Um alucinante encontro com Lula | Elisa Andrade Buzzo | Digestivo Cultural

busca | avançada
51542 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Cia Triptal celebra a obra de Jorge Andrade no centenário do autor
>>> Sesc Santana apresenta SCinestesia com a Companhia de Danças de Diadema
>>> “É Hora de Arte” realiza oficinas gratuitas de circo, grafite, teatro e dança
>>> MOSTRA DO MAB FAAP GANHA NOVAS OBRAS A PARTIR DE JUNHO
>>> Ibevar e Fia-Labfin.Provar realizam uma live sobre Oportunidades de Carreira no Mercado de Capitais
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> As maravilhas do modo avião
>>> A suíte melancólica de Joan Brossa
>>> Lá onde brotam grandes autores da literatura
>>> Ser e fenecer: poesia de Maurício Arruda Mendonça
>>> A compra do Twitter por Elon Musk
>>> Epitáfio do que não partiu
>>> Efeitos periféricos da tempestade de areia do Sara
>>> Mamãe falhei
>>> Sobre a literatura de Evando Nascimento
>>> Velha amiga, ainda tão menina em minha cabeça...
Colunistas
Últimos Posts
>>> Fabio Massari sobre Um Álbum Italiano
>>> The Number of the Beast by Sophie Burrell
>>> Terra... Luna... E o Bitcoin?
>>> 500 Maiores Álbuns Brasileiros
>>> Albert King e Stevie Ray Vaughan (1983)
>>> Rush (1984)
>>> Luiz Maurício da Silva, autor de Mercado de Opções
>>> Trader, investidor ou buy and hold?
>>> Slayer no Monsters of Rock (1998)
>>> Por que investir no Twitter (TWTR34)
Últimos Posts
>>> Parei de fumar
>>> Asas de Ícaro
>>> Auto estima
>>> Jazz: 10 músicas para começar
>>> THE END
>>> Somos todos venturosos
>>> Por que eu?
>>> Dizer, não é ser
>>> A Caixa de Brinquedos
>>> Nosferatu 100 anos e o infamiliar em nós*
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Mais espetáculo que arte
>>> teu filho, teu brilho
>>> O Medium e o retorno do conteúdo
>>> A Poli... - 10 anos (e algumas reflexões) depois
>>> Web-based Finance Application
>>> Pensando sozinho
>>> Aventuras pelo discurso de Foucault
>>> Chega de Escola
>>> Hipermediocridade
>>> A luta mais vã
Mais Recentes
>>> O Que é Psicologia Social de Silvia Tmaurer Lane pela Brasiliense (2000)
>>> Militia de Léon Degrelle pela ‎ Edizioni Di Ar (2003)
>>> Cenas Urbanas Dialogo de Júlio Emílio Braz pela Scipione (2012)
>>> Projeto Multiplo - Gramatica & Texto - Parte 2 de José de Nicola pela Scipione Didaticos (2014)
>>> Como se tornar rico de Hugo Bessone pela Solar (2003)
>>> Verdades de Fogo de Claudio Dias pela Palavra & Prece (2012)
>>> Antigamente era assim de Julio Capile pela Valci (2004)
>>> Empreendedores de Eduardo Glitz pela Gente (2019)
>>> A Segunda Pátria de Miguel Sanches Neto pela Intrinseca (2015)
>>> Desestórias de Márcia Denser pela Kotter (2015)
>>> Moderna Plus - Física 2: os Fundamentos da Física, Parte I de Francisco Ramalho Junior pela Moderna (2015)
>>> Os Pensadores: Leibniz, Vol. II de Nova Cultural pela Nova Cultural (1988)
>>> Descobrindo a História 5ª Série - Brasil Colônia de Sônia Mozer e Vera Telles pela Ática (2002)
>>> Porta Retrato - Poemas e Poemas de Luiza Clara Nogueira pela Aseel (2005)
>>> O último dos Moicanos - Clássicos Adaptados Larousse de James F. Cooper pela Larousse (2005)
>>> O Leitor de Bernhard Schlink; Pedro Sussekind pela Record (2009)
>>> A Economia do Cedro de Carlos Alberto Júlio pela Virliae (2011)
>>> Loja Vivas de Edmour SaiNI pela Senac (2001)
>>> Antõnio Descobre Veredas de Deborah Kietzmann pela Biruta
>>> Caleidoscópio - Em busca de si mesmo de Terezinha de Jesus pela otimismo (1997)
>>> Socialismo Democracia de Roberto Amaral pela Fundação João Mangabeira (2011)
>>> O Massacre de Sabra e Chatila de Amnon Kapelopuk pela Veja (1983)
>>> Gol de Padre de Stanislaw Ponte Preta pela Ática (2003)
>>> O Vendedor de Armas de Hugh Laurie pela Planeta do Brasil (2010)
>>> Testes Psicométricos e Projetivos - Medidas Psico-educacionais de Goderdo baquero pela Loyola (1983)
COLUNAS

Quinta-feira, 11/10/2012
Um alucinante encontro com Lula
Elisa Andrade Buzzo

+ de 2500 Acessos

Derrapo na calçada de pedras em frente à Sé, a despeito do escapulário. Diante da possibilidade do tombo, que não aconteceu, abririam-se outras frentes e, enquanto fujo da cena, a mulher que a acompanhou me diz "não cai, não". Eh, povo solidário! Na praça, um pouco mais vazia do que o usual, há um trio elétrico, jingles eleitorais profanando a sacralidade daquelas escadas, em que o corpo se assenta para contemplar a vida, algumas bandeiras vermelhas sacolejando molemente em trinta graus primaveris.

Dobro a Benjamin Costant em direção ao Largo São Francisco. Tive a semana toda, mas bem nesta sexta-feira sinto um impulso irresistível de ir ao centro. Ao lado da biblioteca de Direito, logo rente à sua estrutura na calçada, moradores de rua improvisaram cabanas de lona preta, grandes garrafas d'água aparecem por sobre o plástico, pertences dispostos ao chão. É quase um conjunto habitacional clandestino que se apresenta desavergonhado, diante das belas construções próximas à Faculdade de Direito. Estamos na véspera de eleição de vereadores e prefeito, e neste dia a cidade mostra tudo o que tem de bom e de ruim, de descaso e sentimento. Quem se importa em olhar para ela?

Resolvo comprar chocolates na João Mendes, e aproveito para fazer uma rápida passagem por sebos − encontro as prostitutas de calça branca e barriga de fora, postadas como postes, apenas os rostos se mexendo de leve no murmúrio da praça. Neste mundo variado do centro, abandono mais esta em busca de algo, de um vidrinho de óleo de rosa-mosqueta, perco-me nas lojas de bálsamos e produtos naturais entre sete ervas e sabonetes medicinais. E o sentido oculto daquele passeio se desvenda retornando à Sé a caminho do metrô, quando ouço a locutora do trio elétrico dizer "Lá vem o Lula!".

Lá está Lula, é ele, um homem que as poucos vira lenda, de camiseta polo vermelha, risonho, risonho, é o que vejo de três degraus acima da escadaria da Sé. Um salva de flashes o aborda no momento exato em que sai do carrão preto. Seguranças mal-encarados fazem um bloqueio, mas o povo não está lá muito empolgado para cometer excessos. Como é bom estar na vida a passeio. Apenas alguns arrastam na boca mole bordões, enquanto na boca de entrada do metrô, chips da Oi são vendidos por três reais. Tarde modorrenta, que assim não seria se Lula saísse junto ao povo, subindo as escadas-rolantes do metrô, rendendo loas à festa da democracia que ocorreria no dia seguinte. Mesmo assim, meu coração se aperta frente a história brasileira que um dia será distante. Eu, na Sé, aos trinta anos, vi o ex-presidente Lula. E destes pequenos momentos a vida se faz grande.

Talvez nada disso fosse, pois aquele foi um esquenta de um dia natimorto. Dia de eleição é dia neutro, de tempo parado. Domingo quente, alguns enfrentam filas para votar, reclamam. Minha seção é a calma em pessoa; e uma tristeza e uma alegria da minha vida é não ser mesária, ficar longe do burburinho midiático, não ver gente. Na sala de aula eles falam meu nome e assim, sinto um estremecimento novamente, aqui estou em mais uma eleição, mais dirigentes, mais vida, o indicador sereno na urna e o sentimento de impotência, do fracasso de um sistema.

E assim, unidos, estivemos num dia nulo e branco, em que a claridade tem sempre algo de mórbido e risonho. Santinhos espalhados pelo chão, como num ritual já previsto e aceito. Senhoras e senhores subindo mansamente os degraus, rumo ao dever de cidadão. Uma paz imperturbável de dia cívico, o quadro de Marechal Deodoro em permanência barbuda e plácida, um meio sorriso em cada boca dentro dos colégios eleitorais.

Foi então que, andando pelos corredores do colégio, reparei na estante de química e ciências. Estante antiga de madeira envidraçada, como sempre encontramos nas escolas. Entre crustáceos e répteis embebidos em formol, o conteúdo de um dos vidros de azeitona me chama a atenção. Relembro-o de outra eleição: um feto esbranquiçado boiando no líquido morto. De modo que, ainda mais fundo neste dia democrático, um brasileirinho sem nome, cuja vida e direito ao voto foram prematuramente decepados, num gesto definitivo estende ao pequeno rosto uma das mãos.


Elisa Andrade Buzzo
São Paulo, 11/10/2012


Quem leu este, também leu esse(s):
01. 2021, o ano da inveja de Luís Fernando Amâncio
02. Sobreviver à quarentena de Luís Fernando Amâncio
03. Domingão, domingueira de Ana Elisa Ribeiro
04. Os Doze Trabalhos de Mónika. 4. Museu Paleológico de Heloisa Pait
05. Longa vida à fotografia de Fabio Gomes


Mais Elisa Andrade Buzzo
Mais Acessadas de Elisa Andrade Buzzo em 2012
01. Lobo branco em selva de pedra: Eduardo Semerjian - 1/3/2012
02. O lilás da avenida sou eu - 13/9/2012
03. Perdidos em Perdizes - 28/6/2012
04. Ode ao outono - 12/4/2012
05. O crime da torta de morango - 18/10/2012


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O Ateneu - Biblioteca Folha 16
Raul Pompéia
Ediouro



Guia para Elaboração de Monografias e Trabalhos de Conclusão de C
Alexandre Lintz e Gilberto de Andrade Martin
Atlas
(2000)



Criando Você e Cia
William Bridges
Campus
(1998)



Black Rock Shooter Innocent Soul - Vols 1 ao 3
Huke e Sanami Suzuki
Panini Comics
(2016)



Tu Frankenstein III
Vários autores
Besouro Box
(2015)



Sénèque, sa vie, son oeuvre, sa philosophie
Pierre Grimal
Presses Universitaires de France
(1957)



Prehistoria de Suramérica
Juan Schobinger
Labor
(1973)



Cadernos de Leituras - Clássicos Brasileiros
Mariana Mendes (org.)
Companhia das Letras
(2015)



A Polegarzinha
Vários
Impala
(2000)



Memórias de um fusca
Orígenes Lessa
Global
(2013)





busca | avançada
51542 visitas/dia
1,8 milhão/mês