Hosana na Sarjeta, de Marcelo Mirisola | Jardel Dias Cavalcanti | Digestivo Cultural

busca | avançada
99122 visitas/dia
2,5 milhões/mês
Mais Recentes
>>> CLUBE DO DISCO - Inscrições até 19/05
>>> Curso Livre de Formação de Escritores, inédito e exclusivo para todo o Brasil
>>> Desvendando Álbuns Clássicos do Rock
>>> Camila Venturelli e Dani Lima falam sobre os nossos gestos na pandemia
>>> 36Linhas lança Metropolis segunda graphic novel da Coleção Graphic Films
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Silêncio e grito
>>> Você é rico?
>>> Lisboa obscura
>>> Cem encontros ilustrados de Dirce Waltrick
>>> Poética e política no Pântano de Dolhnikoff
>>> A situação atual da poesia e seu possível futuro
>>> Um antigo romance de inverno
>>> O acerto de contas de Karl Ove Knausgård
>>> Assim como o desejo se acende com uma qualquer mão
>>> Faça você mesmo: a história de um livro
Colunistas
Últimos Posts
>>> Carteiros do Condado
>>> Max, Iggor e Gastão
>>> Mandic, por Pedro e Cora
>>> A Separação de Bill e Melinda Gates
>>> Hemingway by Ken Burns
>>> Cultura ou culturas brasileiras?
>>> DevOps e o método ágil, por Pedro Doria
>>> Spectreman
>>> Contardo Calligaris e Pedro Herz
>>> Keith Haring em São Paulo
Últimos Posts
>>> Acentuado
>>> Mãe, na luz dos olhos teus
>>> PoloAC retoma temporada de Os Doidivanas
>>> Em um tempo, sem tempo
>>> Eu, tu e eles
>>> Mãos que colhem
>>> Cia. ODU conclui apresentações de Geração#
>>> Geração#: reapresentação será neste sábado, 24
>>> Geração# terá estreia no feriado de 21 de abril
>>> Patrulheiros Campinas recebem a Geração#
Blogueiros
Mais Recentes
>>> 7 de Setembro
>>> Contra a breguice no Facebook
>>> 9 de Setembro #digestivo10anos
>>> Apologia dos Cães
>>> Sou melhor do que Shakespeare
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Há uma cleptocracia instalada
>>> Disparada com Jair Rodrigues
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> Ser intelectual dói
Mais Recentes
>>> Coleção Dedoches - Dinossauros Opostos de Stephanie Hinton pela Brinque Book' (2015)
>>> O Livro de Atividades dos Garotos de Vários Aujtores pela Publifolha (2014)
>>> A Dieta de South Beach Aditivada de Arthur Agatston; Joseph Signorile pela Sextante (2008)
>>> Crônicas de um Criminalista de Paulo José da Costa Jr pela Dpj (2005)
>>> Ganga-Zumba, A Saga dos Quilombolas de Palmares de João Felício dos Santos pela José Olympio (2010)
>>> Milagres em prato de Laurie Albanese; Laura Morowitz; Beatriz Horta pela Record (2011)
>>> A hora de Investir de José Gustavo Araújo pela Brazil Publishing (2021)
>>> Cutting Edge de Jim Davis - Thomas Hirschl e Michael Stack pela Verso (1997)
>>> A História Completa do Mundo de Richard Overy pela Seleções Readers Digest (2012)
>>> Dom Pedro II e o Jornalista Koseritz de Regina Gonçalves e Regis L. A. Rosa pela Viajante do Tempo (2013)
>>> Palavra-chave dicionário semibilingue para brasileiro - italiano de Silvana Cobucci e Carlos Alberto Dastoli pela Martins Fontes (2013)
>>> A Dieta da Barriga Zero! de Liz Vaccariello; Cynthia Sass pela Best Seller (2012)
>>> Luna Caliente - Três Noites de Paixão de Mempo Giardinelli pela Geração Editorial (2012)
>>> Dark Divine - o Santo Perdido de Bree Despain pela Vergara & Riba (2012)
>>> Sagesse Du Tarot de Elisabeth Haich pela Au Signal (1972)
>>> Titília e o Demonão de Paulo Rezzutti pela Geração Editorial (2011)
>>> Sobre Pessoas de Antônio Torres pela Leitura (2007)
>>> Loucos por Jesus - Volume 1 de Lúcio Barreto Jr. pela Central Gospel (2009)
>>> Na Ponta da Língua de Professor Helinho pela Leitura (2010)
>>> O Morro dos Ventos Uivantes de Emily Bronte pela Círculo do Livro
>>> Voo para a Escuridão de Marcelo Simões pela Geração Editorial (2010)
>>> Como Vender Seu Peixe na Internet de Tom Venetianer pela Campus (1999)
>>> Mônica 132 - Dezembro/1997 - o Bichinho Dentro do Ovinho de Maurício de Sousa pela Globo (1997)
>>> Mônica 190 - Maio/2002 - Previsões Astro-ilógicas de Maurício de Sousa pela Globo (2002)
>>> Mônica 143 - Outubro/1998 - Outros Amigos de Maurício de Sousa pela Globo (1998)
COLUNAS

Terça-feira, 28/10/2014
Hosana na Sarjeta, de Marcelo Mirisola
Jardel Dias Cavalcanti

+ de 3400 Acessos

Quando eu terminei de ler Hosana na Sarjeta, do escritor Marcelo Mirisola, publicado pela Editora 34, me veio imediatamente na cabeça o poema em prosa "Perda da auréola", de Charles Baudelaire.

Na pequena prosa, Baudelaire narra alegoricamente a perda da auréola pelo poeta ("o bebedor da quinta-essência"), que, fugindo do movimento das carruagens nas ruas, deixa cair na sarjeta enlameada sua auréola. Perdendo sua insígnia de homem superior, o poeta se sente aliviado, podendo agora "praticar ações vis e entregar-me à crápula, como os simples mortais". Não querendo recuperar sua auréola, ele diz: "A dignidade me entedia". Ele ainda diz que algum mau poeta talvez encontre sua auréola perdida e "impudentemente se adorne" com ela. O que o faria rir de tais pessoas.

Algo parecido acontece com a literatura de Mirisola. Despojada de qualquer artifício "literário", de qualquer linguagem propositada e artificialmente liricizante, sua literatura é despudorada na escolha das palavras, dos temas e da ambientação onde a vida de seus personagens trafega, geralmente de forma trôpega. Literatura sem auréola, como sugeria Baudelaire para a moderna obra de arte, ou como sugerida por Rimbaud no seu "Uma seção no inferno", que se abre contra os bons comportamentos literários com a máxima: "um dia sentei a beleza no colo e injuriei-a".

É de uma tradição dessa estirpe que Mirisola deve gostar. Mergulhando no sublime do submundo, ele o exalta como possibilidade de uma espécie de êxtase que a vida errante (e - certamente - errada) proporciona. Um mergulho nas sensações carnais, na desesperança (e ilusão de esperança) que o amor produz, na turbulência que o embate entre desejo e fracasso produz, seus personagens buscam se entender e se encontrar como só dois porcos-espinho poderiam se encontrar.

Hosana na Sarjeta é quase uma autobiografia (quem poderá medir a porcentagem de verdade e ilusão que essa suposta autobiografia possui? Se depender do autor, nenhum dos críticos literários tarimbados da Unicamp, sempre crítico-criticados no interior do romance, poderia, com a astúcia de sua razão, alcançar a viscosidade auto-vital-biográfica dessa linguagem cheirando a cigarro, álcool, paixão, sexo e sereno das sórdidas madrugadas). Autobiografia porque, talvez, não exista diferença para o autor entre estar vivo e estar escrevendo. Círculos viciosos, ou círculos infernais, vida e obra descem ao inferno juntas e dali saem de corpos abraçados (mais que de braços dados).

O erotismo do romance não é o soft-pornô servido como autoajuda ou rebelião programada de uma classe média informada, com anos de terapia corretiva para seus desejos desajustados (segundo as regras da máquina de moer gente que se chama moral). Na literatura de Mirisola a vida atropela a linha do trem, redesenha sua forma para o descarrilamento sem medo. As carnes se batem em potência e impotência, em ereção e sua falta, em desejo de encarnar outro corpo e de desencarná-lo ao mesmo tempo. A voragem dos verbos imorais que pululam em Hosana na Sarjeta faz o livro vibrar em in-descrições que são pura luxúria. Um certo crítico disse que as obras de Caravaggio cheiravam a sexo e álcool. O mesmo se aplica à literatura de Mirisola.

No romance, o personagem se apaixona e se perde por causa de uma suposta "mulher da vida", brega, gostosa e de periferia. Uma tal Paulinha Denise (só uma piranha de verdade teria um nome assim), espécie de misteriosa Capitu "sem recalque", que recebe entidades e enlouquece o narrador - que parece ter encontrado nessa fêmea sua alma gêmea para descer à sarjeta.

Outra mulher (sempre elas, sem o qual a vida descolore), Ariela, reforça o gosto pelo descarrilamento do narrador. Inclusive faz seu pau descer literalmente ao inferno da impotência. "Ela era a imagem e semelhança da minha insensatez, da escolha errada, do pinto mole". Vale citar um pouco mais a descrição da figura:

"Ariela carregava um potencial de destruição visível, mas sabia escamotear o mal atrás de uma cumplicidade que não oferecia perigo iminente - aparentemente não - a quem pretendia enfeitiçar. Ariela era Lolita avançada tecnologicamente. Algo meio caipira, sotaque carregado da Mooca. Pés lindos, unhas manicuradas. Quando vinha por cima sabia como estocar, quadris de égua e respiração de cavalo. Era quase como um amigo na mesa do bar. Ela trazia a presa para si, recuava no tempo certo e não se fazia de ingênua - para mim, não - estudante de direito, serpente, bissexual e safa. Tesão. Difícil confiar em Ariela. Impossível não confiar. (...) A nossa trepada começou - nem seria preciso dizer - no primeiro beijo."

São estas duas mulheres que centralizam os rumos e as vias tortas dos descaminhos do narrador. Vale dizer que os personagens de Mirisola são tão presentes que não parecem ter saído de sua imaginação. Somos levados a pensar que são reais e que não seriam tão peremptórios em sua existência se antes não tivessem passado pela vida do autor. Depois da leitura do romance parece que convivemos tão intimamente com eles que se tornaram tão reais quanto as pessoas que nos rodeiam durante a vida.

Regadas a palavras chulas, frases inebriantes, dentro de uma narrativa ágil, que não nos deixa tempo para pensar em pseudo-requintes rococós, Mirisola faz florescer a mais embriagante flor do mal, sua própria literatura - para nosso gosto e, talvez, desgosto dos críticos "coxinhas".

NOTA

A fotografia que ilustra a resenha é a obra "Ave sarjeta", da artista londrinense Ana Lucca

PARA IR ALÉM:



Jardel Dias Cavalcanti
Londrina, 28/10/2014


Mais Jardel Dias Cavalcanti
Mais Acessadas de Jardel Dias Cavalcanti em 2014
01. Simone de Beauvoir: da velhice e da morte - 29/7/2014
02. O assassinato de Herzog na arte - 30/9/2014
03. As deliciosas mulheres de Gustave Courbet - 3/6/2014
04. A Puta, um romance bom prá cacete - 2/12/2014
05. Narciso revisitado na obra de Fabricius Nery - 11/3/2014


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Virus Hunters
Greer Williams
Alfred A. Knopf
(1967)



Irmãos de Sangue 9ª Edição
Francisco Mibielli e Silvio Wonsovicz
Sophos
(2006)



Falsas Imagens
Julia James e Dani Collins
Harlequim
(2017)



Xenon 2006 - o Livro de Concursos Médicos 1
William James Xenon
Atheneu
(2005)



A Bíblia Em 100 Minutos
Michael Hinton
Sextante
(2014)



Guia de viagem nova york michelin
michaelis tour
Melhoramentos
(2000)



Livros Que Abalaram o Mundo
Cruz Costa, Hernâni Donato e Outros
Cultrix
(1963)



A Verdadeira Paz
Presidente Emílio Garrastazu Médici
Din
(1971)



Pensamento Comunicacional Brasileiro o Grupo de São Bernardo
José Marques de Melo Samantha Castelo Branco
Umesp
(1999)



A Construção da Estrutura Conceitual da Física Clássica
Polito, Antony M. M.
Livraria da Física
(2016)





busca | avançada
99122 visitas/dia
2,5 milhões/mês