Não olhe para trás (ou melhor, olhe sim) | Cassionei Niches Petry | Digestivo Cultural

busca | avançada
39401 visitas/dia
1,4 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Quarta-feira, 19/8/2015
Não olhe para trás (ou melhor, olhe sim)
Cassionei Niches Petry

+ de 2400 Acessos

Seguir sempre em frente, sem olhar para trás. Algumas pessoas pensam dessa forma e ditam suas vidas por esse princípio. O que passou, passou, não volta mais. A flecha lançada não volta ao arco. A palavra dita não retorna à boca. A ofensa proferida, o soco no rosto, a oportunidade perdida, o e-mail enviado... Esqueça. Não há como voltar ao passado, muito menos mudá-lo.

Contam-nos os gregos que uma ninfa, chamada Eurídice, fugia do filho do deus Apolo, Aristeu, que queria possuí-la, quando pisou em uma víbora que a picou, causando sua morte. Seu amado Orfeu, poeta e músico, que com sua lira encantava a todos, mortais e imortais, foi buscá-la no subterrâneo reino de Hades, conseguindo inclusive amansar o cão de três cabeças Cérbero. O deus do mundo dos mortos, emocionado pela melodia e pelo canto de dor do poeta, aceitou devolver a ninfa para Orfeu, mas com uma condição: no momento em que subissem de volta à superfície, ele deveria seguir à frente dela e não poderia, em hipótese alguma, voltar-se para trás. Bem próximo do fim da subida, com medo de que a amada não estivesse atrás dele, e desconfiado que o deus pudesse tê-lo enganado, Orfeu se virou. Eurídice foi arrastada de volta às trevas de Hades para nunca mais voltar.

Segundo Junito de Souza Brandão, Orfeu transgrediu o tabu das direções: "olhar para a frente é desvendar o futuro e possibilitar a revelação; para a direita é descobrir o bem, o progresso; para a esquerda é o encontro do mal, do caos, das trevas; para trás é o regresso ao passado, às hamartíai, às faltas, aos erros, é a renúncia ao espírito e à verdade." (Mitologia grega, volume 2, editora Vozes.) Olhar para frente, a partir dos pontos cardeais, é olhar para o leste, oriente, onde nasce o sol, afinal nos orientamos pelo sol, procuramos a luz. No oeste, o ocidente, o sol se põe, em latim, occidens, "o que morre". Então, vem o escuro, a falta de luz, logo, a renúncia ao conhecimento que é a verdade dos deuses, que não pode ser revelada, a ordem que não pode ser desobedecida. "Orfeu foi o homem que violou o interdito e ousou olhar o invisível", conforme podemos ler no Dicionário de símbolos, de Chevalier e Gheerbrant. Por isso, sofreu o castigo de perder Eurídice pela segunda vez.

Brandão ainda nos lembra de outros mitos e lendas relacionados ao tema. No livro sagrado dos cristãos, mais precisamente em Gênesis, no episódio da destruição de Sodoma e Gomorra, dois anjos que salvaram a família de Lot, recomendaram que ninguém olhasse para trás. A mulher de Lot, no entanto, se virou e se transformou numa estátua de sal. Na Odisseia, de Homero, para poder consultar o adivinho Tirésias no Hades, o herói Ulisses teve que sacrificar uma ovelha, realizando o ato de costas para o reino dos mortos. Em muitas religiões, feitiços são deixados em algum lugar, geralmente encruzilhadas, e depois, ao sair do local, não se pode olhar para trás.

Lembro-me, então, de um episódio da minha adolescência. Eu, já um cético, porém muito medroso, me deparei com um suposto caso de possessão espiritual na casa da família da minha namorada. Sua mãe estaria sendo dominada pelo espírito do marido que morrera há uns dois anos. Num ritual de religião de matriz africana, uma "filha de santo", possuída por uma entidade, fumando charuto e bebendo muita cachaça, conseguiu expulsar o espírito. Eu assistia a tudo incrédulo, porém com o coração quase na boca. Essa mulher, durante o dia, chorava de dor devido a um furúnculo nas nádegas. Pois agora ela se sentava no chão e não sentia dor nenhuma! Com a situação mais calma, decidi ir embora, no entanto fui advertido pelo tio da minha namorada, também "filho de santo", que havia forças misteriosas na rua, que era melhor eu passar a noite ali. Insisti, e ele concordou que eu fosse, mas antes fez um ritual: fiquei de costas para a entrada da casa e ele cuspiu água junto às minhas orelhas em direção à rua. Era uma proteção, disse, e me aconselhou a não olhar para trás, pois algum espírito me daria um tapa na cara. Cético que era, dei de ombros e me fui. Por vias das dúvidas, fui olhando para frente, reto, com a sensação de que estava sendo seguido. Mas cheguei são, suado e salvo a meu lar doce lar.

Repare, leitor, que, para falar sobre o assunto, tive que olhar para trás, voltar ao passado. É impossível buscarmos conhecimento se assim não o fizermos. Desobedecemos aos deuses para aprender a viver. A história da humanidade, a arte criada pelo homem, os mitos que nos explicam, a literatura que nos revela. O saber não está apenas na luz, também está na escuridão, escondido. É preciso entrar na selva escura, descer aos infernos, rever nossos passos, abrir os livros empoeirados nos cantos desertos de uma biblioteca, navegarmos em mares virtuais em que poucos navegam, buscar um "e-book" arquivado em um DVD de dados.

Visitando um blog, voltei alguns meses na sua timeline e encontrei um filme esquecido pelo tempo. Não o encontrando em nenhuma locadora, fiz o download para assisti-lo. Trata-se de Terra d'água, do ano de 1992, baseado em romance publicado nove anos antes pelo britânico Graham Swift. O enredo volta mais um pouco na linha temporal e chega aos anos 70, quando um professor de História, Tom Crick, questionado por um aluno sobre a relevância dessa matéria na escola, voltou mais ainda no tempo e relatou seu relacionamento com a namorada nos anos 40, durante a Segunda Guerra Mundial. Regressando ainda mais, chegou à Primeira Grande Guerra para falar sobre sua família. As lembranças, de uma forma implícita, mostraram a importância de se estudar os fatos históricos. Se a narrativa de sua vida explicava os fatos presentes e o ajudou a se encontrar consigo mesmo, bem como entender o comportamento estranho de sua esposa, o estudo da História ensina a nos conhecer, a entender o mundo, a corrigir os erros no presente e evitar novos erros no futuro.

Olhando agora para trás, analisando o que escrevi, vejo que não era este ensaio que eu havia projetado. Se tivesse seguido o plano, olhasse só para frente, o texto seria outro. Poderia ter sido muito melhor, talvez. Ao voltar os olhos para o livro de Junito de Souza Brandão que estava nas estantes às minhas costas (aliás, sempre tenho que olhar para trás quando preciso de um livro que me ajude a escrever), busquei no mito antigo, nos primórdios da humanidade, algo para entender o presente, no século XXI.

O ontem explica muito melhor o hoje.


Cassionei Niches Petry
Santa Cruz do Sul, 19/8/2015


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Antonia, de Morena Nascimento de Elisa Andrade Buzzo
02. 'A Imaginação Liberal', de Lionel Trilling de Celso A. Uequed Pitol
03. Lira da resistência ao futebol gourmet de Luís Fernando Amâncio
04. As sobras completas, poesias de Jovino Machado de Jardel Dias Cavalcanti
05. Brasil em novo tempo de cinema de Humberto Pereira da Silva


Mais Cassionei Niches Petry
Mais Acessadas de Cassionei Niches Petry em 2015
01. A coisa tá preta - 8/7/2015
02. O romance do 'e se...' - 22/7/2015
03. Do inconveniente de ter escrito - 9/9/2015
04. Não olhe para trás (ou melhor, olhe sim) - 19/8/2015
05. As sombras e os muros de José J. Veiga - 11/11/2015


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




FRIEZA BURGUESA E EDUCAÇÃO
ANDREAS GRUSCHKA
AUTORES ASSOCIADOS
(2014)
R$ 55,00



LILI, LIBERDADE
GONZALO MOURE TRENOR
PAULINAS
(1999)
R$ 6,10



O SERTÃO, O BOI E A SECA MARANHÃO, PIAUÍ, CEARÁ E RIO GRANDE DO NORTE
DIAULAS RIEDEL ORGANIZAÇÃO
CULTRIX
(1960)
R$ 14,00



LITERATURA BRASILEIRA - SÍNTESE HISTÓRICA
DINO F. FONTANA
SARAIVA
(1968)
R$ 15,00



NO MUNDO DO BOXE 2ª EDIÇÃO - 842
JUVENAL QUEIROZ
WEJARTE COMPOSIÇÕES
(1989)
R$ 12,00



O NOME DA ESTRELA
MAUREEN JOHNSON; LARISSA HELENA
FANTASTICA ROCCO
(2015)
R$ 10,00



DANO MORAL E O DIREITO DO TRABALHO
VALDIR FLORINDO
LTR (SP)
(1996)
R$ 11,82



FOI-SE O MARTELO
BEM LEWIS
RECORD
(2014)
R$ 53,00



PRIMEIRO O MAIS IMPORTANTE - FIRST THINGS FIRST
STEPHEN R. COVEY
CAMPUS
(1995)
R$ 45,00



CURRICULUM: POESIA
MARIA HELENA VENTURA
ESCRITOR
(1999)
R$ 20,10





busca | avançada
39401 visitas/dia
1,4 milhão/mês