Entre São Valentim e os Lupercais | Adriana Baggio | Digestivo Cultural

busca | avançada
37376 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
Colunistas
Últimos Posts
>>> O recente choque do petróleo
>>> Armínio comenta Paulo Guedes
>>> Jesus não era cristão
>>> Analisando o Amazon Prime
>>> Amazon Prime no Brasil
>>> Censura na Bienal do Rio 2019
>>> Tocalivros
>>> Livro Alma Brasileira
>>> Steve Jobs em 1997
>>> Jeff Bezos em 2003
Últimos Posts
>>> O céu sem o azul
>>> Ofendículos
>>> Grito primal V
>>> Grito primal IV
>>> Inequações de um travesseiro
>>> Caroço
>>> Serial Killer
>>> O jardim e as flores
>>> Agradecer antes, para pedir depois
>>> Esse é o meu vovô
Blogueiros
Mais Recentes
>>> A literatura feminina de Adélia Prado
>>> Jorge Caldeira no Supertônica
>>> A insustentável leveza da poesia de Sérgio Alcides
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Millôr e eu
>>> As armas e os barões
>>> Quem é o autor de um filme?
>>> Cyrano de Bergerac
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Marco Lisboa na Globonews
Mais Recentes
>>> Psicanálise da maternidade: uma crítica a Freud a partir da mulher e de Nancy Chodorow pela Rosa dos Tempos (1999)
>>> O Preço de Uma Vida de Cristiane Krumenauer pela Novo Século (2018)
>>> Revista de História USP Nº 60 1964 de Diversos Autores pela Ffcl/USP (1964)
>>> Kerata O Colecionador de Cérebros de Juliana R. S. Duarte pela Novo Século (2017)
>>> Revista de História USP Nº 50 1962 de Diversos Autores pela Ffcl/USP (1962)
>>> Crepúsculo - Livro de Anotações da Diretora de Catherine Hardwicke pela Intrínseca Ltda (2019)
>>> Os Sertões de Euclides da Cunha pela Nova Cultural (2002)
>>> O Segredo e outras Histórias de Descoberta de Lygia Fagundes Tellles pela Companhia das Letras (2012)
>>> Uma Família Feliz de David Safier pela Planeta (2013)
>>> O Enigma da Pirâmide de Alan Arnold pela Circulo do Livro (1985)
>>> Adrienne Mesurat (prefáco Inédito) de Julien Green/ (Nota): Josué Montello pela Nova Fronteira (1983)
>>> Viagens de Gulliver (em 04 Partes) de Jonathan Swift/ Trad.: Octavio Mendes Cajado pela Globo/ RJ. (1987)
>>> O Mochileiro das Galáxias - Volume 5 - Praticamente Inofensiva de Douglas Adams pela Arqueiro (2010)
>>> Viagens de Gulliver (em 04 Partes)/ Encadernado de Jonathan Swift/ Prefácio: Almir Andrade pela W. M. Jackson (1970)
>>> Viagens de Gulliver (em 04 Partes)/ Encadernado de Jonathan Swift/ Prefácio: Almir Andrade pela W. M. Jackson (1970)
>>> Amigos de Todo Mundo: Romance de um Jardim Zoológico de Felix Salten/ Ilustrações: Philipp Arlen pela Edições Melhoramentos (1952)
>>> Lembranças Obscuras de um Judeu Polonês Nascido na França de Pierre Goldman pela Francisco Alves (1984)
>>> El Hombre de Annie Besant pela Glem (1957)
>>> Lo Spiritismo Nella Umanita de Casimiro Bonfiglioli pela Bologna (1888)
>>> Santo Tomas de Aquino de P.J. Weber pela Poblet (1949)
>>> Rumo a Consciência Cómica de Pagina de ouro de Ramasar pela Curitiba (1969)
>>> Reencarnação de J.H. Brennan pela O Hemus
>>> Rezando com o Evangelho de Pe. Lucas Caravina pela Paulus (1997)
>>> Resolução para o novo milênio de Jennifer Fox pela Ediouro (1999)
>>> Los Maestros sus Retratos Meditaciones y Graficos de David Anrias pela Horus (1973)
>>> La Doctrina Cosmica de Dion Fortune pela Luis Cárcamo (1981)
>>> Remotos Cânticos de Belém de Wallace Leal V. Rodrigues pela O Clarim (1986)
>>> Reencarnação e Imortalidade de Alexandra David Neel pela Ibrasa (1989)
>>> Raios de Luz Espiritual de Francisco Valdomiro Lorenz pela Pensamento
>>> Does God Exist? de A.E. Taylor pela The Macmillan Company (1947)
>>> Administração Básica de Adelphino Teixeira da Silva pela Atlas (2011)
>>> Como Resolver Conflitos no Trabalho de Jerry Wisinski pela Campus (1994)
>>> Administração de Investimentos de Peter L. Bernstein pela Bookman (2000)
>>> Sistemas Organização e Métodos de Tadeu Cruz pela Atlas (1998)
>>> Os 100 melhores livros de negócios de todos os Tempos de Todd Sattersten Jack Covert pela Campus (2010)
>>> Propaganda de Plínio Cabral pela Atlas (1980)
>>> Empresa Como Organizar e Dirigir de Antônio Carlos Ferreira pela Ouro
>>> Marketing Cultural ao Vivo de Vários pela Francisco Alves (1992)
>>> A Dose Certa de John C. Bogle pela Campus (2009)
>>> Já tenho idade para saber de Michael W. Smith pela BomPastor
>>> Sobreviver não é o Bastante de Seth Godin pela Campus (2002)
>>> Jesus, o maior psicólogo que já existiu de Mark W. Baker pela Sextante
>>> Aspectos Legais da Documentação em Meios Micrográficos Magnéticos e Ópticos de Ademar Stringher pela Cenadem (1996)
>>> Go Pro de Eric Worre pela Rumo (2019)
>>> Avaliação da aprendizagem - Componente do ato pedagógico de Cipriano Carlos Luckesi pela Cortez (2011)
>>> Pílulas do Bem-Estar de Daniel Martins de Barros pela Sextante (2019)
>>> Trilha de Diversos pela EuBlack
>>> Apostila de Vestibular Semi FGV 2 de Não Informado pela Cpv (2003)
>>> Documentos Maranhenses Pantheon Maranhense 2 Volumes de Antônio Henrique Leal pela Alhambra (1987)
>>> Economia de João Paulo de Almeida magalhães pela Não sei (2019)
COLUNAS

Quinta-feira, 14/2/2002
Entre São Valentim e os Lupercais
Adriana Baggio

+ de 6100 Acessos
+ 2 Comentário(s)



14 de fevereiro. Mais um Dia dos Namorados. Pelo menos no hemisfério norte. Enquanto o nosso Dia dos Namorados, comemorado em 12 de junho, tem uma origem assumidamente comercial, o Valentine´s Day já teve uma motivação religiosa. Em uma das teorias, o surgimento da data comemorativa remonta à Roma. No século III da nossa era, o padre Valentim teria ido contra as ordens do imperador Claudio, que havia proibido o casamento dos soldados durante a guerra acreditando que os solteiros lutavam melhor (alguma relação com o celibato imposto aos jogadores às vésperas das partidas de futebol?). O padre continuou celebrando casamentos, foi condenado à morte e virou mártir. Uma outra teoria, nessa mesma linha, diz que Valentim era bispo, e não padre, e quem acabou casando foi ele mesmo. Enquanto esperava a sentença de morte na prisão, conheceu a filha cega do carcereiro e apaixonou-se por ela. O amor do bispo fez a jovem recuperar a visão, e no dia da execução, ele deixou um bilhete para ela assinado “de seu Namorado”. Ah! O dia da morte de Valentim é 14 de fevereiro, claro.

No entanto, dia 14 também era véspera de uma comemoração mais, digamos, pagã. Dia 15 começavam os lupercais, um festival romano (essa Roma, hein?), em homenagem a Juno, deusa da Fertilidade e do Casamento, e Pã, deus da Natureza. Um dos rituais desta comemoração era a “passeata da fertilidade”, onde os sacerdotes saíam pelas ruas batendo em todas as mulheres com correias de couro de cabra para garantir a fertilidade delas (como se só as mulheres fossem responsáveis pela geração de filhos, e como se os padres tivessem alguma coisa a ver com isso...). Existe ainda uma outra versão, mais romântica pelo menos. Na Idade Média diziam que 14 de fevereiro era o primeiro dia do acasalamento dos pássaros. Os moços então aproveitavam o “clima” da data para deixar mensagens de amor na soleira da porta das amadas.

Já o Dia dos Namorados brasileiro é bem mais recente. Surgiu em 1949, quando um publicitário criou a data para alavancar as vendas de uma loja. O dia escolhido foi 12 de junho porque, além de ser véspera do dia de Santo Antônio e as moças estarem mais predispostas ao assunto, o mês não era dos mais movimentados para o comércio. O que interessa é que, no hemisfério sul ou norte, e sendo motivada em sua origem por sexo ou dinheiro, a data pegou e continua sendo das mais comemoradas.

A ambigüidade da origem da comemoração – uma linha religiosa, outra pagã – parece que dá o tom do Dia dos Namorados até hoje. Apesar de toda a liberalidade e busca da individualidade, passar o dia 12 de junho ou 14 de fevereiro sozinho ainda incomoda muita gente. Por mais que os solitários durante o ano consigam driblar a frustração por não terem um companheiro ou companheira, nessas datas a mídia não deixa ninguém esquecer sua condição. E haja auto-estima para estar sozinho e bem nessa data, quando tudo a nossa volta prega a felicidade da vida a dois.

E o sofrimento por estar só no Dia dos Namorados começa logo cedo. Quantas meninas não estarão chorando durante o recreio deste Valentine´s Day? Enquanto as amiguinhas ganham ursinhos de pelúcia, as outras ficarão olhando, com um misto de inveja e despeito, se perguntando porque elas também não fazem parte daquele grupo. Quando chega a adolescência, as coisas pioram. Além dos ursinhos ainda é preciso aturar os beijos. E haja casaisinhos juntinhos nos pátios dos colégios, fugindo do inspetor! Mais tarde, quando já somos adultos, fica mais fácil disfarçar o ridículo dessa situação. Podemos contar com analistas e livros de auto-ajuda para tentar nos fazer acreditar que não é tão mal assim estar só neste dia. Podemos apelar para nossos amigos também solteiros, e para os vapores etílicos, e denegrir ao máximo a tríade brega e abjeta de todo Dia dos Namorados: presente-jantar-motel. A salvação é que, com o aumento do número das pessoas sós, criou-se um mercado fantástico para aquelas festas destinadas aos solitários no Dia dos Namorados. Melhor do que ficar em casa se remoendo à la Dorothy Parker.

Os capitalistas que criaram essas datas comemorativas não têm idéia da bagunça que fizeram com a cabeça das pessoas. Dia das Mães, por exemplo. Mesmo que você esteja extremamente irritado com a sua, sente-se obrigado a relevar tudo, comprar um presente e levá-la para almoçar fora. Não que elas não mereçam, a maioria merece. Mas e seus sentimentos, como é que ficam? Depois, haja anos de análise para resolver o recalque de um conflito sublimado. Por outro lado, como temos a tendência de nos tornar cada vez mais duros, frios e insensíveis com o passar da idade, é até bom que exista uma data na qual somos obrigados a tentar ser pessoas melhores.

Já com o Dia dos Namorados é diferente. Quem está com alguém não precisa de data para comemorar. Também não precisamos de data para agradar nossas mães, mas com elas temos uma espécie de relação que transcende os sentimentos. Não podemos “terminar” com nossas mães. Exceto em alguns casos, sempre deveremos ser gratos à elas. Mas e aos namorados? Se não existe clima para comemorar, o Dia dos Namorados não serve para nada. No máximo para tentar resolver as coisas. Mas como já disse antes, isso pode ser feito em qualquer dia. No entanto, o prejuízo que a data causa para aqueles que estão sós é terrível! E é por isso que falo no mal causado pelos criadores e incentivadores desta data infame. Em resumo, queria dizer que o Dia dos Namorados não refresca em nada a vida de quem namora, e prejudica demais a vida dos temporariamente avulsos.

Todo esse blábláblá acima foi para tentar exemplificar a tal ambigüidade da data no dias de hoje. Estamos muito mais para os lupercais do que para o dia de São Valentim. No entanto, a abordagem da comemoração ignora o aspecto das relações como são atualmente e atém-se exclusivamente ao lado “religioso”. Por mais que a publicidade relacionada ao Dia dos Namorados insinue ou explicite o sexo, a mensagem em um nível mais profundo é sempre a mesma: a sociedade exige que você esteja com alguém. Ao lado do Dia dos Pais e Dia das Mães, o Dia dos Namorados é mais do que uma data na qual você vai ser levado a transformar sua afeição em dinheiro. É a legitimação pelo sistema de uma situação social na qual as pessoas precisam estar com alguém, e por conseqüência, “produzir” um outro alguém. E isso é um absurdo nos dias de hoje. Não que eu seja contra a constituição familiar tradicional. É que, talvez infelizmente, ela não corresponda mais à realidade, e esteja cada vez mais perto de um ideal.

Para encerrar: dizem as estatísticas que o dia de maior movimento nos motéis é... o Dia da Secretária. Pensou que fosse o Dia dos Namorados, hein? A conclusão que eu tiro disso é que, no Dia da Secretária, as pessoas estão indo ao motel com outras das quais realmente gostam, e não com as que se sentem obrigados.

P.S.: ainda bem que o Dia dos Namorados no Brasil é só em junho. Quem sabe, até lá...
P.P.S.: adoro jantar fora no Dia dos Namorados!
P.P.P.S.: também adoro ganhar flores e presente no Dia dos Namorados!


Adriana Baggio
Curitiba, 14/2/2002


Quem leu este, também leu esse(s):
01. O artífice do sertão de Celso A. Uequed Pitol
02. O tigre de papel que ruge de Celso A. Uequed Pitol
03. Cães, a fúria da pintura de Egas Francisco de Jardel Dias Cavalcanti
04. Por que HQ não é literatura? de Cassionei Niches Petry
05. A noite iluminada da literatura de Pedro Maciel de Jardel Dias Cavalcanti


Mais Adriana Baggio
Mais Acessadas de Adriana Baggio em 2002
01. Todos querem ser cool - 27/6/2002
02. Menos Guerra, Mais Sexo - 31/1/2002
03. Uma pirueta, duas piruetas, bravo, bravo! - 20/6/2002
04. Homens, cães e livros - 15/8/2002
05. No banheiro com Danuza - 28/11/2002


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
11/6/2002
19h19min
Adriana, encontrei algumas informaçoes sobre o dia dos namorados. |Marlete|
[Leia outros Comentários de Adriana]
14/6/2002
15h37min
Adorei a explicação e o seu ponto de vista bem descontraido. Parabéns
[Leia outros Comentários de Marcio Hypólito]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




AJUDA-TE PELA NOVA AUTO-HIPNOSE
PAUL ADAMS
IBRASA
(1978)
R$ 20,00



ADULTOS SEM FILTRO E OUTRAS CRONICAS
THALITA REBOUCAS
ROCCO
(2012)
R$ 21,87



POR QUE OS HOMENS MENTEM E AS MULHERES CHORAM?
ALLAN E BARBARA PEASE
SEXTANTE
(2003)
R$ 6,00



JUAZEIRO DO PADRE CÍCERO
M. B. LOURENÇO FILHO

R$ 44,00



VAMPIROS EM DALLAS
CHARLAINE HARRIS
ARX
(2010)
R$ 10,00



A MÁSCARA DA MORTE VERMELHA
EDGAR ALLAN POE
MELHORAMENTOS
(2013)
R$ 8,00



O JOVEM FUTEBOLISTA
GARY LINEKER
CIVILIZAÇÃO
(1994)
R$ 11,70



DEVOCIONÁRIO NOSSA SENHORA DA PAZ
MARIA DAS NEVES
SANTA MARIA
(1999)
R$ 3,00



PASSADO E FUTURO DA ERA DA INFORMAÇÃO
RICARDO RANGEL
NOVA FRONTEIRA
(1999)
R$ 7,60



PARADOXO GLOBAL
JOHN NAISBITT
CAMPUS
(1998)
R$ 7,00





busca | avançada
37376 visitas/dia
1,1 milhão/mês