O testemunho de Bernanos | Celso A. Uequed Pitol | Digestivo Cultural

busca | avançada
100 mil/dia
2,7 milhões/mês
Mais Recentes
>>> OBA HORTIFRUTI INAUGURA 25ª LOJA EM SÃO PAULO
>>> Bienal On-line promove studio visit com artista argentina Inés Raiteri
>>> Castelo realiza piqueniques com contemplação do pôr do sol ao ar livre
>>> A bailarina Ana Paula Oliveira dança com pássaro em videoinstalação de Eder Santos
>>> Festival junino online celebra 143 da cidade de Joanópolis
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Ao pai do meu amigo
>>> Paulo Mendes da Rocha (1929-2021)
>>> 20 contos sobre a pandemia de 2020
>>> Das construções todas do sentir
>>> Entrevista com o impostor Enrique Vila-Matas
>>> As alucinações do milênio: 30 e poucos anos e...
>>> Cosmogonia de uma pintura: Claudio Garcia
>>> Silêncio e grito
>>> Você é rico?
>>> Lisboa obscura
Colunistas
Últimos Posts
>>> A São Paulo do 'Não Pode'
>>> Humberto Werneck por Pedro Herz
>>> Raquel Cozer por Pedro Herz
>>> Cidade Matarazzo por Raul Juste Lores
>>> Luiz Bonfa no Legião Estrangeira
>>> Sergio Abranches sobre Bolsonaro e a CPI
>>> Fernando Cirne sobre o e-commerce no pós-pandemia
>>> André Barcinski por Gastão Moreira
>>> Massari no Music Thunder Vision
>>> 1984 por Fabio Massari
Últimos Posts
>>> Fiel escudeiro
>>> Virtual: Conselheiro do Sertão estreia quinta, 24
>>> A lei natural da vida
>>> Sem voz, sem vez
>>> Entre viver e morrer
>>> Desnudo
>>> Perfume
>>> Maio Cultural recebe “Uma História para Elise”
>>> Ninguém merece estar num Grupo de WhatsApp
>>> Izilda e Zoroastro enfrentam o postinho de saúde
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Imperial March por Darth Vader
>>> Habemus Blog
>>> 3 de Fevereiro #digestivo10anos
>>> Autores & Ideias no Sesc-PR II
>>> Um Furto
>>> Conceitos musicais: blues, fusion, jazz, soul, R&B
>>> Raduan Nassar
>>> Cacá Diegues e os jornalistas
>>> A Casa é de Daniela Escobar
>>> A forca de cascavel — Angústia (Fuvest)
Mais Recentes
>>> História da II Guerra Mundial (1939-1945) de Edgar Mc Innis pela Globo (1956)
>>> Serie Literária I Conto Frederico Paciência de Mário de Andrade pela Companhia editoria nacional (1978)
>>> Viagem ao Rio Grande do Sul de Auguste de Saint-Hilaire pela Ariel (1935)
>>> Español sin fronteras: curso de lengua española, volume 1 de Maria de Los Ángeles J. García, Josephine Sánchez Hernández pela Scipione (2002)
>>> Do Parapeito Vital de Vania Clares pela Autor (1996)
>>> Ensaios Céticos - Prêmios Nobel de Literatura de Bertrand Russell pela Opera (1970)
>>> Enciclopédia do Homem - No tempo dos primeiros automóveis (1900) de Pierre Miquel pela Lutécia (1977)
>>> Teatro - Coleção dos Prêmios Nobel de Literatura de William Butler Yeats pela Delta (1963)
>>> A História da Filosofia de James Garvey, Jeremy Stangroom pela Octavio (2013)
>>> La Argentina y Europa (1950 - 1970) de Vários autores pela Universidad Nacional del Sur (1999)
>>> A Luz Que Se Apagou de Rudyard Kipling pela Delta (1962)
>>> La Batalla en el frente social de Israel en los años 1970 de Vários autores pela Oficina para investigaciones economicas y sociales (1970)
>>> Prêmio Nobel de Literatura - Adeus ás Armas de Ernest Hemingway pela Delta (1969)
>>> Quenco, o Pato de Ana Maria Machado e Alcy pela Ática (2016)
>>> O Sapo que Virou Príncipe: Continuação de Jon Scieszka ( pela Companhia das Letrinhas (2010)
>>> Português : linguagens, 6ª. Série : língua portuguesa de William Roberto Cereja, Thereza Cochar Magalhães pela Atual (2006)
>>> Em busca do eu interior. Histórias e parábolas para aquecer seu coração de Osho pela Cultrix (2019)
>>> Quero um Gato de Tony Ross pela Martins Fontes (1998)
>>> Gente da França de Alcantara Silveira pela Grd (1991)
>>> Amanhã É Outro Dia de J. M. Simmel pela Nova Fronteira (1978)
>>> O Máscara de Ferro de Alexandre Dumas / Francisco Messejana (Adaptação ) pela Abril Cultural (1973)
>>> A Cura Através da Terapia de Vidas Passadas de Brian L. Weiss pela Sextante (2001)
>>> Obazine de Pierre Bergounioux pela Le Lieu de l (2021)
>>> A Estratégia do Olho de Tigre de Renato Grinberg pela Gente (2011)
>>> A Casa Sonolenta - 16ª Edição - 29ª reimpressão de Audrey Wood e Don Wood pela Ática (2012)
COLUNAS

Terça-feira, 4/8/2015
O testemunho de Bernanos
Celso A. Uequed Pitol

+ de 2700 Acessos

"Os Grandes Cemitérios sob a Lua" talvez seja o mais conhecido livro de combate do romancista francês Georges Bernanos, autor de "Sob o Sol de Satã" e "Diário de um pároco de aldeia". Escrito no período em que residiu na Espanha, durante a tristemente famosa Guerra Civil daquele país, é dirigido aos seus compatriotas como um alerta sobre o estado de coisas que ali presenciou.

Seria, contudo, erro grave reduzir o livro a um relato jornalístico da guerra civil espanhola. Surge então a dificuldade em classificá-lo. Se não é um relato de guerra, o que é? Um panfleto político? Um caderno de notas? Uma confissão? Segundo seu próprio autor, trata-se de um testemunho. E um testemunho visceral, visando o combate, animado pelo momento da guerra, onde forças nacionalistas (lideradas por Francisco Franco e apoiadas pela Itália fascista e pela Alemanha nazista) e as republicanas (apoiadas pelos soviéticos) encenaram muito do que aconteceria na Europa nos anos seguintes.

Ali, nos campos secos de Castilla, onde jazem milhares de corpos à sombra das ruínas, Bernanos busca respostas para mil dúvidas sobre o futuro da França, sobre a degeneração da política europeia, sobre a cristandade e sobre ele próprio. Quanto à Guerra Civil, em grande parte do livro sequer é mencionada. Quando isso ocorre, Bernanos não escolhe lado e fustiga republicanos e falangistas com igual vigor. No entanto, católico como era, mostra-se particularmente horrorizado com as brutalidades cometidas pelo bando nacionalista apoiado pela Igreja, a sua Igreja, cujos sacerdotes ele vê ao lado de militares corrompidos, abençoando execuções criminosas. E antevê aí o que Mussolini e Hitler planejam para os anos seguintes.

Bernanos pagou caro pela coragem. A direita, que via nele seu representante, rejeitou o livro com violência; chamou-o de traidor, vendido, perturbado. A esquerda, que nunca gostou dele, saudou-o pelas críticas a Franco e aos falangistas. Como é como em situações desse tipo, os dois lados estavam errados. Como bem viu Albert Camus, admirador e leitor exemplar de sua obra, Bernanos era homem para ser entendido e apreciado por inteiro, sem tentativas de enquadrá-lo em agrupamentos de qualquer gênero. Da mesma forma, aliás, que este grande livro.

* * * *

"É verdade que a cólera dos imbecis inunda o mundo todo. Podem rir, se quiserem, ela não poupará ninguém, nada, ninguém, é incapaz de perdoar. Evidentemente, os doutrinários de direita ou de esquerda, cujo ofício é esse, continuarão a classificar os imbecis, enumerarão suas espécies e gêneros, definirão cada grupo segundo as paixões e os interesses dos indivíduos que o compõem, sua ideologia particular".

"Nós não éramos de direita! O círculo de estudos sociais que fundamos tinha o nome de círculo Proudhon, exibia esse patronato escandaloso. Fazíamos votos para o sindicalismo nascente. Preferíamos correr os riscos de uma revolução operária a comprometer a monarquia com uma classe que permaneceu, depois de um século, estranha à tradição de seus avós, ao sentido profundo de nossa história, e cujos egoísmo, estupidez e cupidez conseguiram estabelecer uma espécie de servidão mais inumana do que aquela abolida por nossos reis."

"Compreendíamos muito bem que um jovem Príncipe moderno trataria mais facilmente com os chefes do proletariado, mesmo que extremistas, do que com as Sociedades Anônimas e com os Bancos.(.) Na Santé, onde permanecíamos, dividíamos fraternalmente nossas provisões com os operários de pavimentação, cantávamos juntos, alternando: Vive Henri IV ou a Internacional."


Celso A. Uequed Pitol
Canoas, 4/8/2015


Quem leu este, também leu esse(s):
01. 20 contos sobre a pandemia de 2020 de Luís Fernando Amâncio
02. Lisboa obscura de Elisa Andrade Buzzo
03. Um olhar sobre Múcio Teixeira de Celso A. Uequed Pitol
04. Eddie Van Halen (1955-2020) de Julio Daio Borges
05. Precisamos falar sobre Kevin de Renato Alessandro dos Santos


Mais Celso A. Uequed Pitol
Mais Acessadas de Celso A. Uequed Pitol em 2015
01. Um estranho chamado Joe Strummer - 8/9/2015
02. Caminhos para a esquerda - 3/2/2015
03. Canadá, de Richard Ford - 17/11/2015
04. O testemunho de Bernanos - 4/8/2015
05. Um DJ no mundo comunista - 9/6/2015


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Diccionario Ideológico Político de La Transición 60 Años En las P
Emilio Attard (tomos 1, 2 e 3)
Federico Domenech (valência)
(1995)



Dictionnaire des Religions
E. Royston Pike (capa Dura)
Pressesuniversitaires
(1954)



Pobreza, Desigualdad Social y Ciudadanía: los Límites
Alicia Ziccardi (compiladora)
Clacso
(2002)



Era uma Vez no Instituto de Educação
Zilá Simas Enéas
Autora (rj)
(1998)



Salário Mínimo / Instrumento de Combate à Desigualdade
Dieese
Ford Foundation
(2010)



Bandolim
Leny Werneck
Melhoramentos
(1986)



Estatica de las Estructuras - 4 Tomos
Schreyer/ramm/wagner
Editorial Blume
(1969)



Os Jovens Deixam Sangrar Com Caetano Veloso
Manchete Nº 983 de 20 de Fevereiro 1971
Bloch
(1971)



Questions Sur La Chine Après La Mort de Mao Tsé-toung
Charles Bettelheim (capa Dura)
François Maspero (paris)
(1979)



Nássara Desenhista
Cássio Loredano (dedicatória)
Mec/secretaria da Cultura
(1985)





busca | avançada
100 mil/dia
2,7 milhões/mês