Aula de Português I: texto X gramática | Marcelo Spalding | Digestivo Cultural

busca | avançada
80332 visitas/dia
2,6 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Projeto aborda riqueza da tradicional Festa da Carpição
>>> Canto dos Recuados - espetáculo musical mergulha na cultura afrobarroca
>>> Primeiro Roteiro
>>> Festival Cine Inclusão abre inscrições de curtas-metragens com o tema terceira idade
>>> Musical Guerra de Papel estreia dia 3 de setembro no Teatro Viradalata
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Errando por Nomadland
>>> É um brinquedo inofensivo...
>>> Poesia como Flânerie, Trilogia de Jovino Machado
>>> O mundo é pequeno demais para nós dois
>>> Ao pai do meu amigo
>>> Paulo Mendes da Rocha (1929-2021)
>>> 20 contos sobre a pandemia de 2020
>>> Das construções todas do sentir
>>> Entrevista com o impostor Enrique Vila-Matas
>>> As alucinações do milênio: 30 e poucos anos e...
Colunistas
Últimos Posts
>>> Unchained by Sophie Burrell
>>> Deep Purple em Nova York (1973)
>>> Blue Origin's First Human Flight
>>> As últimas do impeachment
>>> Uma Prévia de Get Back
>>> A São Paulo do 'Não Pode'
>>> Humberto Werneck por Pedro Herz
>>> Raquel Cozer por Pedro Herz
>>> Cidade Matarazzo por Raul Juste Lores
>>> Luiz Bonfa no Legião Estrangeira
Últimos Posts
>>> O cheiro da terra
>>> Vivendo o meu viver
>>> Secundário, derradeiro
>>> Caminhemos
>>> GIRASSÓIS
>>> Biombos
>>> Renda Extra - Invenção de Vigaristas ou Resultado
>>> Triste, cruel e real
>>> Urgências
>>> Ao meu neto 1 ano: Samuel "Seu Nome é Deus"
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Verdadeiros infiltrados: em defesa de Miami Vice
>>> Assim ninguém leva meus livros
>>> Dia Marisa: todas as mulheres merecem
>>> O Filho da Noiva
>>> O rei nu do vestibular
>>> Selvageria Nunca Sai de Moda
>>> Você cumpre as promessas de final de ano?
>>> A cabeça de Steve Jobs
>>> O sublime Ballet de Londrina
>>> A vida subterrânea que mora em frente
Mais Recentes
>>> É Por Isso Que O Brasil Não Vai de Age pela Age (2021)
>>> Equinox de Jambo pela Jambo (2021)
>>> Planejamento e Organização do Turismo de Ivan Fernandes pela Campus Elsevier (2021)
>>> Equipes Campeãs - Potencializando o Desempenho de Sua Equipe de Sebrae pela Sebrae (2021)
>>> Star Wars - Império e Rebelião - o Fio da Navalha de Martha Wells pela Universo Geek (2017)
>>> O Cozinheiro do Rei D. João VI de Hélio Loureiro pela Planeta (2014)
>>> A Conspiração Colombo de Steve Berry pela Record (2014)
>>> Sobreviventes do Holandês Voador de Brian Jacques pela Bertrand Brasil (2008)
>>> O Efeito Medici de Frans Johansson pela Best Seller (2008)
>>> Era Uma Vez Uma Ponte... de Vivilendo pela Vivilendo (2021)
>>> Coaching de Relacionamentos a Dois de Ritah Oliveira pela Qualitymark (2017)
>>> Sensibilidade à Flor da Pele de Helena Polak pela Clube De Autores (2018)
>>> Fronteiras da Física - Vol II de Jucimar Peruzzo pela Clube De Autores (2019)
>>> Ervas Aromáticas de La Fonte pela La Fonte (2021)
>>> A Imprensa Entre Antígona e Maquiavel de Renato Janine Ribeiro pela Referencia (2016)
>>> Esboço Para Uma Teoria Das Emoções de Lpm pela Lpm (2021)
>>> Towards a Post-fordist Welfare State de Roger Burrows, Brian D Loader pela Routledge (1994)
>>> Pimenta Neves - uma Reportagem de Luiz Octavio de Lima pela Scortecci (2013)
>>> O Estado do Planeta de Carlos Gabaglia Pena pela Record (1999)
>>> Escassez De Razão de Liberdade pela Liberdade (2021)
>>> Escola De Vendas K.L.A de Ser Mais pela Ser Mais (2021)
>>> A Estratégia Do Oceano Azul de Kim Mauborgne pela Elsevier (2008)
>>> Confissões de um Vira-lata de Origenes Lessa - Orlando Pedroso pela Global (2012)
>>> ESocial. Você E Sua Empresa Estão Preparados? de Leader pela Leader (2021)
>>> Ensaios E Conferências de Vozes pela Vozes (2021)
COLUNAS

Sexta-feira, 18/11/2011
Aula de Português I: texto X gramática
Marcelo Spalding

+ de 4900 Acessos

Inicio aqui uma série de dois ou três textos sobre o ensino da Língua Portuguesa, algo que tem deixado muito a desejar e provocado algumas polêmicas ao longo do ano, como o famigerado caso do livro do MEC. Na ocasião, o livro "Por uma Vida Melhor", da Coleção Viver, Aprender - adotado pelo Ministério da Educação (MEC) e distribuído pelo Programa Nacional do Livro Didático para a Educação de Jovens e Adultos (PNLD-EJA) a 484.195 alunos de 4.236 escolas, trazia trechos como:

"Você pode estar se perguntando: 'Mas eu posso falar 'os livro'?' Claro que pode. Mas fique atento, porque, dependendo da situação, você corre o risco de ser vítima de preconceito linguístico (.) Muita gente diz o que se deve e o que não se deve falar e escrever, tomando as regras estabelecidas para a norma culta como padrão de correção de todas as formas linguísticas."

À época muitos defenderam a postura do livro, outros o ensino absoluto do português padrão, mas a verdade é que alguém que tropece em ortografia, concordância e regência estará muito atrás no mercado de trabalho. Mais do que isso, a pobreza linguística causa problemas de interpretação e produção textual, impedindo que uma parcela significativa da população esteja plenamente informada e participe das decisões de nosso país (seja escrevendo artigos, redigindo leis e contratos ou enviando uma carta a uma autoridade).

Ocorre que o ensino da Língua Portuguesa nas escolas tem sido muito falho. Em parte porque não há uniformização: há instituições que privilegiam o texto, sua produção, leitura e interpretação, enquanto outras priorizam os aspectos gramaticais, por vezes tratados de forma descontextualizada. De fato, no Brasil, por um longo e tenebroso período aprendemos a decorar e memorizar regras e nomenclaturas (quem lembra da diferença de um adjunto adnominal para um complemento nominal, ou de uma oração coordenada sindética para uma assindética?). Por outro lado, hoje há professores que sequer mencionam a estrutura sintática da língua, alguns por opção didática (o que é respeitável) e outros porque sequer têm domínio desse complexo e fascinante conteúdo.

Particularmente, acredito que o ideal seja trabalhar com textos como objetivo, mas lidar, sim, com os aspectos técnicos da língua. Percebi que muitos dos meus alunos de primeiro semestre (leciono Língua Portuguesa para alunos de Direito, Administração e Sistemas da Informação), muitos mesmo, não sabem diferenciar um verbo de sua forma nominal, um adjetivo de um advérbio, não lembram o que é preposição, conjunção, interjeição, isso sem falar no absoluto esquecimento sobre o básico de sintaxe (sujeito, verbo, objeto, adjunto adverbial). Pergunto: como ensinar pontuação ou crase, por exemplo, para estes alunos, sem primeiro retomar esses aspectos técnicos, gramaticais?

Tal desconhecimento irá prejudicá-los até quando, fora dos bancos universitários, procurarem um livro sobre linguagem ou produção de texto, bem como uma gramática, e se depararem com dicas como: "transforme verbos em substantivos abstratos para dar coesão ao texto". No caso das gramáticas, lerão o seguinte: "objeto indireto é precedido de preposição". Aí o aluno coça a cabeça e se pergunta: "o que é mesmo preposição?".

Além disso, percebo que a própria interpretação de textos fica prejudicada quando, por exemplo, o leitor não sabe a diferença de um verbo no modo indicativo, subjuntivo ou imperativo, quando não consegue identificar o referente de determinado pronome ou o sujeito de determinado verbo (isso sem falar na compreensão de longos períodos subordinados ou construções na voz passiva).

Na verdade, para muitos professores de português a insuficiência do ensino escolar da matéria é ótima, pois cobram altos valores por cursos, grupos de estudo, oficinas e aulas particulares, especialmente cursos voltados para concursos públicos que, em geral, pedem exatamente o conhecimento técnico, sintático e gramatical do idioma. Exatamente como há 30 anos.

Alguns deputados, enquanto isso, preocupam-se com os estrangeirismos e propõem meia dúzia de leis populistas e ufanistas. Esquecem-se que um aluno da UFRGS, por exemplo, se forma em Jornalismo, História, Enfermagem e tantos outros cursos sem a necessidade de frequentar uma única disciplina obrigatória de Língua Portuguesa, algo que se repete de forma vergonhosa em diversas instituições particulares. No ensino básico, minha sobrinha formou-se ano passado em uma Escola Estadual de Porto Alegre e em pleno último ano de ensino a disciplina de Língua Portuguesa passou de seis para quatro períodos semanais, pois era preciso acomodar dois períodos de língua espanhola, que se somavam aos dois períodos de língua inglesa. Ou seja, às vésperas do vestibular, a escola subtraiu um terço da quantidade de aulas de língua portuguesa, igualando seu espaço ao ensino de língua estrangeira.

O problema é que como a língua é fundamental para o crescimento pessoal e profissional de qualquer cidadão, tal descaso amplia o fosso entre os que podem estudar e os que precisam estudar. Mais do que isso, como no Brasil a docência não é valorizada, são exatamente os que não conseguirem entrar nas faculdades de Medicina, Direito e tal é que farão as licenciaturas. E ensinarão a nossos jovens matemática, ciências, cidadania, língua portuguesa.



Marcelo Spalding
Porto Alegre, 18/11/2011


Quem leu este, também leu esse(s):
01. A Palavra Mágica de Marilia Mota Silva
02. Flexibilidade Histórica de Daniel Bushatsky
03. Os beats e a tradição romântica de Guilherme Diniz
04. Dorian Gray abre o sótão: Orkut de Andréa Trompczynski
05. Arquitetura carioca: um patrimônio menosprezado de Luis Eduardo Matta


Mais Marcelo Spalding
Mais Acessadas de Marcelo Spalding em 2011
01. História da leitura (I): as tábuas da lei e o rolo - 25/2/2011
02. História da leitura (II): o códice medieval - 18/3/2011
03. História da leitura (III): a imprensa de Gutenberg - 1/4/2011
04. O certo e o errado no ensino da Língua Portuguesa - 3/6/2011
05. A revista Veredas e os mil minicontos - 23/9/2011


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Osamu Tezuka 1975 1989 a Consagração do Gênio
Toshio Ban
Conrad do Brasil
(2003)



Manual de Direito Previdenciário Acidentes de Trabalho
Odonel Urbano Gonçalves
Atlas
(2001)



1001 Dúvidas de Portugês
José de Nicola e Ernani Terra
Saraiva
(1997)



Os Seis Livros da República - Livro Segundo - 1ª Edição
Jean Bodin
Ícone
(2011)



Dicionário Escolar-francês-português/português-francês
Roberto Alvim Corrêa
Mec
(1958)



Personalidade
Rotter
Interamericana
(1980)



O Caminho da Felicidade - Torne-se um Anjo na Terra - 1ª Edição
Ryuho Okawa
Irh Press do Brasil
(2017)



Casamento , Término & Reconstrução - 8ª Ed - Revista e Atualizada
Maria Tereza Maldonado
Integrare
(2009)



Qual É a Cor do Amor
Patrícia Senna e Emerson Pontes
Prazer de Ler
(2011)



O Machão
Harold Robbins
Circulo do Livro
(1974)





busca | avançada
80332 visitas/dia
2,6 milhões/mês