Paisagem interna agreste | Elisa Andrade Buzzo | Digestivo Cultural

busca | avançada
55403 visitas/dia
2,2 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Nos 30 anos, Taanteatro faz reflexão com solos teatro-coreográficos
>>> ‘Salão Paulista de Arte Naïf’ será aberto neste sábado, dia 27, no Museu de Socorro
>>> Festival +DH: Debates, cinema e música para abordar os Direitos Humanos
>>> Iecine abre inscrições para a oficina Coprodução Internacional para Cinema
>>> MAB FAAP recebe a exposição Ensaios de Inclusão
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eleições na quinta série
>>> Mãos de veludo: Toda terça, de Carola Saavedra
>>> A ostra, o Algarve e o vento
>>> O abalo sísmico de Luiz Vilela
>>> A poesia com outras palavras, Ana Martins Marques
>>> Lourival, Dorival, assim como você e eu
>>> O idiota do rebanho, romance de José Carlos Reis
>>> LSD 3 - uma entrevista com Bento Araujo
>>> Errando por Nomadland
>>> É um brinquedo inofensivo...
Colunistas
Últimos Posts
>>> A história de Claudio Galeazzi
>>> Naval, Dixon e Ferriss sobre a Web3
>>> Max Chafkin sobre Peter Thiel
>>> Jimmy Page no Brasil
>>> Michael Dell on Play Nice But Win
>>> A história de José Galló
>>> Discoteca Básica por Ricardo Alexandre
>>> Marc Andreessen em 1995
>>> Cris Correa, empreendedores e empreendedorismo
>>> Uma história do Mosaic
Últimos Posts
>>> Desigualdades
>>> Novembro está no fim...
>>> Indizível
>>> Programador - Trabalho Remoto que Paga Bem
>>> Oficinas Culturais no Fly Maria, em Campinas
>>> A Lei de Murici
>>> Três apitos
>>> World Drag Show estará em Bragança Paulista
>>> Na dúvida com as palavras
>>> Fly Maria: espaço multicultural em Campinas
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Lee Aaron: de Metal Queen a Diva do Jazz
>>> Ensaios de Literatura Ocidental, de Erich Auerbach
>>> Pink Floyd 1972
>>> Borges e Osvaldo Ferrari, Diálogos
>>> The Book of Souls
>>> Cidade de Deus, de Paulo Lins
>>> O melhor de 2008 ― literatura e cinema
>>> Depressão
>>> Útil paisagem
>>> Tradução e acesso
Mais Recentes
>>> Administração na Propagandas de Edson Roberto Schard pela Qualitymark (2006)
>>> O senhor dos Bonsais de Manuel Vázquez Montalbán pela Companhia das Letras (1999)
>>> Outras Novas Histórias Antigas de Rosane Pamplona e Dino Bernardi Junior pela Brinque - Book (1999)
>>> A Gente se Acostuma a Tudo de João Ubaldo Ribeiro pela Nova Fronteira (2006)
>>> A Ciência Médica de House de Andrew Holtz pela Best Seller (2009)
>>> Uma rosa no ano 2104 de José Teles pela Bagaço (1993)
>>> O Medico e o Mostro de Robert Luis Stevenson pela L&pm (2002)
>>> Moleque de Rua de Roberto Freire pela Moderna (2013)
>>> Vida Conjugal-um Caminho para Se Construir a Dois de José Junior e Ielane de Mendonça pela Palavra da Fe (2007)
>>> Nostradamus - uma Biografia Romanceada de Liz Greene pela Ediouro (1992)
>>> Literatura Brasileira Em Quadrinhos - a Nova Califonia de Lima Barreto pela Escala Educacional (2010)
>>> O Mulato - Coleção Prestigio de Álvaro Calzá pela Ediouro (1991)
>>> Sabores e Práticas- Guia para Ensino e Aprendizado de Enfermagem de Genilda Ferreira Murta pela Difusão Editora (2006)
>>> História para sala de aula de Walcyr Carrasco pela Moderna (2015)
>>> Guia de Aprovação em concursoa de William Douglas pela Campus (2007)
>>> Você, Vendedor de Mario Crieco pela Geração (2011)
>>> Contos -- Bom Livro de Machado de Assis pela Àtica (2011)
>>> Feito para Crescer de Arthur Rubinfeld pela Bookman (2007)
>>> Inteligência Espiritual de Silas Malafaia pela Central Godpel (2010)
>>> A Segunda Vida das Mulheres de Chistiane Collange pela (2005)
>>> Ética na Gestão Pública de Zita Ana Lago Rodrigues pela Intersaberes (2016)
>>> Projetos de Estágio e de Peaquisa Em Administração de Silvia Maria Azevedo Roesch pela Atlas (1999)
>>> Felicidade é algo que aprende de Lúcia Cominatto pela Eme (2013)
>>> Encontre Deus na Cabana de Randal Rauserb pela Planeta (2009)
>>> O Monte Cinco- Sebo Tradição de Paulo Coelho pela Rocco (1996)
COLUNAS

Quinta-feira, 23/1/2020
Paisagem interna agreste
Elisa Andrade Buzzo

+ de 1500 Acessos

Deslizar na estrada, dando adeus ao rebanho de vacas castanhas douradas de sol. Traçar curvaturas na linha do destino, uma grossa coleira de couro com um sino, que se visualiza, já que o grilhão resplandece, que não se ouve, pois tudo é já muito distante, e desencontrado, mujido e repique desaparecem antes do som estalar nos ouvidos. Atravessar minas arqueológicas em Aljustrel, tracejar no olhar campos granulados de milho e azeitonas.

Flutuar na ponte, e abrir os olhos, e fechar, desistir do novo caminho e da chegada que se aproxima como linha a ser transposta, como cancela a ser levantada. Anonimamente, entrar na cidade, levitando como se do fado houvesse uma dança muito lenta. E os prédios tão baixos começam a aparecer do nevoeiro branco e azul-claro, afastando essa cortina e colocando seus rostos para fora, em boas-vindas calmas pois qualquer movimento brusco é capaz de transtornar a passageira em eterna convalescência.

Deixar o oceano, para encontrar um rio, que é mar, um mar, que é rio e nenhuma das duas coisas, só um estranho e calmo azul habitado por um navio abandonado, num cais esquecido. Esquecer as ondulações calmas, as estrias de água azul-turquesa, a espuma esbravejando calma nas rochas feridas, a agreste vegetação rasteira sagrense. Olvidar o azul mixado ao amêndoa, entornado por uma moldura de algas marinhas castanhas ondulejando, como pestanas vivas e comunicativas; esquecer, nunca, mas enterrar com essa terra mais areia porque esbugalhada, e fina, para se poder pisar em algo, nas sobras da própria ruína, para não ser engolida pela boca do oceano instalada no ponto mais derradeiro da península recortada.

Entrar em um ônibus, entrar, não, ser empurrada, pois os estrangeiros querem ver peixes, tirar fotos, macaquear pinguins em ambientes artificiais, alimentar almas e lontras escorregadiças. Sair, empurrada, adentrar por galerias de espinhas de peixe transparentes, iluminadas, concretadas. Redesenhar novamente um caminho protomarítimo, que deve se afastar da fundura querida do real oceano, mas um caminho em que há uma pegada de morte por todo lado, em esqueletos brancos, em palmeiras artificiais, no que já se sabe que não volta a encarnar, em barcos que não são navegáveis mas construções cenográficas onde homens se adelgaçam.

E surgir em um jardim atapetado de degraus, habitado por patos casmurros, pombas sisudas. Andar como quem nada encontrará, mas que ouve o primeiro latejar, o sopro do Bolero de Ravel, e nesse labirinto penumbroso surgirão pesados casacos, perucas brancas, o pastel de nata queimado pedido, a sopa, o vinho serão ainda mais despropositados, perversos. A comida, as gentes, entrando, dando encontrões, nas filas, nos banheiros, as tosses esgueladas, o lenço de pano fazendo malabarismos ao nariz enquanto os violinos esguaniçam, e o maestro dança um balé de movimentos egípcios.

No olhar-se no grande espelho da sala de concerto, cada personagem vai se imiscuindo, aqueles já quase esquecidos, de repente surgem na ponta das baquetas lânguidas e orientais das cordas, mas já num tom menor, como fantasmas transparecidos, mansas águas-vivas encantadoras de ratazanas, até a apoteose das notas finais em uníssono. Ser definitivamente sugada pela roda, alçada por guindastes. Então retornar à civilização terrestre e suas habitações de tocas enfurnadas, apegar-se à aparência e ao irrisório, ouvir o apito das operações das máquinas e o manejar de roldanas que pretendem carregar o peso do mundo e modelar o desenho das construções infinitas.


Elisa Andrade Buzzo
São Paulo, 23/1/2020


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Lançamentos de literatura fantástica (1) de Luís Fernando Amâncio
02. O Voto de Meu Pai de Heloisa Pait
03. Inferno em digestão de Renato Alessandro dos Santos
04. O Que Podemos Desejar; ou: 'Hope' de Duanne Ribeiro
05. A coerência de Mauricio Macri de Celso A. Uequed Pitol


Mais Elisa Andrade Buzzo
Mais Acessadas de Elisa Andrade Buzzo em 2020
01. Cinemateca, Cinemateca Brasileira nossa - 20/8/2020
02. Alma indígena minha - 14/5/2020
03. Na translucidez à nossa frente - 10/12/2020
04. Vandalizar e destituir uma imagem de estátua - 1/10/2020
05. Alameda de água e lava - 29/10/2020


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




New Age - a Nova era à Luz do Evangelho
Gerard Sautter (editor)
Vida Nova
(1992)



Como as pessoas funcionam
Maurício Horta
Abril
(2013)



Mercado Financeiro Objetivo e Profissional
Gilson Oliveira
Fundamento
(2005)



O que a Bíblia realmente ensina?
Watch Tower Bible Society Of Pennsylvania
Watch Tower Bible
(2013)



Anjos - Mensageiros da Luz / Guia para o Crescimento Espiritual
Terry Lynn Taylor
Pensamento



Boa Semente - Devocional 2013
Varios Autores
Deposito de Literatura Crista
(2013)



O Luar na Avenida da Fé
Gina B. Nahai
Geração
(2002)



Odisseia
Ruth Rocha
Companhia das Letrinhas
(2000)



Tenha Um Pouco de Fé Uma História Real
Mitch Albom
Sextante
(2021)



Câmera na Mão, o Guarani no Coração
Moacyr Scliar
Ática
(2002)





busca | avançada
55403 visitas/dia
2,2 milhões/mês