Hosana na Sarjeta, de Marcelo Mirisola | Jardel Dias Cavalcanti | Digestivo Cultural

busca | avançada
34554 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
Colunistas
Últimos Posts
>>> Banco Inter É uma BOLHA???
>>> Não Aguento Mais a Empiricus
>>> Nubank na Hotmart
>>> O recente choque do petróleo
>>> Armínio comenta Paulo Guedes
>>> Jesus não era cristão
>>> Analisando o Amazon Prime
>>> Amazon Prime no Brasil
>>> Censura na Bienal do Rio 2019
>>> Tocalivros
Últimos Posts
>>> O céu sem o azul
>>> Ofendículos
>>> Grito primal V
>>> Grito primal IV
>>> Inequações de um travesseiro
>>> Caroço
>>> Serial Killer
>>> O jardim e as flores
>>> Agradecer antes, para pedir depois
>>> Esse é o meu vovô
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Por que escrevo
>>> História dos Estados Unidos
>>> Meu Telefunken
>>> Uma Receita de Bolo de Mel
>>> O apanhador no campo de centeio
>>> Curriculum vitae
>>> O Salão e a Selva
>>> Ed Catmull por Jason Calacanis
>>> Por que a Geração Y vai mal no ENEM?
>>> Por que a Geração Y vai mal no ENEM?
Mais Recentes
>>> O Ponto de Mutação de Fritjof Capra pela Círculo do Livro (1990)
>>> Plexus de Henry Miller pela Record (1967)
>>> Uma Questão de Fé de Jodi Picoult pela Planeta (2008)
>>> Vivendo seu Amor de Carolyn Rathbun Sutton e Ardis Dick Stenbakken (compilação) pela Casa Publicadora Brasileira (2017)
>>> O Significado da Astrologia de Elizabeth Teissier pela Bertrand (1979)
>>> Um amor de gato de Glenn Dromgoole pela Publifolha (2002)
>>> Origami & Artesanato em Papel de Paul Jackson & Angela A'Court pela Edelbra (1995)
>>> Gestão de Pessoas de Idalberto Chiavenato pela Campus (2010)
>>> Album de família de Danielle Stell pela Record
>>> Passageiros da ilusão de Danielle Stell pela Record (1988)
>>> Casa forte de Danielle Stell pela Record
>>> Segredo de uma promessa de Danielle Stell pela Record
>>> Enquanto o amor não vem de Iyanla Vanzant pela Sextante (1999)
>>> Relembrança de Danielle Stell pela Record
>>> O Egypto de Eça de Queiroz pela Porto (1926)
>>> Momentos de paixão de Danielle Stell pela Record
>>> Um desconhecido de Danielle Stell pela Record
>>> Uma vez só na vida de Danielle Stell pela Record
>>> O apelo do amor de Danielle Stell pela Record (1983)
>>> Agora e sempre de Danielle Stell pela Record (1985)
>>> O Princípio Constitucional da Igualdade e o Direito do Consumidor de Adriana Carvalho Pinto Vieira pela Mandamentos/ Belo Horizonte (2002)
>>> Histórias Anunciadas de Djalma França pela Decálogo/ belo Horizonte (2003)
>>> Constituição da República Federativa do Brasil de Senado Federal pela Senado Federal (2006)
>>> Eterna Sabedoria de Ergos pela Fraternidade Branca Universal do Arcanjo Mickael (1974)
>>> Leasing Agrário e Arrendamento Rural como Opção de Compra de Lucas Abreu Barroso pela Del Rey/ Belo Horizonte (2001)
>>> Contratos Internacionais de Seguros de Antonio Marcio da Cunha Guimarães pela Revista dos Tribunais (2002)
>>> Amor de Perdição / Eurico, o Presbítero de Camilo Castelo Branco / Alexandre Herculano pela Círculo do livro (1978)
>>> Carajás de Paulo Pinheiro pela Casa Publicadora Brasileira (2007)
>>> Menopausa de Diversos pela Nova Cultural (2003)
>>> Guia de Dietas de Diversos pela Nova Cultural (2001)
>>> Seguros: Uma Questão Atual de Coordenado pela EPM/ IBDS pela Max Limonard (2001)
>>> O Significado dos Sonhos de Diversos pela Nova Cultural (2002)
>>> A Dieta do Tipo Sanguíneo - A B O AB de Peter J. D'Adamo pela Campus (2005)
>>> Cem Noites - Tapuias de Ofélia e Narbal Fontes pela Ática (1982)
>>> Direito do Trabalho ao Alcance de Todos de José Alberto Couto Maciel pela Ltr (1980)
>>> Manon Lescaut de Abade Prévost pela Ediouro (1980)
>>> A Reta e a Curva: Reflexões Sobre o Nosso Tempo de Riccardo Campa (com) O. Niemeyer (...) pela Max Limonard (1986)
>>> Introdução às Dificuldades de Aprendizagem de Vítor da Fonseca pela Artes Médicas (1995)
>>> Dos Crimes Contra a Propriedade Intelectual: Violação... de Eduardo S. Pimenta/ Autografado pela Revista dos Tribunais (1994)
>>> O Cortiço de Aluísio Azevedo pela Ática (1988)
>>> A Voz do Mestre de Kahlil Gibran pela Círculo do livro (1973)
>>> O Jovem e seus Assuntos de David Wilkerson pela Betânia (1979)
>>> Emília no País da Gramática de Monteiro Lobato pela Brasiliense (1978)
>>> The Art Direction Handbook for Film de Michael Rizzo pela Focal Press (2005)
>>> A Escrava Isaura de Bernardo Guimarães pela Melhoramentos (1963)
>>> O Grande Conflito de Ellen G. White pela Casa Publicadora Brasileira (1983)
>>> Filosofia do Espírito de Jerome A. Shaffer pela Zahar (1980)
>>> Muito Além das Estrelas de Álvaro Cardoso Gomes pela Moderna (1997)
>>> A Grande Esperança de Ellen G. White pela Casa Publicadora Brasileira (2011)
>>> É Fácil Jogar Xadrez de Cássio de Luna Freire pela Ediouro (1972)
COLUNAS

Terça-feira, 28/10/2014
Hosana na Sarjeta, de Marcelo Mirisola
Jardel Dias Cavalcanti

+ de 2800 Acessos

Quando eu terminei de ler Hosana na Sarjeta, do escritor Marcelo Mirisola, publicado pela Editora 34, me veio imediatamente na cabeça o poema em prosa "Perda da auréola", de Charles Baudelaire.

Na pequena prosa, Baudelaire narra alegoricamente a perda da auréola pelo poeta ("o bebedor da quinta-essência"), que, fugindo do movimento das carruagens nas ruas, deixa cair na sarjeta enlameada sua auréola. Perdendo sua insígnia de homem superior, o poeta se sente aliviado, podendo agora "praticar ações vis e entregar-me à crápula, como os simples mortais". Não querendo recuperar sua auréola, ele diz: "A dignidade me entedia". Ele ainda diz que algum mau poeta talvez encontre sua auréola perdida e "impudentemente se adorne" com ela. O que o faria rir de tais pessoas.

Algo parecido acontece com a literatura de Mirisola. Despojada de qualquer artifício "literário", de qualquer linguagem propositada e artificialmente liricizante, sua literatura é despudorada na escolha das palavras, dos temas e da ambientação onde a vida de seus personagens trafega, geralmente de forma trôpega. Literatura sem auréola, como sugeria Baudelaire para a moderna obra de arte, ou como sugerida por Rimbaud no seu "Uma seção no inferno", que se abre contra os bons comportamentos literários com a máxima: "um dia sentei a beleza no colo e injuriei-a".

É de uma tradição dessa estirpe que Mirisola deve gostar. Mergulhando no sublime do submundo, ele o exalta como possibilidade de uma espécie de êxtase que a vida errante (e - certamente - errada) proporciona. Um mergulho nas sensações carnais, na desesperança (e ilusão de esperança) que o amor produz, na turbulência que o embate entre desejo e fracasso produz, seus personagens buscam se entender e se encontrar como só dois porcos-espinho poderiam se encontrar.

Hosana na Sarjeta é quase uma autobiografia (quem poderá medir a porcentagem de verdade e ilusão que essa suposta autobiografia possui? Se depender do autor, nenhum dos críticos literários tarimbados da Unicamp, sempre crítico-criticados no interior do romance, poderia, com a astúcia de sua razão, alcançar a viscosidade auto-vital-biográfica dessa linguagem cheirando a cigarro, álcool, paixão, sexo e sereno das sórdidas madrugadas). Autobiografia porque, talvez, não exista diferença para o autor entre estar vivo e estar escrevendo. Círculos viciosos, ou círculos infernais, vida e obra descem ao inferno juntas e dali saem de corpos abraçados (mais que de braços dados).

O erotismo do romance não é o soft-pornô servido como autoajuda ou rebelião programada de uma classe média informada, com anos de terapia corretiva para seus desejos desajustados (segundo as regras da máquina de moer gente que se chama moral). Na literatura de Mirisola a vida atropela a linha do trem, redesenha sua forma para o descarrilamento sem medo. As carnes se batem em potência e impotência, em ereção e sua falta, em desejo de encarnar outro corpo e de desencarná-lo ao mesmo tempo. A voragem dos verbos imorais que pululam em Hosana na Sarjeta faz o livro vibrar em in-descrições que são pura luxúria. Um certo crítico disse que as obras de Caravaggio cheiravam a sexo e álcool. O mesmo se aplica à literatura de Mirisola.

No romance, o personagem se apaixona e se perde por causa de uma suposta "mulher da vida", brega, gostosa e de periferia. Uma tal Paulinha Denise (só uma piranha de verdade teria um nome assim), espécie de misteriosa Capitu "sem recalque", que recebe entidades e enlouquece o narrador - que parece ter encontrado nessa fêmea sua alma gêmea para descer à sarjeta.

Outra mulher (sempre elas, sem o qual a vida descolore), Ariela, reforça o gosto pelo descarrilamento do narrador. Inclusive faz seu pau descer literalmente ao inferno da impotência. "Ela era a imagem e semelhança da minha insensatez, da escolha errada, do pinto mole". Vale citar um pouco mais a descrição da figura:

"Ariela carregava um potencial de destruição visível, mas sabia escamotear o mal atrás de uma cumplicidade que não oferecia perigo iminente - aparentemente não - a quem pretendia enfeitiçar. Ariela era Lolita avançada tecnologicamente. Algo meio caipira, sotaque carregado da Mooca. Pés lindos, unhas manicuradas. Quando vinha por cima sabia como estocar, quadris de égua e respiração de cavalo. Era quase como um amigo na mesa do bar. Ela trazia a presa para si, recuava no tempo certo e não se fazia de ingênua - para mim, não - estudante de direito, serpente, bissexual e safa. Tesão. Difícil confiar em Ariela. Impossível não confiar. (...) A nossa trepada começou - nem seria preciso dizer - no primeiro beijo."

São estas duas mulheres que centralizam os rumos e as vias tortas dos descaminhos do narrador. Vale dizer que os personagens de Mirisola são tão presentes que não parecem ter saído de sua imaginação. Somos levados a pensar que são reais e que não seriam tão peremptórios em sua existência se antes não tivessem passado pela vida do autor. Depois da leitura do romance parece que convivemos tão intimamente com eles que se tornaram tão reais quanto as pessoas que nos rodeiam durante a vida.

Regadas a palavras chulas, frases inebriantes, dentro de uma narrativa ágil, que não nos deixa tempo para pensar em pseudo-requintes rococós, Mirisola faz florescer a mais embriagante flor do mal, sua própria literatura - para nosso gosto e, talvez, desgosto dos críticos "coxinhas".

NOTA

A fotografia que ilustra a resenha é a obra "Ave sarjeta", da artista londrinense Ana Lucca

PARA IR ALÉM:



Jardel Dias Cavalcanti
Londrina, 28/10/2014


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Carta ao(à) escritor(a) em sua primeira edição de Ana Elisa Ribeiro
02. Do canto ao silêncio das sereias de Cassionei Niches Petry
03. O papel aceita tudo de Jardel Dias Cavalcanti
04. Nobel, novo romance de Jacques Fux de Jardel Dias Cavalcanti
05. Uma suposta I.C. de Elisa Andrade Buzzo


Mais Jardel Dias Cavalcanti
Mais Acessadas de Jardel Dias Cavalcanti em 2014
01. Simone de Beauvoir: da velhice e da morte - 29/7/2014
02. O assassinato de Herzog na arte - 30/9/2014
03. As deliciosas mulheres de Gustave Courbet - 3/6/2014
04. A Puta, um romance bom prá cacete - 2/12/2014
05. Narciso revisitado na obra de Fabricius Nery - 11/3/2014


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O ATENEU
RAUL POMPÉIA
KLICK
(1997)
R$ 4,00



OS PENSADORES - MARX
KARL MARX
NOVA CULTURAL
(1999)
R$ 22,70



COMO VIVER MAIS E MELHOR - SÓ PARA HOMENS
CRISTIANA ARCANGELI
NACIONAL
(2007)
R$ 25,00



GUIA FACIL DE SAUDE E BELEZA
SILVA,ROSE MARI
EDITORA NATUREZA
(2017)
R$ 52,67



A BRUXA DE PORTOBELLO
PAULO COELHO
PARALELA
(2018)
R$ 10,00



LIGAÇÕES TELEFONICAS ATRAVES DA INTERNET COM CD
LIGAÇÕES TELEFONICAS ATRAVES DA INTERNET CE C
MAKRON BOOKS
(1998)
R$ 14,70



MATEMÁTICA FINANCEIRA
LILIA LADEIRA VERAS
ATLAS
(1996)
R$ 30,00



DIÁLOGOS SOBRE A MÚSICA
WILHELM FURTWAENGLER
MINOTAURO
R$ 18,00



POR AMOR ÀS CIDADES
JACQUES LE GOFF
UNESP
(1998)
R$ 45,00
+ frete grátis



PIÁ, UM BRASILEIRO - CACILDA TICIANELLI MARINO (LITERATURA BRASILEIRA)
CACILDA TICIANELLI MARINO
DO AUTOR
R$ 5,00





busca | avançada
34554 visitas/dia
1,1 milhão/mês