A origem da dança | Jardel Dias Cavalcanti | Digestivo Cultural

busca | avançada
75735 visitas/dia
2,4 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Oficina de Objetos de Cena nas redes do Sesc 24 de Maio
>>> Lançamento: livro “A Cultura nos Livros Didáticos”, de Lara Marin
>>> Exposição coletiva 'Encorpadas - Grandes, largos, políticos: corpos gordos'
>>> Clássicos da Literatura Unesp ganha mais cinco títulos
>>> Bertolt Brecht inspira ÉPICO
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> 2021, o ano da inveja
>>> Pobre rua do Vale Formoso
>>> O que fazer com este corpo?
>>> Jogando com Cortázar
>>> Os defeitos meus
>>> Confissões pandêmicas
>>> Na translucidez à nossa frente
>>> A Velhice
>>> Casa, poemas de Mário Alex Rosa
>>> Doutor Eugênio (1949-2020)
Colunistas
Últimos Posts
>>> Gente feliz não escreve humor?
>>> A profissão de fé de um Livreiro
>>> O ar de uma teimosia
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
>>> Chico Buarque em bate-papo com o MPB4
Últimos Posts
>>> Tonus cristal
>>> Meu avô
>>> Um instante no tempo
>>> Salvem à Família
>>> Jesus de Nazaré
>>> Um ato de amor para quem fica 2020 X 2021
>>> Os preparativos para a popular Festa de Réveillon
>>> Clownstico de Antonio Ginco no YouTube
>>> A Ceia de Natal de Os Doidivanas
>>> Drag Queen Natasha Sahar interpreta Albertina
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Partilha do Enigma: poesia de Rodrigo Garcia Lopes
>>> Comum como uma tela perfeita
>>> Revista Meio Digital
>>> Do jornalismo como performance
>>> A Nova Revista da Cultura
>>> Aos nossos olhos (e aos de Ernesto)
>>> A Teoria Hipodérmica da Mídia
>>> Os prédios mais feios de SP
>>> Fup, de Jim Dodge
>>> Harry Potter e eu
Mais Recentes
>>> A Lei Universal da Atração - Psicologia de Esther e Jerry Hicks pela Sextante (2007)
>>> Coleção Biblioteca de Arte - Os Impressionistas - Degas de Editora Três pela Três (1973)
>>> Coleção Biblioteca de Arte - Os Impressionistas - Cézanne de Editora Três pela Três (1973)
>>> Coleção Abril Cultural Mestres da Pintura - Van Gogh de Editora Abril pela Abril (1977)
>>> Rachel O Mundo Por Escrito -Infanto Juvenil de Tercia Montenegro pela Democrito Rocha (2016)
>>> Coleção Abril Cultural Mestres da Pintura - Toulouse-Lautrec de Editora Abril pela Abril (1977)
>>> Coleção Abril Cultural Mestres da Pintura - Tiepolo de Editora Abril pela Abril (1977)
>>> Coleção Abril Cultural Mestres da Pintura - Ticiano de Editora Abril pela Abril (1977)
>>> Coleção Abril Cultural Mestres da Pintura - Renoir de Editora Abril pela Abril (1977)
>>> Coleção Abril Cultural Mestres da Pintura - Rembrandt de Editora Abril pela Abril (1977)
>>> Coleção Abril Cultural Mestres da Pintura - Rafael de Editora Abril pela Abril (1977)
>>> Coleção Abril Cultural Mestres da Pintura - Piero de la Francesca de Editora Abril pela Abril (1977)
>>> Sonetos de Luís de Camões pela Livraria Tavares Martins (1959)
>>> Coleção Abril Cultural Mestres da Pintura - Picasso de Editora Abril pela Abril (1977)
>>> Coleção Abril Cultural Mestres da Pintura - Mondrian de Editora Abril pela Abril (1977)
>>> Coleção Abril Cultural Mestres da Pintura - Miró de Editora Abril pela Abril (1977)
>>> Coleção Abril Cultural Mestres da Pintura - Michelangelo de Editora Abril pela Abril (1977)
>>> Coleção Abril Cultural Mestres da Pintura - Mantegna de Editora Abril pela Abril (1977)
>>> Coleção Abril Cultural Mestres da Pintura - Manet de Editora Abril pela Abril (1977)
>>> Coleção Abril Cultural Mestres da Pintura - Ingres de Editora Abril pela Abril (1977)
>>> Coleção Abril Cultural Mestres da Pintura - Giotto de Editora Abril pela Abril (1977)
>>> Coleção Abril Cultural Mestres da Pintura - Gauguin de Editora Abril pela Abril (1977)
>>> Coleção Abril Cultural Mestres da Pintura - Frans Hals de Editora Abril pela Abril (1977)
>>> Coleção Abril Cultural Mestres da Pintura - El Greco de Editora Abril pela Abril (1977)
>>> Coleção Abril Cultural Mestres da Pintura - Dürer de Editora Abril pela Abril (1977)
>>> Coleção Abril Cultural Mestres da Pintura - Delacroix de Editora Abril pela Abril (1977)
>>> Coleção Abril Cultural Mestres da Pintura - Courbet de Editora Abril pela Abril (1977)
>>> Coleção Abril Cultural Mestres da Pintura - Caravaggio de Editora Abril pela Abril (1977)
>>> Volta ao mundo em 13 escolas: sinais do futuro no presente de André Gravatá; Camila Piza; Carla Mayumi; Eduardo Shimahara pela Fundação Telefonica (2013)
>>> Tensões na educação de Florestan Fernandes pela Sarahletras (1995)
>>> Empreendedorismo criativo de Mariana Castro pela Portfolio Penguin (2014)
>>> Políticas públicas e agricultura no Brasil de Sérgio Leite (organizador) pela UFRGS (2009)
>>> Contos Húngaros de Apresentação Paulo Rónai pela Biblioteca Universal Popular (1964)
>>> Coleção Abril Cultural Mestres da Pintura - Brueghel* de Editora Abril pela Abril (1977)
>>> Gramática da língua portuguesa para concursos, vestibulares, ENEM, colégios técnicos e militares de Nílson Teixeira de Almeida pela Saraiva (2009)
>>> Administração nos novos tempos de Idalberto Chiavenato pela Campus (1999)
>>> Ensino de empreendedorismo no Brasil de Rose Mary Almeida Lopes pela Alta Books (2017)
>>> Desperte o empreendedor que há em você de Michael E. Gerber pela M. Books (2010)
>>> Coleção Abril Cultural Mestres da Pintura - Botticelli de Editora Abril pela Abril (1977)
>>> Empreendedorismo e educação empreendedora de José J. Previdelli (organizador); Vilma Meurer Sela (organizadora) pela Unicorpore (2006)
>>> Roleplaying game e a pedagogia da imaginação no Brasil de Sonia Rodrigues pela Bertrand (2004)
>>> Coleção Abril Cultural Mestres da Pintura - Bosch de Editora Abril pela Abril (1977)
>>> The strategy concept: a pragmatic approach de Arnoldo C. Hax; Nicolas S. Majluf pela Prentice Hall (1996)
>>> Análise sintática aplicada de Luiz Cadore pela AGE (2013)
>>> Chagall de François Le Targat pela Livro Técnico SA
>>> Crianças como você: um extraordinário mergulho na vida de crianças do mundo todo de Agop Kayayan pela Ática (2002)
>>> Crianças como você: um extraordinário mergulho na vida de crianças do mundo todo de Agop Kayayan pela Ática (2002)
>>> Enfermagem atual: o X da questão de Francisco Costa pela Revic (2003)
>>> AVES DO BRASIL de AUGUSTO RUSCHI pela VILA RICA (1991)
>>> Atlas dos Estilos Artisticos de R. Fradera Veiga pela Ediciones Jover SA
COLUNAS

Terça-feira, 14/2/2012
A origem da dança
Jardel Dias Cavalcanti

+ de 14200 Acessos

No palco, o bailarino estende seu braço para além de qualquer gesto identificado no hábito da vida comum. Ele busca expressar alguma coisa, não sabemos bem o que, algo subjetivo,comunicado pela forma com que seu corpo gira, extendendo-se em posições desnecessárias à existência comum: ele dança. Porque ele precisa dançar para nos levar para essa zona obscura da nossa vida: a sensibilidade?

De uma forma geral, diversos autores, entre eles Miriam G. Mendes, Eliana Caminada, Antonio Faro, Luis Elmerich, Dalal Achaar, atestam que a essência da dança do homem primitivo surgiu de uma necessidade emocional de se expressar, percebendo as forças da natureza, o seu poder misterioso e tendo a vontade de imitar essa força, de possuir essa força. A dança teria, então, um caráter mágico, estando ligada a rituais e cerimônias, aos desdobramentos dos poderes da natureza. Essa concepção a respeito da origem da dança descarta outros componentes que poderiam ser discutidos e que explicariam o sentido do dançar.

No Período Paleolítico, quando o homem primitivo fez pinturas de animais em cavernas como forma mágica de se preparar para possuir aquele animal que iria abater na caça, traria a dança em seu corpo como parte integrante desse ritual de emanação de seus poderes? Talvez esteja aí uma grande questão a ser discutida: como o homem chegou ao desenvolvimento desses movimentos e gestos para, então, se utilizar dessa memória corporal usando-a em rituais?

É evidente que há a questão do desenvolvimento físico, do homem se tornar um bípede e na busca por dominar seu corpo, que traz essa apreensão do desenvolvimento gestual como uma memória corporal que vai se formulando:

Podemos afirmar que na busca evolutiva de libertação do corpo, a dança se instala como culminância de um longo processo. Libertar o corpo e dominá-lo parece ser o destino inexorável do homem. A dança emerge como explicitação desta conquista humana.

Essa discussão acaba por esbarrar em questões levantadas por outros autores, como Miriam G. Mendes, Mônica Dantas, Susanne Langer, que perguntam: até que ponto todo movimento e gesto é considerado dança? Fica claro que não, nem todo gesto é dança, pois o fazer-se da dança é a imaginação, pois todo gesto e movimento para ser considerado dança deve ser imaginado.

O homem primitivo já não possuiria no desenrolar de seu desenvolvimento geral e em específico, no seu pensamento, seu processo criativo, o imaginário, para ter criado posteriormente essa noção de possuir os poderes do mágico?

Vários são os pensadores que se debruçaram sobre esta importante questã: afinal o que levaria o ser humano a criar um universo paralelo à sua própria vida e que denominaria ARTE? O que estaria na origem da criação de determinado gênero artístico (música, dança, literatura, pintura, etc) é tão específico em suas origens quanto nas explicações sobre elas.

O universo de explicações à pergunta "o que levou o homem a dançar?" é grande. Cada historiador da dança, cada esteta, cada dançarino que se queira também pensador da dança, emitiu o resultado de suas reflexões sobre o tema. Em geral tantos são os pensadores quanto diferentes são suas interpretações sobre o tema.

Desde a idéia de Susanne Langer, de que "os primeiros ingredientes da arte são geralmente formas acidentais encontradas no meio ambiente cultural, que exercem atração sobre a imaginação como elementos artísticos usáveis" , passando por Rudolf Laban que diz que o gesto (elemento básico da dança) se origina do sentimento real, onde "de um golpe, como relâmpago, o entendimento torna-se plástico" , até Curt Sachs que, no seu famoso livro A world history the dance, vê que "a dança dos homens é, em seu início, uma agradável reação motora em um padrão ritmico" , as interpretações fornecem amplo material para o debate.

Para que o debate seja implementado com coerência e que as diferenças sejam avaliadas claramente, faz-se necessário chegar-se a uma conclusão necessária sobre o que seja a dança, pois na raiz das interpretações sobre a origem da dança estão expostas também as definições do que seja a dança em si enquanto arte. Quando é que um movimento torna-se arte? São perguntas importantes, pois definem a arte da dança.

Seria a dança, então, como define Camila Wedgewood, na Enciclopédia Britânica, "um fenômeno rítmico de alguma ou todas as partes do corpo para expressar emoções e idéias, segundo um esquema individual ou coletivo?"

Suzanne Langer, no seu livro Sentimento e Forma, questiona esta relevância da função biológica da dança, antes dela ter adquirido o status de arte.

Curt Sachs, por sua vez, definiu a dança como um conjunto organizado de movimentos ritmados do corpo sem nenhum aspecto utilitário, isto é, sem servir para finalidades de trabalho. Considerou-a, também, uma arte básica e prioritária em relação a todas as outras expressões de criatividade humana porque o bailarino usa o próprio corpo para elaborar o produto de sua criação. "Nenhum elemento se interpõe entre o criador e a criação contidos numa só pessoa".

O mesmo Curt Sachs diz que é perdendo seu caráter pragmático, religioso, que a dança foi elevada ao status de drama, ou seja, quando sua estrutura voltou-se para o dramáticoela tornou-se uma preocupação do campo da arte.

Idéia que também pode ser questionada, pois a dança não perdeu absolutamente seu sentido mítico (de revelar modelos exemplares de todos os ritos e atividades humanas significativas, segundo definição de Micea Eliade), agregando elementos rituais que expressam a existência de práticas da comunidade humana (casamento, trabalho, alimentação).

Povos primitivos, pelo que se pode ver através de estudos de antropólogos, arqueólogos e historiadores, procuravam expressar com o movimento e o gesto características rituais através de dramatizações dançantes, sendo esses movimentos comunicadores de seu sentido espiritual e social.

É nesse sentido que partem muitas explicações da origem da dança, cuja ênfase é cultural, ou seja, da dança como elemento organizador do trabalho e da comunidade humana.

Não resta dúvida de que a dança modificou-se, que seu sentido alterou-se dentro da história, mas a pergunta que nos ocupa aqui continua sendo relevante: afinal, o que levou o homem a criar movimentos sem fins utilitários, ou seja, simplesmente dançar?

Como em todas as artes, foi o desejo de se reinventar para além da sua existência puramente biológica, para além da simples organização prática da vida, em busca de uma transcendência que só a arte pode dar.


Jardel Dias Cavalcanti
Londrina, 14/2/2012


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Meu querido aeroporto #sqn de Ana Elisa Ribeiro
02. O luto e o luto de Valter Hugo Mãe de Wellington Machado
03. Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I) de Jardel Dias Cavalcanti
04. O silêncio e o segredo na Literatura de Mariana Portela
05. 2009 e minhas leituras de Rafael Fernandes


Mais Jardel Dias Cavalcanti
Mais Acessadas de Jardel Dias Cavalcanti em 2012
01. Roland Barthes e o prazer do texto - 21/8/2012
02. A morte de Sardanapalo de Delacroix - 31/7/2012
03. Semana de 22 e Modernismo: um fracasso nacional - 6/3/2012
04. A origem da dança - 14/2/2012
05. Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte II) - 31/1/2012


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




VIVER A VIDA
FREI LUIZ CARLOS DO NASCIMENTO
VOZES
(2004)
R$ 10,00



FORÇA INTERIOR ENSINAMENTOS PRÁTICOS PARA UMA VIDA MELHOR
CARLOS FRANÇA
CÍRCULO DO LIVRO
(1988)
R$ 10,00



COMO CRIAR EM ILUMINAÇÃO
DESIGN MUSEUM
GUTENBERG
(2011)
R$ 10,00



SALVE-SE QUEM PUDER - O FANTASMA DO ESPELHO
KAREN DOLBY
SCIPIONE
(2013)
R$ 10,00



JÓIAS DE OURO PRETO
TOBIAS PINHEIRO
DO AUTOR
(1997)
R$ 10,00



TERRA ESPETACULAR - 4481
DIVERSOS
READERS DIGEST
(1997)
R$ 10,00



MENSAGEM DA BONDADE
P. EDUARDO PAVANETTI
PAULINAS
(1974)
R$ 10,00



OZANAM UM SÁBIO ENTRE OS POBRES
MADELEINE DES RIVIÈRES
LOYOLA
(1984)
R$ 10,00



A GRANDE TRANSIÇÃO PLANETÁRIA: E O EXÍLIO DO HOMEM
JOÃO ISAAC
JOÃO ISAAC
R$ 10,00



LITERATURA SEM SEGREDOS REALISMO (MACHADO DE ASSIS) VOL. 05 - 9063
CLENIR BELLEZI DE OLIVEIRA
ESCALA EDUCACIONAL
(2007)
R$ 10,00





busca | avançada
75735 visitas/dia
2,4 milhões/mês