genial, um gênio, fantástico! | Flávia Serretti

busca | avançada
82307 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Integridade Garantida, peça de Alberto Santoz sobre violência urbana, estreia no Cacilda Becker
>>> Stela Nesrine é protagonista do novo episódio de 12 Histórias no canal do Festival das Marias
>>> CONTOS DE AXÉ - 18 histórias inspiradas nos arquétipos dos orixás
>>> Feriado em família no Shopping Granja
>>> Casa Flutuar apresenta agenda cultural com grandes nomes da música eletrônica brasileira
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eleições na quinta série
>>> Mãos de veludo: Toda terça, de Carola Saavedra
>>> A ostra, o Algarve e o vento
>>> O abalo sísmico de Luiz Vilela
>>> A poesia com outras palavras, Ana Martins Marques
>>> Lourival, Dorival, assim como você e eu
>>> O idiota do rebanho, romance de José Carlos Reis
>>> LSD 3 - uma entrevista com Bento Araujo
>>> Errando por Nomadland
>>> É um brinquedo inofensivo...
Colunistas
Últimos Posts
>>> Max Chafkin sobre Peter Thiel
>>> Jimmy Page no Brasil
>>> Michael Dell on Play Nice But Win
>>> A história de José Galló
>>> Discoteca Básica por Ricardo Alexandre
>>> Marc Andreessen em 1995
>>> Cris Correa, empreendedores e empreendedorismo
>>> Uma história do Mosaic
>>> Uma história da Chilli Beans
>>> Depeche Mode no Kazagastão
Últimos Posts
>>> Mundo Brasil
>>> Anônimos
>>> Eu tu eles
>>> Brasileira muda paisagens de Veneza com exposição
>>> Os inocentes do crepúsculo
>>> Inação
>>> Fuga em concerto
>>> Unindo retalhos
>>> Gente sem direção
>>> Além do ontem
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Entrevista com Miguel Sanches Neto
>>> De volta às férias I
>>> Píramo e Tisbe
>>> A Última Ceia de Leonardo da Vinci
>>> O Desprezo de Alberto Moravia e Jean-Luc Godard
>>> Cuba E O Direito de Amar (2)
>>> A Velhice
>>> I know you
>>> Vanguarda e Ditadura Militar
>>> Na Campus Party 2009 II
Mais Recentes
>>> Almanaque de harry potter e outros bruxos de Ana Paula Corradini pela Panda Books (2003)
>>> Macbeth - Versão de Bolso de William Shakespeare pela L&pm (2000)
>>> O mundo mágico de harry potter de David Colbert pela Sextante (2001)
>>> Livro de cabeceira do homem ano 1, volume 1 de Carlos Heitor Cony e outros pela Civilizaçao Brasileira (1966)
>>> Ágape de Padre Marcelo Rossi pela Globo (2010)
>>> Zona Franca de Francesco Forgione pela Bertrand Brasil (2015)
>>> Gesundheit de Knapp, Dieter pela Haug (1986)
>>> An untold story: the Roosevelts of Hyde Park de Elliott Roosevelt e James Brough pela Dell (1973)
>>> Mídia e Política na América Latina de Carolina Matos pela Civilização Brasileira (2013)
>>> No Outono da Vida de Mauro Tadeu Berni pela Não Consta
>>> Robopocalipse de Daniel H. Wilson pela Record (2017)
>>> Mona Lisa - a Mulher por Trás do Quadro de Dianne Hales pela José Olympio (2018)
>>> A Tapeçaria de Henry H. Neff pela Prumo (2009)
>>> H Stern - a História do Homem e da Empresa de Consuelo Dieguez pela Record (2015)
>>> Manual para o exame psicológico da criança de René Zazzo pela Mestre Jou (1968)
>>> Guerreiro Sagrado de Angus Donald pela Record (2015)
>>> Dictator de Robert Harris pela Record (2017)
>>> Magia ou loucura de Justine Larbalestier pela Galera Record (2007)
>>> O Fim da Infância de Arthur C. Clarke pela Circulo do Livro (1965)
>>> Quem Samba Tem Alegria de Gonçalo Silva Junior pela Civilização Brasileira (2014)
>>> O teste do desenho como instrumento de diagnóstico da personalidade de Dinah Martins de Souza Campos pela Vozes (1969)
>>> O Poder do Agora de Eckhart Tolle pela Sextante (2008)
>>> O herdeiro guerreiro de Cinda Williams Chima pela Farol Literário (2008)
>>> O Mago das Mentiras de Diana Henriques pela Record (2017)
>>> A pirâmide vermelha de Rick Riordan pela Intrínseca (2010)
COMENTÁRIOS

Domingo, 29/7/2007
Comentários
Leitores


genial, um gênio, fantástico!
Guga, você é genial, um gênio, fantástico! O seu texto me faz saudosista de um Rio que não conheci, mas que aprendi a amar através das letras e melodias cheias de Tom do Jobim. Bjs

[Sobre "Dentro do Tom"]

por Flávia Serretti
29/7/2007 às
10h01 200.255.80.190
(+) Flávia Serretti no Digestivo...
 
Não estamos longe disso
A sub-cultura da auto-ajuda, que despreza o bom texto, vem tentando com insistência - e conivência das grandes editoras - assassinar a literatura. Acho que a morte da literatura está mais vinculada a essa sub-cultura do que à saída de moda da ficção e da poesia, uma vez que isto é consequência da primeira hipótese. E tudo está ligado à sobrevivência heróica do homo sensibilis e à proeminência medíocre do homo robotis. No dia em que a literatura de ficção morrer, a literatura em si já terá suspirado há muito tempo. E, sinceramente, não acho impossível isso acontecer. Ou seja: verdadeiros escritores, guardiãs da arte, subsistirem numa camada subterrânea da sociedade e da cultura, como os primeiros cristãos nas catacumbas...

[Sobre "A literatura de ficção morreu?"]

por Joel Macedo
29/7/2007 à
01h20 200.222.36.170
(+) Joel Macedo no Digestivo...
 
CaleidoSampa
Elisa, que belo retrato de nossa cidade-caleidoscópio! Chamou-me a atenção uma das preciosidades recuperadas: "os entalhes sutis de mil novecentos e bolinha". Ah! Como já perambulei por ruas paradas no tempo e no espaço, examinando fachadas, à procura dos "entalhes sutis", admirando-as e imaginando de onde teriam vindo seus autores, esses artesãos/artistas, que também se perderam, no tempo e no espaço... Como gostaria de ver preservada essa memória, ainda que virtualmente!

[Sobre "Cidade limpinha"]

por Eiji Arata
28/7/2007 às
23h50 201.76.82.127
(+) Eiji Arata no Digestivo...
 
Uma palavra-chave eliminada
Gostei muito desse seu texto, Ana Elisa. Ele me fez lembrar de muitas situações semelhantes que vivenciei. Uma especialmente, mais recente: o editor alterou o título de um livro por não "gostar" de uma palavra-chave usada pelo autor, não só no título como em todo o livro. Isto para mim chama-se prepotência...

[Sobre "Dar títulos aos textos, dar nome aos bois"]

por simone
28/7/2007 às
18h21 201.62.190.170
(+) simone no Digestivo...
 
Estratégia literária
Edu, gostei do texto, mas não concordo com algumas colocações acima. Acho mais válido equipar sua biblioteca e deixar bons títulos à disposição, do que impor leituras. Lembro-me que minha mãe tinha uma boa estratégia. Quando ela queria que lêssemos alguma coisa, ela deixava livros espalhados estrategicamente pela casa. Uma hora ou outra, eu e meus irmãos sempre dávamos uma olhada, no mínimo.

[Sobre "Um plano"]

por Diogo Salles
http://www.diogosalles.com.br
28/7/2007 às
13h27 189.33.10.57
(+) Diogo Salles no Digestivo...
 
Lição mal assimilada
Bom artigo, boa reflexão para leitores e escritores em potencial. Só acho que a mania de frases curtas etc é mais uma herança (negativa, em muitos casos) ou uma lição mal assimilada, do nosso Modernismo. Modestamente, só faltou o meu nome entre os pioneiros. Mantive uma oficina literária permanente durante 18 anos, a partir de 1974. Perdi a conta do número de alunos (muitos escritores, hoje) que passaram por ela. Parei há alguns anos, mas continuo achando que oficina pode ajudar, sim, e que talento, claro, não se compra em butiqe nem em supermercado. Abraço.

[Sobre "De vinhos e oficinas literárias"]

por Moreira da Costa
28/7/2007 às
11h55 200.179.248.79
(+) Moreira da Costa no Digestivo...
 
O jornalismo passa...
Caro André: discordo totalmente da sua tese. Na minha opinião, o jornalismo, o velho, não está morrendo e, se estiver, fico com a frase do Arthur Sulzberger, dono do New York Times, citada aí mesmo: não me importo. Na verdade junto aqui os dados do artigo ótimo do Rubem Fonseca, neste mesmo numero do Digestivo. Enquanto se falava na morte da literatura de ficção altos autores escreviam seus romances. Evidente que está havendo uma revolução na midia - mas encontrar jornalistas que saibam escrever, tenham cultura, leiam, saibam fazer uma reportagem e usem todos os recursos das novas midias vai ser dificil. Teremos talvez bons vídeos e péssimos ou medíocres textos, belíssimas fotos com simples legendas. Não sei, mas vamos em frente: como as pessoas, nada morre antes do tempo. Enquanto isso, fico aqui escrevendo minhas matérias. Como a caravana, do velho provérbio, o jornalismo passa, enquanto os cães ladram....

[Sobre "O velho jornalismo está morrendo"]

por Ana L.Vasconcelos
http://www.cronopios.com.br
28/7/2007 às
11h32 201.82.185.27
(+) Ana L.Vasconcelos no Digestivo...
 
Sempre haverá literatura
Num planeta habitado por pessoas que escrevem e outras que lêem, ainda que ocasionalmente - como quando caem de cama e param com sua rotina, por exemplo -, sempre haverá escritores e leitores, assim como sempre haverá mercadores de alimentação e gente para se alimentar. Portanto, a pergunta em questão, sempre refeita, já está se tornando retórica...

[Sobre "A literatura de ficção morreu?"]

por isa fonseca
http://www.hisafarr.zip.net
28/7/2007 às
11h25 200.226.148.19
(+) isa fonseca no Digestivo...
 
Viva a ficção!
Excelente. Escritores sabem por que escrevem, mesmo que não saibam para quem. Fazer compras, ver TV, usar computador, ir ao cinema, namorar, nunca preencherão a alma de alguns; nem ler, nem escrever, mas estes são recursos que aliviam a angústia de quem consegue fácil ou aprendeu com esforço a criar, pensar, questionar o que está posto, determinado pelos antecessores, líderes, especialistas. Muito boa a frase do García Márquez, a criação nos faz humanos, nunca morrerá, ou morreremos. Talvez mudem as formas de fazer, inventar, inovar, mas não o ato de tentar fazer, algo pessoal, que nos aproxime dos outros ao nos diferenciar deles. Os homens (incluindo mulheres) têm necessidades que vão além da sobrevivência, da posse material, ou do lazer padronizado. Exigentes? Insatisfeitos? Desajustados? Ou apenas humanos?! São assim os escritores, as pessoas criativas, todos que tenham oportunidade de ver mais do que o permitido pelos padrões e modelos prévios de agir, de viver.

[Sobre "A literatura de ficção morreu?"]

por Cristina Sampaio
28/7/2007 às
10h38 201.50.237.184
(+) Cristina Sampaio no Digestivo...
 
reciclar a escrita
Hum. Resta saber que tipo de escritor será esse que, enquanto leitor, também não lê (lembrando que todo escritor é, também, e essencialmente, um leitor que escreve). É mais provável que haja um tipo de literatura que perdeu leitores. Mas, seguramente (tenho observado), há outro em substituição. Talvez seja necessário reciclar a palavra escrita. Abç, Paula

[Sobre "A literatura de ficção morreu?"]

por paula mastroberti
http://www.mastroberti.art.br
28/7/2007 às
08h24 201.37.96.222
(+) paula mastroberti no Digestivo...
 
Julio Daio Borges
Editor
mais comentários

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Fantasmas do Tempo
Leonardo Rásica
Vida e Consciência
(2004)



Sobre Todas as Coisas
Carlos Heitor Cony
Civilização Brasileira
(1968)



A Luz Que Cai
Jay Mcinerney
Rocco
(2001)



Livro Coquetel: Diretas - Ouro Dolar 9
Ediouro
Coquetel
(2021)



A era da Curadoria
Gilberto Dimenstein; Mario Sergio Cortella
Papirus 7 Mares
(2015)



Welcome to Night Vale
Joseph Fink; Jeffrey Cranor
Intrínseca
(2016)



Receitas Essenciais 2
Coleção Cozinhas da Itália
Folha de S. Paulo



Karmatopia - Uma Viagem à Índia
Karla Monteiro
Civilização Brasileira
(2014)



Tenha um Pouco de Fé
Mitch Albom
Sextante
(2010)



Rumo a Paz Perpétua - Zum Ewigen Frieden - 1ª Edição
Immanuel Kant
Ícone
(2010)





busca | avançada
82307 visitas/dia
1,8 milhão/mês