Corot em exposição | Jardel Dias Cavalcanti | Digestivo Cultural

busca | avançada
41820 visitas/dia
922 mil/mês
Mais Recentes
>>> TV Brasil pré-estreia Atos com Antonio Pitanga nesta segunda (19/11)
>>> TV Brasil apresenta programação temática na Semana da Consciência Negra
>>> Baterias Brasileiras do Sesc Belenzinho apresenta shows com Pupillo e Curumin
>>> Refúgios Musicais do Sesc Belenzinho apresenta banda de haitianos Surprise
>>> Avesso - O Musical aborda conflito de gerações em musical jovem de fortes emoções
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Goeldi, o Brasil sombrio
>>> Do canto ao silêncio das sereias
>>> Vespeiro silencioso: "Mayombe", de Pepetela
>>> A barata na cozinha
>>> Uma Receita de Bolo de Mel
>>> O Voto de Meu Pai
>>> Inferno em digestão
>>> Hilda Hilst delirante, de Ana Lucia Vasconcelos
>>> As pedras de Estevão Azevedo
>>> O artífice do sertão
Colunistas
Últimos Posts
>>> Eleições 2018 - Afif na JP
>>> Lançamentos em BH
>>> Lançamento paulistano do Álbum
>>> Pensar Edição, Fazer Livro 2
>>> Ana Elisa Ribeiro lança Álbum
>>> Arte da Palavra em Pernambuco
>>> Conceição Evaristo em BH
>>> Regina Dalcastagné em BH
>>> Leitores e cibercultura
>>> Sarau Libertário em BH
Últimos Posts
>>> Um lance de escadas
>>> No tinir dos metais
>>> De(correntes)
>>> Prata matutina
>>> Brazil - An Existing Alien Country on Planet Earth
>>> Casa de couro IV
>>> 232 Celcius, ou Fahrenheit 451
>>> Mãe
>>> Auto contraste
>>> Os intelectuais e a gastronomia
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O naufrágio é do escritor
>>> Os X-men e o fim da infância
>>> O tigre de papel que ruge
>>> Emagrecer sem sofrer? Isso é papo de revista
>>> Dez obras da literatura latino-americana
>>> O dinossauro de Augusto Monterroso
>>> Negrinha e os donos do sentido
>>> AC/DC com Bon Scott
>>> Filosofia de boteco
>>> Mar de Gente, de Ivaldo Bertazzo
Mais Recentes
>>> O Que É Revolução de Florestan Fernandes pela Expressão Popular (2018)
>>> De Que Amanhã...Diálogo de Jacques Derrida e Elisabeth Roudinesco pela Zahar (2004)
>>> Toda Poesia de Paulo Leminski pela Companhia das Letras (2013)
>>> Amor Líquido de Zygmunt Bauman pela Zahar (2004)
>>> Festa Sob as Bombas / Os Anos Ingleses de Elias Canetti pela Estação Liberdade (2009)
>>> A Cidade Perversa / Liberalismo e Pornografia de Dany-Robert Dufour pela Civilização Brasileira (2013)
>>> Réquiem para o Sonho Americano de Noam Chomsky pela Bertrand Brasil (2017)
>>> Fundamentos doutrinários de umbanda de Rubens Saraceni pela Madras (2013)
>>> O Capitalismo Como Religião de Walter Benjamin pela Boitempo (2013)
>>> Umbanda de todos nós de W.W. da Matta e Silva pela Ícone Ed. (2014)
>>> O Que É uma Revolução de Álvaro García Linera pela Expressão Popular (2018)
>>> A canção no tempo v. 1 de Jairo Severiano e Zuza Homem de Mello pela Ed. 34 (2006)
>>> A Viúva Cliquot de Tilar J. Mazzeo pela Rocco (2018)
>>> Sobre o Islã de Ali Kamel pela Nova Fronteira (2007)
>>> O poder do silêncio de Eckhart Tolle pela Sextante (2010)
>>> O Vínculo do Prazer de William H. Masters, Virginia E. Johnson pela Círculo do Livro (1975)
>>> Criança Inquieta - Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade? de Esméria Rovai, Carlos Brunini pela Livro on Demand (2018)
>>> O Divã a Passeio de Fabio Herrmann pela Brasiliense (1992)
>>> Psicoterapia Psicodramática de Dalmiro Manuel Bustos pela Brasiliense (1979)
>>> Que Barulho é Esse, Ratinho? de Stephanie Stansbie, Polona Lovsin pela Zastras (2010)
>>> Aritmética - Novas Perspectivas - Implicações da Teoria de Piaget de Constance Kamii e Linda Leslie Joseph pela Papirus (1993)
>>> Teoria e Política do Desenvolvimento Econômico de Celso Furtado pela Nova Cultural (1986)
>>> A Volta ao Mundo Em 80 Dias de Júlio Verne pela Codil (1970)
>>> O Universo e Eu de Mara Muniz pela D&z (1999)
>>> O Menino Maluquinho de Ziraldo Alves Pinto pela Melhoramentos (2000)
>>> Clarindo Silva - o Dom Quixote do Pelourinho de Vander Prata pela Alba (2012)
>>> Café Em São Paulo de Élcio Nogueira pela Litteris (1999)
>>> Chapéu de Mágico de Anna Maria Lavezzini pela Editado pela Autora (1993)
>>> Pais Inteligentes Formam Sucessores, Não Herdeiros de Augusto Cury pela Saraiva (2014)
>>> Desmatamento e Modos de Vida na Amazônia de Antonio Carlos Diegues (org.) pela Nupaub (1999)
>>> Tratado de Economia Política de Jean Baptiste Say pela Nova Cultural (1986)
>>> Gomorra de Roberto Saviano pela Bertrand Brasil (2009)
>>> Os Cem Melhores Contos Brasileiros do Século de Italo Moriconi (org.) pela Objetiva (2001)
>>> Os Irmãos Karamázov - 2 Vols. de Fiódor Dostoiévski pela 34 (2008)
>>> Lolita de Vladimir Nabokov pela Círculo do Livro (1981)
>>> Como Se Faz uma Tese de Umberto Eco pela Perspectiva (1989)
>>> Mitos e Lendas da Roma Antiga de John Gilbert pela Melhoramentos (1976)
>>> Nunca Desista de Seus Sonhos de Augusto Cury pela Sextante (2007)
>>> A Erva do Diabo de Carlos Castaneda pela Nova Era (2002)
>>> Código Penal Comentado - Legislação Complementar de Celso Delmanto e Outros pela Renovar (2002)
>>> O Boto do Reno - as Histórias de um Repórter de Fórmula 1 pelo Mundo de Flavio Gomes pela Letradelta (2005)
>>> Conheça-se a Si Mesmo de Karen Horney pela Civilização Brasileira (1964)
>>> Dois Cigarros de Flavio Gomes pela Gulliver (2018)
>>> Perdidos e Achados - Entre a Escuta Poética e a Psicoterapia de Fátima Santa Rosa pela Solisluna (2018)
>>> Fotogramas do Imaginário: Manoel de Barros - Ensaios de Igor Rossoni pela Vento Leste (2007)
>>> Insetos no Folclore de Karol Lenko e Nelson Papavero pela Plêiade (1996)
>>> Double Page Numéro 7 - Cavaliers des Stepppes de Roland Michaud, Sabrina Michaud pela Éditions Snep (1981)
>>> Catálogo Raisonné Tarsila do Amaral - Box Com 3 Volumes de Maria Eugênia Saturni, Regina Teixeira de Barros pela Base 7 Projetos Culturais (2008)
>>> O Brasil de Marc Ferrez de Sergio Burgi e Equipe do Instituto Moreira Salles pela Ims (2005)
>>> Amor Vale a Pena - Reflexões, Contos e Poemas de Fábio Salgueiro pela Bb (2016)
COLUNAS

Terça-feira, 13/3/2018
Corot em exposição
Jardel Dias Cavalcanti

+ de 2800 Acessos



Especial de Paris para o Digestivocultural

Uma bela exposição da obra de Jean-Baptiste Camille Corot é apresentada pelo Musée Marmottan, em Paris, nesse inverno. O impressionante conjunto da obra do pintor poderá ser visto até 08 de julho de 2018.

A trajetória do artista, não apenas em razão de um tema (tal como está organizada a exposição com o titulo O pintor e seus modelos), mas partindo também de uma ordem cronológica, nos permite perceber a formação de um estilo próprio, que parte dos anos de aprendizagem, passando pelas influências que foram mais caras a Corot, até chegar à individualidade máxima que o caracteriza.

Edgar Degas considerava Corot como um grande retratista, mais talentoso nesse gênero de pintura que nas suas paisagens.
Aos retratos clássicos, como os de Ingres, regidos por numerosos códigos de representação, Corot preferia a representação de figuras desindividualizadas, que lhe ofereciam a possibilidade de dar livre curso à sua criatividade e sua imaginação. E é acompanhando a retratística de Corot ao longo dos anos que podemos perceber como sua obra vai ganhando autonomia em relação às influências que lhe eram inicialmente importantes.

Corot, encorajado por seus amigos e pelo seu mestre Jean-Victor Bertin, e à despeito de não ter ganho o Prêmio de Roma (estadia oferecida aos jovens artistas na Villa Médicis), passa um tempo em Roma por conta própria (de 1825-1828), onde utiliza os modelos locais como motivos, em poses pitorescas ou idealizadas. Cenas de mulheres em fontes tornam-se constante, como retratos de músicos anônimos.



A exata representação de um rosto passa a interessá-lo menos do que seu desejo de traduzir nas pinturas suas próprias percepções. Na maioria dos casos, seus retratos são oferecidos à pessoa representada. Talvez essa relação não econômica seja um ingrediente a possibilitar a liberdade e o risco que uma pintura pessoal possa oferecer.

A maioria dos retratos por ele pintados datam dos anos de 1820 a 1840, sendo posteriormente retomados em algumas novas telas em 1852, 1855 e 1857. Nesse intervalo se desenvolverá um conjunto significativo de paisagens e nus.

Nos retratos a busca por uma figuração íntima prevalecerá. Desde retratos faciais (parentes e amigos) à representações de cenas de mulheres no campo ou espaços familiares (em atividades como leituras concentradas ou simplesmente inativas, mantendo uma espécie de melancolia na expressão facial e nos gestos), até figuras idealizadas (como A italiana e A Leitora coroada de flores ou A musa de Virgílio).



Outra representação notável são seus retratos de mulheres em seu atelier, geralmente posando frente ao seu cavalete, portando um instrumento musical ou simplesmente admirando uma tela sobre o cavalete.

Uma dessas telas, "Atelier de Corot", de 1865, é comentada pelo conservador do Departamento de Pinturas do Museu do Louvre, Paul Jamot, com grande entusiasmo: "A blusa vermelho-alaranjada que explode no meio de uma discreta harmonia em cinza e preto é quase um caso único em Corot. Com que refinamento instintivo e com que precisão o pintor orquestrou sua composição, de modo que essa chama de púrpura brilhante e rutilante que ele produziu ao centro responde ao vermelho sufocado da tapeçaria que cobre uma cadeira no primeiro plano."



A tela nos faz pensar no abandono da idealização das figuras. Com sua veste moderna e sendo um quadro que apresenta o próprio atelier do artista, a representação se aproxima do universo de um Degas, Courbet e Manet. Mas para além da representação moderna, a liberdade na composição e nas pinceladas, que em vários espaços da tela apenas sugerem os objetos representados, nos mostra a autonomia do artista enfim afirmada.

Nos vários quadros representando figuras no atelier, o pintor parece estar em meditação sobre seu ofício, ecoando "L' Atelier" de Courbet, exposto em 1855. Corot, no entanto, opta por um formato intimista, não se representando como um pintor em seu ofício. Ele não está presente senão através de sua obra, aquela colocada sobre o cavalete. O atelier é o silencioso lugar da criação, lugar de recolhimento, o mesmo recolhimento necessário à contemplação da obra de arte.


Jardel Dias Cavalcanti
Londrina, 13/3/2018


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Noel Rosa de Fabio Gomes
02. Fake news, passado e futuro de Luís Fernando Amâncio
03. Um parque de diversões na cabeça de Renato Alessandro dos Santos
04. Casa Arrumada de Ricardo de Mattos
05. Oswald de Andrade e o homem cordial de Celso A. Uequed Pitol


Mais Jardel Dias Cavalcanti
Mais Acessadas de Jardel Dias Cavalcanti em 2018
01. Entrevista com a tradutora Denise Bottmann - 26/6/2018
02. A Fera na Selva, filme de Paulo Betti - 22/5/2018
03. O pai da menina morta, romance de Tiago Ferro - 3/4/2018
04. Desdizer: a poética de Antonio Carlos Secchin - 7/8/2018
05. Corot em exposição - 13/3/2018


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O OPOSTO DO DESTINO
AMY TAN
ROCCO
(2006)
R$ 19,20



O BISPO - A HISTÓRIA REVELADA DE EDIR MACEDO
DOUGLAS TAVOLARO
LAROUSSE
(2007)
R$ 7,90



STALINGRADO O PRINCIPIO DO FIM
GEOFFREY JUKES
RENES
(1974)
R$ 10,00



POEMAS
JACQUES PRÉVERT
NOVA FRONTEIRA
(2000)
R$ 20,00



AMANHECER
STEPHENIE MEYER
INTRÍNSECA
(2009)
R$ 15,00



QUEM MEXEU NO MEU QUEIJO?
SPENCER JOHNSON
RECORD
(2007)
R$ 9,90



PACTO RE-VELADO: PSICANÁLISE E CLANDESTINIDADE POLÍTICA
MARIA AUXILIADORA DE ALMEIDA CUNHA ARANTES
ESCUTA
(1999)
R$ 50,00



O RESTO É SILÊNCIO
ÉRICO VERÍSSIMO
GLOBO
(1980)
R$ 35,00
+ frete grátis



A IMAGINAÇÃO SIMBÓLICA
VERA LÚCIA G. FELÍCIO
EDUSP/FAPESP
(1994)
R$ 25,00



AUTO-ENGANO
EDUARDO GIANNETTI
COMPANHIA DE BOLSO
(2011)
R$ 21,51





busca | avançada
41820 visitas/dia
922 mil/mês