Nuno Ramos, poesia... pois é | Jardel Dias Cavalcanti | Digestivo Cultural

busca | avançada
47273 visitas/dia
1,3 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
>>> Banco Inter É uma BOLHA???
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Vida Virtual? Quase 10 anos de Digestivo
>>> Sombras Persas (X)
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Atmosphere
>>> O Segredo do Vovô Coelhão
>>> Separações é Amores II
>>> 10 de Abril #digestivo10anos
>>> Não presta, mas vá ver
>>> Sobre o Jabá
>>> Crise da Democracia
Mais Recentes
>>> A Hora Do Amor de Christopher Palmer pela Artenova (1971)
>>> Moderna Plus - Quimica 1 - Quimica Na Abordagem Do Cotidiano *Parte I* de Tito Canto pela Moderna (2009)
>>> Matemática Ensino Fundamental 9º Ano - Guia Didatico *Para Viver Juntos* de Carlos N C De Oliveira Felipe Fugita pela Sm (2008)
>>> Geografia 6 - Ensino Fundamental - Guia Didático Para Viver Juntos de Fernando Dos Santos Sampaio pela Sm (2014)
>>> Challenge 1 Book B- Reach Out Series - Yes! de Aline Carvalho E Outros pela Nova Aliança (2012)
>>> 2º Estagio - Matemática - 1º Semestre de Mara Suplicy Vieira Teixeira pela Prontidão (1993)
>>> 1º Estágio - Matemática - 2º Semestre de Mara Suplicy Vieira Teixeira pela Prontidão (1993)
>>> 1º Estágio - Matemática - 1º Semestre de Mara Suplicy Vieira Teixeira pela Prontidão (1993)
>>> Sul da Bahia: Chão de Cacau( Uma Civilização Regional) de Adonias Filho pela Bertrand Brasil (2007)
>>> Sexo Na Cabeça Como O Cerebro Influencia O Amor, O Desejo e Os Relacionamentos de Kayt Sukel pela Zahar (2013)
>>> Sê Tu Uma Benção No Lar de Bispa Franciléia Oliveira pela Mundial
>>> Nunca Faça A Primeira Oferta de Donald Dell pela Campus (2010)
>>> Maldita Morte Romance de Fernando Royuela pela Bertrand Brasil (2005)
>>> Info Exame- Guia Do Video de Airton Lopes (Edição) pela Abril (2006)
>>> Chuva de Outono de Barry Eisler pela Rocco (2003)
>>> Balé da Utopia 2ª Edição de Álvaro Caldas pela Garamond (2006)
>>> Querer Poder Conjugar Guia de Conjugação Verbal de Paulo Aragão pela Imprensa Oficial (2001)
>>> O Monge e O Executivo de James C Hunter pela Sextante (2004)
>>> Caderno Pet Engenharia Mecânicavolume 1 de Fabiana Rodrigues Leta E Marcia M Pimenta Velloso pela Uff (2012)
>>> Biossegurança de Ogm-Uma Visão Integrada Vol. 1 de Marco Antonio F Da Costa & Maria De Fátima pela Publit (2009)
>>> Viii Concurso Municipal de Conto - Coletânea de Prêmio Prefeitura De Nitéroi pela Niterói Livros (2010)
>>> Tribunais Superiores Stf e Stj de Daniella F T Carvalho pela Espaço Juridico (2012)
>>> Seleta de Grégorio De Matos pela Pradense (2013)
>>> Revista Brasileira de Saúde Materno Infantil- Vol 10 Nº2 de João Guilherme Bezerra Alves(Ed) pela Grafica Liceu (2010)
>>> Quem É Vivo Sempre Aparece de Ronaldo Rogerio De Freitas Mourão pela Dp&A (1997)
>>> Processo Penal Para Concursos Vol Ii de Francisco Dirceu Barros pela Elsever (2009)
>>> Poesias Escolhidas de Armindo Trevisan pela Pradense (2011)
>>> Poesias Escolhidas de Armindo Trevisan pela Pradense (2011)
>>> Plt 169- Sociologia Geral e Jurídica de Sergio Cavalieri Filho Luciano Albino pela Forense (2007)
>>> Pense Jovem-O Mais Bem Guardado Segredo Para A Juventude Eterna de Tim Drake E Chris Middleton pela Ediouro (2009)
>>> Palavras Para A Salvação e A Vida Próspera de Bispo Josivaldo Batista pela Clássica (2012)
>>> Oups: O Mensageiro Do Planeta Coração de Lidia Maria Riba(Ed) pela V&R (2006)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2008)
>>> O Engenhoso Fidalgo - Dom Quixote de La Mancha de Miguel De Cervantes pela Pradense (2008)
>>> O Círculo Mágico de Susanna Tamaro pela Rocco (1999)
>>> Nas Asas Do Pensamentos - Trovas de Julieta Wendhausen De Carvalho Gomes pela Cbag (1989)
>>> Lendas Do Sul de Simões Lopes Neto pela Pradense (2011)
>>> Impugnação Ao Cumprimento da Sentença-Coleção Prof A Alvim 9 de Antonio Notariano pela Método (2002)
>>> Impugnação Ao Cumprimento da Sentença-Coleção Prof A Alvim 9 de Antonio Notariano pela Método (2002)
>>> História Ensino Médio 3ºano Manual Do Prof de Ser Protagonista pela Sm (2013)
>>> Estatuto Do Desarmamento de Acordo Com A Lei Nº10826/03 de César Dario Mariano Da Silva pela Forense (2005)
>>> Contos Reunidos de Machado De Assis pela Pradense (2008)
>>> Contos Gauchescos de Simões Lopes Neto pela Pradense (2011)
>>> Bravura Indômita de Charles Portis pela Alfaguara (2011)
>>> Bolinho de Feijão - 10 de Paulo Mendes Campos pela O Dia (1998)
>>> Antologia Poética de Fernando Pessoa pela Pradense (2014)
>>> Advogando Contra A Administração Pública de Marcelo Roque Anderson Maciel Ávila pela Destaque2000 (2000)
>>> Advogando Contra A Administração Pública de Marcelo Roque Anderson Maciel Ávila pela Destaque2000 (2000)
>>> A Arte da Guerra de Sun Tzu pela Pradense (2012)
>>> A Arte da Guerra de Sun Tzu pela Pradense (2012)
COLUNAS

Terça-feira, 10/4/2012
Nuno Ramos, poesia... pois é
Jardel Dias Cavalcanti

+ de 6100 Acessos

Nuno Ramos tem gosto pela palavra. É autor de Ensaio Geral, livro de quase 400 páginas, além de mais 5 obras literárias: O pão do corvo, O mau vidraceiro, Cujo, Ó (prêmio Portugal Telecom de Literatura em 2009) e Junco (livro de poesia). No seu trabalho como artista plástico, também a palavra aparece como um dos elementos principais de sua criação.

Não estranha, portanto, o fato de Nuno Ramos também ser poeta. Seu livro, que denominou Junco, foi editado pela Iluminiras em 2011. O livro reúne poemas escritos e retrabalhados desde 1996, chegando até suas produções de 2010. Junto aos poemas, o poeta publica fotografias duplas, onde aparecem, lado a lado, as figuras de um cachorro caído em estradas e de troncos de árvores abandonados em praias desertas. A orelha do livro foi escrita pela estudiosa de literatura Flora Süssekind.

Depois da leitura de Junco, a primeira coisa que nos vêm à mente é a famosa frase de Mallarmé, endereçada ao pintor Degas, de que "não é com ideias que se fazem versos, mas com palavras". Esta talvez seja a característica principal da relação de Nuno Ramos com a poesia, ou seja, a de tratar o poema como o lugar onde a palavra explode quase como um objeto e não como instrumento de transmissão de ideias. Seu desejo é de reduzir a palavra a si mesma, torná-la independente da ideia, de quem sempre fôra veículo.

Se sua poesia tem uma grande virtude, ela é, antes de qualquer outra, a de abandonar o Eu romântico, característica que ainda assola parte da poesia contemporânea (e causa da desgraça de muitos poetas). Isso, por si só, já coloca Nuno Ramos junto com grande parte da boa poesia publicada hoje no Brasil (como é o caso da poesia de Júlio Castañon Guimarães).

Essa característica se deve, talvez, ao fato de que Nuno Ramos seja um artista plástico, lidando com objetos que são por ele (re)significados a partir de sua própria materialidade. E a poesia, enquanto lugar da vida das palavras, enquanto corpo presente, não deixa de ser um ramo entre outros da própria ideia de arte que Nuno processa.

Essa ideia pode ser reforçada pelas fotografias que conjugam uma relação próxima aos poemas, que são também objetos abandonados à sua condição de pura matéria, palavras deixadas na maré do asfalto das páginas do livro.

Também podemos pensar na ideia da palavra como objeto a partir de uma definição esplêndida que encontramos no livro Cujo, do próprio Nuno Ramos: "A pele do conteúdo cai. Depois de muitas peles, o próprio conteúdo cai. Depois o caído cai. Até a aniquilação."

Essa aniquilação interessa para a arte, lugar onde se detona o trabalho do tempo ao dar aos objetos o direito a uma última aparição, que seja na forma da matéria em estado bruto, só lâmina, mas transmutada na delicada condição poética do seu derradeiro resitir e existir.

A poesia de Nuno Ramos tateia os objetos e por isso estamos tão próximos de sentir sua presença carnal entre nossos dedos. Isso porque cada palavra parece investida de uma corporeidade que não a afasta, através de simbólicos significados ocultos, do objeto que representa. Lendo um dos poemas, o leitor poderá comprovar o que se disse acima:

Por fazer do mar gelatina
e tirar da areia sua opaca
modelagem
é a ti que canto, polvo
coisa mole e desabitada
pelo arcabouço de uma ossada
pronto para a metamorfose
lagarta transparente
onde recentes bichos humanos
mastigam
estrelas íntimas.
São oito veios de coral
canais de pedra e pistilos
renda
de sifões mínimos
onde sobre o alimento
pelo canudo faminto
que suga caule, areia e sal
e tudo o que cabe
numa manhã solar.

Lendo o poema acima, temos a sensação de que é a própria palavra quem fala, fala-se a si mesma, no sentido exigido por Mallarmé, de que ela se desvincula do sujeito, sendo mais "nome" que "verbo". A palavra deixa de ser o condutor de alguma verdade ou de conteúdos anímicos do sujeito (em crise).

Nas artes plásticas a mesma revolução já se processou, onde a tela não é mais o lugar da simples representação ou da transmutação do eu lírico em arte, mas da experiência física dos materiais no seu entre-choque com a forma.

Na literatura, Rimbaud iniciou essa revolução, tornando a palavra independente, sendo som, cor, valendo mais pelo que sugere do que pelo que transmite. Ele sente que o A é negro, "de negro veludo, esmaltado de ouro fino". Depois disso, a palavra teria outro valor na poesia, deixando de ser subordinada ao conteúdo. Não há mais possibilidade de poesia confessional, substituindo-se o EU pela poesia do É.

Em Nuno Ramos algo semelhante se processa, quando sentimos a dimensão sinestésica entre palavra e coisa: "polvo/ coisa mole e desabitada/ pelo arcabouço de uma ossada". Até se pode falar, em Junco, de um além do que desejava a poesia moderna, quando se buscava o casamento entre som e significado em unidades sólidas, o conteúdo intelectivo e o efeito sonoro produzindo um todo orgânico.

Chegando ao limite do dizível, resta à palavra sua existência própria, carnal, seu cheiro próprio, sua materialidade única, objectual, excluindo da sua relação com o homem a comunhão simbólica (já que a linguagem per si está em crise - ou Beckett não existiria), mantendo a distância entre as coisas e o eu. Poesia como "faca, só lâmina", como no verso de João Cabral, que Nuno admira tanto, chegando a dar à sua exposição no SESC o título "Só Lâmina".

É nesta clave que se situa a poesia de Nuno Ramos. E o casamento entre a plástica da fotografia e as palavras do poema em Junco está longe de servir como um instrumento de ilustração de um para o outro. Não são os significados que dão valor aos objetos (cachorro, troncos, palavras), são os objetos que se significam enquanto existência bruta, impondo-se peremptoriamente ao expectador, seja como coisa vazia de sentido (como o próprio homem), ou seja como o oceano deserto ou a estrada perdida, onde ancoramos nosso olhar, deitado sobre o vazio do objeto que se decompõe em inevitável aniquilamento, no nada.

Nuno Ramos não se deixa cair na cilada fácil da explicação/significação, fazendo nos seus versos as palavras retornarem ao lugar objectual que lhe interessa. Veja-se, por exemplo, a seguinte construção: "Um figo seco/ na praia onde fungos/ úmidos/ na praia onde fungos úmidos." Embora o poema prossiga, é preciso deter-se na matéria dos "fungos úmidos", é preciso que se lhes reconheça enquanto tal.

À questão nietzschiniana do sentido da palavra, de quem fala e porque fala, se fosse endereçada ao poeta Nuno Ramos, embora já saibamos, que quem fala é a própria palavra, ele responderia com sua própria poesia:

"(...)
Mas já velho navegado
Desejoso apenas de contar
os grãos do chão mais reles

de ler com as mãos
o texto que há nos veios
úmidos da árvore

horizontal, disponível
para autópsia
que encontrei na areia bege

de sentir a umidade
subir por meus cabelos
e o marrom quase da merda

contaminar as folhas verdes
de compreender com olfato
o signo

líquido
das entranhas
desses cães que idolatro (...)"


Jardel Dias Cavalcanti
Londrina, 10/4/2012


Quem leu este, também leu esse(s):
01. O tremor na poesia, Fábio Weintraub de Jardel Dias Cavalcanti
02. Pokémon Go, você foi pego de Luís Fernando Amâncio
03. A Palavra Mágica de Marilia Mota Silva
04. Jardim da Infância de Ricardo de Mattos
05. Histórias de gatos de Carla Ceres


Mais Jardel Dias Cavalcanti
Mais Acessadas de Jardel Dias Cavalcanti em 2012
01. Roland Barthes e o prazer do texto - 21/8/2012
02. A morte de Sardanapalo de Delacroix - 31/7/2012
03. Semana de 22 e Modernismo: um fracasso nacional - 6/3/2012
04. A origem da dança - 14/2/2012
05. Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte II) - 31/1/2012


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




WOLVERINE Nº 92 - OUTUBRO / 99 - MAVERICK - UM RIVAL À ALTURA!
MARVEL COMICS
ABRIL
(1999)
R$ 7,00



AVENTURAS HISTÓRIA MAÇONARIA - 4125
DIVERSOS
ABRIL
(2008)
R$ 10,00



EVIDÊNCIAS DA VIDA APÓS A MORTE
JEFFREY LONG, PAUL PERRY
LAROUSSE
(2010)
R$ 28,00



AGOSTO NO CAIRO 1956
URBANO TAVARES RODRIGUES
INSTITUTO CAMÕES
(1999)
R$ 18,70



O MODELO DE MEDO E RAIVA - 6312
DIOGO LARA
REVOLUÇAO DE IDEIAS
(2006)
R$ 12,00



CURSOS MONOGRAFICOS: VOLUMEN III
ACADEMIA INTERAMERICANA DE DERECHO
LA HABANA
(1953)
R$ 25,00



A VIDA SECRETA DE JONAS
LUIZ GALDINO
ATICA
(1989)
R$ 7,00



MANUAL DE CIÊNCIA DAS FINANÇAS
ALBERTO DEODATO
SARAIVA
(1984)
R$ 49,90
+ frete grátis



CARLOS DRUMOND DE ANDRADE
RITA DE CASSIA BARBOSA
LITERATURA COMENTADA
(1980)
R$ 19,90
+ frete grátis



CURSO DE DIREITO COMERCIAL VOL 2
RUBENS REQUIÃO
SARAIVA
(1995)
R$ 35,91
+ frete grátis





busca | avançada
47273 visitas/dia
1,3 milhão/mês