Raposa no galinheiro | Helion

busca | avançada
86234 visitas/dia
2,1 milhões/mês
Mais Recentes
>>> ZapMusic, primeiro streaming de músicos brasileiros, abre inscrições para violonistas
>>> Espetáculo de dança em homenagem à Villa-Lobos estreia nesta sexta
>>> Filó Machado comemora 70 anos de vida e 60 de carreira em show inédito com sexteto
>>> Série 8X HILDA tem sessões com leitura das peças As Aves da Noite e O Novo Sistema
>>> Festival Digital Curta Campos do Jordão chega a todo o território nacional com 564 filmes inscritos
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Um antigo romance de inverno
>>> O acerto de contas de Karl Ove Knausgård
>>> Assim como o desejo se acende com uma qualquer mão
>>> Faça você mesmo: a história de um livro
>>> Da fatalidade do desejo
>>> Cuba e O Direito de Amar (3)
>>> Isto é para quando você vier
>>> 2021, o ano da inveja
>>> Pobre rua do Vale Formoso
>>> O que fazer com este corpo?
Colunistas
Últimos Posts
>>> Queen na pandemia
>>> Introducing Baden Powell and His Guitar
>>> Elon Musk no Clubhouse
>>> Mehmari, Salmaso e Milton Nascimento
>>> Gente feliz não escreve humor?
>>> A profissão de fé de um Livreiro
>>> O ar de uma teimosia
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
Últimos Posts
>>> A TETRALOGIA BUARQUEANA
>>> Bom de bico
>>> Diário oxigenado
>>> Canção corações separados
>>> Relógio de pulso
>>> Centopéia perambulante
>>> Fio desemcapado
>>> Verbo a(fiado)
>>> Janelário
>>> A vida é
Blogueiros
Mais Recentes
>>> A casa da Poesia
>>> De Auschwitz a ClubMed
>>> À propos de Nice (1930)
>>> Sonhos olímpicos nos Lençóis Maranhenses
>>> Lifestyle Media
>>> A voz de Svetlana em Paraty
>>> São João del-Rei
>>> Convite para as coisas que não aconteceram
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Where I End and You Begin
Mais Recentes
>>> São paulo , políticas públicas e habitação popular de Celine sachs pela Edusp (1999)
>>> Cidade de muros de Teresa pires do rio caldeira pela Edusp (2000)
>>> Por que democracia? de Francisco c weffort pela Brasiliense (1985)
>>> Por que democracia? de Francisco c weffort pela Brasiliense (1985)
>>> Da totalidade do lugar de Milton santos pela Edusp (2012)
>>> Região : espaço ,linguagem e poder de Jean rodrigues sales pela Alameda (2010)
>>> Economia política da urbanização de Paul singer pela Contexto (1998)
>>> Pequena história da agricultura brasileira de Tamás szmrecsányi pela Contexto (1998)
>>> Amêndoa de Nedjma pela Objetiva (2004)
>>> Tatu - Balão de Sônia Barros pela Alegria (2014)
>>> Papai! (Livro infantil) de Philippe Corentin pela Cosac Naify (2014)
>>> Documentos historicos municipais de Valeria agra pela C E H m (2011)
>>> Jurisdição Comunitária de Marcelino Meleu pela Lumen Juris (2014)
>>> O Estado e a Revolução de Lenin pela Expressão Popular (2007)
>>> Pedagogia e estética do teatro do oprimido: Marcas da arte teatral na gestão pública de Dodi Leal pela Hucitec (2015)
>>> Constitucionalismo Latino-Americano: Tendências Contemporâneas de Antonio Carlos Wolkmer , Milena Petters Melo pela Juruá (2013)
>>> Qu'est-ce que la démocratie? de Alain Touraine pela Le Livre de Poche (1997)
>>> Sobre a questão judaica de Karl Marx pela Boitempo (2010)
>>> O direito dos oprimidos de Boaventura de Sousa Santos pela Cortez (2015)
>>> La domination masculine de Pierre Bourdieu pela Éditions du Seuil (2002)
>>> Le citoyen de Marie Gaille (Apres.) pela Flammarion (1998)
>>> Le langage silencieux de Edward T. Hall pela Éditions du Seuil (2000)
>>> O 18 Brumário de Luis Bonaparte de Karl Marx pela Escriba (1968)
>>> Citoyenneté et politiques sociales de Annick Madec; Numa Murard pela Flammarion (1995)
>>> Sociologie de la vie politique française de Michel Offerlé pela La Découverte (2004)
COMENTÁRIOS

Segunda-feira, 18/11/2002
Comentários
Leitores


Raposa no galinheiro
Sabe, Julio, até que você faz um blog divertido. De vez em quando, se quebra a monótona seqüência de citações e congratulações mútuas entre os direitistas e aparece algum debate de verdade. Pelo menos entre os colunistas, não aconteceram ainda – até agora - as insinuações quanto ao que este esquerdista está fazendo no horário de trabalho, ou os insultos e ameaças ao discordante. Bem, já houve uma ameaça de soco por um rapaz que vestiu a carapuça de invertido. Quando quem não é do clube intervém, as coisas não são tão amenas. Enfim, mesquinharias típicas de direita, de uma gente que nega ser dessa posição política mas que se alvoroça histérica com qualquer crítica à mesma. Que cultiva ídolos e cita submissa suas frases de efeito. Que tem uma cultura de frases soltas, citando ditos isolados de Francis sem conhecer sua trajetória política e intelectual. Que considera Nelson Rodrigues apenas como um anti-esquerdista, ignorando o seu anticonservadorismo. Que se deleita com a última leitura indicada pelo guru e se faz de superior porque os outros supostamente a ignoram. Que repete com submissão as palavras daquele boneco de corda que você puxa e ele repete “Fórum São Paulo, Fórum São Paulo, Fórum São Paulo...”. Enfim: deve ser mesmo um complô do esquerdismo internacional para mostrar de uma vez por todas que na direita não tem gente que pensa de forma autônoma. Pelo menos nos blogs de direita, isso é artigo raro. E parabéns ao Marcelo por afrontar o Pensamento (quase) Único do Digestivo.

[Sobre "Filhos de Francis"]

por Helion
18/11/2002 às
09h02 200.227.152.163
(+) Helion no Digestivo...
 
Marionetes - somos todos nós?
A insatisfação é geral, em decorrência do apelo do Mundo Material. A indústria, porque é indústria, é poluente e degenera. Vaidade das vaidades, tudo é vaidade, e a verdade última transcede, pois: you can't win...

[Sobre "Marionetes"]

por Alper Tadeu
18/11/2002 às
08h54 200.255.172.73
(+) Alper Tadeu no Digestivo...
 
(I've had)the time of my life
O filme foi muito show, desde a primeira vez que o vi, ele me encantou. Minha mãe sempre falava desse filme e eu ficava me perguntando, que tal filme é esse? Um dia o filme passou na TV e realmente vin que o filme era esplendoroso, fiquei boba.Se pudesse assistiria o filme todos os dias, cara é muito massa. Vale a pena assistir.

[Sobre "Dirty Dancing - Ritmo Quente"]

por Bianca
17/11/2002 às
04h57 64.68.82.58
(+) Bianca no Digestivo...
 
mais esquerdices
Isso mesmo Marcelo! Você está certo, nós "direitistas", somos canalhas, crápulas insensíveis que só pensamos no dinheiro, e em lucrar em cima dos pobres e de suas criancinhas famintas, enquanto vocês esquerdistas são a mais pura encarnação da bondade humana, sempre empenhados em resolver os problemas alheios e trazer felicidade aos outros seres que habitam a Terra. Vocês conhecem com invejável precisão a história do mundo, proferindo sempre opiniões exatas e precisas sobre história, política, economia, e dando julgamentos definitivos sobre tudo e todos, enquanto eu tenho essas minhas opiniões tão precipitadas, pusilânimes, recheadas de preconceito e frivolidade.
Já você, Marcelo, é um escritor de talento, wit, charme e humor refinados, que com sutis ironias destrói seus adversários, mestre de sua arte - afinal contribui para importantes publicações, como as revistas Geek e Hacker, enquanto eu, pobre de mim, tenho que me contentar apenas com meu mísero blog. Eu, que sou um membro dessa elite sanguinária, insensível, que despreza e pisa no povo, enquanto você é um paladino defensor de seus ideais, tal qual São Lula da Silva, padroeiro das esquerdas. Eu, coitado, tenho que me contentar apenas com fatos, argumentos, enquanto você tem refinada argúcia e a mais fina ironia do seu lado, para me ridicularizar ao seu bel-prazer. Que resta a um capitalista hediondo como eu, diante de tão nobre alma?
Permita-me apenas perturbar sua tão nobre e elevada existência com uma pergunta tão insignificante quanto este seu humilde interlocutor - o que significam "10 e poucos anos"? E o que uma pessoa de "10 e poucos anos" pode fazer para contribuir para participar ativamente da redemocratização de um país? Distribuir as figurinhas que ganhou no bafo para os pobres? Combater os milicos com estilingue, montado num patinete?

Quanto aos ataques de um sujeito chamado "Irã", o que responder? Os pais dele fizeram um trabalho muito pior do que qualquer ofensa, xingamento ou réplica que eu pudesse fazer, lhe dando um nome desses. Só me resta dizer uma coisa - estarei em São Paulo no mês de dezembro, e me ofereço para encontrá-lo pessoalmente e ver se ele me chama, na minha cara, de invertido, ou foi só um daqueles arroubos de "coragem virtual" tão típico dos geeks que pululam pela internet. Adoraria enfiar essa minha mão de invertido na sua fuça.


[Sobre "Filhos de Francis"]

por Rafael Azevedo
18/11/2002 às
04h53 192.146.136.130
(+) Rafael Azevedo no Digestivo...
 
Obrigado Olavo e Cia.
Reparo já faz um bom tempo - eu diria de 2 a 3 anos - que um a um, fui descobrindo através das leituras diárias todos os aqui citados por este excelente colunista. Agradeço sempre aquele bendito dia que tive o prazer de ler a entrevista com o grande Olavo de Carvalho. O resto vocês todos já podem imaginar... Descobri: Janer Cristaldo, J.O. de Meira Penna, o brilhante e espirituoso Martim Vasques da Cunha, Mario Ferreira dos Santos, Rene Girard, Dennis Rosenfield, Maria Victor Barbosa, o Cristão Nivaldo Cordeiro, Sandro Guidalli, Diogo Chiuso, Alexandre Soares Silva, julio Lemos, a inteligente e gentil Inês de Carvalho -não nos abandone com o seu blog - e tantos outros que dispensam comentários - desculpe não ter citado todos. Gosto da pluralidade de idéias e primo pelo desenvolvimento do espírito acima de tudo. Esbarramos inevitávelmente com os assuntos mais banais - como a política direita/esquerda - mas acima disto existe a trancendência do homem através da humildade e determinação. Acredito que mais do que debater a direita ou esquerda tais pessoas mostraram-me - obrigado amigos - que somos capazes de pensarmos HONESTAMENTE e que o espírito só se eleva através do conhecimento - muitas vezes árduo e solitário. Portanto, independente das escolhas partidárias/ideológicas creio que todos aqui citados são estudiosos e devoradores de bons livros, o que é fundamental. Faço das palavras de Martim Vasques da Cunha as minhas: Ele faz o possível, e nós temos que fazer o possível também para que a unidade do espírito possa se manifestar. SÁBIAS PALAVRAS, pois no fim todos os caminhos nos levam a experimentar Deus. Como? Qual o caminho? Através da elevação do nosso espírito.

[Sobre "Filhos de Francis"]

por Sidney Vida
18/11/2002 à
00h43 200.226.209.142
(+) Sidney Vida no Digestivo...
 
Pô (lêmica)! Rs...
Pelo amor dos meus filhinhos (que um dia hei de ter), realmente essa coluna é muito polêmica! Comentam o texto do Alexandre, então comentam os comentários dos outros, depois até comentam seus próprios comentários... Isso aqui é um paraíso! Começou com um conflito entre direita e esquerda, passou por uma comparação com A Revolta dos Dândis e chegou até ao caso Suzane Richthofen! Ufa... O que mais nos agüarda????

[Sobre "Filhos de Francis"]

por *Roberta*
17/11/2002 às
22h56 200.158.25.161
(+) *Roberta* no Digestivo...
 
Ufa!
Sabe, é graças ao Júlio que vou continuar leitor deste sítio. Ele não é intolerante! Além do mais, se eu deixar de ler, acho que o Alexandre terá me (con)vencido.

[Sobre "Filhos de Francis"]

por André Lima
17/11/2002 às
16h31 200.151.156.118
(+) André Lima no Digestivo...
 
por ter sido tão rude
Queria me desculpar por ter sido tão rude. Agora, depois do comentário do Irã, percebi que não tratei nenhum de vocês com o devido respeito, senhores. Parece uma Revolta dos Dândis. Pena que sem a sensibilidade e a genialidade de um Oscar Wilde. Rafael, se você é de direita, é porque nasceu privilegiado e quer ter a liberdade de não ter nenhuma preocupação social, a liberdade de não se preocupar com os erros tremendos que sua elite cometeu, quer ter a liberdade de pagar salários baixíssimos, a liberdade de ser um explorador e coisas assim. Vocês são muito previsíveis em suas opiniões. Roberto Campos é um dos seus heróis? E como, então, não concluir que você apoiou a ditadura militar? Que acha Maluf uma boa pessoa? Que foi contra as eleições diretas? Que é um hipócrita já que xinga as estatais em seu blog, as mesmas que foram criadas durante o período em que Bob Fields foi Ministro? Criou o BNDE mas é contra a participação do governo? Ou seja, é liberal com forte intervenção do Estado? Bonito isso. Aliás, este é o mesmo tipo de liberalismo que existe nos EUA: nenhuma estatal mas uma forte presença do governo nas empresas. Ou vice-versa. Nunca existiu governo mais privatizado no mundo. São esses mesmos governos hipócritas que sustentam ditaduras fascínoras como a Pinochet, patrocinam golpes de elites senis que estão morrendo de medo de perder seus privilégios como na Venezuela (felizmente derrotados pelo povo - essa entidade horrível e fedida). Sim, foram os governos dos liberais EUA e da aristocrática Inglaterra que promoveram e sustentaram as ditaduras sangrentas da América do Sul. A tal ponto que na Guerra das Malvinas foram usadas quase que exclusivamente armas inglesas. E ainda por cima se esquece de toda a rede de proteção que existe em quase todos os países da Europa, algo que vai contra seu liberalismo fajuto. Mas, é claro, você não é dirigido por nenhuma ideologia. Nem seus ídolos. A única ideologia que os move é a do dinheiro, da exploração e do lucro. Mas, como já falei antes, seus ídolos eram inteligentes, vocês, nem tanto. Todos se venderam e mudaram de camisa de acordo com quem pagava mais. Bob Fields passou de criador de estatais para defensor das privatizações de acordo com o valor das consultorias que prestava. Privatizações, aliás, bancadas pelo dinheiro do BNDES, é claro. Francis passou da esquerda para a direita assim que viu as ofertas salariais dos periódicos. Já, para vocês, restam os blogs. Agora, bonito mesmo, é descobrir que o Rafael não só é capaz de fazer citações em inglês, mas até ser poético. "How low can you go?" é lindo. Um verdadeiro dândi.

[Sobre "Filhos de Francis"]

por marcelo
17/11/2002 às
12h18 200.168.30.136
(+) marcelo no Digestivo...
 
AH!!! os Eternos Adolescentes.
Mestre Soares, este site é lido por gente de direita sim. Em alguns casos, uma direita pavorosa. Penso que o idealizador do site seja um "between", admirador do Sergio Augusto, logo alguem que analisa primeiro, depois afirma. Paulo Francis também foi importante quando tinha 14 anos. Todavia, o episódio Suzane tem nos mostrado que superar a adolescência é fundamental. Este direitismo juvenil é inútil. Da mesma forma que execro as pessoas de esquerda que só leem Hobsbawn (que tem um livro fraqinho sobre jazz), não tenho particular admiração por pessoas que odeiam Saramargo porque ele fala besteiras inomináveis sobre Israel. Vivemos um momento crítico. O Brasil produz música instrumental de qualidade que não é difundida. Ser artista é um exercício de teimosia enorme. Foco e maturidade. Deixemos os fantasmas do passado descansando. Francis como farsa, o chichê do dia.

[Sobre "Filhos de Francis"]

por José M SIlveira
17/11/2002 às
12h33 143.106.37.196
(+) José M SIlveira no Digestivo...
 
Descontextualizando Francis
Durante o governo Ribamar Sarney, apareceu o Pérsio Arida na televisão, defendendo um daqueles planos econômicos. O Francis comentou que o Arida falava um inglês direitinho e que tinha idéias direitinhas, mas que naquela idade, ele, Francis, estava se encharcando de bebida e fazendo bobagem nas noitadas cariocas. É o caso dos blogueiros citados aí: meninos bem comportados, posando de aristocratas, deslumbradinhos com suas leituras (todas devidamente catalogadas, previsíveis e sem nenhum traço de ousadia). Um desses aí, tido como "inteligente", até faz questão de ser chamado de "senhor" e horrorizou-se quando foi apresentado à filha do "famoso" (quá-quá-quá) jornalista Mino Carta, chamou-a de senhora, e foi destratado. Diz-se preocupado com "respeito, gentileza, preocupação com o bem estar alheio" mas, livresco, e pedante como é, não se dá conta que pode ser imensamente incômodo ao insistir num tratamento pernóstico. Comentando o bacharelismo brasileiro, Gilberto Freyre lembrava um diplomata genovês que, no final do século XVI, escreveu um relatório onde comentava o estranho hábito português de todos se tratarem mutuamente por senhor e senhora, sem que fossem senhores ou senhoras de coisa alguma no mundo. É por aí. E nessa levada, o tal senhor blogueiro (ou seria senhor doutor blogueiro?) ainda se horroriza com a namoradinha de um amigo, que ficou constrangida quando ele foi abrir a porta do carro para ela. E daí? Fosse um sujeito inteirado do mundo ao redor, saberia que há n variedades de mulheres, que uma jamais é igual a outra, e que, portanto, o tratamento jamais poderá ser normatizado. Se ela não quer que abra, é fácil. Basta não abrir. Depois, o citado senhor doutor blogueiro ainda "deita elogios" (sic) à "fantástica" (sic) "iniciativa" (sic) de um certo Bruno, para encerrar com um "Parabéns!" (sic). Nada contra o Bruno, mas um amontoado de clichês como esse foi redigido por alguém "inteligente" e "que sabe escrever"? Qual é a idade mental dessa pessoa? No romance "Cabeça de Papel", havia um poeta bêbado e boêmio que, meio no embalo, celebrava "imitadores baratos que lhe copiam os manerismos, substituindo o que, no original, se autogerara nas entranhas, pelo arremedo de salão" (p. 117). Bingo. A produção dos senhores doutores blogueiros citados não passa disso, de um arremedo de salão, cínico e descontextualizado, da obra do Francis. Um esnobismo de desajustados e invertidos. Paulo Francis trataria esses jovens assépticos a facão.

[Sobre "Filhos de Francis"]

por Irã Dudeque
17/11/2002 às
09h36 200.213.80.5
(+) Irã Dudeque no Digestivo...
 
Julio Daio Borges
Editor
mais comentários

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Você é Demais Quando...
Carla Oliveira; Alexandre Bocci
Fundamento
(2002)
R$ 12,00



Meia-Noite em Pequim
Paul French
Fundamento
(2017)
R$ 49,80



Crime e Castigo
Dostoiévski
Nova Cultural
(2005)
R$ 50,00



Lanternas Verdes: Renascimento - Edição 2 Maio 2017
Dc Comics
Panini
(2017)
R$ 14,00



Living English Structure: a Practice Book For Foreign Students
W. Stannard Allen
Longman
(1974)
R$ 37,00



Projetos de 100 a 200 M2
Casa Dois
Casa Dois
(2000)
R$ 25,28



Ambiente Componentes e Interações - Ciências Vol. 2
Paulo Mauricio Silva S R Fontinha
Nacional
R$ 5,00



Madame Ex
Hervé Bazin
Abril
(1983)
R$ 10,00



Comentarios a Consolidaçao das Leis do Trabalho
Valentin Carrion
Saraiva
(2008)
R$ 5,13



O Viés do Acaso
Regina Moraes
Nova Era
(2010)
R$ 11,00





busca | avançada
86234 visitas/dia
2,1 milhões/mês