Entre São Valentim e os Lupercais | Adriana Baggio | Digestivo Cultural

busca | avançada
32489 visitas/dia
1,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
>>> Do inferno ao céu
>>> Meninos, eu vi o Bolsonaro aterrando
>>> Manual para revisores novatos
>>> A Copa, o Mundo, é das mulheres
Colunistas
Últimos Posts
>>> Estratégia Econômica Governo
>>> Brandenburg Concertos (1 - 6)
>>> 100 nomes da edição no Brasil
>>> Eu ganhei tanta coisa perdendo
>>> Toda forma de amor
>>> Harvard: o que não se aprende
>>> Pedro Cardoso em #Provocações
>>> Homenagem a Paulo Francis
>>> Arte, cultura e democracia
>>> Mirage, um livro gratuito
Últimos Posts
>>> João Gilberto: o mito
>>> Alma em flor
>>> A mão & a luva
>>> Pesos & Contra-pesos
>>> Grito primal II
>>> Calcanhar de Aquiles
>>> O encanto literário da poesia
>>> Expressão básica II
>>> Expressão básica
>>> Minha terra, a natureza viva.
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O soldado absoluto
>>> Felicidade: reflexões de Eduardo Giannetti
>>> Entrevista com Daniel Piza
>>> Aquarius, quebrando as expectativas
>>> Tin-tin!
>>> Cartas, de Antônio Vieira
>>> Malcolm, jornalismo em quadrinhos
>>> Cartas de Kafka a Felice Bauer, por Elias Canetti
>>> Outsiders, de Howard S. Becker
>>> A fila sempre anda
Mais Recentes
>>> Novelas/ Raul Pompeia Obras - Volume I de Raul Pompeias/ (org.: Autografo: Afrânio Coutinho) pela Civilização Brasileira/olac (1981)
>>> A Síntese Organica do Itinerarium Aetheriae de Enio Aloisio Fonda pela Fac. de Filosofia de Assis / S (1966)
>>> O Fundamento de Validade do Direito - Kant e Kelsen de Alexandre Travessione Gomes pela Mandamentos/ Belo Horizonte (2004)
>>> Aspectos da Higiene Hospitalar de Hélio Lopes (Engenheiro) pela Impr. Oficial/ Belo Horizonte (2019)
>>> Fundamento da Investigação Literaria de Eduardo Portella/ Autografado pela Rosa dos tempos/ RJ. (1974)
>>> A Amazônia Misteriosa (Formato original) de Gastão Cruls pela Organização Simões: Rj. (1953)
>>> Comunicação Alternativa e Movimentos Sociais na Amazonia Ocidental de Pedro Vicente Costa Sobrinho (Autografado) pela Ed. Univ. Ufpb; João Pessoa (2001)
>>> Emoções Amazônicas: Guia Fotográfico-... dos Ecossistemas Amazônicos de Francisco Ritta Bernardino pela Photoamazonica (1998)
>>> Reumatismo e Artrite: Tratamento Médico e Cuidados Caseiros... de John H. Bland pela Ibrasa (1962)
>>> A Invasão Farmacêutica de Dupuy e Karsenty pela Graal/ RJ. (1979)
>>> A Invasão Farmacêutica de Dupuy e Karsenty pela Graal/ RJ. (1979)
>>> Mosaico Crítico: Ensaios Sobre Literatura Contemporânea de Georg Otte - Silvana Pessôa de Oliveira/ Org. pela Autêntica/ Belo Hte. (1999)
>>> A Dança da Serpente: a Revolução Silenciosa de Bárbara Heliodora de Sebastião Martins pela Ed. Lê/ Belo Horizonte (1996)
>>> A Dança da Serpente: a Revolução Silenciosa de Bárbara Heliodora de Sebastião Martins pela Ed. Lê/ Belo Horizonte (1996)
>>> Liga da Justiça "A Guerra da Trindade" de Geoff Johns pela Panini Books (2017)
>>> Star Wars "Episódio IV: Uma Nova Esperança" de Disney/ Lucasfilm pela Panini Books (2018)
>>> Terras do Sem Fim de Jorge Amado pela Martins (1964)
>>> Star Wars "Episódio V: O Império Contra-Ataca" de Disney/ Lucasfilm pela Panini Books (2018)
>>> Star Wars: Ascensão da Força Sombria; Trilogia Thrawn Livro 2 de Timothy Zahn pela Panini Books (2018)
>>> Superman "Universo DC Renascimento" Vol. 2 de K. Perkins pela Panini Books (2018)
>>> The Walking Dead: Segurança Atrás das Grades de Robert Kirkman pela Panini Books (2018)
>>> Direito e Relações Internacionais de Vicente Marotta Rangel pela Revista dos Tribunais (2002)
>>> O Cão: 1000 Perguntas, 1000 Respostas de Théo Gygas pela Discubra (1987)
>>> Follow Up do Recém-Nascido de Alto Risco de Sonia Maria B. Lopes e José Maria de A. Lopes pela Medsi (1999)
>>> The Walking Dead: Os mais íntimos desejos Vol. 4 de Robert Kirkman pela Panini Books (2018)
>>> Torneio de Campeões "Coleção Histórica" de Marvel pela Panini Books (2017)
>>> Escalpo "Edição de Luxo" Livro 2 de Jason; Aaron pela Panini Books/ Vertigo (2018)
>>> Batman "O príncipe encantado das Trevas" Livro 1 de Marini pela Panini Books (2018)
>>> Universo X de Marvel pela Panini Books (2018)
>>> Fábulas 1 - Edição de Luxo de Bill Willinghan pela Panini Books (2018)
>>> O Incrível Hulk - Planeta Hulk de Greg Pak pela Panini Books (2018)
>>> Outra Vez Heidi de Johanna Spyri pela Ediouro (1972)
>>> O Cachorrinho Samba na Floresta de Maria José Dupré pela Ática (1987)
>>> Criando Meninas de Gisela Preuschoff pela Fundamento (2003)
>>> Assistência Integrada ao Recém-Nascido de Cléa Rodrigues Leone e Daisy Maria Rizatto Tronchin pela Atheneu (1996)
>>> Centro Cirúrgico: Aspectos Fundamentais Para Enfermagem de Terezinha Ghellere pela Ufsc (1993)
>>> Técnicas de Pesquisa de Marina de Andrade Marconi e Eva Maria Lakatos pela Atlas (1999)
>>> O Pensamento Vivo de Maquiavel : Edição Ilustrada/ Inclui Poster de Eide M. Murta Carvalho (Pesquisa/Org. Tradução) pela Martin Claret (1986)
>>> O Pensamento Vivo de Maquiavel : Edição Ilustrada/ Inclui Poster de Eide M. Murta Carvalho (Pesquisa/Org. Tradução) pela Martin Claret (1986)
>>> Imensa Asa Sobre o Dia de Antônio Mariano pela Dinâmica (2005)
>>> Este Padre Escapou das Garras do Papa!!! de Aníbal Pereira Reis pela Edições Caminho de Damasco (1976)
>>> O Pensamento Vivo de Marx : Edição Ilustrada de José Geraldo Simões Jr.: Pesquisa/ Tradução pela Martin Claret (1985)
>>> Programado Para Aprender de H. Ronald Pulliam e Christopher Dunford pela Zahar (1982)
>>> O Pensamento Vivo de Marx : Edição Ilustrada de José Geraldo Simões Jr.: Pesquisa/ Tradução pela Martin Claret (1985)
>>> O Pensamento Vivo de Marx : Edição Ilustrada/ Inclui Poster de José Geraldo Simões Jr.: Pesquisa/ Tradução pela Martin Claret (1986)
>>> Didática e Psicologia: Crítica ao Psicologismo na Educação de Maria Mercedes Capelo Alvite pela Edições Loyola
>>> O Pensamento Vivo de Gandhi: Edição Ilustrada de Eide M. Murta Carvalho (Pesquisa/Org. Tradução) pela Martin Claret (1985)
>>> Da Sua Vida & dos Seus Negócios de Clóvis Mezzomo pela C. Mezzomo (1998)
>>> As Batalhas do Castelo de Domingos Pellegrini pela Moderna (1991)
>>> O Diário Roubado de Régine Deforges pela Klick (1998)
COLUNAS

Quinta-feira, 14/2/2002
Entre São Valentim e os Lupercais
Adriana Baggio

+ de 6100 Acessos
+ 2 Comentário(s)



14 de fevereiro. Mais um Dia dos Namorados. Pelo menos no hemisfério norte. Enquanto o nosso Dia dos Namorados, comemorado em 12 de junho, tem uma origem assumidamente comercial, o Valentine´s Day já teve uma motivação religiosa. Em uma das teorias, o surgimento da data comemorativa remonta à Roma. No século III da nossa era, o padre Valentim teria ido contra as ordens do imperador Claudio, que havia proibido o casamento dos soldados durante a guerra acreditando que os solteiros lutavam melhor (alguma relação com o celibato imposto aos jogadores às vésperas das partidas de futebol?). O padre continuou celebrando casamentos, foi condenado à morte e virou mártir. Uma outra teoria, nessa mesma linha, diz que Valentim era bispo, e não padre, e quem acabou casando foi ele mesmo. Enquanto esperava a sentença de morte na prisão, conheceu a filha cega do carcereiro e apaixonou-se por ela. O amor do bispo fez a jovem recuperar a visão, e no dia da execução, ele deixou um bilhete para ela assinado “de seu Namorado”. Ah! O dia da morte de Valentim é 14 de fevereiro, claro.

No entanto, dia 14 também era véspera de uma comemoração mais, digamos, pagã. Dia 15 começavam os lupercais, um festival romano (essa Roma, hein?), em homenagem a Juno, deusa da Fertilidade e do Casamento, e Pã, deus da Natureza. Um dos rituais desta comemoração era a “passeata da fertilidade”, onde os sacerdotes saíam pelas ruas batendo em todas as mulheres com correias de couro de cabra para garantir a fertilidade delas (como se só as mulheres fossem responsáveis pela geração de filhos, e como se os padres tivessem alguma coisa a ver com isso...). Existe ainda uma outra versão, mais romântica pelo menos. Na Idade Média diziam que 14 de fevereiro era o primeiro dia do acasalamento dos pássaros. Os moços então aproveitavam o “clima” da data para deixar mensagens de amor na soleira da porta das amadas.

Já o Dia dos Namorados brasileiro é bem mais recente. Surgiu em 1949, quando um publicitário criou a data para alavancar as vendas de uma loja. O dia escolhido foi 12 de junho porque, além de ser véspera do dia de Santo Antônio e as moças estarem mais predispostas ao assunto, o mês não era dos mais movimentados para o comércio. O que interessa é que, no hemisfério sul ou norte, e sendo motivada em sua origem por sexo ou dinheiro, a data pegou e continua sendo das mais comemoradas.

A ambigüidade da origem da comemoração – uma linha religiosa, outra pagã – parece que dá o tom do Dia dos Namorados até hoje. Apesar de toda a liberalidade e busca da individualidade, passar o dia 12 de junho ou 14 de fevereiro sozinho ainda incomoda muita gente. Por mais que os solitários durante o ano consigam driblar a frustração por não terem um companheiro ou companheira, nessas datas a mídia não deixa ninguém esquecer sua condição. E haja auto-estima para estar sozinho e bem nessa data, quando tudo a nossa volta prega a felicidade da vida a dois.

E o sofrimento por estar só no Dia dos Namorados começa logo cedo. Quantas meninas não estarão chorando durante o recreio deste Valentine´s Day? Enquanto as amiguinhas ganham ursinhos de pelúcia, as outras ficarão olhando, com um misto de inveja e despeito, se perguntando porque elas também não fazem parte daquele grupo. Quando chega a adolescência, as coisas pioram. Além dos ursinhos ainda é preciso aturar os beijos. E haja casaisinhos juntinhos nos pátios dos colégios, fugindo do inspetor! Mais tarde, quando já somos adultos, fica mais fácil disfarçar o ridículo dessa situação. Podemos contar com analistas e livros de auto-ajuda para tentar nos fazer acreditar que não é tão mal assim estar só neste dia. Podemos apelar para nossos amigos também solteiros, e para os vapores etílicos, e denegrir ao máximo a tríade brega e abjeta de todo Dia dos Namorados: presente-jantar-motel. A salvação é que, com o aumento do número das pessoas sós, criou-se um mercado fantástico para aquelas festas destinadas aos solitários no Dia dos Namorados. Melhor do que ficar em casa se remoendo à la Dorothy Parker.

Os capitalistas que criaram essas datas comemorativas não têm idéia da bagunça que fizeram com a cabeça das pessoas. Dia das Mães, por exemplo. Mesmo que você esteja extremamente irritado com a sua, sente-se obrigado a relevar tudo, comprar um presente e levá-la para almoçar fora. Não que elas não mereçam, a maioria merece. Mas e seus sentimentos, como é que ficam? Depois, haja anos de análise para resolver o recalque de um conflito sublimado. Por outro lado, como temos a tendência de nos tornar cada vez mais duros, frios e insensíveis com o passar da idade, é até bom que exista uma data na qual somos obrigados a tentar ser pessoas melhores.

Já com o Dia dos Namorados é diferente. Quem está com alguém não precisa de data para comemorar. Também não precisamos de data para agradar nossas mães, mas com elas temos uma espécie de relação que transcende os sentimentos. Não podemos “terminar” com nossas mães. Exceto em alguns casos, sempre deveremos ser gratos à elas. Mas e aos namorados? Se não existe clima para comemorar, o Dia dos Namorados não serve para nada. No máximo para tentar resolver as coisas. Mas como já disse antes, isso pode ser feito em qualquer dia. No entanto, o prejuízo que a data causa para aqueles que estão sós é terrível! E é por isso que falo no mal causado pelos criadores e incentivadores desta data infame. Em resumo, queria dizer que o Dia dos Namorados não refresca em nada a vida de quem namora, e prejudica demais a vida dos temporariamente avulsos.

Todo esse blábláblá acima foi para tentar exemplificar a tal ambigüidade da data no dias de hoje. Estamos muito mais para os lupercais do que para o dia de São Valentim. No entanto, a abordagem da comemoração ignora o aspecto das relações como são atualmente e atém-se exclusivamente ao lado “religioso”. Por mais que a publicidade relacionada ao Dia dos Namorados insinue ou explicite o sexo, a mensagem em um nível mais profundo é sempre a mesma: a sociedade exige que você esteja com alguém. Ao lado do Dia dos Pais e Dia das Mães, o Dia dos Namorados é mais do que uma data na qual você vai ser levado a transformar sua afeição em dinheiro. É a legitimação pelo sistema de uma situação social na qual as pessoas precisam estar com alguém, e por conseqüência, “produzir” um outro alguém. E isso é um absurdo nos dias de hoje. Não que eu seja contra a constituição familiar tradicional. É que, talvez infelizmente, ela não corresponda mais à realidade, e esteja cada vez mais perto de um ideal.

Para encerrar: dizem as estatísticas que o dia de maior movimento nos motéis é... o Dia da Secretária. Pensou que fosse o Dia dos Namorados, hein? A conclusão que eu tiro disso é que, no Dia da Secretária, as pessoas estão indo ao motel com outras das quais realmente gostam, e não com as que se sentem obrigados.

P.S.: ainda bem que o Dia dos Namorados no Brasil é só em junho. Quem sabe, até lá...
P.P.S.: adoro jantar fora no Dia dos Namorados!
P.P.P.S.: também adoro ganhar flores e presente no Dia dos Namorados!


Adriana Baggio
Curitiba, 14/2/2002


Quem leu este, também leu esse(s):
01. A menos-valia na poesia de André Luiz Pinto de Jardel Dias Cavalcanti
02. Inferno em digestão de Renato Alessandro dos Santos
03. Hilda Hilst delirante, de Ana Lucia Vasconcelos de Jardel Dias Cavalcanti
04. Assum Preto, Me Responde? de Duanne Ribeiro
05. Cães, a fúria da pintura de Egas Francisco de Jardel Dias Cavalcanti


Mais Adriana Baggio
Mais Acessadas de Adriana Baggio em 2002
01. Todos querem ser cool - 27/6/2002
02. Menos Guerra, Mais Sexo - 31/1/2002
03. Uma pirueta, duas piruetas, bravo, bravo! - 20/6/2002
04. Homens, cães e livros - 15/8/2002
05. No banheiro com Danuza - 28/11/2002


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
11/6/2002
19h19min
Adriana, encontrei algumas informaçoes sobre o dia dos namorados. |Marlete|
[Leia outros Comentários de Adriana]
14/6/2002
15h37min
Adorei a explicação e o seu ponto de vista bem descontraido. Parabéns
[Leia outros Comentários de Marcio Hypólito]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




TREINAMENTO AVANÇADO XML 7760
ROGERIO AMORIM DE FARIA
DIGERATI
(2005)
R$ 13,00



LUTAS SOCIAIS NA ROMA ANTIGA - 2ª ED.
LÉON BLOCH
PUBLICAÇÕES EUROPA- AMÉRICA
(1991)
R$ 12,90



O MISTÉRIO DO TREM AZUL - 4ª ED.
AGATHA CHRISTIE
NOVA FRONTEIRA
(1976)
R$ 14,00



ASSOCIAÇÃO ENTRE ANTIPSICÓTICOS E EVENTOS ADVERSOS CARDIOVASCULARES
ANA AMANCIO SANTOS DA SILVA
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 349,00



EUGÉNIE GANDET
HONORÉ DE BALZAC
EDIOURO
(1998)
R$ 4,20



OS DIREITOS DO HOMEM DE THOMAS PAINE (UMA BIOGRAFIA)
CHRISTOPHER HITCHENS
ZAHAR
(2007)
R$ 35,00
+ frete grátis



REGULAGEM E OPERAÇÃO DE GRADE DE ARRASTO
ALOÍSIO BIANCHINI
LK
R$ 76,00



O OUTRO LADO DA MEIA-NOITE - SIDNEY SHELDON (LITERATURA NORTE-AMERICANA)
SIDNEY SHELDON
RECORD
R$ 8,00



BRASILEIRO, SIM SENHOR
JOÃO CARLOS AGOSTINI
MODERNA
(2000)
R$ 25,00



PRIVATE - MISSÃO JOGOS OLÍMPICOS
JAMES PATTERSON
ARQUEIRO
(2012)
R$ 24,00





busca | avançada
32489 visitas/dia
1,0 milhão/mês