Comentários de Eduardo | Digestivo Cultural

busca | avançada
28172 visitas/dia
922 mil/mês
Mais Recentes
>>> Comédia dirigida por Darson Ribeiro, Homens no Divã faz curta temporada no Teatro Alfredo Mesquita
>>> Companhia de Danças de Diadema leva projeto de dança a crianças de escolas públicas da cidade
>>> Cia. de Teatro Heliópolis encerra temporada da montagem (IN)JUSTIÇA no dia 19 de maio
>>> Um passeio imersivo pelos sebos, livrarias e cafés históricos do Rio de Janeiro
>>> Gaitista Jefferson Gonçalves se apresenta em quinteto de blues no Sesc Belenzinho
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> De pé no chão (1978): sambando com Beth Carvalho
>>> Numa casa na rua das Frigideiras
>>> Como medir a pretensão de um livro
>>> Nenhum Mistério, poemas de Paulo Henriques Britto
>>> Nos braços de Tião e de Helena
>>> Era uma casa nada engraçada
>>> K 466
>>> 2 leituras despretensiosas de 2 livros possíveis
>>> Minimundos, exposição de Ronald Polito
>>> Famílias terríveis - um texto talvez indigesto
Colunistas
Últimos Posts
>>> Juntos e Shallow Now
>>> Dicionário de Imprecisões
>>> Weezer & Tears for Fears
>>> Gryphus Editora
>>> Por que ler poesia?
>>> O Livro e o Mercado Editorial
>>> Mon coeur s'ouvre à ta voix
>>> Palestra e lançamento em BH
>>> Eleições 2018 - Afif na JP
>>> Lançamentos em BH
Últimos Posts
>>> Poros do devir
>>> Quites
>>> Pós-graduação
>>> Virtuosismo
>>> Evanescência
>>> Um Certo Olhar de Cinema
>>> PROCURA-SE
>>> Terras da minha terra
>>> A bola da vez
>>> Osmose vital
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Como medir a pretensão de um livro
>>> Nos braços de Tião e de Helena
>>> Nenhum Mistério, poemas de Paulo Henriques Britto
>>> A casa do homem
>>> Uma vida bem sucedida?
>>> Agonia
>>> Anos 90, lado B
>>> Dom Quixote, matriz de releituras
>>> Eu não uso brincos
>>> Nuvem Negra*
Mais Recentes
>>> Monsehor Quixote de Graham Greene pela Record (1985)
>>> Re)forma do Processo Penal: Comentários Críticos dos Artigos Modificads pelas Leis:... de Flaviane de Magalhães Barros pela Del Rey/ Belo Horizonte (2009)
>>> Re)forma do Processo Penal: Comentários Críticos dos Artigos Modificads pelas Leis:... de Flaviane de Magalhães Barros pela Del Rey/ Belo Horizonte (2009)
>>> Direito Registral Imobiliário: a Transmissão de Imóveis Nas Fusões... de Francisco José Rezende dos Santos pela Del Rey/ Belo Horizonte (2008)
>>> O Direito de Família e a Constituiçãode 1988 de Carlos Alberto Bittar: Coordenador pela Saraiva (1989)
>>> Joint Venture e Contratos Internacionais de Daniel Amin Ferraz pela Mandamentos/ Belo Horizonte (2001)
>>> O Município na Constituição Federal e Nas Leis:... de Genaro Assumpção Pinto de Salles pela Belo Horizonte/ Speed (2001)
>>> O paradoxo da felicidade de René Breuel pela Vox Litteris (2011)
>>> A Bela e a Fera de Elizabeth Rudnick pela Universo dos Livros (2017)
>>> Uma nova mulher em 30 dias de Fabiana Bertotti pela Pórtico (2015)
>>> O código da inteligência de Augusto Cury pela Ediouro (2008)
>>> Más Companhias de Mary Gaitskill pela Best Seller (1988)
>>> O Monge e o Executivo de James C. Hunter pela Sextante (2004)
>>> Ninon de Lanclos - A Mais Ilustre das Cortesâs de Jean Goudal pela Vecchi (1956)
>>> Criando filhos em tempos difíceis: atitudes e brincadeiras para uma infância feliz de Elizabeth Monteiro pela Summus Editorial (2013)
>>> Uma mulher moderada de Dee Brestin pela BV Books (2010)
>>> Vencendo a luta interior de Erwin W. Lutzer pela Betânia (2003)
>>> A Lua na Sarjeta de David Goodis pela Abril Cultural (1984)
>>> Educar sem culpa: A gênese da ética de Tania Zagury pela Record (2013)
>>> A mãe que eu quero ser de T. Suzanne Eller pela Hagnos (2009)
>>> E o vento levou de Victos Fleming pela Folha de São Paulo (2009)
>>> Casablanca de Michel Curtiz (diretor) pela Folha de São Paulo (2009)
>>> Figuras da Inteligência Brasileira de Miguel Reale pela Tempo Brasileiro/ Ufc (1984)
>>> O rapto de Helena de Luiz Galdino pela FTD (2001)
>>> Don Segundo Sombra de R. Güiraldes pela Edelsa (1977)
>>> Aquarela Brasileira de Beth Cançado pela Corte (1994)
>>> Estadística aplicada de Nuria Cortada de Kohan e Jose Manuel Carro pela Universitaria de Buenos Aires (1968)
>>> Anarquistas, graças a Deus de Zélia Gattai pela Record (1983)
>>> Uma História Dos Povos Árabes de Albert Hourani pela Companhia das Letras (2006)
>>> A fada que tinha ideias de Fernanda Lopes de Almeida pela Ática (2015)
>>> Ritos de Passagem de Wiulliam Golding pela Francisco Alves (1982)
>>> As Origens Apócrifas do Cristianismo: ... Evangelhos de Maria Madalena de Jacir de Freitas Faria pela Paulinas (2003)
>>> Não Desperdice seu poder na Oração de R R Soares pela Graça (2016)
>>> As Sete Leis Espirituais do Sucesso: um Guia Prático para a Realização de Deepak Chopra pela Best Seller (2001)
>>> Aquela que Chora e outros textos sobre nossa senhora da salette de Léon Bloy pela Ecclesiae (2016)
>>> In my Own Words de thomas Merton pela Liguori (2007)
>>> Um Bom Sujeito de Antonio Carlos Olivieri/ Ilustr: Alexandre Coelho pela Formato/ Belo Horizonte (1997)
>>> O Diabólico Cérebro Eletrônico de David Gerrold pela Hemus (1972)
>>> Orações volume 2 de Meishu sama pela Lux Oriens (2010)
>>> Transcomunicação: a Comunicação Com o Além por Meios Técnicos de Theo Locher - Maggy Harsch pela Pensamento (1997)
>>> Transcomunicação: a Comunicação Com o Além por Meios Técnicos de Theo Locher - Maggy Harsch pela Pensamento (1997)
>>> Por Ele, Com Ele e n'Ele de Pe. mauro orsatti pela Ecclesiae (2016)
>>> Aparições de Margo Glantz pela Autêntica (2002)
>>> Folclore Infantil de Veríssimo de Melo pela Itatiaia (1985)
>>> Carta de Ouro de Guilherme de St-thierry pela Ecclesiae (2016)
>>> Filosofia do Direito e Justiça na Obra de Hans Kelsen de Andityas Soares de Moura Castro Matos pela Del Rey/ Belo Horizonte (2005)
>>> 75 anos da Justiça do Trabalho na Amazônia - volume 1: Orlando Teixeira da Costa de Georgenor de Sousa Franco Filho organizador pela Trt (2016)
>>> Justiça E Misericordia:A Igreja Realmente precisa de um direito canonico? de Pe. Demetrio Gomes pela Ecclesiae (2016)
>>> 75 anos da Justiça do Trabalho na Amazônia - volume 2: Roberto Araújo de Oliveira Santos de Rosita de Nazaré Sidrim Nassar e José Maria Quadros de Alencar organizadores pela Trt (2016)
>>> Psicologia Jurídica: Operadores do Simbólico de Célio Garcia pela Del Rey/ Belo Horizonte (2004)
COMENTÁRIOS >>> Comentadores

Domingo, 3/2/2008
Comentários
Eduardo


Rafael, o chato
Rafael é aquele cara chato que levanta no meio da festa e faz todo mundo chorar com seu discurso. Pô, eu tenho uma imagem a zelar, não me faça perder a fama de exemplo em virilidade que adquiri no longo dos anos me reduzindo a um velho babão com aguinha saindo do nariz. Seu, seu, inconveniente. =]

[Sobre "Minha segunda vez"]

por Eduardo
http://iaad.blogspot.com
3/2/2008 às
22h51 201.83.141.6
 
Romantismo...
Pô, Rafa, encontro pelo desarmamento nuclear romântico? Até um show do Ari Toledo é mais romântico! =] E, bom, não li o livro ainda, mas já tenho certeza que a guria fez a coisa certa. Que sujeito panaca. Salute, dear fella.

[Sobre "Na praia"]

por Eduardo
http://iaad.blogspot.com
5/10/2007 às
10h52 201.63.98.162
 
Como assim?
Eu ia fazer algum comentário que eu esqueci quando li "como dizem os paulistas, virá-la de ponta-cabeça". Como assim, meu, como assim? Em Minas não se usa isso? Que ultraje! hehe.

[Sobre "O Leão e o Unicórnio II"]

por Eduardo Mineo
http://iaad.blogspot.com
19/9/2007 às
10h26 201.63.98.162
 
Miss Saigon
Olá Carla. Infelizmente não tenho nada pronto sobre Miss Saigon e o texto "os nossos miseráveis" não é meu, é do Fábio Danesi. Mas não tiro uma vírgula do que ele disse (menos o lance da Broadway). Eu voto em My fair lady, mas tenho medo das interpretações. Até a adaptação de Roberto Bolaños, o Chaves, ficou melhor que esta brasileira.

[Sobre "My fair opinion"]

por Eduardo
http://iaad.blogspot.com
24/7/2007 às
13h43 201.63.98.162
 
Barba
Meu caro Guga, usei uma barbicha dos 17 até pouco tempo atrás. Lembro que a primeira vez que minha mãe me viu, ela disse "onde você pensa que vai com essa coisa ridícula?", mas depois se acostumou e estranhou quando eu tirei. É como cigarro, você sabe que é ruim, mas uma vez com barba, você não larga mais. Quando eu a tirava, eu me sentia nu. Mas agora tirei. E não foi por sem-vergonhice de querer me sentir pelado, mas porque sei lá, passou. O ruim é que durante o primeiro mês, ficou aquela marca patética branca em torno do queixo hehe.

[Sobre "Barba e bigode"]

por Eduardo Mineo Bloom
http://iaad.blogspot.com
28/6/2007 às
11h01 201.6.253.3
 
eu quero saber o motivo
Viktor, eu sou tão calmo e sereno que dá até vontade de sacudir. E gosto muito de discutir, de ver meus argumentos contestados. Vejo, aliás, um monte de buracos nos meus textos que podem ser rebatidos com facilidade até, e eu teria muito prazer em ver até onde eles se sustentam. Acontece que juízo de valor tem limite. Em todos os comentários contrários, eu tentei jogar pra argumentação. Não concordou e quer comentar? Explica o porquê. Eu acho que estou certo. Se alguém diz que estou errado, eu quero saber o motivo. Quando isto não acontece, fica chato e perde o sentido discutir.

[Sobre "Exceção e regra"]

por Edward Bloom
http://iaad.blogspot.com
29/5/2007 às
22h35 201.83.155.43
 
Resposta
Viktor, tem bastante espaço, sim. Vai mandando que eu vou rebatendo. Agora, comentário de boa fé? Você vem aqui, coloca palavras na minha boca dando a entender aquilo que você acha, apenas acha, que eu penso e chama isto de boa fé? Deve ser a mesma boa fé dos vândalos que invadiram a reitoria. Se eu sei pouco, se o que eu escrevi está errado, aponte que eu argumento. Pois bem, aquela assembléia pode ter sido representativa dos alunos petistas e variantes, que é o que tem nestas assembléias gerais, não representativa da USP, como deu a entender nos noticiários. Tanto que das 66 instituições, apenas 3 aderiram à greve (por assembléia interna das faculdades). Até a faculdade de filosofia da FFLCH votou contra a greve. Ninguém apartidário participa destas assembléias gerais porque é só isto que tem lá: variações de petistas e sindicalistas que, quando contrariados, aplicam suas vontades democráticas no braço. Então pergunto novamente, que papo é este de opinião dos alunos da USP?

[Sobre "Exceção e regra"]

por Eduardo Mineo(Bloom)
http://iaad.blogspot.com
29/5/2007 às
18h02 201.6.253.3
 
preguiça ou desonestidade
"Repare que, sem exceção, os seus argumentos estão incorretos ou no mínimo duvidáveis." Se é tão claro assim, aponte quais argumentos. E por quê? "Você, ao se olhar no espelho, acha-se realmente mais bem preparado do que quase todos os outros brasileiros para o ensino superior?" Acho. "Seria a prova de química do vestibular indicador irrefutável da inteligência de uma pessoa, ou de seu senso crítico?" Alguma sugestão alternativa? "Ou não seria isso prova de que você estudou em escola particular?" Ou seja, nos dias atuais, quem teve uma boa educação? Sim, é isso mesmo. "Geneticamente, a nossa estirpe deve ter sido favorecida, não é isso? Não é isso que você ia dizer?" Não, nem passou pela minha cabeça, embora lendo este tipo de mensagem seja difícil negar que existam pessoas desfavorecidas intelectualmente. E repare que você não justificou nada, nem tentou, nem ao menos tentou convencer. É preguiça demais. Ou desonestidade.

[Sobre "Exceção e regra"]

por Eduardo Mineo(Bloom)
http://iaad.blogspot.com
29/5/2007 às
10h19 201.6.253.3
 
Oh God
Lúcio, eu realmente não respondi nada porque não havia o que responder. Eu lhe corrigi, foi diferente. E devo respeitar aquela gente por quê? Porque quando eles são contrariados, eles aplicam sua "democracia" no braço? Os motivos que eles usaram como desculpa foram desmontados. Os três reitores afirmaram que não há intervenção na autonomia (o assunto morreu) e as universidades já receberam as verbas que foram suspensas no começo do ano (o assunto morreu). Que mais? E é uma fábula não só a Marilena, como todos da USP serem sustentados pela burguesia, pela iniciativa privada, pelo mercado, enfim? Como você acha que a verba aparece na USP? O Estado inventa o dinheiro e dá para a USP? É não é ilusão acreditar no modelo neoliberal, meu filho. É o pensamento econômico nos principais países emergentes e foi o modelo que salvou os EUA e a Inglaterra na década de 80. E foi justamente a abertura comercial que salvou a China e a colocou em franco desenvolvimento. E... chega por enquanto.

[Sobre "Exceção e regra"]

por Eduardo Mineo(Bloom)
http://iaad.blogspot.com
28/5/2007 às
16h45 201.6.253.3
 
Mauro
Olá Mauro! Sim, sim, e este questionamento dos decretos não existe, nem reivindicações. Até as reclamações da infra-estrutura precária de algumas faculdades dá pra questionar a responsabilidade do governo, uma vez que isto é um assunto interno da USP, por causa da autonomia. E verba a USP tem, para todas as faculdades. 10% da principal fonte de renda do Estado de São Paulo é grana pra burro, aliás. Agora, o que cada instituição faz com sua verba já é outro assunto. Não que eu defenda o Serra, credo, mas esta coisa toda foi mesmo jogada política do Sintusp pra conseguir matéria para a próxima eleição "ó, o Serra oprimindo os universitários." Usam o nome da USP pra este tipo de coisa e querem que a gente apóie.

[Sobre "Exceção e regra"]

por Eduardo Mineo(Bloom)
http://iaad.blogspot.com
28/5/2007 às
15h32 201.6.253.3
 
Parte 2
Sobre as fundações, é o inverso do que disse o Marcos Leite. O MBA é pago e injeta dinheiro nas fundações, sendo uma parte dele repassado para a USP inteira, incluindo aí, a FFLCH. Não é gozado os "ideais burgueses capitalistas" ajudarem a pagar o salário da Marilena Chauí?

[Sobre "Exceção e regra"]

por Eduardo Mineo(Bloom)
http://iaad.blogspot.com
28/5/2007 às
14h05 201.6.253.3
 
Parte 1
Marcos Leite, eu falei de opinião geral da população, que é o que vale para a política. A maioria da população nem sabe o que é FFLCH, mas eu sei e conheço o estacionamento de lá e jamais o classificaria como um estacionamento de "filhos de uma classe trabalhadora explorada pelas leis do mercado". Mas você diz que o responsável pela atual situação das coisas é o modelo de Estado neoliberal. Acontece que o modelo de Estado atual é um modelo de interferência no mercado, de funcionalismo público, de aparelhamento, de alta taxa de imposto que trava a iniciativa privada e a classe trabalhadora, um modelo de grandes estatais, de grandes estruturas burocráticas com dezenas de ministérios, secretarias, etc., portanto, onde você enxerga neoliberalismo aí? Neoliberalismo é demissão de funcionário público em massa, privatizações, diminuição da estrutura burocrática, o que deixaria o Estado em situação favorável de administração e, conseqüentemente, de eficiência. Cadê o neoliberalismo?

[Sobre "Exceção e regra"]

por Eduardo Mineo(Bloom)
http://iaad.blogspot.com
28/5/2007 às
14h00 201.6.253.3
 
Lúcio, parte 2
"se não houvesse a invasão, ninguém daria atenção para a greve." É o papo de que os fins justificam os meios. Levado adiante, este tipo de pensamento valida um estupro, um massacre. E daí que a revolução de Lenin matou em 6 meses mais gente que a família do Tzar em 100 anos? O importante é o ideal, né?

[Sobre "Exceção e regra"]

por Eduardo Mineo(Bloom)
http://iaad.blogspot.com
28/5/2007 às
09h41 201.6.253.3
 
Lúcio, parte 1
Lúcio, em primeiro, fico longe, sim, porque a invasão foi criminosa. O contra-argumento é que os decretos também foram criminosos, o que é discutível, mas uma coisa não anula a outra. Quando lhe roubam a carteira, significa que você pode sair por aí roubando carteiras? Em segundo, fico longe porque o motivo para a greve e para a invasão não existe. Expliquei bem isto no texto. E o que tem de preconceituoso alí, no começo? Ou você pensa que a população acha tranquilo bancar a USP e não ter acesso? "A USP é paga pelos impostos do povo." Não foi o que eu disse? Os alunos são bancados pelo imposto do povo para que estudem, não para passarem o dia brincando de movimento estudantil.

[Sobre "Exceção e regra"]

por Eduardo Mineo(Bloom)
http://iaad.blogspot.com
28/5/2007 às
09h41 201.6.253.3
 
Nananinanão
Rose, a educação não está como está por causa de "pseudo-educadores" como eu porque, se eu fosse o responsável pela educação, as pessoas jamais usariam num texto um estilo tão feiosinho, tão tacanho como o seu. "Lambendo as botas", "Deus mercado"? Faça-me o favor. Uma pessoa que usa "Lambendo as botas" simplesmente está errada. Por sorte, pode até ter dito alguma verdade, mas a partir do "Lambendo as botas" ela invalidou tudo que disse.

[Sobre "Exceção e regra"]

por Edward Bloom
http://iaad.blogspot.com
27/5/2007 às
10h47 201.83.155.43
 
Julio Daio Borges
Editor
mais comentários

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




BEIRA-MAR - MEMÓRIAS 4
PEDRO NAVA
NOVA FRONTEIRA
(1985)
R$ 15,00



UM NOVO COMEÇO
FERN MICHAELS
LAROUSSE
(2011)
R$ 14,40



MÉTODO DE CONTROLE DAS INFECÇÕES HOSPITALARES ORIENTADO POR
SANDRA SUZANA PRADE
ATHENEU
(1988)
R$ 25,28



ANÁLISES ELETROQUÍMICAS DE FÁRMACOS E CONTAMINANTES AMBIENTAIS
FABIANA DA SILVA FELIX UND LÚCIO ANGNES
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 349,00



FILHOS, EU ESTOU VIVA!
ANA DE LOS ANGELES/PELO ESPIRITO TEREZA
ELEVAÇÃO
(2002)
R$ 15,00



AFORISMOS MUSICAIS
WOLFGANG AMADEUS MOZART
ETM
(2016)
R$ 35,00



UNA ISLA PARA EL SEÑOR CAPITÁN! (TEATRO CUBANO) - EM ESPANHOL
SERGUEI SVOBODA VERDAGUER
EDICIONES MATANZAS
(2002)
R$ 13,00



A RELEVÂNCIA DA BIBLIOTECA ESCOLAR NA SATISFAÇÃO DA LEITURA
LUCYVANIA D'ARC DUARTE RIBEITO
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 391,00



INCIDENTE EM ANTARES
ERICO VERISSIMO
GLOBO
(1974)
R$ 15,00



PODER E INFLUÊNCIA GERENCIAL ALÉM DA AUTORIDADE FORMAL
PAUL CAMPBELL DINSMORE
COP
(1989)
R$ 9,00





busca | avançada
28172 visitas/dia
922 mil/mês