De Ler 17 - Cenas Brasileiras de Rachel De Queiroz pela Ática (2003)
>>> Valiant - Vol.3 Novas Espécies de Laurann Dohner pela Universo Dos Livros (2016)
>>> Manual Prático de Doenças Alérgicas de Jean Blamoutier pela Andrei (1985)
>>> Superação: Devoções para uma vida absurdamente boa de Nick Vujicic pela Novo Conceito (2014)
>>> Luz na Escuridão de Romulo Barros pela Santuário (2017)
>>> O Que Eu Sei De Verdade de Oprah Winfrey pela Sextante (2014)
>>> A Doutrina De Buda: Siddharta Gautama de Siddharta Gautama pela Martin Claret (2007)
>>> Gandhi: Por Ele Mesmo de Vários Autores pela Martin Claret (2024)
>>> Grandes E Pequenos Problemas de Angel Aguarod pela Feb (2006)
>>> História Concisa Do Brasil de Boris Fausto pela Edusp (2002)
>>> Análise Dimensional e Teoria da Semelhança e dos Modelos Físicos de Fernando L. Carneiro pela Ufrj (1993)
>>> O Teatro Brasileiro Moderno de Decio De Almeida Prado pela Perspectiva (2009)
>>> Organize-se Num Minuto: 500 Dicas Para Por Ordem Em Sua Vida de Donna Smallin pela Gente (2005)
>>> A Arte Do Ator Entre Os Séculos XVI e XVIII de Ana Portich pela Perspectiva (2008)
>>> Histórias De Mulheres de Rosa Montero pela Agir (2007)
>>> Arte-educação No Brasil de Ana Mae Barbosa pela Perspectiva (2010)
>>> Livro ANONÁCEAS -do plantio à colheira de Marlon Cristian T. Pereira, Aluizio Borém pela Ufv (2021)
>>> A rebelliao das massas de José Ortega pela Martins Fontes (2007)
>>> Lettera A Un Bambino Mai Nato de Oriana Fallaci pela Bur (1997)
>>> O Sucesso Não Ocorre Por Acaso de Lair Ribeiro pela Leitura (2002)
>>> Aprenda A Viver O Agora de Monja Coen pela Academia (2019)
>>> Pedagogia do jogo Teatral: Uma Poetica do Efemero de Carmela Soares pela Hucitec (2010)
>>> Anjos E Demonios de Dan Brown pela Arqueiro (2004)
COLUNAS

Quinta-feira, 6/1/2011
Terminar o ano correndo
Elisa Andrade Buzzo
+ de 3500 Acessos
+ 1 Comentário(s)


foto: Sissy Eiko

Houve algo de olímpico em adentrar no Estádio do Pacaembu por seu portão principal ― Estádio Municipal Paulo Machado de Carvalho ―, apesar de tê-lo feito ao lado de centenas de esportistas amadores numa corrida noturna permeada por poucos espectadores, muitos incentivadores e cachorrinhos vestidos de Papai Noel.

Eu mesma, corredora de última hora, de última esperança, louca por bola, já tendo desistido de procurar parceiros para esportes coletivos. Não sabendo ao certo o motivo de ter embarcado num esporte que me deixava estafada, achando-o insosso e até mesmo parado, embora prestes a rever minha opinião. Eu mesma nadadora por obrigação, agora nadadora por paixão e diversão. O caminho foi inesperado e natural: da água rumei para a terra. O esporte nos faz melhores, só não sei exatamente em quê e para quê, mas nos faz sensação, sangue correndo, músculos, cansaço, satisfação.

Continuando, beirou o sublime aquela entrada, como na verdade todas as largadas são: o átimo em que se inicia, ainda que lentamente, a corrida é sair da jaula, o encontro da floresta. Embaralhados, os corredores vão encontrando o lugar de seus corpos, se não é um fio que os atravessa, a princípio todos aptos para a pequena provação. E por que o esporte nos traz este sentimento, de superioridade? Mas não em seu lado pejorativo ― em que se menospreza o outro, pois aqui não se trata de pisar os adversários, sem subverter o asfalto, há medalhas para todos e a luta contra o tempo é de si para si ―, e sim como elevação.

Dizem que não se pensa em nada enquanto se nada. É isso mesmo? Sim, ainda que se esboce um pensamento, este se oblitera em algum momento do nado. Como quando vamos dizer algo e a ideia se dissipa para depois emergir sua lembrança. Ficamos, então, durante um treino de natação, numa atitude frágil, levemente esquecida ― em suspenso. Talvez o pensamento se resuma a dois pontos: o controle ritmado da respiração e a sincronicidade dos movimentos dentro d'água. Caso isso se perca não se está imerso, nadando de fato, mas apenas a passeio.

Correr não deixa de ter seus paralelos com a natação, atividade solitária. O cansaço que sinto no início do treino é tão grande que penso: não dá mais, vou parar. Ou: por que estou me dando ao trabalho de fazer isso? E assim: por que continuo então? Há uma meta adiante, a linha de chegada que parece se distanciar como uma miragem, os metros de praxe? Felizmente o ritmo da respiração sobreleva e, a partir daí, parece que o corpo pode suportar o que quer que seja, uma maratona, uma travessia em águas geladas ou escaldantes. Uma onda de felicidade, um gozo perpassa o final de uma corrida.

Por outro lado, enquanto se corre se pensa em tudo, na desistência, na paisagem, na bexiga cheia. É como se preparar para uma viagem, tentar de antemão entender os caminhos a serem percorridos, mas saber que o caminho a ser de fato traçado inquestionavelmente se faz de forma diferente. Não era de carro que cruzava a inofensiva avenida? Pois agora o ritmo é outro; embora mais lento, a velocidade é alucinante, já que se trata do pensamento em movimento.

Nos finais de ano temos a perspectiva dos corredores, repassando o caminho antes vagarosamente percorrido num flash, às pressas, sentindo o vento batendo no rosto e no corpo, o sol usurpando a brancura da pele. Por outro lado, a concentração pode impedir a contemplação da paisagem. Reconheço a farmácia, algumas casas, mas me esqueço totalmente de olhar, por exemplo, para a escultura de coelho no decorrer da prova. E ainda bem, pois aí pareço ter entrado no ritmo, mais uma vez é o seu encontro com a respiração que está em jogo!

Eis-me agora já fora do estádio, depois de completada uma volta em torno dele, agora atravessando a Avenida Pacaembu. O silêncio de interior é calcado de pisadas. Parecem tão próximas e familiares as árvores revestidas de luzes azuis de Natal. As casas e os apartamentos soam como parte indissolúvel da paisagem. Alguns corredores encontram fôlego para conversar sobre a saudosa concha acústica. Do céu noturno escorre um bálsamo que alivia o cansaço. Daqui não se é privado da dor, embora o final possa recompensar.


Elisa Andrade Buzzo
São Paulo, 6/1/2011

Quem leu este, também leu esse(s):
01. Arte é entropia de Gian Danton


Mais Elisa Andrade Buzzo
Mais Acessadas de Elisa Andrade Buzzo em 2011
01. Triste fim de meu cupcake - 17/2/2011
02. No tempo da ficha telefônica - 12/5/2011
03. Adeus, Belas Artes - 20/1/2011
04. História de um papagaio de papel - 3/11/2011
05. Um mundo além do óbvio - 28/4/2011


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
6/1/2011
23h38min
A emoção canta mais alto dentro de nós e toda a nossa vida é como a ilusão de um barco que navega em alto mar. Às vezes, somos racionais. Mas em todas as datas comemorativas corremos, presenteamos, muitas vezes choramos. É a emoção que canta mais alto, mesmo.
[Leia outros Comentários de Manoel Messias perei]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




World English 2: Real People, Real Places, Real Language Com Cd
Kristin Johannsen; Rebbeca Taver Chase
Cengage Learning
(2010)



Na Sala Com Danuza
Danuza Leão
Siciliano
(1992)



Desfazendo a Astúcia do Urso e a Soberba da Águia
José Francisco Soares
Do Autor



Nr 32 -sistema de Gestão da Segurança e Saúde no Trabalho.. 2ª Ed.
Paulo Afonso Moral Marcos
Ltr
(2012)



Etica Na Virada Do Milenio
Maria Luiza Marcilio
LTr
(1999)



Felpo Filva
Eva Furnari
Moderna
(2019)



Uma Infância Roubada
Mark Johnson
Novo Conceito
(2012)



O Mundo é Bárbaro e o que Nós Temos a Ver Com Isso
Luis Fernando Veríssimo
Objetiva
(2008)



Princípios de Física Volume 1: Mecânica Clássica
Raymond A. Serway; John W. Jewett jr
Cengage Learning
(2011)



The Story of Computing
Dermot Turing
Arcturus
(2018)





busca | avançada
89692 visitas/dia
2,1 milhões/mês