Toda poesia de Paulo Leminski | Humberto Pereira da Silva | Digestivo Cultural

busca | avançada
63898 visitas/dia
2,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Documentário inédito sobre Luis Fernando Verissimo estreia em 2 de maio nos cinemas
>>> 3ª Bienal Black abre dia 27 de Abril no Espaço Cultural Correios em Niterói (RJ)
>>> XV Festival de Cinema da Fronteira divulga programação
>>> Yassir Chediak no Sesc Carmo
>>> O CIEE lança a página Minha história com o CIEE
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> O Big Brother e a legião de Trumans
>>> Garganta profunda_Dusty Springfield
>>> Susan Sontag em carne e osso
>>> Todas as artes: Jardel Dias Cavalcanti
>>> Soco no saco
>>> Xingando semáforos inocentes
>>> Os autômatos de Agnaldo Pinho
>>> Esporte de risco
>>> Tito Leite atravessa o deserto com poesia
>>> Sim, Thomas Bernhard
Colunistas
Últimos Posts
>>> Glenn Greenwald sobre a censura no Brasil de hoje
>>> Fernando Schüler sobre o crime de opinião
>>> Folha:'Censura promovida por Moraes tem de acabar'
>>> Pondé sobre o crime de opinião no Brasil de hoje
>>> Uma nova forma de Macarthismo?
>>> Metallica homenageando Elton John
>>> Fernando Schüler sobre a liberdade de expressão
>>> Confissões de uma jovem leitora
>>> Ray Kurzweil sobre a singularidade (2024)
>>> O robô da Figure e da OpenAI
Últimos Posts
>>> AUSÊNCIA
>>> Mestres do ar, a esperança nos céus da II Guerra
>>> O Mal necessário
>>> Guerra. Estupidez e desvario.
>>> Calourada
>>> Apagão
>>> Napoleão, de Ridley de Scott: nem todo poder basta
>>> Sem noção
>>> Ícaro e Satã
>>> Ser ou parecer
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Diploma ou não diploma... não é esta a questão
>>> Minha casa, sua casa
>>> Linger by IMY2
>>> A hora certa para ser mãe
>>> Cenas de abril
>>> Por que 1984 não foi como 1984
>>> A dicotomia do pop erudito português
>>> Coisas nossas
>>> Caso Richthofen: uma história de amor
>>> Apresentação autobiográfica muito solene
Mais Recentes
>>> A Terra dos Meninos Pelados de Graciliano Ramos pela Galera Junior (2015)
>>> Alimentação sem Carne de Eric Slywitch pela Alaúde (2016)
>>> Maus: A História de um Sobrevivente - História Completa de Art Spiegelman pela Cia. das Letras (2005)
>>> Alex no País dos Números de Alex Bellos pela Companhia das Letras (2011)
>>> A História da Medicina de Anne Rooney pela M. Books (2013)
>>> História da Arte Italiana - 3 Volumes de Giulio Carlo Argan pela Cosac Naify (2003)
>>> Justiça: O Que é Fazer a Coisa Certa (Edição Especial Capa Dura) de Michael J. Sandel pela Civilização Brasileira (2021)
>>> Cem Anos de Solidão de Gabriel García Márquez pela Record (2009)
>>> O Outono da Idade Média de Johan Huizinga pela Cosac Naify (2010)
>>> Vocabulário da Psicanálise de Laplanche e Pontalis pela Martins Fontes (1998)
>>> Meditações Diárias Para Mulheres Que Amam Demais de Robin Norwood pela Rocco (2009)
>>> Supertição no Brasil de Luís da Câmara Cascudo pela Global (2001)
>>> Marketing Trends de Francisco Alberto Madia de Souza pela Makron Books (2000)
>>> Retorno Do Investimento Em Capital Humano de Jac Fitz-enz pela Makron Books (2001)
>>> O Gigante Enterrado de Kazuo Ishiguro pela Companhia das Letras (2017)
>>> O Fim Do Poder de Moisés Naím pela Leya (2013)
>>> Introdução as Obras de Freud, Ferenczi, Groddeck, Klein, Winnicott, Dolto, Lacan de J. D. Nasio pela Jorge Zahar (1995)
>>> Amor Incondicional E Perdão de Edith Stauffer pela Totalidade (2007)
>>> Tarde Demais de Colleen Hoover pela Record (2022)
>>> A Bíblia Dos Meninos de Carolyn Larsen pela Mundo Cristão (2000)
>>> Peter Camenzind de Hermann Hesse pela Todavia (2022)
>>> Cuidando da Família em Crise de T. Berry Brazelton pela Martins Fontes (1991)
>>> Livro Game Of Thrones: Guia Completo Da Serie Da Hbo de Bryan Cogman pela Leya (2013)
>>> Talvez Uma Historia De Amor de Martin Page pela Rocco (2009)
>>> Por Voce- Vol. 1 de Laurelin Paige pela Fabrica231 (2015)
COLUNAS

Quarta-feira, 8/5/2013
Toda poesia de Paulo Leminski
Humberto Pereira da Silva
+ de 7900 Acessos



Acaba de ser lançada Toda Poesia (Companhia das Letras, 421 pág.), de Paulo Leminski (1944-1989). A edição reúne livros publicados em vida, Caprichos e relaxos (1983) e Distraídos venceremos (1987), que foram objetos de culto entre apreciadores de poesia nos anos de 1980; traz também livros raros, como Quarenta clics em Curitiba (1976), e póstumos, como La vie em close (1991).

Edição "caprichada", enriquecida pela apresentação de Alice Ruiz, viúva do poeta, assim como pela reprodução de textos de Haroldo de Campos, Caetano Veloso, Leyla Perrone-Moisés e Wilson Bueno, que fizeram "orelhas" para as primeiras edições de seus livros. Completa ainda Toda poesia breve ensaio de José Miguel Wisnik, no qual é tratada da importância das incursões de Leminski no meio cancionista: destaque para "Verdura", canção gravada por Caetano Veloso em Outras Palavras (1981).

O curitibano Paulo Leminski foi principalmente uma figura de proa na cena cultural dos anos de 1980. Além de poeta, escreveu prosa experimental, Catatau (1974), Agora que são elas (1984), traduziu John Fante, Pergunte ao pó, James Joyce, Giacomo Joyce, Yukio Mishima, Sol e aço, Samuel Beckett, Malone morre, biografou Cruz e Souza, Matsuô Bashô, assim como se destaca como um dos grandes divulgadores de haicais, poemas curtos japoneses.

Um aspecto invariavelmente ressaltado na poesia de Leminski é o trânsito entre a vanguarda e a contracultura. De um lado, ele se aproxima dos concretistas, Haroldo e Augusto de Campos e Décio Pignatari, que reivindicavam o diálogo com experiências eruditas e de ruptura formal. Jovem, ele participa em 1963 da Semana Nacional de Poesia de Vanguarda, onde é acolhido e se alia ao grupo Noigandres, que poucos anos antes lançara o "Manifesto da Poesia Concreta".

Mas ele não se retém nas rígidas fronteiras concretistas. Sua poesia em seguida transborda e transita com igual desenvoltura entre os poetas da "geração mimeógrafo", fortemente influenciada pelos beatniks, os hippies e a transgressividade comportamental. No Brasil, os nomes mais representativos dessa geração foram Ana Cristina Cesar e Cacaso, que imprimiram um sentido informal, "desbundado", em suas composições poéticas.

Figura híbrida na cena cultural, Leminski se equilibra entre a formalidade erudita e a informalidade contracultural. E assim ocupa zona fronteiriça única na poesia contemporânea brasileira. Por isso, Caetano Veloso define sua produção poética como uma mistura de concretismo e beatnik. Mas, justamente por isso, ele se coloca no alvo de discussões sobre o valor literário do que realizou. O poeta Bruno Tolentino, em rota de colisão com concretistas e "poetas marginais", alerta para o embuste publicitário e superficial daqueles que seguem o caminho trilhado por estes.

A polêmica levantada por Tolentino sinaliza para certo tipo de embate que simplesmente se diluiu nas duas últimas décadas. Chamar a atenção para ela tem por fim ilustrar o quanto provocações literárias, a poesia em particular, mobilizavam a cena cultural de outrora. No contrapé de Tolentino, cuja poesia e digressão teórica podem ser acusadas de elitismo, o não menos elitista José Guilherme Merquior é um dos defensores da "poesia marginal".

Na cena literária dos últimos anos, poetas e romancistas se acomodam bem nas feiras literárias, num ambiente de explícito marketing cultural. E com isso não correm riscos, não se expõem a confrontos que pesam; enfim, rezam conforme regras do mercado editorial, da arte institucionalizada. Os argumentos utilizados por Tolentino para criticar a poesia de Leminski não são levianos, nem despropositados, mas qual o sentido deles hoje? Sim, qual o sentido quando a poesia assume feição solipsista: praticamente não ocupa espaço fora de eventos destinados a celebridades culturais e "especialistas".

O lançamento de Toda poesia poderia oxigenar o debate, trazer à tona a necessidade de colocar a poesia na pauta da questão cultural. E assim abrir espaço para discussão sobre o que se faz e como se faz poesia hoje, tanto quanto dar resposta às inquirições de Tolentino (nesse sentido, com respeito ao cinema Kleber Mendonça, queira ele ou não, instaura o debate com seu O Som ao Redor).

Mas não é o que pressinto. Apesar de ter quase toda sua poesia publicada de modo independente, infelizmente Toda poesia parece não ir além de grande lançamento com marketing editorial. Ótimo que as pessoas em geral, e os jovens em particular, leiam Leminski: Torquato Neto, Wally Salomão, Ana Cristina Cesar, Chacal, Cacaso..., podiam bem se incluir num projeto amplo em que se discutisse afetivamente o lugar da poesia nos dias de hoje.

Não há sinais, contudo, de que isso vá ocorrer. Assim, por caminhos tortuosos, essa publicação dá razão à parte do alerta de Tolentino: um embuste publicitário. Leminski, a poesia que fez - assim como os riscos e embates a que sua geração se expôs - congelaram-se nos anos de 1970 e 1980. A recepção de Toda poesia se confina à etiqueta Paulo Leminski; está, sim, bem divulgada pela Companhia das Letras, é provável não dê prejuízo.

Para ir além


Humberto Pereira da Silva
São Paulo, 8/5/2013

Quem leu este, também leu esse(s):
01. Aos aspirantes a escritor de Rafael Rodrigues


Mais Humberto Pereira da Silva
Mais Acessadas de Humberto Pereira da Silva em 2013
01. Olgária Matos - 1/2/2013
02. Toda poesia de Paulo Leminski - 8/5/2013
03. Mídia Ninja coloca o eixo em xeque - 21/8/2013
04. Mino Carta e a 'imbecilização do Brasil' - 6/3/2013
05. O Som ao Redor - 13/2/2013


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Com os corações cheios de amor
Rabino Mattisyahu Salomon
ArtScrll Series



Antologia Efémera 1950-2000
E. M. de Melo e Castro
Lacerda
(2000)



Leite Derramado
Chico Buarque
Companhia das Letras
(2009)



Sucos e Vitaminas para Crianças
Amanda Cross
Manole
(2007)



O Universo Simbólico da Criança: Olhares Sensível para a Infância
Adriana Friedmann
Vozes
(2005)



O discurso da homossexualidade feminina
Denise Portinari
Brasiliense
(1989)



Otelo
Hildegard Feist
Scipione
(2015)



You Can Be Happy no Matter What
Richard Carlson
New World Library
(2006)



Livro Literatura Estrangeira Bela Distração Irmãos Maddox - Livro 1
Jamie Mc Guire
Verus
(2014)



Ele Vem do Fundão
Dyonelio Machado
Ática
(1982)





busca | avançada
63898 visitas/dia
2,0 milhão/mês