Não olhe para trás (ou melhor, olhe sim) | Cassionei Niches Petry | Digestivo Cultural

busca | avançada
58188 visitas/dia
2,0 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Unil oferece abordagem diferenciada da gramática a preparadores e revisores de texto
>>> Conversas no MAB com Sergio Vidal e Ana Paula Lopes
>>> Escola francesa de Design, Artes e Comunicação Visual inaugura campus em São Paulo
>>> TEATRO & PODCAST_'Acervo e Memória', do Célia Helena, relembra entrevista com Nydia Licia_
>>> Projeto Cultural Samba do Caxinha cria arrecadação virtual para gravação de seu primeiro EP
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Aos nossos olhos (e aos de Ernesto)
>>> Carol Sanches, poesia na ratoeira do mundo
>>> O fim dos livros físicos?
>>> A sujeira embaixo do tapete
>>> Moro no Morumbi, mas voto em Moema
>>> É breve a rosa alvorada
>>> Alameda de água e lava
>>> Entrevista: o músico-compositor Livio Tragtenberg
>>> Cabelo, cabeleira
>>> A redoma de vidro de Sylvia Plath
Colunistas
Últimos Posts
>>> Gente feliz não escreve humor?
>>> A profissão de fé de um Livreiro
>>> O ar de uma teimosia
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
>>> Chico Buarque em bate-papo com o MPB4
Últimos Posts
>>> O poder da história
>>> Caraminholas
>>> ETC. E TAL
>>> Acalanto para a alma
>>> Desde que o mundo é mundo
>>> O velho suborno
>>> Normal!
>>> Os bons companheiros, 30 anos
>>> Briga de foice no escuro
>>> Alma nua
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - II
>>> Delicado, vulnerável, sensível
>>> De Kooning em retrospectiva
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> Aquele apoio
>>> A forca de cascavel — Angústia (Fuvest)
>>> Pouca gente sabe
>>> O chilique do cabeleireiro diante da modelo
>>> Paradiso por Metheny
Mais Recentes
>>> Homens e cousas do Império de Visconde de Taunay pela Melhoramentos (1924)
>>> Servidores Illustres do Brasil de Visconde de Taunay pela Melhoramentos (1930)
>>> A Guerra do Pacífico de Visconde de Taunay pela Melhoramentos (1925)
>>> Mallet: o Patrono da Artilharia de Joaquim Victorino Portella Ferreira Alves pela Biblioteca do Exército (1979)
>>> Os Patronos das Forças Armadas de General Olyntho Pillar pela Biblioteca do Exército (1981)
>>> História Diplomática do Brasil de Hélio Vianna pela Biblioteca do Exército (1958)
>>> História Militar do Brasil de Leopoldo de Freitas pela Livraria Magalhães (1911)
>>> Presença de Alberto Torres (Sua vida e Pensamento) de Barbosa Lima Sobrinho pela Civilização Brasileira (1968)
>>> Alberto Torres e sua obra de A. Saboia Lima pela Companhia Ed. Nacional (1935)
>>> A Internacional do Dinheiro de Adolfo Coelho pela Livraria Clássica (1935)
>>> Anatomia Humana -tomo 3 [ idioma espanhol]Angiologia -Neurologia - Estesiologia de M.Prive N. Lisenkov V.Bushkovich pela Mir Moscou (1986)
>>> Servidão Humana de W. Somerset Maugham pela Círculo do Livro (1986)
>>> 4. A Ditadura Encurralada: O Sacerdote e o Feiticeiro de Elio Gaspari pela Intrínseca (2014)
>>> 1001 Filmes para Ver Antes de Morrer de Steven Jay Schneider pela Sextante (2010)
>>> Bush na Babilônia: A Recolonização do Iraque de Tariq Ali pela Record (2003)
>>> Espionologia: O Livro Completo da Espionagem de Ian Andrew; Anne Yvonne Gilbert; Outros pela Brinque Book (2010)
>>> Barão de Mauá: O Empreendedor de Gilberto Maringoni pela Aori (2007)
>>> El Mejor Medicamento Eres Tú: La Salud Está En Tus Manos de Frédéric Saldmann pela Aguilar (2014)
>>> O presidente Campos Salles na Europa de Tobias Monteiro pela F. Briguiet & Cia. (1928)
>>> As ideias de Alberto Torres de Alcides Gentil pela Companhia Ed. Nacional (1932)
>>> Recueil de discours prononcés au Parlement d'Angleterre de William Pitt & Charles James Fox pela Chez Le Normant (1819)
>>> Antidepresivos Naturales: Una Solución Alternativa al Gran Problema de Este Tiempo de Lucía Oliveira pela Ediciones Lea (2008)
>>> A Verdadeira Dieta Anticâncer de David Khayat pela Lua de Papel (2012)
>>> En Un Abrir y Cerrar de Boca: Historias de Problemas Gordos de Máximo Ravenna pela Ediciones B (2010)
>>> Grandes Católicos de Rev. Pe. Claude Williamson pela Globo (1943)
>>> Curso Básico de Teologia de Antônio Mesquita Galvão pela Pão e Vinho (2003)
>>> Guia politicamente incorreto da História do Mundo de Leandro Narloch pela Leya (2013)
>>> Síndrome do Estrangeiro de Málu Balona pela Editares (2006)
>>> Geographia Sentimental de Plínio Salgado pela José Olympio (1937)
>>> Chama Crística de Norberto Peixoto pela Do Conhecimento (2001)
>>> Obra Escolhida de Descartes pela Difusão Europeia do Livro (1962)
>>> O Lado Difícil Das Situações Difíceis de Ben Horowitz pela WMF Martins Fontes (2020)
>>> Medida provisória 1 6 1 de Ademir Antonio Bacca pela Toazza (1990)
>>> Autenticidade Consciencial de Tony Musskopf pela Editares (2012)
>>> Perdão: Opção Cosmoética de Seguir em Frente de Vera Tanuri pela Editares (2016)
>>> Criação de Delores Pires pela Do autor (1989)
>>> O castelo nos Pirineus de Jostein Gaarder pela Companhia das Letras (2010)
>>> Um Caso Muito Sujo de Shirley Souza pela Paulus (2011)
>>> Astronauta de Brinquedo de Marcelo Miguel pela Paulista (1995)
>>> A Vida Cética de Pirro de Gabriela G. Gazzinelli pela Loyola (2009)
>>> Karl Marx - Biografia de P. N. Fedosseiev (e outros) pela Avante (Lisboa) e Progresso (Moscou) (1983)
>>> Meus devaneios poéticos de Darcy Arruda Miranda pela Do Autor (1984)
>>> Poeta, mostra a tua cara de Berecil Garay pela Toazza (1992)
>>> Nós Nus de Ione França pela Do autor (1989)
>>> Evolução de Alejandro Roldán pela Editorial Atlântida S. A. (1958)
>>> O bom filho a casa torra de Leila Miccolis pela Edicon (1992)
>>> Grandes Frases (Pocket) de Zibia Gasparetto pela Evd/ Vida e Consciência (2017)
>>> Sexo das Flores de Pedro Jofre Marodin pela Ermitagem (1989)
>>> O Brazil em face do Prata de Gustavo Barroso pela Imprensa Nacional (1930)
>>> Coreto de papel de Noel Nascimento pela Vicentina (2003)
COLUNAS

Quarta-feira, 19/8/2015
Não olhe para trás (ou melhor, olhe sim)
Cassionei Niches Petry

+ de 3000 Acessos

Seguir sempre em frente, sem olhar para trás. Algumas pessoas pensam dessa forma e ditam suas vidas por esse princípio. O que passou, passou, não volta mais. A flecha lançada não volta ao arco. A palavra dita não retorna à boca. A ofensa proferida, o soco no rosto, a oportunidade perdida, o e-mail enviado... Esqueça. Não há como voltar ao passado, muito menos mudá-lo.

Contam-nos os gregos que uma ninfa, chamada Eurídice, fugia do filho do deus Apolo, Aristeu, que queria possuí-la, quando pisou em uma víbora que a picou, causando sua morte. Seu amado Orfeu, poeta e músico, que com sua lira encantava a todos, mortais e imortais, foi buscá-la no subterrâneo reino de Hades, conseguindo inclusive amansar o cão de três cabeças Cérbero. O deus do mundo dos mortos, emocionado pela melodia e pelo canto de dor do poeta, aceitou devolver a ninfa para Orfeu, mas com uma condição: no momento em que subissem de volta à superfície, ele deveria seguir à frente dela e não poderia, em hipótese alguma, voltar-se para trás. Bem próximo do fim da subida, com medo de que a amada não estivesse atrás dele, e desconfiado que o deus pudesse tê-lo enganado, Orfeu se virou. Eurídice foi arrastada de volta às trevas de Hades para nunca mais voltar.

Segundo Junito de Souza Brandão, Orfeu transgrediu o tabu das direções: "olhar para a frente é desvendar o futuro e possibilitar a revelação; para a direita é descobrir o bem, o progresso; para a esquerda é o encontro do mal, do caos, das trevas; para trás é o regresso ao passado, às hamartíai, às faltas, aos erros, é a renúncia ao espírito e à verdade." (Mitologia grega, volume 2, editora Vozes.) Olhar para frente, a partir dos pontos cardeais, é olhar para o leste, oriente, onde nasce o sol, afinal nos orientamos pelo sol, procuramos a luz. No oeste, o ocidente, o sol se põe, em latim, occidens, "o que morre". Então, vem o escuro, a falta de luz, logo, a renúncia ao conhecimento que é a verdade dos deuses, que não pode ser revelada, a ordem que não pode ser desobedecida. "Orfeu foi o homem que violou o interdito e ousou olhar o invisível", conforme podemos ler no Dicionário de símbolos, de Chevalier e Gheerbrant. Por isso, sofreu o castigo de perder Eurídice pela segunda vez.

Brandão ainda nos lembra de outros mitos e lendas relacionados ao tema. No livro sagrado dos cristãos, mais precisamente em Gênesis, no episódio da destruição de Sodoma e Gomorra, dois anjos que salvaram a família de Lot, recomendaram que ninguém olhasse para trás. A mulher de Lot, no entanto, se virou e se transformou numa estátua de sal. Na Odisseia, de Homero, para poder consultar o adivinho Tirésias no Hades, o herói Ulisses teve que sacrificar uma ovelha, realizando o ato de costas para o reino dos mortos. Em muitas religiões, feitiços são deixados em algum lugar, geralmente encruzilhadas, e depois, ao sair do local, não se pode olhar para trás.

Lembro-me, então, de um episódio da minha adolescência. Eu, já um cético, porém muito medroso, me deparei com um suposto caso de possessão espiritual na casa da família da minha namorada. Sua mãe estaria sendo dominada pelo espírito do marido que morrera há uns dois anos. Num ritual de religião de matriz africana, uma "filha de santo", possuída por uma entidade, fumando charuto e bebendo muita cachaça, conseguiu expulsar o espírito. Eu assistia a tudo incrédulo, porém com o coração quase na boca. Essa mulher, durante o dia, chorava de dor devido a um furúnculo nas nádegas. Pois agora ela se sentava no chão e não sentia dor nenhuma! Com a situação mais calma, decidi ir embora, no entanto fui advertido pelo tio da minha namorada, também "filho de santo", que havia forças misteriosas na rua, que era melhor eu passar a noite ali. Insisti, e ele concordou que eu fosse, mas antes fez um ritual: fiquei de costas para a entrada da casa e ele cuspiu água junto às minhas orelhas em direção à rua. Era uma proteção, disse, e me aconselhou a não olhar para trás, pois algum espírito me daria um tapa na cara. Cético que era, dei de ombros e me fui. Por vias das dúvidas, fui olhando para frente, reto, com a sensação de que estava sendo seguido. Mas cheguei são, suado e salvo a meu lar doce lar.

Repare, leitor, que, para falar sobre o assunto, tive que olhar para trás, voltar ao passado. É impossível buscarmos conhecimento se assim não o fizermos. Desobedecemos aos deuses para aprender a viver. A história da humanidade, a arte criada pelo homem, os mitos que nos explicam, a literatura que nos revela. O saber não está apenas na luz, também está na escuridão, escondido. É preciso entrar na selva escura, descer aos infernos, rever nossos passos, abrir os livros empoeirados nos cantos desertos de uma biblioteca, navegarmos em mares virtuais em que poucos navegam, buscar um "e-book" arquivado em um DVD de dados.

Visitando um blog, voltei alguns meses na sua timeline e encontrei um filme esquecido pelo tempo. Não o encontrando em nenhuma locadora, fiz o download para assisti-lo. Trata-se de Terra d'água, do ano de 1992, baseado em romance publicado nove anos antes pelo britânico Graham Swift. O enredo volta mais um pouco na linha temporal e chega aos anos 70, quando um professor de História, Tom Crick, questionado por um aluno sobre a relevância dessa matéria na escola, voltou mais ainda no tempo e relatou seu relacionamento com a namorada nos anos 40, durante a Segunda Guerra Mundial. Regressando ainda mais, chegou à Primeira Grande Guerra para falar sobre sua família. As lembranças, de uma forma implícita, mostraram a importância de se estudar os fatos históricos. Se a narrativa de sua vida explicava os fatos presentes e o ajudou a se encontrar consigo mesmo, bem como entender o comportamento estranho de sua esposa, o estudo da História ensina a nos conhecer, a entender o mundo, a corrigir os erros no presente e evitar novos erros no futuro.

Olhando agora para trás, analisando o que escrevi, vejo que não era este ensaio que eu havia projetado. Se tivesse seguido o plano, olhasse só para frente, o texto seria outro. Poderia ter sido muito melhor, talvez. Ao voltar os olhos para o livro de Junito de Souza Brandão que estava nas estantes às minhas costas (aliás, sempre tenho que olhar para trás quando preciso de um livro que me ajude a escrever), busquei no mito antigo, nos primórdios da humanidade, algo para entender o presente, no século XXI.

O ontem explica muito melhor o hoje.


Cassionei Niches Petry
Santa Cruz do Sul, 19/8/2015


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Lobo branco em selva de pedra: Eduardo Semerjian de Elisa Andrade Buzzo
02. Bombril: a marca que não evoluiu com as mulheres de Adriana Baggio
03. Mentiras diplomáticas 1: a Copa do Mundo é nossa de Marcelo Maroldi


Mais Cassionei Niches Petry
Mais Acessadas de Cassionei Niches Petry em 2015
01. A coisa tá preta - 8/7/2015
02. Não olhe para trás (ou melhor, olhe sim) - 19/8/2015
03. O romance do 'e se...' - 22/7/2015
04. Do inconveniente de ter escrito - 9/9/2015
05. As sombras e os muros de José J. Veiga - 11/11/2015


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




CURAS ANGÉLICAS / TRABALHANDO COM SEUS ANJOS PARA CURAR SUA VIDA
EILEEN ELIAS FREEMAN
RECORD
(1995)
R$ 8,00



O NOVIÇO COLEÇÃO ESTADÃO
MARTINS PENA
KLICK
(1997)
R$ 8,00



CRIANDO MENINAS
GISELA PREUSCHOFF
FUNDAMENTO
(2003)
R$ 26,84



NATUREZA HUMANA E LEI NATURAL CONCILIUM
LISA SOWLE CAHILL E OUTROS
VOZES
(2008)
R$ 80,00



SERINGUEIRA COL. INSPIRADA NO PROGRMA DE TV DE REGINA CASÉ E ESTEVÃO C
FABIANA WERNECK BARCINSKI ADAPTAÇÃO E GUAZZELLI...
MARTINS FONTES
(2010)
R$ 15,40



CORAGEM E DETERMINAÇÃO - UM INFINITO AINDA POR FAZER
YEDA CRUSIUS
AGE
(2014)
R$ 32,00



PANDORA UM POEMA FESCENINO
MAGGIAR VILLAR
DO AUTOR
(1991)
R$ 12,00



LOBO LOBÃO LOBISOMEN
LUIZ ROBERTO GUEDES
SARAIVA
(1997)
R$ 5,90



NA DUVIDA,ULTRAPASSE-ORIENTAÇAO VOCACIONAL.
CAVO
CAVO
R$ 16,00



MAPS AND MAPMAKERS OF THE CIVIL WAR
EARL B. MCELFRESH (CAPA DURA)
HARRY N ABRAMS
(1999)
R$ 210,28





busca | avançada
58188 visitas/dia
2,0 milhões/mês