Kesey, um estranho no ninho da ficção | Luiz Rebinski Junior | Digestivo Cultural

busca | avançada
34554 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
Colunistas
Últimos Posts
>>> Banco Inter É uma BOLHA???
>>> Não Aguento Mais a Empiricus
>>> Nubank na Hotmart
>>> O recente choque do petróleo
>>> Armínio comenta Paulo Guedes
>>> Jesus não era cristão
>>> Analisando o Amazon Prime
>>> Amazon Prime no Brasil
>>> Censura na Bienal do Rio 2019
>>> Tocalivros
Últimos Posts
>>> O céu sem o azul
>>> Ofendículos
>>> Grito primal V
>>> Grito primal IV
>>> Inequações de um travesseiro
>>> Caroço
>>> Serial Killer
>>> O jardim e as flores
>>> Agradecer antes, para pedir depois
>>> Esse é o meu vovô
Blogueiros
Mais Recentes
>>> A crítica musical
>>> 26 de Julho #digestivo10anos
>>> Por que escrevo
>>> História dos Estados Unidos
>>> Meu Telefunken
>>> Uma Receita de Bolo de Mel
>>> O apanhador no campo de centeio
>>> Curriculum vitae
>>> O Salão e a Selva
>>> Ed Catmull por Jason Calacanis
Mais Recentes
>>> At Risk de Patricia Cornwell pela Little Brown And Company (2006)
>>> Gone For Good de Harlan Coben pela Na Orion Paperback (2007)
>>> When The Wind Blows de James Patterson pela Little Brown And Company (1998)
>>> Windmills Of The Gods de Sidney Sheldon pela William Morrow And Companhy (1987)
>>> If Tomorrow Comes de Sidney Sheldon pela William Morrow And Companhy (1985)
>>> Pearl Dakotah Treasures 2 de Lauraine Snelling pela Bethany House (2004)
>>> Pearl Dakotah Treasures 2 de Lauraine Snelling pela Bethany House (2004)
>>> Children Of The Lamp Book One de P. B. Kerr pela Orchard Books (2004)
>>> The Tale Of Despereaux de Kate Di Camillo pela Candlewick Press (2003)
>>> What She Left For Me de Tracie Peterson pela Bethany House (2005)
>>> Mulher (Trilingue) de Orestes Campos Barbosa pela Sografe, Belo Horizonte (2009)
>>> Mulher (Trilingue) de Orestes Campos Barbosa pela Sografe, Belo Horizonte (2009)
>>> A Christmas Carol de Charles Dickens pela Bendon (2014)
>>> A Christmas Carol de Charles Dickens pela Bendon (2014)
>>> Ruby Dakotah Treasures 1 de Lauraine Snelling pela Bethany House (2003)
>>> Opal Dakotah Treasures 3 de Lauraine Snelling pela Bethany House (2005)
>>> Amethyst Dakotah Treasures 4 de Lauraine Snelling pela Bethany House (2005)
>>> Amethyst Dakotah Treasures 4 de Lauraine Snelling pela Bethany House (2005)
>>> Amethyst Dakotah Treasures 4 de Lauraine Snelling pela Bethany House (2005)
>>> Amethyst Dakotah Treasures 4 de Lauraine Snelling pela Bethany House (2005)
>>> Amethyst Dakotah Treasures 4 de Lauraine Snelling pela Bethany House (2005)
>>> Amethyst Dakotah Treasures 4 de Lauraine Snelling pela Bethany House (2005)
>>> Amethyst Dakotah Treasures 4 de Lauraine Snelling pela Bethany House (2005)
>>> The 1999 - John Dinkeloo Memorial Lecture de Will Bruder pela The Univ. Michigan/ USA (1999)
>>> Não estamos abandonados de Eliana Machado Coelho pela Lúmen (2016)
>>> This Charming Man de Marian Keyes pela Penguin Books (2009)
>>> Anybody Out There de Marian Keyes pela Penguin Books (2007)
>>> The Undomestic Goddess de Sophie Kinsella pela A Dell Book (2005)
>>> A voz do fogo de Alan Moore pela Conrad (2002)
>>> The Innocent Man de John Grisham pela A Dell Book (2006)
>>> The Innocent Man de John Grisham pela A Dell Book (2006)
>>> Bluebonnet Belle de Lori Copeland pela Steeple Hill (1997)
>>> Bluebonnet Belle de Lori Copeland pela Steeple Hill (1997)
>>> Tratado de comunicação organizacional e política de Gaudêncio Torquato pela Cengage Learning (2011)
>>> Catálogo de Periódicos Brasileiros Microfilmados de Coord. Ana Fanda/ A. Romano de Sat' Anna:Presid. pela Biblioteca Nacional/ RJ. (1994)
>>> Vá em frente não deixe para depois de Zibia Gasparetto pela Vida e Consciencia (2016)
>>> Regimes de historicidade - presentismo e experiencias do tempo de François Hartog pela Autentica (2013)
>>> Amazônia: 20 Lendas e Mitos/ Legends And Myths from Amazônia (5 lín de Gea: Coordenadoria Editorial pela Graf. Ed. da Amazônia
>>> La Amada Inmóvil de Amado Nervo pela Soc. Edit. Latino- Americana (1950)
>>> Um (One) de Richard Bach pela Record/ RJ.
>>> Um (One) de Richard Bach pela Record/ RJ.
>>> Amando Uns aos Outros: o Desafio das Relações Humanas de Leo Buscaglia pela Record/ RJ.
>>> A força do entusiasmo de Prof.Gretz pela Viabilização de Talentos Humanos (2005)
>>> Legislação Penal Especial : Crimes Contra a Economia Popular.- Crimes Falimentares.- Crimes Contra a Liberdade de Imprensa de Manoel Pedro Pimentel (Min. Trib. Alçada Criminal / Sp) pela Revista dos Tribunais (1972)
>>> Os tomadores de decisão de Robert Heller pela Makron (1991)
>>> Farmácia de pensamentos de Sonia de Aguiar pela Relume Dumará (2000)
>>> Hipnotizando Maria de Richard Bach pela Integrare (2019)
>>> Tudo Sobre Finanças - Guia Prático de A a Z ( Exame) de Tim Hindle pela Nobel (2002)
>>> Estranho À Terra de Richard Bach pela Hemus
>>> Estranho À Terra de Richard Bach pela Hemus
COLUNAS

Quarta-feira, 16/3/2011
Kesey, um estranho no ninho da ficção
Luiz Rebinski Junior

+ de 2900 Acessos

Ken Kesey certamente representa um dos casos mais interessantes da literatura mundial. Um escritor que, depois de escrever um livro sensacional, começou a ver na literatura uma arte limitada e infinitamente menos interessante do que a vida cotidiana ― e aquilo que o ser humano pode fazer com ela. Na história da literatura há muitos casos de escritores que se cansaram do seu ofício. Seja pela mesquinhez que rege as relações no mundo literário ou mesmo por conta de uma espécie de estafa criativa que costuma dar o ar da graça depois de anos de trabalho intenso.

Apesar de continuar publicando até pouco antes de morrer, principalmente livros de ensaios, Kesey parece ter deixado de acreditar no poder transformador da literatura, dedicando-se a personagens e causas reais que lhe pareciam mais complexos do que qualquer ficção.

"Eu percebi que Cassady faz tudo o que um romance faz, mas ele fez melhor porque estava vivendo aquilo, e não escrevendo sobre aquilo", disse Kesey à Rolling Stone, sobre seu fiel amigo Neal Cassady. E assim como se deu com o louco personagem beat, Kesey se encantou com Timothy Leary, os Merry Prankters e, claro, o LSD. Kesey simplesmente descobriu que a vida real valia mais a pena. Para muitos críticos, no entanto, o escritor, que foi saudado como uma das grandes vozes da literatura americana, havia simplesmente sucumbido às drogas e ao prazer desregrado.

Kesey, logo depois de escrever seu segundo romance, Sometimes a great notion, saiu em uma turnê alucinada em um ônibus escolar na companhia de vários amigos para divulgar seu livro. No caminho, fez um road movie que nunca foi lançado. Depois disso, parece ter esquecido sua máquina de escrever em um canto qualquer depois de uma viagem de LSD. Em vez de escrever novos romances, Kesey viveu seu próprio romance, transformando sua vida em um roteiro alucinado de vitórias e fracassos, o que inclui diversas prisões, anos no exílio e as famosas festas de louvação aos psicodélicos, que ficaram conhecidas como acid test e deram início à onda hippie que tomou conta dos anos 1960. Tom Wolfe, o jornalista dos grandes temas, dedicou-lhe um livro em que conta como Kesey se tornou o guru de uma geração de hippies.

Mas, ainda que Kesey tenha sido um agitador cultural e político importante, seu nome permanece intrinsecamente ligado ao seu primeiro romance. Como ativista, Kesey se esforçou para que as drogas entrassem na pauta política de seu país, mas foi com Um estranho no ninho que ele realmente conseguiu o que desejou.

Assim, de orelhada, o leitor menos avisado pode crer que Um estranho no ninho é uma ode a favor das drogas. Pode até ser, dependendo do leitor. Mas nesse caso não deixa de ser uma visão rasa de algo mais complexo. Na verdade, tematicamente, o romance não tem nada a ver com o poder das drogas como combustível de criação, a grande bandeira de intelectuais que aderiram aos psicodélicos nos anos 1960. Kesey trabalhou em um hospital psiquiátrico e dessa experiência nasceu seu livro mais célebre. A história de um desajustado social que se faz de louco para escapar da vida dura em uma colônia penal, indo cumprir sua pena em um hospício, pode ser interpretada de várias maneiras, suscitando inúmeras discussões. E essa é a chave do romance. É possível lê-lo de várias formas. McMurphy, o protagonista do livro, é um malandro viciado em jogo que, depois de um período de sossego no hospital, começa a reavaliar seu plano, pois percebe que o hospício é um lugar mais barra-pesada do que a prisão. O livro incita, a todo momento, a reflexão sobre sanidade e loucura, além de contestar os métodos de tratamento da psiquiatria americana. Mas não é só isso. Se fosse, seria um documento panfletário. Mas Kesey foi habilidoso o bastante para falar sobre diversos temas de forma sublime, leve e com muito humor.

McMurphy, claro, é um grande personagem, uma espécie de herói sem caráter, um malandro que no final se revela fiel aos seus amigos "malucos". E esses malucos compõem um time de personagens tão inspirado quanto a galeria de tipos de Faulkner, com seus narradores autistas. Kesey dosa bem a medida do "humor doido", as excentricidades dos internos, com a melancolia e tristeza que vêm acopladas à história de vida de cada um.

A riqueza do livro também está em sua estrutura narrativa, ainda que seja um romance realista, linear e que não investe uma vírgula naquilo que os estudiosos chamam de linguagem. O livro é contado por um índio chamado Brondem, que durante anos se fingiu de surdo-mudo, escutou as piores barbaridades do hospital e resolve contar tudo a partir da chegada de McMurphy ao hospital. Mas o leitor só fica sabendo desse detalhe depois de ler metade do livro. Antes disso, Kesey instiga o leitor a se perguntar quem estaria narrando aquela história. E o fato de um doente mental narrar de forma tão minuciosa o livro, é a forma velada de Kesey dizer que os loucos podem não ser tão loucos assim, como a sociedade os julga.

Um estranho no ninho e Kesey devem algo também a Milos Forman, que tratou de popularizar o romance, ainda que o livro tenha feito estardalhaço suficiente uma década e meia antes do filme. Eu mesmo assisti ao filme antes pegar o livro. E claro que isso confirmou o que penso a respeito das adaptações literárias: o livro é sempre melhor. Mas isso tem a ver com minha predileção pela literatura, então não vem ao caso. O que vem ao caso é que Kesey fez um livro extraordinário, deixou os personagens imaginários de lado, foi viver suas próprias aventuras e fez de sua vida o mais incrível dos romances, sempre crente de que a mais elevada forma de arte é uma vida bem vivida. Mas, no final, a literatura parece ter vencido. Um estranho no ninho ganhou a parada.

Para ir além






Luiz Rebinski Junior
Curitiba, 16/3/2011


Quem leu este, também leu esse(s):
01. A noite iluminada da literatura de Pedro Maciel de Jardel Dias Cavalcanti
02. Em defesa da arte urbana nos muros de Fabio Gomes
03. Em 2016, pare de dizer que você tem problemas de Fabio Gomes
04. A coerência de Mauricio Macri de Celso A. Uequed Pitol
05. Esboços de uma biografia precoce não autorizada de Cassionei Niches Petry


Mais Luiz Rebinski Junior
Mais Acessadas de Luiz Rebinski Junior em 2011
01. O beatle George - 23/2/2011
02. Dostoiévski era um observador da alma humana - 7/12/2011
03. Os contistas puros-sangues estão em extinção - 4/5/2011
04. O mistério em Thomas Pynchon - 22/6/2011
05. O negócio (ainda) é rocão antigo - 20/4/2011


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




CÉLULAS A COMBUSTÍVEIS
KELLEN CRISTINA MESQUITA BORGES, ROSANA F. GONÇALVES UND MARIO J. GODINHO
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 349,00



AYRTON SENNA E A MÍDIA ESPORTIVA
RODRIGO FRANÇA (AUTOGRAFADO)
AUTOMOTOR
(2010)
R$ 24,00



USABILIDADE E ARQUITETURA DA INFORMAÇÃO PARA ESTRUTURAÇÃO DE PORTAIS
THIAGO MARINHO
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 349,00



AMOR A ROMA
AFONSO ARINOS DE MELO FRANCO
NOVA FRONTEIRA
R$ 41,00



SOLUÇÃO GRADUAL
CARL HONORÉ
RECORD - GRUPO RECORD
(2016)
R$ 46,20



MEMÓRIAS DA SAUNA FINLANDESA
MEMÓRIAS DA SAUNA FINLANDESA
34
(2010)
R$ 20,00
+ frete grátis



TAPETES E TAPEÇARIAS ARRAIOLOS NR 10 ANO 2 PUBLICAÇÃO TRIMESTRAL
CASA MIDÕES

R$ 24,88



ÊSSE CONTINENTE CHAMADO BRASIL
EDUARDO TOURINHO
JOSÉ OLYMPIO
(1964)
R$ 7,38



CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL - 05 DE OUTUBRO DE 1988
EQUIPE DA EDITORA ATLAS
ATLAS
(1988)
R$ 7,00



INSTITUIÇÃO E RELAÇÕES AFETIVAS
MARLENE GUIRADO
SUMMUS EDITORIAL
(1986)
R$ 70,00





busca | avançada
34554 visitas/dia
1,1 milhão/mês