Você é rico? | Luís Fernando Amâncio | Digestivo Cultural

busca | avançada
65494 visitas/dia
2,5 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Em espetáculo de Fernando Lyra Jr. cadeira de rodas não é limite para a imaginação na hora do recrei
>>> São Paulo recebe exposição ‘À Meia Luz Na Pele’ em dois pontos da capital
>>> Santander instala painel eletrônico em prédio para levar arte ao centro de São Paulo
>>> Workbook de Carl Honoré é transformado em lives
>>> Experiência Quase Morte é o tema do Canal Angelini
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Silêncio e grito
>>> Você é rico?
>>> Lisboa obscura
>>> Cem encontros ilustrados de Dirce Waltrick
>>> Poética e política no Pântano de Dolhnikoff
>>> A situação atual da poesia e seu possível futuro
>>> Um antigo romance de inverno
>>> O acerto de contas de Karl Ove Knausgård
>>> Assim como o desejo se acende com uma qualquer mão
>>> Faça você mesmo: a história de um livro
Colunistas
Últimos Posts
>>> Hemingway by Ken Burns
>>> Cultura ou culturas brasileiras?
>>> DevOps e o método ágil, por Pedro Doria
>>> Spectreman
>>> Contardo Calligaris e Pedro Herz
>>> Keith Haring em São Paulo
>>> Kevin Rose by Jason Calacanis
>>> Queen na pandemia
>>> Introducing Baden Powell and His Guitar
>>> Elon Musk no Clubhouse
Últimos Posts
>>> Mãe, na luz dos olhos teus
>>> PoloAC retoma temporada de Os Doidivanas
>>> Em um tempo, sem tempo
>>> Eu, tu e eles
>>> Mãos que colhem
>>> Cia. ODU conclui apresentações de Geração#
>>> Geração#: reapresentação será neste sábado, 24
>>> Geração# terá estreia no feriado de 21 de abril
>>> Patrulheiros Campinas recebem a Geração#
>>> Curtíssimas: mostra virtual estreia sexta, 16.
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Medo e Delírio em Las Vegas
>>> Sobre os jornais e a internet
>>> Cem anos de música do cinema
>>> Inutilidades e pianos
>>> Diário de Rato, Chocolate em Pó e Cal Virgem
>>> Diário de Rato, Chocolate em Pó e Cal Virgem
>>> Fotógrafa da Amazônia é destaque na Europa
>>> Educadores do Futuro
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Os Doze Trabalhos de Mónika. 1. À Beira do Abismo
Mais Recentes
>>> Biblioteca do Escoteiro Mirim - Completa 20 Volumes de Disney pela Círculo do Livro (1989)
>>> Enciclopédia das Ciências Filosóficas em Compêndio (1830) Volume I: A Ciência da Lógica de G. W. F. Hegel pela Edições Loyola (2005)
>>> Islamismo e humanismo latino: Diálogos e desafios de Arno Dal Ri Júnior (org.) pela Vozes (2004)
>>> Consciência e liberdade em Sartre: por uma perspectiva ética de Carlos Eduardo de Moura pela EdUFSCar (2012)
>>> Sartre: Direito e Política - Ontologia, liberdade e revolução de Silvio Almeida pela Boitempo (2016)
>>> Imigração Atual: Dilemas, Inserção Social e Escolarização - Brasil, Argentina, EUA de Leda Maria de Oliveira Rodrigues pela Escuta (2017)
>>> Os Céticos Gregos de Victor Brochard pela Odysseus (2009)
>>> Ontologia, Conhecimento e Linguagem: Um encontro de Filósofos Latino-Americanos de Plinio Smith Ulysses Pinheiro, Marco Rufino pela Mauad (2001)
>>> Discurso do Método de Descartes pela Lafonte (2017)
>>> Pensamento Alemão no Século XX - Volume 3: Grandes Protagonistas e Recepção da Obra no Brasil de Wolfgang Bader , Jorge de Almeida pela Cosac Naify (2013)
>>> Revista Matéria Prima - Práticas Artísticas no Ensino Básico e SecundárioVol. 6 (1), janeiro–abril 2018, quadrimestral de Vários pela Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa & Centro de Investigação e de Estudos em Belas-Ar (2018)
>>> Ser e Tempo de Martin Heidegger pela Vozes (2012)
>>> AIDS no Brasil : A agenda de construção de uma epidemia de Jane Galvão pela 34 (2000)
>>> Trópicos utópicos: Uma perspectiva brasileira da crise civilizatória de Eduardo Giannetti pela Companhia das Letras (2016)
>>> Razão e Sensibilidade de Jane Austen pela Tricaju (2021)
>>> Arsène Lupin e a Rolha de Cristal de Maurice Leblanc pela Principis (2021)
>>> O Livro da Selva de Rudyard Kipling pela Principis (2021)
>>> Tarzan de Edgar Rice Burroughs pela Principis (2021)
>>> O Pequeno Príncipe de Antoine de Saint-exupéry pela Tricaju (2021)
>>> A Odisseia de Homero pela Principis (2021)
>>> Persuasão de Jane Austin pela Principis (2019)
>>> Verdade ao Amanhecer de Ernest Hemingway pela Bertrand Brasil (2015)
>>> Sonhos na Casa da Bruxa e Outros Contos de H. P. Lovercraft pela Principis (2020)
>>> Cinco Semanas Em um Balão de Júlio Verne pela Principis (2020)
>>> Da Terra á Lua de Júlio Verne pela Principis (2020)
COLUNAS

Sexta-feira, 23/4/2021
Você é rico?
Luís Fernando Amâncio

+ de 800 Acessos

Dia desses, eu estava assistindo vídeos sobre criação de tartarugas – e você aí, achando que seu histórico de internet é excêntrico. Basicamente, o youtuber tirava dúvidas e dava algumas informações sobre como manter um aquaterrário. Um entretenimento para toda a família em um sábado à noite.

E, enquanto vejo vídeos no YouTube, minha curiosidade sempre passeia pelos comentários no vídeo. Essa mania contemporânea de fazer várias coisas ao mesmo tempo, sem fazer, efetivamente, nada. Aí, me deparei que a seguinte questão de um internauta: você é rico?


Imagem retirada do Pinterest

Assim, do nada, sem bom dia, boa tarde, como vai você. Enquanto o sujeito no vídeo explicava como se escova o casco da tartaruga, o inscrito no canal pensou: interessante, será que esse cara é rico?

Entender a escalada de associações que a mente humana faz, de fora, é complexo. Mas o comentário foi a madeleine que me levou para os tempos arcaicos em que eu estava no ensino básico, quando esse tipo de questão era relevante. Sim, em algum lugar entre a infância e a adolescência havia essa preocupação coletiva, de fingir não ser pobre. O que era meio besta, afinal estávamos todos na mesma escola pública, com tantas precariedades, disputando espaço na fila da merenda.

Conhecíamos as casas de cada um, algumas só no reboco, outras com a pintura já vencida. Porém, ninguém queria ser considerado pobre. Para isso, alguns ostentavam roupas de marca como manequins de lojas, buscando algum status. Mesmo que fossem vestimentas falsificadas. Outros negavam veementemente que seus tênis fossem comprados na promoção.

Éramos todos pobres, afinal de contas, e sabíamos disso. Convivíamos com as dificuldades de nossos pais, conhecíamos bem o que eram privações econômicas. Mas os outros não podiam saber.

Eu não diria que é bom envelhecer. Não é. Mas ganhar alguma maturidade tem suas vantagens. Hoje, algo que me orgulha é não ser rico. Não tem coisa mais cafona do que rico. Aquele ar de superioridade por seguir a etiqueta, as festas com lounge music, a interação com os outros indivíduos da espécie nos clubes de elite... Todo esse encenação de pompa para gastar dinheiro sonegado em impostos comprando pinturas do Romero Britto e apartamentos em Miami. Tô fora.

Recentemente, um rico proporcionou um dos maiores vexames públicos do Brasil. E olha que é difícil competir com a política desse governo. Mas estou falando do torcedor do Internacional que doou um milhão de reais ao seu time para o que o lateral Rodinei fosse escalado para enfrentar o Flamengo. Por ter seus direitos econômicos vinculados ao clube carioca, o jogador só poderia atuar na partida decisiva com o pagamento da multa.

Imagino que meus raros leitores não necessariamente acompanham futebol. Então, em resumo, digamos que Rodinei não é um craque. É um jogador que, ao ser escalado, jamais deixou sua torcida eufórica. A dos adversários, talvez. Mas era o titular do Inter, que aceitou a doação de seu ilustre mecenas. O lateral entrou em campo, foi expulso quando o jogo estava empatado e, em desvantagem numérica, o Colorado saiu derrotado.

Ou seja, o torcedor mecenas não só viu seu time perder o campeonato, como foi, indiretamente, responsável. Ah, e ficou um milhão mais pobre – não que isso faça diferença para um magnata da soja.

Todavia, eu tirei uma lição dessa trapalhada toda. Prefiro continuar pobre e acompanhar as derrotas do meu time sem financiá-las. Me chamem de tradicional, se quiserem. Mas sou do tempo em que a gente acompanha as desventuras do nosso time de forma gratuita, só culpando os cabeças de bagre que estão em campo. Incluindo o árbitro.


Luís Fernando Amâncio
Belo Horizonte, 23/4/2021


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Lisboa obscura de Elisa Andrade Buzzo
02. Silêncio e grito de Ana Elisa Ribeiro
03. Cem encontros ilustrados de Dirce Waltrick de Jardel Dias Cavalcanti
04. Poética e política no Pântano de Dolhnikoff de Jardel Dias Cavalcanti
05. Um antigo romance de inverno de Elisa Andrade Buzzo


Mais Luís Fernando Amâncio
Mais Acessadas de Luís Fernando Amâncio
01. 7 de Setembro - 13/9/2019
02. A barata na cozinha - 26/10/2018
03. O Brasil que eu quero - 22/6/2018
04. Como eu escrevo - 23/11/2018
05. O pai tá on: um ano de paternidade - 28/8/2020


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Tributação Efetiva Sobre Consumo e Renda do Trabalho e do Capital
Cadernos Direito Público Tributário, N 11
Revista dos Tribunais (sp)
(1995)



Princesa Hannah e o Gatinho Preto
Vivian French
Novo Século
(2011)



O Efeito Marina: Bastidores da Campanha
Alfredo Sirkis
Nova Fronteira
(2011)



Extranjeros - Autografado
Luiz Ricardo Leitão
Do Autor
(2008)



Inocência
Visconde de Taunay
ática
(1993)



Depressão: o Que É, Como Se Diagnostica e Trata
Isac Guz
Roca (sp)
(1990)



Fatos Sobre a Coréia
Coréia
Serviço Coreano
(2006)



Mistério e Magia do Amor
Krishan Chopra
Larousse
(2009)



José
Charles E. Swindoll
Mc
(2000)



Amanhã, o silêncio da noite
John Marsden
Fundamento
(2008)





busca | avançada
65494 visitas/dia
2,5 milhões/mês