Kesey, um estranho no ninho da ficção | Luiz Rebinski Junior | Digestivo Cultural

busca | avançada
36466 visitas/dia
1,2 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Quarta-feira, 16/3/2011
Kesey, um estranho no ninho da ficção
Luiz Rebinski Junior

+ de 3000 Acessos

Ken Kesey certamente representa um dos casos mais interessantes da literatura mundial. Um escritor que, depois de escrever um livro sensacional, começou a ver na literatura uma arte limitada e infinitamente menos interessante do que a vida cotidiana ― e aquilo que o ser humano pode fazer com ela. Na história da literatura há muitos casos de escritores que se cansaram do seu ofício. Seja pela mesquinhez que rege as relações no mundo literário ou mesmo por conta de uma espécie de estafa criativa que costuma dar o ar da graça depois de anos de trabalho intenso.

Apesar de continuar publicando até pouco antes de morrer, principalmente livros de ensaios, Kesey parece ter deixado de acreditar no poder transformador da literatura, dedicando-se a personagens e causas reais que lhe pareciam mais complexos do que qualquer ficção.

"Eu percebi que Cassady faz tudo o que um romance faz, mas ele fez melhor porque estava vivendo aquilo, e não escrevendo sobre aquilo", disse Kesey à Rolling Stone, sobre seu fiel amigo Neal Cassady. E assim como se deu com o louco personagem beat, Kesey se encantou com Timothy Leary, os Merry Prankters e, claro, o LSD. Kesey simplesmente descobriu que a vida real valia mais a pena. Para muitos críticos, no entanto, o escritor, que foi saudado como uma das grandes vozes da literatura americana, havia simplesmente sucumbido às drogas e ao prazer desregrado.

Kesey, logo depois de escrever seu segundo romance, Sometimes a great notion, saiu em uma turnê alucinada em um ônibus escolar na companhia de vários amigos para divulgar seu livro. No caminho, fez um road movie que nunca foi lançado. Depois disso, parece ter esquecido sua máquina de escrever em um canto qualquer depois de uma viagem de LSD. Em vez de escrever novos romances, Kesey viveu seu próprio romance, transformando sua vida em um roteiro alucinado de vitórias e fracassos, o que inclui diversas prisões, anos no exílio e as famosas festas de louvação aos psicodélicos, que ficaram conhecidas como acid test e deram início à onda hippie que tomou conta dos anos 1960. Tom Wolfe, o jornalista dos grandes temas, dedicou-lhe um livro em que conta como Kesey se tornou o guru de uma geração de hippies.

Mas, ainda que Kesey tenha sido um agitador cultural e político importante, seu nome permanece intrinsecamente ligado ao seu primeiro romance. Como ativista, Kesey se esforçou para que as drogas entrassem na pauta política de seu país, mas foi com Um estranho no ninho que ele realmente conseguiu o que desejou.

Assim, de orelhada, o leitor menos avisado pode crer que Um estranho no ninho é uma ode a favor das drogas. Pode até ser, dependendo do leitor. Mas nesse caso não deixa de ser uma visão rasa de algo mais complexo. Na verdade, tematicamente, o romance não tem nada a ver com o poder das drogas como combustível de criação, a grande bandeira de intelectuais que aderiram aos psicodélicos nos anos 1960. Kesey trabalhou em um hospital psiquiátrico e dessa experiência nasceu seu livro mais célebre. A história de um desajustado social que se faz de louco para escapar da vida dura em uma colônia penal, indo cumprir sua pena em um hospício, pode ser interpretada de várias maneiras, suscitando inúmeras discussões. E essa é a chave do romance. É possível lê-lo de várias formas. McMurphy, o protagonista do livro, é um malandro viciado em jogo que, depois de um período de sossego no hospital, começa a reavaliar seu plano, pois percebe que o hospício é um lugar mais barra-pesada do que a prisão. O livro incita, a todo momento, a reflexão sobre sanidade e loucura, além de contestar os métodos de tratamento da psiquiatria americana. Mas não é só isso. Se fosse, seria um documento panfletário. Mas Kesey foi habilidoso o bastante para falar sobre diversos temas de forma sublime, leve e com muito humor.

McMurphy, claro, é um grande personagem, uma espécie de herói sem caráter, um malandro que no final se revela fiel aos seus amigos "malucos". E esses malucos compõem um time de personagens tão inspirado quanto a galeria de tipos de Faulkner, com seus narradores autistas. Kesey dosa bem a medida do "humor doido", as excentricidades dos internos, com a melancolia e tristeza que vêm acopladas à história de vida de cada um.

A riqueza do livro também está em sua estrutura narrativa, ainda que seja um romance realista, linear e que não investe uma vírgula naquilo que os estudiosos chamam de linguagem. O livro é contado por um índio chamado Brondem, que durante anos se fingiu de surdo-mudo, escutou as piores barbaridades do hospital e resolve contar tudo a partir da chegada de McMurphy ao hospital. Mas o leitor só fica sabendo desse detalhe depois de ler metade do livro. Antes disso, Kesey instiga o leitor a se perguntar quem estaria narrando aquela história. E o fato de um doente mental narrar de forma tão minuciosa o livro, é a forma velada de Kesey dizer que os loucos podem não ser tão loucos assim, como a sociedade os julga.

Um estranho no ninho e Kesey devem algo também a Milos Forman, que tratou de popularizar o romance, ainda que o livro tenha feito estardalhaço suficiente uma década e meia antes do filme. Eu mesmo assisti ao filme antes pegar o livro. E claro que isso confirmou o que penso a respeito das adaptações literárias: o livro é sempre melhor. Mas isso tem a ver com minha predileção pela literatura, então não vem ao caso. O que vem ao caso é que Kesey fez um livro extraordinário, deixou os personagens imaginários de lado, foi viver suas próprias aventuras e fez de sua vida o mais incrível dos romances, sempre crente de que a mais elevada forma de arte é uma vida bem vivida. Mas, no final, a literatura parece ter vencido. Um estranho no ninho ganhou a parada.

Para ir além






Luiz Rebinski Junior
Curitiba, 16/3/2011


Mais Luiz Rebinski Junior
Mais Acessadas de Luiz Rebinski Junior em 2011
01. O beatle George - 23/2/2011
02. Dostoiévski era um observador da alma humana - 7/12/2011
03. Os contistas puros-sangues estão em extinção - 4/5/2011
04. O mistério em Thomas Pynchon - 22/6/2011
05. O negócio (ainda) é rocão antigo - 20/4/2011


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




2ª MOSTRA ECOFALANTE DE CINEMA AMBIENTAL
INSTITUTO VOTORANTIN
INST. VOTORANTIN & OUTROS
(2013)
R$ 13,00



AS VINHAS DA IRA - OS IMORTAIS
JOHN STEINBECK
ABRIL
(1972)
R$ 13,46



PARADOXOS ENTRELAÇADOS
CÊÇA GUIMARAENS
UFRJ
(2002)
R$ 15,83



A PÁGINA VIOLADA
PAULO SILVEIRA
URGS
(2003)
R$ 390,00



CHAMADOS À COMUNHÃO DE CRISTO
PAULO REAL
GARIMPO
(2014)
R$ 30,00
+ frete grátis



AMISTAD
ALEXS PATE
MARCO ZERO
(1998)
R$ 7,19



OS POSSEIROS
MARIA ALICE BARROSO
RECORD
(1986)
R$ 14,99



O HOMEM, O TEMPO E OS FÓSSEIS
RUTH MOORE
CULTRIX
(1953)
R$ 10,00



PRINCIPLES AND PRACTICES OF INFECTIOUS DISEASES
GERALD L. MANDELL; JOHN E. BENNETT; RAPHAEL DOLIN
CHURCHILL LIVINGSTONE
(1990)
R$ 50,00



TEXTOS SACROS
DESCONHECIDO
ABRIL
(1973)
R$ 20,00





busca | avançada
36466 visitas/dia
1,2 milhão/mês