Hosana na Sarjeta, de Marcelo Mirisola | Jardel Dias Cavalcanti | Digestivo Cultural

busca | avançada
36499 visitas/dia
1,2 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Terça-feira, 28/10/2014
Hosana na Sarjeta, de Marcelo Mirisola
Jardel Dias Cavalcanti

+ de 2900 Acessos

Quando eu terminei de ler Hosana na Sarjeta, do escritor Marcelo Mirisola, publicado pela Editora 34, me veio imediatamente na cabeça o poema em prosa "Perda da auréola", de Charles Baudelaire.

Na pequena prosa, Baudelaire narra alegoricamente a perda da auréola pelo poeta ("o bebedor da quinta-essência"), que, fugindo do movimento das carruagens nas ruas, deixa cair na sarjeta enlameada sua auréola. Perdendo sua insígnia de homem superior, o poeta se sente aliviado, podendo agora "praticar ações vis e entregar-me à crápula, como os simples mortais". Não querendo recuperar sua auréola, ele diz: "A dignidade me entedia". Ele ainda diz que algum mau poeta talvez encontre sua auréola perdida e "impudentemente se adorne" com ela. O que o faria rir de tais pessoas.

Algo parecido acontece com a literatura de Mirisola. Despojada de qualquer artifício "literário", de qualquer linguagem propositada e artificialmente liricizante, sua literatura é despudorada na escolha das palavras, dos temas e da ambientação onde a vida de seus personagens trafega, geralmente de forma trôpega. Literatura sem auréola, como sugeria Baudelaire para a moderna obra de arte, ou como sugerida por Rimbaud no seu "Uma seção no inferno", que se abre contra os bons comportamentos literários com a máxima: "um dia sentei a beleza no colo e injuriei-a".

É de uma tradição dessa estirpe que Mirisola deve gostar. Mergulhando no sublime do submundo, ele o exalta como possibilidade de uma espécie de êxtase que a vida errante (e - certamente - errada) proporciona. Um mergulho nas sensações carnais, na desesperança (e ilusão de esperança) que o amor produz, na turbulência que o embate entre desejo e fracasso produz, seus personagens buscam se entender e se encontrar como só dois porcos-espinho poderiam se encontrar.

Hosana na Sarjeta é quase uma autobiografia (quem poderá medir a porcentagem de verdade e ilusão que essa suposta autobiografia possui? Se depender do autor, nenhum dos críticos literários tarimbados da Unicamp, sempre crítico-criticados no interior do romance, poderia, com a astúcia de sua razão, alcançar a viscosidade auto-vital-biográfica dessa linguagem cheirando a cigarro, álcool, paixão, sexo e sereno das sórdidas madrugadas). Autobiografia porque, talvez, não exista diferença para o autor entre estar vivo e estar escrevendo. Círculos viciosos, ou círculos infernais, vida e obra descem ao inferno juntas e dali saem de corpos abraçados (mais que de braços dados).

O erotismo do romance não é o soft-pornô servido como autoajuda ou rebelião programada de uma classe média informada, com anos de terapia corretiva para seus desejos desajustados (segundo as regras da máquina de moer gente que se chama moral). Na literatura de Mirisola a vida atropela a linha do trem, redesenha sua forma para o descarrilamento sem medo. As carnes se batem em potência e impotência, em ereção e sua falta, em desejo de encarnar outro corpo e de desencarná-lo ao mesmo tempo. A voragem dos verbos imorais que pululam em Hosana na Sarjeta faz o livro vibrar em in-descrições que são pura luxúria. Um certo crítico disse que as obras de Caravaggio cheiravam a sexo e álcool. O mesmo se aplica à literatura de Mirisola.

No romance, o personagem se apaixona e se perde por causa de uma suposta "mulher da vida", brega, gostosa e de periferia. Uma tal Paulinha Denise (só uma piranha de verdade teria um nome assim), espécie de misteriosa Capitu "sem recalque", que recebe entidades e enlouquece o narrador - que parece ter encontrado nessa fêmea sua alma gêmea para descer à sarjeta.

Outra mulher (sempre elas, sem o qual a vida descolore), Ariela, reforça o gosto pelo descarrilamento do narrador. Inclusive faz seu pau descer literalmente ao inferno da impotência. "Ela era a imagem e semelhança da minha insensatez, da escolha errada, do pinto mole". Vale citar um pouco mais a descrição da figura:

"Ariela carregava um potencial de destruição visível, mas sabia escamotear o mal atrás de uma cumplicidade que não oferecia perigo iminente - aparentemente não - a quem pretendia enfeitiçar. Ariela era Lolita avançada tecnologicamente. Algo meio caipira, sotaque carregado da Mooca. Pés lindos, unhas manicuradas. Quando vinha por cima sabia como estocar, quadris de égua e respiração de cavalo. Era quase como um amigo na mesa do bar. Ela trazia a presa para si, recuava no tempo certo e não se fazia de ingênua - para mim, não - estudante de direito, serpente, bissexual e safa. Tesão. Difícil confiar em Ariela. Impossível não confiar. (...) A nossa trepada começou - nem seria preciso dizer - no primeiro beijo."

São estas duas mulheres que centralizam os rumos e as vias tortas dos descaminhos do narrador. Vale dizer que os personagens de Mirisola são tão presentes que não parecem ter saído de sua imaginação. Somos levados a pensar que são reais e que não seriam tão peremptórios em sua existência se antes não tivessem passado pela vida do autor. Depois da leitura do romance parece que convivemos tão intimamente com eles que se tornaram tão reais quanto as pessoas que nos rodeiam durante a vida.

Regadas a palavras chulas, frases inebriantes, dentro de uma narrativa ágil, que não nos deixa tempo para pensar em pseudo-requintes rococós, Mirisola faz florescer a mais embriagante flor do mal, sua própria literatura - para nosso gosto e, talvez, desgosto dos críticos "coxinhas".

NOTA

A fotografia que ilustra a resenha é a obra "Ave sarjeta", da artista londrinense Ana Lucca

PARA IR ALÉM:



Jardel Dias Cavalcanti
Londrina, 28/10/2014


Mais Jardel Dias Cavalcanti
Mais Acessadas de Jardel Dias Cavalcanti em 2014
01. Simone de Beauvoir: da velhice e da morte - 29/7/2014
02. O assassinato de Herzog na arte - 30/9/2014
03. As deliciosas mulheres de Gustave Courbet - 3/6/2014
04. A Puta, um romance bom prá cacete - 2/12/2014
05. Narciso revisitado na obra de Fabricius Nery - 11/3/2014


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O JOGO DO RESGATE VOLUME 78 COL. CAMINHO POLICIAL
HOWARD ENGEL
CAMINHO
(1988)
R$ 28,00



O CHARME DOS BANHEIROS
LILIAN DO AMARAL VIEIRA ORG.
MELHORAMENTOS
(2006)
R$ 39,66
+ frete grátis



A POLAQUINHA E PÃO E SANGUE
DALTON TREVISAN
CIRCULO DO LIVRO
R$ 10,00



COMO SE TORNAR UM LÍDER SERVIDOR
JAMES C. HUNTER
SEXTANTE
(2006)
R$ 10,00



EURICO O PRESBÍTERO
HERCULANO
DIFEL
(1965)
R$ 16,07



HOMENS GOSTAM DE MULHERES QUE GOSTAM DE SI MESMAS
STEVEN CARTER - JULIA SOKOL
SEXTANTE
(2008)
R$ 7,80



EM BUSCA DAS COORDENADAS - A DESCOBERTA DAS COORDENADAS
ERNESTO ROSA NETO
ATICA
(2001)
R$ 9,90



PERIGOSO DEMAIS
S. C. STEPHENS
VALENTINA
(2015)
R$ 20,00



MARCAS DO CAMINHO
FRANCISCO CÂNDIDO XAVIER
ANDRÉ LUIS
(1994)
R$ 5,90



LA SCULPTURE GRECQUE CLASSIQUE
JEAN CHARBONNEAUX
MEDIATIONS
(1964)
R$ 25,28





busca | avançada
36499 visitas/dia
1,2 milhão/mês