Namoro de portão | Verônica Mambrini | Digestivo Cultural

busca | avançada
96056 visitas/dia
2,3 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Doc 'Sin Embargo, uma Utopia' maestro Kleber Mazziero em Cuba
>>> A Quebrada É Boa: Monarckas realiza evento que fomenta arte e lazer a partir da cultura hip-hop
>>> III Mostra de Artes do Ensino Médio Técnico do Senac Nações Unidas - “VEREDAS DE NÓS: Crendices, Val
>>> Filmado nos Lençóis Maranhenses, 'Betânia' terá sua primeira sessão no Brasil no Guarnicê
>>> Inscrições abertas para o Noronha2B
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A pulsão Oblómov
>>> O Big Brother e a legião de Trumans
>>> Garganta profunda_Dusty Springfield
>>> Susan Sontag em carne e osso
>>> Todas as artes: Jardel Dias Cavalcanti
>>> Soco no saco
>>> Xingando semáforos inocentes
>>> Os autômatos de Agnaldo Pinho
>>> Esporte de risco
>>> Tito Leite atravessa o deserto com poesia
Colunistas
Últimos Posts
>>> Jensen Huang, da Nvidia, na Computex
>>> André Barcinski no YouTube
>>> Inteligência Artificial Física
>>> Rodrigão Campos e a dura realidade do mercado
>>> Comfortably Numb por Jéssica di Falchi
>>> Scott Galloway e as Previsões para 2024
>>> O novo GPT-4o
>>> Scott Galloway sobre o futuro dos jovens (2024)
>>> Fernando Ulrich e O Economista Sincero (2024)
>>> The Piper's Call de David Gilmour (2024)
Últimos Posts
>>> O mais longo dos dias, 80 anos do Dia D
>>> Paes Loureiro, poesia é quando a linguagem sonha
>>> O Cachorro e a maleta
>>> A ESTAGIÁRIA
>>> A insanidade tem regras
>>> Uma coisa não é a outra
>>> AUSÊNCIA
>>> Mestres do ar, a esperança nos céus da II Guerra
>>> O Mal necessário
>>> Guerra. Estupidez e desvario.
Blogueiros
Mais Recentes
>>> A moral da dúvida em Mirandola e Nietzsche
>>> De Cuba, com carinho
>>> Bar ruim é lindo, bicho
>>> Entre o copo, a vitrola, a fumaça e o boicote
>>> Minhas 10 melhores digestões
>>> Sobre o hábito de cutucar o nariz
>>> Discurso de William Faulkner
>>> Simonal e O Pasquim: nem vem que não tem
>>> A contradição de João Gilberto
>>> Entrando pelo cânone
Mais Recentes
>>> Análise matemática - Introdução de Duílio Nogueira; Pedro Paulo Marques pela Fae (1984)
>>> Vetores e Matrizes de Nathan Moreira dos Santos pela Impa (1975)
>>> Algebra Linear e Geometria Analitica de Antonio dos Santos Machado pela Atual (1980)
>>> Mecânica dos Fluídos e Hidráulica - Col. Schaum de Ranald V. Giles pela McGraw Hill
>>> Geometria Analítica de David C, Murdoch pela Livros técnicos e científicos (1975)
>>> Álgebra I - Sequencias progressões logaritmos de Cid A. Guelli pela Moderna
>>> Equações Diferenciais de Sérgio A. Abunahman pela Livros técnicos e científicos (1982)
>>> Como Melhorar a Sua Memória de Michael Fidlow pela Record (1961)
>>> O Homem Demolido de Alfred Bester pela Nova Fronteira (1978)
>>> Vive-se uma só vez? A reencarnação documentada... de Jeffrey Iverson pela Expressão e Cultura (1979)
>>> Um Herói do Holocausto (A lista de Schindler) de Thomas Keneally pela Record
>>> Casos Clínicos Em Medicina De Emergência de Eugene C Toy pela Mcgraw-hill Brasil (2014)
>>> ABC do ECG de Carlos Alberto Pastore pela Medcel (2013)
>>> Primeiros Passos Com A Bíblia de Paulo Bazaglia pela Paulus (2001)
>>> Dicionário Da Biblia De Almeida de Bible Society Of Brazil pela Sociedade Bíblica do Brasil (2016)
>>> Emergências clínicas: abordagem prática de Herlon Saraiva Martins pela Manole (2009)
>>> Acuarela de Michael Clarke pela Blume (1994)
>>> The New Self-Sufficient Gardener de John Seymour pela Dk (2008)
>>> Antoni Gaudí - Une Vie en Architecture de Rainer Zerbst pela Taschen (1993)
>>> Dicionário de Artes Decorativas e Decoração de Interiores de Stella Rodrigo Octavio Moutinho, Rubia Braz Bueno do Prado, Ruth Rodrigo Octavio Londres pela Nova Fronteira (1999)
>>> Brasil Globalizado - O Brasil Em Um Mundo Surpreendente de Octavio de Barros; Fabio Giambiagi (org) pela Campus (2008)
>>> H. Dantas, 90 Anos - Uma História na Navegação Brasileira de Luiz Antonio Aguiar, Lucia Brandão pela Andrea Jakobsson (2006)
>>> 101 Plantas Para Sombra de Coord. Valerio Romahn pela Europa (2008)
>>> The History of the American Bureau of Shipping 150th Anniversary de Diversos Autores pela Abs (2013)
>>> Cancioneiro de Francesco Petrarca pela Ateliê Editorial (2014)
COLUNAS >>> Especial 2000 Colunas

Segunda-feira, 4/12/2006
Namoro de portão
Verônica Mambrini
+ de 4600 Acessos
+ 2 Comentário(s)

Minha história com o Digestivo Cultural parece um pouco com namoro de portão: nem lembro bem exatamente quando comecei a ler, mas já faz um tempinho. Eu, que me formei ano passado, estava na primeira metade da faculdade. Assinei a newsletter e comecei a acompanhar novos colunistas chegando, as clássicas polêmicas em assuntos ligados à cultura pop, à discussão literária. A primeira sensação é de um estranhamento delicioso: muito texto, assuntos não obrigatoriamente vinculados à ordem do dia e, paradoxalmente, uma das coberturas opinativas de Internet mais vanguardistas a qual eu tinha acesso.

Um dia eu fiquei sabendo, pela leitura do Digestivo, que um colega de faculdade estava estreando coluna: era Guilherme Conte, escrevendo sobre teatro. Comecei a acompanhar mais de perto, primeiro porque já lia o Digestivo, depois porque era uma pessoa bacana assinando e enfim porque era um assunto que me interessa muito (cheguei a fazer um programa para a rádio da faculdade, o Terceira Campainha, que sumiu sem deixar vestígios, inclusive dos arquivos da rádio universitária).

De repente, meses depois, aparece um convite (via Orkut, comme il faut) para escrever para o site. Julio Daio Borges perguntou: "Você já pensou em escrever para o Digestivo?". Sim, eu já tinha pensado. Eu já tinha jogado uns olhos compridos... Comecei pelo blog, não por limitação editorial, e sim por uma questão minha mesmo. Vontade de ir pegando o jeitinho do Digestivo mais aos poucos. Uma caipira acanhada atrás do portão, olhando pro mar da Internet. E acabou sendo bom para mim esse começo tímido: faculdade de jornalismo é algo castrante. Se não tomar cuidado, a gente acaba em quatro anos desaprendendo a escrever de um jeito espontâneo, e começa a ficar cheio de cacoetes e soluções formulaicas. É claro que isso não acontece com todo mundo, mas se a faculdade de jornalismo inegavelmente, por um lado, te ajuda a resolver problemas técnicos de texto, como clareza e objetividade, por outro é uma fábrica de salsicha. Com jornalismo cultural, então, é um pesadelo.

Acho que existem duas formas de se aprender a escrever: uma é lendo bons textos. Escolher com carinho o que se lê e prestar atenção em como forma e conteúdo se harmonizam (ou fazer o contrário, se perguntar por que determinado texto não funciona), seja em embalagem de chocolate, quadrinhos de jornal ou clássicos da literatura universal. Mas tem uma outra forma que é a minha preferida: ter tutores, alguém que escreva bem e seja um bom editor, que pare para canetar textos, enchê-los de marquinhas, rabiscos e comentários. Das primeiras vezes em que submeti meu texto a isso, saíram quebra-paus enormes e conselhos sem preço. Doeu. Cheguei a chorar. Mas depois comecei a gostar, não sei se masoquistamente. Você dá sorte quando encontra alguém que não é apenas um bom editor, mas um educador também. Às vezes um texto precisa de rigor e técnica, mais cérebro e menos emoção; qualquer manual de redação resolve. Mas às vezes, texto tem que ter capricho na estrutura, no ritmo, na musicalidade. E texto vivo, pulsante, só quem tem alma de educador (quem sabe de poeta-cronista) sabe canetar.

Ouvir esse tipo de crítica sem pressa, sem obrigação de mudar o texto, traz muitas surpresas interessantes - mesmo quando não se concorda com o comentário. A maioria das pessoas que eu conheço e que escrevem detesta ser editada, e é compreensível, já que geralmente quando se passa por essa situação, as mudanças no texto são irrecorríveis e violentas, mutiladoras, não um jogo divertido de experimentação com frases, estruturas e significados. Eu bem que queria ter o rigor e a disciplina germânicos para sentar e escrever como quem conserta um eletrodoméstico quebrado, mas nessa nossa cultura latina, escrever é quase sempre um ato de paixão. Mesmo quando os filtros são intelectuais, a motivação para entender e discutir a cultura é visceral. E um texto é defendido a navalha como quem protege a própria cria.

Atravessar esse processo não foi fácil para mim; se aprendi a aproveitar o que a opinião alheia pode ter de bom, também perdi a personalidade no texto e até a vontade de escrever algo que tivesse a minha cara (e não a cara do cliente ou publicação para quem eu estou escrevendo. Sabe aquele momento em que você não sabe o que gosta, em que redige até bilhetinho pessoal editando em função dos outros o que está escrevendo?). Mas acabada a faculdade, e com mais tempo para refletir sobre a vida e a escrita, deu prazer em escrever de novo - ainda que esse prazer para mim tenha se tornado para sempre agridoce. Logo aí, surge o convite para fazer parte do Digestivo Cultural.

Por conta dessas reflexões, o Digestivo para mim também foi um batismo de fogo no jornalismo, e mais ainda. Não só com formas e temas, foi a grande quebra de paradigmas com relação à Internet, e também com a mídia em geral. Hoje acredito piamente que o jornalismo como conhecemos vai acabar; esse ambiente de liberdade total, de auto-regulação e edição que é a Web, com regras novas, mudou a mídia irreversivelmente. Hoje sou uma entusiasta ardorosa do Google (viciada a partir do momento em que o Gmail, o Orkut e o Google Talk se integraram), e defensora do wiki. Não puramente por questões ideológicas (mesmo que também por elas), mas porque o futuro caminha para a colaboração como forma de se relacionar com a informação. E o que o Digestivo tem a ver com isso? Simples: para mim, como leitora e colaboradora, foi onde começaram essa percepção e discussão. E é impossível passar por esse ambiente sem se deixar mudar, no texto, nos temas, na alma.

Tem namoro de portão que não dá em nada; mas às vezes vinga. Esta é minha segunda coluna, depois de alguns meses postando no blog do Digestivo. Ando de novo apaixonada pelo texto, pelo ato de escrever, pela descoberta de novas formas de pensar e traduzir o mundo. Faz tempo que eu não andava por aí com a sensação de ter borboletas esvoaçando no estômago - e com a leveza de descobrir que o melhor texto é o texto que dá prazer em fazer e ler.


Verônica Mambrini
São Paulo, 4/12/2006

Quem leu este, também leu esse(s):
01. Mitofagia: Machado ao molho pardo de Verônica Mambrini


Mais Verônica Mambrini
Mais Acessadas de Verônica Mambrini
01. Por onde andam os homens bonitos? - 17/12/2007
02. 453 – São Paulo para gregos e troianos - 29/1/2007
03. Boas histórias — e de verdade - 28/1/2008
04. Insuportavelmente feliz - 17/9/2007
05. Religião prêt-à-porter - 10/3/2008


Mais Especial 2000 Colunas
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
19/12/2006
04h15min
Nossa!!! Mto bom o texto... simples e prazeiroso!
[Leia outros Comentários de Paulina ]
28/12/2006
18h28min
na esteira de bergman, o que não se escreve por prazer, ou, como quer rilke, por necessidade inata, é prostituição e vilania. pelo menos, que se cobre bem pelo serviço, apesar da tristeza de uma vida de "pelo menos". abraços.
[Leia outros Comentários de coelet]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Teoria dos Jogos
H. Scott Bierman e Luis Fernandez
Pearson Universidades
(2023)



Federação Internacional De Didádica Código De Pontuação Feminino
Vários Autores
Ministério Da Educação E Cultura
(1977)



Mergulho na Paz
Hermógenes
Record



U2: A Diary
Matt Mcgee
Omnibus Press
(2008)



Os Dez Mandamentos para o Século XXI
Fernando Savater
Ediouro
(2005)



Livro Infanto Juvenis Corpo humano Coleção Lanterna Mágica
Paloma Blanca
Ciranda Cultural
(2020)



Nem Acaso, Nem Milagre - a Gestão do Compromisso
Roberto Palominos
Gente
(1997)



Uma Luz no Fim do Túnel
Ganymédes José
Moderna Paradidático
(2003)



The Dali Museum Collection Oil Paintings Objects and Works on Paper
Norwood Lubar; Knopf; Ayala; Tush; Jeffett; Hin
The Dali Museum Collection
(2012)



Livro Teatro Mestres do Teatro I Estudos 36
J. Guinsburg Alberto Guzik John Gassner
Perspectiva
(2005)





busca | avançada
96056 visitas/dia
2,3 milhões/mês