Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - II | Cassionei Niches Petry | Digestivo Cultural

busca | avançada
46447 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Novo livro de Vera Saad resgata política brasileira dos anos 90 para destrinchar traumas familiares
>>> Festival de Cinema da Fronteira e Sur Frontera WIP LAB abrem inscrições
>>> O Pequeno Príncipe in Concert
>>> Estreia da Orquestra Jovem Musicarium ocorre nesta quarta, dia 21, com apresentação gratuita
>>> Banda Yahoo se apresenta na Blue Note SP
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Susan Sontag em carne e osso
>>> Todas as artes: Jardel Dias Cavalcanti
>>> Soco no saco
>>> Xingando semáforos inocentes
>>> Os autômatos de Agnaldo Pinho
>>> Esporte de risco
>>> Tito Leite atravessa o deserto com poesia
>>> Sim, Thomas Bernhard
>>> The Nothingness Club e a mente noir de um poeta
>>> Minha história com o Starbucks Brasil
Colunistas
Últimos Posts
>>> Jensen Huang, o homem por trás da Nvidia (2023)
>>> Philip Glass tocando Opening (2024)
>>> Vision Pro, da Apple, no All-In (2024)
>>> Joel Spolsky, o fundador do Stack Overflow (2023)
>>> Pedro Cerize, o antigestor (2024)
>>> Andrej Karpathy, ex-Tesla, atual OpenAI (2022)
>>> Inteligência artificial em Davos (2024)
>>> Bill Gates entrevista Sam Altman, da OpenAI (2024)
>>> O maior programador do mundo? John Carmack (2022)
>>> Quando o AlphaGo venceu a humanidade (2020)
Últimos Posts
>>> Sem noção
>>> Ícaro e Satã
>>> Ser ou parecer
>>> O laticínio do demônio
>>> Um verdadeiro romântico nunca se cala
>>> Democracia acima de tudo
>>> Podemos pegar no bufê
>>> Desobituário
>>> E no comércio da vida...
>>> HORA MARCADA
Blogueiros
Mais Recentes
>>> A Loja de Tudo - Jeff Bezos e a Era da Amazon, de Brad Stone
>>> De perto, ninguém é normal
>>> 14 de Outubro #digestivo10anos
>>> Scott Henderson, guitarrista fora-de-série
>>> O primeiro parágrafo
>>> O prazer da literatura em perigo
>>> Aulas de filosofia on-line
>>> Mezzo realidade, mezzo ficção
>>> Telemarketing, o anti-marketing dos idiotas
>>> Esquema Dilma opta por Russomano
Mais Recentes
>>> O Poder Do Subconsciente de Dr Joseph Murphy pela Best Seller (2015)
>>> A Viagem de Uma Alma de Peter Richelieu; Nair Lacerda pela Pensamento (2011)
>>> Conversando Sobre Mediunidade: Retratos de Alvorada Nova de Cairbar Schutel; Abel Glaser pela O Clarim (1993)
>>> O Homem em Busca de Deus de Torre de Vigia pela Watch Tower (2015)
>>> Eu Posso e Sou Capaz de Rosalino X. de Souza pela Da Autore
>>> As Provas do Nosso Amor a Deus de Márcio Valadão pela Batista da Lagoinha
>>> Conheça o Deus Verdadeiro de J. E. Lourenço; S. Vilarindo Lima pela Ibcb (1987)
>>> Orixás, Caboclos e Guias: Deuses ou Demônios Evangélico de Edir Macedo pela Unipro (2019)
>>> Palamanda: Quando as Deusas se Vingam de Omar Carvalho pela Comunicação (1983)
>>> Sofrimento e Paz para uma Libertação Pessoal de Inácio Larranaga; José Carlos Corrêa Pedroso (trad.) pela Vozes (1988)
>>> Demian de Herman Hesse; Ivo Barroso (trad.) pela Record
>>> O Poder Oculto de Pe. Reginaldo Manzotti pela Petra (2019)
>>> Os Pilares da Terra: Volume 2 de Ken Follett; Paulo Azevedo (trad.) pela Rocco (1992)
>>> A Missa Parte por Parte de Luiz Cechinato pela Vozes (1993)
>>> Missionário de Amor, Luz e Redenção de Frei Rogério Neuhaus pela Da Autore (1997)
>>> Amor e Mudança de Júlio Cesar Faria Machado pela Fênix (1996)
>>> Terra à Vista: Descobrimento ou Invasão? de Benedito Prezia; Osvaldo Sequetin (ilustr.) pela Moderna (1992)
>>> A Filha do Feiticeiro: Uma Lenda Viking de Chris Conover; Sergio Flaksman (trad.) pela Ática (1996)
>>> Sexo para Adolescentes de Marta Suplicy; Paulo Freire (pref.) pela Ftd
>>> Las Botas de Siete Leguas de Christian Perrault pela Edic
>>> Venecia Guía Fotográfica de Loretta Santini pela Fotorapidacolor Terni (1973)
>>> Guia de Cadastramento de Famílias Indígenas de Cidadania pela Mds Senarc (2010)
>>> Flausino Vale: 1894/1954 de Jerzy Milewski pela Europa (1985)
>>> Ócio: Poesia e Provocações: Capa Dura de Mauro Felippe; Rael Dionisio pela Urussanga (2016)
>>> Caças a Jato: Aviões Supersônicos de Alfredo Guilherme Galliano; José Américo Motta Pessanha pela Abril Cultural (1975)
COLUNAS

Quarta-feira, 7/10/2020
Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - II
Cassionei Niches Petry
+ de 3900 Acessos

O Nobel de Literatura é um prêmio que causa polêmica. Há sempre discussões acaloradas sobre quem perde ou quem ganha, principalmente agora, com a amplificação proporcionada pelas redes sociais. Há pouco tempo, houve quem fosse contra o vencedor ser o compositor Bob Dylan, enquanto Philip Roth, para citar apenas um nome entre tantos, foi preterido.

Em 2018, uma denúncia de abuso sexual envolvendo membros da Academia Sueca, que escolhe o vencedor, fez com que o prêmio fosse cancelado. Por ironia do destino, logo depois do escândalo, morreu Philip Roth, em cuja obra há personagens que costumam assediar mulheres. Entra na lista seleta de escritores que não foram contemplados, como Borges, Nabokov, Kafka, Cortázar, Tolstói, Drummond, Proust, Joyce...

Quantos aos brasileiros, a decepção é por jamais nosso país ter sido merecedor de um Nobel, em que pese termos batido na trave algumas vezes, pelo que consta nos arquivos revelados pela Academia. Na ficção, no entanto, já foram escritas algumas obras em que um brasileiro é galardoado. Em 2002, Fernando Monteiro publicou o romance "O grau Graumann", pela Editora Globo (leia a resenha aqui). O escritor fictício Lúcio Graumann, gaúcho de Santa Cruz do Sul, no Rio Grande do Sul (da minha cidade, ora vejam), quase desconhecido da maioria do público, recebe o Nobel de Literatura de 2001. Decide, no entanto, se esconder da mídia, evitando todo o agito em torno do vencedor, permitindo que apenas um jornalista, seu velho conhecido, o entreviste. Monteiro planejava uma trilogia sobre Graumann, mas escreveu apenas o segundo volume, "As confissões de Lúcio". Entretanto, outro romance do autor, "O livro de Corintha", tem elementos que nos remetem ao nobelizado.

O escritor mineiro Jacques Fux, por sua vez, publicou "Nobel" (José Olympio Editora), um romance em forma de discurso do vencedor, nada mais nada menos do que o próprio Fux. Curiosamente, o protagonista é laureado em 2018, justamente no ano em que a escolha foi suspensa e em que foi publicada a obra.

É também de 2018 "O imortal" (Companhia das Letras, 340 páginas), de Mauricio Lyrio. Dessa vez, o laureado é o escritor fictício Cássio Haddames, que recebe o Nobel no ano de 2025, apesar de ter apenas 3 livros publicados. Atuando como diplomata (mesma profissão do autor do romance), seu nome é lembrado a partir de uma armação diplomática, em que se tenta melhorar a imagem do Brasil no exterior. Na verdade, o objetivo é premiar o Presidente da República, Marcos Febuen (eleito em 2022), para o Prêmio Nobel da Paz, alavancando, assim, sua reeleição. A ideia era indicar os dois nomes para as premiações distintas, para não parecer que tudo fora planejado, porém não contavam que Haddames fosse escolhido, impossibilitando que o país fosse duplamente laureado.

“O Cássio era só fachada. Cortina de fumaça. O chanceler não podia indicar somente o presidente. Ia pegar mal. Favorecimento. Tinha que parecer uma estratégia ampla.”

Consequentemente, seu nome passa a ser aventado para concorrer à presidência. Crescem, então, na narrativa as figuras do senador Otto e do deputado Nelson, em cujos diálogos se revelam os bastidores da política nacional.

Como todo bom romance, porém, são as questões mais íntimas do ser humano que ganham relevo. No âmbito familiar, suas relações com os filhos, principalmente André; a paixão pela argentina Alicia, que conheceu na cerimônia de entrega do Nobel, em Estocolmo; um acidente em que se envolveu quando ainda não era escritor conhecido e que se tornou o estopim para a carreira (“Comecei a escrever um romance. Não, não estou brincando. Farei algo sobre o garoto que matei.”); as reflexões sobre a escrita (“Nenhuma tarefa é mais absorvente e autorreferente do que passar meses ou anos a fio escrevendo-se, exteriorizando-se num filho concebido, gestado e parido na solidão.”).

A estrutura é interessante. O romance começa com algumas páginas do diário de Haddames, que vão aparecendo fora da ordem cronológica durante toda a narrativa. Depois, a história segue através de telegramas, cartas, e-mails (inclusive em espanhol), matérias jornalísticas, relatórios do psicanalista de André, diálogos pelo telefone, trecho de um debate para a presidência (mediado pelo William Bonner), partes do discurso de agradecimento pelo Nobel, etc. Há também um edital fictício de 2027 que concede uma bolsa de escritor-leitor, ideia de um ministro da cultura, em que os escritores recebem um valor para comprar livros de seus pares. Na lista de autores, quase todos reais, e livros, todos fictícios, para serem lidos estão, por exemplo, o gaúcho Sérgio Faraco, que nos brindaria (espero que profeticamente) com sua primeira novela, "O camaleão", e Raduan Nassar, que voltaria a escrever literatura a partir da publicação de "A cal e as pedras da nossa catedral".

O equivocado desfecho de "O imortal", previsível a determinada altura do enredo, não estraga o romance, pois a narrativa foi muito bem arquitetada. Mauricio Lyrio, que publica apenas suas segunda obra, apesar de já ter 53 anos de idade, é um nome que vem se firmando no cenário literário brasileiro.

Nota do Editor
Leia também "Paulo Coelho para o Nobel".


Cassionei Niches Petry
Santa Cruz do Sul, 7/10/2020

Quem leu este, também leu esse(s):
01. Simone Weil no palco: pergunta em forma de vida de Heloisa Pait


Mais Cassionei Niches Petry
Mais Acessadas de Cassionei Niches Petry em 2020
01. Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - I - 26/8/2020
02. Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - II - 7/10/2020
03. Jogando com Cortázar - 23/12/2020
04. As luzes se apagam - 13/5/2020
05. Notas confessionais de um angustiado (Final) - 15/1/2020


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Arte de projetar em arquitetura
Ernst Neufert
Gustavo Gili



Charlotte Street
Danny Wallace
Novo Conceito
(2012)



Método de Guitarra
Fernando Azevedo
Bruno Quaino
(2007)



Férias em Crome
Aldous Huxley
Livros do Brasil Lisboa



Comunicação no Plural Estudos de Comunicação no Brasil e na Itália
Maria Immacolata Vassallo de Lopes
Educ
(2000)



A Dieta Do Abdômen
David Zinczenko
Sextante



Livro Literatura Estrangeira Istambul Memória e Cidade
Orhan Pamuk
Companhia das Letras
(2007)



Maschere Nude
Luigi Pirandello
A. Mondadori
(1938)



Sexo - O Prazer Sem Limites - Livro de Bolso
Graham Masterton
Ediouro
(1999)



Ética Empresarial
Robert Henry Srour
Campus
(2003)





busca | avançada
46447 visitas/dia
1,8 milhão/mês