A pequenez dos homens de fé | mauro judice

busca | avançada
74378 visitas/dia
2,1 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Zé Guilherme recebe o pianista Matheus Ferreira na série EntreMeios
>>> Chamada Vale recebe cadastro de cerca de 3 mil projetos
>>> Lançamento do Mini Doc Tempo dell'Anima
>>> Cinema in Concert com João Carlos Martins une o cinema à música sinfônica em espetáculo audiovisual
>>> Editora Unesp lança 20 livros para download gratuito
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A redoma de vidro de Sylvia Plath
>>> Mas se não é um coração vivo essa linha
>>> Zuza Homem de Mello (1933-2020)
>>> Eddie Van Halen (1955-2020)
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - II
>>> Vandalizar e destituir uma imagem de estátua
>>> Partilha do Enigma: poesia de Rodrigo Garcia Lopes
>>> Meu malvado favorito
>>> A pintura do caos, de Kate Manhães
>>> Nem morta!
Colunistas
Últimos Posts
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
>>> Chico Buarque em bate-papo com o MPB4
>>> Como elas publicavam?
>>> Van Halen no Rock 'n' Roll Hall of Fame
>>> A última performance gravada de Jimmi Hendrix
Últimos Posts
>>> Normal!
>>> Os bons companheiros, 30 anos
>>> Briga de foice no escuro
>>> Alma nua
>>> Perplexo!
>>> Orgulho da minha terra
>>> Assim ainda caminha a humanidade
>>> Três tempos
>>> Matéria subtil
>>> Poder & Tensão
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Aerosmith no Morumbi
>>> E aí...
>>> Goodbye, virtual. Hello, new.
>>> Alguém ainda acredita em Deus?
>>> Mirage, um livro gratuito
>>> As Cem Melhores Crônicas Brasileiras
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> A soberba de Beauvoir
>>> Somos todos consumidores
>>> Genealogia da Moral, de Nietzsche
Mais Recentes
>>> Nintendo worlld especial--1--007 goldeneye--quake ii--the legnd of zelda de Conrad pela Conrad
>>> Reaprendendo a Sonhar de Edson Simon pela Novo Século (2011)
>>> As três balas de Boris Bardin de Milo J. Krmpotíc pela Tordesilhas (2012)
>>> O dobro ou nada de Cal Fussman pela Landscape (2009)
>>> Imagens de Foucault e Deleuze - Ressonâncias Nietzschianas de Margareth Rago/Luiz B. Lacerda Orlandi/ Alfredo Veiga-Neto (Orgs.) pela Dp&a (2002)
>>> Portugal e o fim do ultracolonialismo. de Perry Anderson pela Civilização Brasileira (1966)
>>> Evolução urbana do Rio de Janeiro. de Maurício de Almeida Abreu pela Jorge Zahar Editores (1987)
>>> A revolução nacionalista no Peru. de Juan Velasco Alvarado. pela Paralelo, (1973)
>>> The Phantom of the Opera [ sem CD ] de Gaston Leroux pela MacMillan readers (2017)
>>> Tenório - O Homem e o Mito de Do Carmo Cavalcanti Fortes pela Record (1986)
>>> Para onde vai o Peru. de Juan Velasco Alvarado. pela Paralela, (1970)
>>> Só o Amor é Real de Brian L. Weiss pela Salamandra (1996)
>>> Só o Amor é Real de Brian L. Weiss pela Salamandra (1996)
>>> Pense jovem de Tim Drake pela Ediouro (2009)
>>> Hoje é dia de Maria de Varios Autores pela Globo (2006)
>>> No Mundo da Lua de Camila Justino pela Leitura (2009)
>>> Diversidade. Um guia para o Teatro dos anos 90 de Nelson de Sá pela Hucitec (1997)
>>> Medida Certa de Zeca Camargo pela Globo (2011)
>>> Amar Vale a Pena de Sergio Savian pela Landscape (2007)
>>> Sociologia para jovens. Iniciação a Sociologia de Maria Luiza Silveira Teles pela Vozes (2011)
>>> Vianinha. Cúmplice da Paixão de Dênis de Moraes pela Record (2000)
>>> O Eterno Barnes de Salustiano Luiz de Souza pela Novos Talentos (2013)
>>> Eu e minha boca grande de Joyce meyer pela Bello publicações (2015)
>>> Reflexões sobre Espiritualidade e Ministério de Jamê nobre pela Ccc edições (2012)
>>> Nada Além da Vrdade de Alex Gilvarry pela Tordesilhas (2012)
>>> Reecontrando a estrela na rota para bele´m de Eber Rodrigues pela Ministerio ouvir e crer (2014)
>>> The Aventures of Tom Sawyer de Mark Twain pela Word Library (2004)
>>> Fazer amor de Gary chapman pela Mundo cristão (2010)
>>> Brava gente! Os italianos em São Paulo de Zuleika M. F. Alvim pela Brasiliense (1986)
>>> Antes que a noite venha de David Jeremiah pela Cpad (2004)
>>> A comunhão nossa de cada dia de Pedro Arruda pela Clássicos (2017)
>>> O poder das ultimas palavras de Jesus na cruz de Adam Hamilton pela graça Editorial (2013)
>>> A unidade Cristã e o reavivamento do corpo de Cristo de Tommy Tenney pela Ágape (2013)
>>> O mistério da oliveira de Johannes fichtenbauer pela Impacto publicações (2018)
>>> A doutrina do arrependimento de Thomas watson pela Pes (2019)
>>> Vença o pecado de C. H. spurgeon pela Pes (2019)
>>> Graça abundante ao principal dos pecadores de John bunyan pela Fiel (2012)
>>> Crime e Loucura de Roque de Brito Alves pela Recife (1998)
>>> A Vida Secreta das Plantas de Peter Tompkins, Christopher Bird pela Círculo do Livro (1976)
>>> Registro Civil das Pessoas Naturais de Nicolau Balbino Filho pela Atlas (1983)
>>> Manual do Horóscopo Chinês de Theodora Lau pela Pensamento (1987)
>>> Jurisprudência da Responsabilidade Civil de R. Limongi França pela Revista dos Tribunais (1981)
>>> Sonhos de robô de Isaac Asimov pela Record (1991)
>>> Brincando nos campos do senhor de Peter Matthiessen pela Companhia das letras (1991)
>>> Os subterrâneos de Jack Kerouac pela Brasiliense (1984)
>>> On the Road (Pé na Estrada/Na estrada) de Jack Kerouac pela Brasiliense (1984)
>>> Big sur de Jack Kerouac pela Brasiliense (1985)
>>> Meridiano sangrento de Cormac McCarthy pela Nova Fronteira (1991)
>>> Advogado de defesa de Irving Stone pela Itatiaia (1967)
>>> Instituições de Direito Civil Vol. 1 de Caio Mário da Silva Pereira pela Forense (1986)
COMENTÁRIOS

Terça-feira, 8/6/2010
Comentários
Leitores


A pequenez dos homens de fé
Não colocamos a razão à frente de nossos sentimentos, apenas dissimulamos que o fizemos. Se o tivéssemos feito, teríamos dado à humanidade um testemunho de verdade. Teríamos provado alguma coisa, nosso comportamento seria basto. Não teríamos que nos acanhar em palavras, nem discursos, nem homilias. Ainda que por tentativas insuficientes e pusilânimes, senti o quão livre me tornei ao diminuir um pouco o instinto de agressividade; notei que, moderando a gula, deixei de comer por vício e apreciei muito melhor os sabores. Quantas coisas ganharíamos por vencer nossas fraquezas, o ego, ah, tivéssemos seguido o exemplo de Sócrates que, ao contrário do que dizia Nietzsche, mostrou o resultado de colocar a mente à frente das emoções básicas: o indivíduo se fortalece, se vitaliza, se alegra e pulsa. Uma pena que o grego tenha vivido em época onde não havia celular para filmá-lo para que, deste modo, todos o vissem, apenas o vissem em sua grandeza modesta. E veriam também a pequenez dos homens de fé.

[Sobre "O cristianismo para Nietzsche"]

por mauro judice
http://www.gizeditorial.com.br/maurojudice
8/6/2010 à
01h03 201.93.70.145
(+) mauro judice no Digestivo...
 
Nietzsche tem razão
É... Somos isto. Nietzsche tem razão em denunciar nosso ressentimento com relação àqueles que têm o que não temos, e quisemos rebaixar os homens de valor, tomando-nos superiores a eles, tendo-nos por eleitos de Deus. Mas desconfio que nosso filósofo tenha caído em mesma armadilha do ego, como disse a Dulce no comentário acima. Só sei de uma coisa: Friedrich Nietzsche é o meu maior detrator. Ninguém melhor que ele nos mostrou, a nós, homens de fé, o quanto somos falsos, afetados, presunçosos e fracos. E, no entanto, sou grato a ele e a todos os pensadores que detrataram a religião. Nada como um cético para orientar um convicto. Contudo, o filósofo se enganou num ponto, para maior demérito nosso, crentes em Deus. Afirmou que inibimos os instintos e nos tornamos por isso em indivíduos exânimes, fracos e sem vontade (Vontade de Poder). Mas, não, querido Nietzsche, nós não fizemos isto. Não inibimos nossa animalidade, nossos instintos, nós os castramos (Patez está certíssimo).

[Sobre "O cristianismo para Nietzsche"]

por mauro judice
http://www.gizeditorial.com.br/maurojudice
8/6/2010 à
00h56 201.93.70.145
(+) mauro judice no Digestivo...
 
A justiça é como o teatro
Química? Que tal ler "Tabela Periódica" de Primo Levy, autor de "A Trégua", onde ele declara que a "justiça é como o teatro"? Quem discorda?

[Sobre "Elogio Discreto: Lorena Calábria e Roland Barthes"]

por Paulo Pereira
7/6/2010 às
15h07 187.14.199.203
(+) Paulo Pereira no Digestivo...
 
Essência, pura e simples
simplesmente sofisticado Assim mesmo sem vírgula nem ponto e nem mesmo caixa alta. Essência, pura e simples. Infeliz daquele que, diante desse texto, diante das pessoas que praticam o que o texto simplesmente retrata, não for cordato. Temos aqueles que por falta de atitude, postura, caráter ou dignidade trocam o diálogo por silêncio calunioso, não querem se comprometer com o entendimento do mais simples, pois lhes exigirá o rogo da prática. Obrigado por seu texto, querido escritor.

[Sobre "Simplicidade ou você quer dormir brigado?"]

por Fredh Hoss
http://twitter.com/fredhhoss
7/6/2010 às
15h05 201.95.39.186
(+) Fredh Hoss no Digestivo...
 
O medo como controle
Já que mais uma vez o sr. Mauro cita esta grande festa dos instintos, aqui cabe uma pergunta: Por que o culto ao corpo, aos instintos, incomoda tanto? Aceitando os instintos, sejam eles de qualquer grandeza, sinto que podemos controlá-los, pois, sabedores de nossos limites, reconhecemos o limite do outro! Creio também que em nossa "sociedade cristã" somos castrados destes instintos, e não vejo que essa "sociedade cristã" hoje em dia estão conseguindo o que seria seu objetivo primário: através do medo de ir para o inferno domesticamos e controlamos à todos. Poderei continuar nossa conversa através do e-mail ou do blog, como queira! Se quiser tornar pública a nossa conversa, use o blog! Respeitosamente grande abraço a todos que nos acompanham!

[Sobre "O cristianismo para Nietzsche"]

por Carlos Patez
http://capatez.zip.net
7/6/2010 às
13h52 189.19.67.141
(+) Carlos Patez no Digestivo...
 
Acreditar nos instintos
Creio que Jesus, nesse episódio, se é que o mesmo aconteceu, se referiu mesmo às leis vigentes, que num povo tão "religioso" costuma ser lei = dogma, contra a lei = pecado! Nietzsche assim raciocina (o cristianismo como algo definitivo), porque a própria Bíblia não deixa vazão para outro pensamento que seja, pois a lei é definitiva! Até tem um livro nesta coleção que se chama Apocalipse! Querer salvar Paulo de Tarso do estrago que fez, é trabalho inglório. Por causa dele e de alguns que estiveram fazendo esta coletânea, nunca saberemos de fato o que ocorreu naqueles dias idos. Mas o que fica é sua grande vontade de que todos pensem como eles, para que possam sempre prever o homem domesticado. Um homem que despreza seus sentidos, seus instintos, e que sua noção de felicidade é algo como obedecer, obedecer, obedecer... Creio que, acreditando em nossos instintos, seríamos muito mais respeitosos com nosso próximo, com nossos adversários, pois reconheceríamos nestes também o poder em nós inerente! (continua)

[Sobre "O cristianismo para Nietzsche"]

por Carlos Patez
http://capatez.zip.net
7/6/2010 às
13h34 189.19.67.141
(+) Carlos Patez no Digestivo...
 
Nabokov já era hipertextual
Bela resenha, Guilherme. Você pegou um dos aspectos importantes pelos quais "O Original de Laura" deveria mesmo ter sido publicado: a possibilidade de olharmos sobre os ombros do escritor. Nabokov não era um autor linear, não escrevia o capítulo 2, depois do 1, o 3, depois do 2, etc. Ele era hipertextual. Preenchia os espaços, dizia. Em 09/2009, eu participei de uma mesa na Academia Brasileira de Letras com o professor Brian Boyd (maior especista na obra de Vladimir) em que se comparou as obras de Machado de Assis e Nabokov. Na mesma época, o entrevistei para o Prosa Online, dois meses depois, eu mesmo também publiquei uma resenha de "Laura" no JB. Com o advento e popularização da internet, penso que "Laura", 30 anos depois de seu doloroso nascimento - sendo que, para isso, da forma como "nasceu", tenha sido necessária a morte de seu autor -, tenha sido publicado no momento certo. Abs, CS

[Sobre "O Original de Laura"]

por C. S. Soares
http://pontolit.com.br/beta
7/6/2010 às
12h36 189.122.215.181
(+) C. S. Soares no Digestivo...
 
Nietzsche se traiu
Ora, tudo bem. Vamos supor que seja verdade isto. Ao fim de tudo, Nietzsche montou uma filosofia para justificar seu descontrole sobre suas paixões, traindo-se ele próprio (pelo mesmo mecanismo que apontou) ao acusar aquilo que realmente ansiava - ser um homem dominado. Porém, também não estava errado em mostrar toda a dissimulação dos padres e pastores, e de quase todo crente em Deus que, de fato, falam, falam e na hora do vamos ver, mostram muito pouco em termos de ética, porque se deixam cair por seus impulsos, paixões, cobiça, ego, devido à falta de força que tem para impor a si mesmos os valores que vivem pregando.

[Sobre "O cristianismo para Nietzsche"]

por dulce louzado
7/6/2010 às
12h13 200.100.72.198
(+) dulce louzado no Digestivo...
 
Quando tudo era subversivo
"É preciso deixar a deletéria psicose de subversão!", disse um general em 1978, do Regime Militar. Havia a psicose coletiva de que em tudo e todos eram subversivos. A cor vermelha, uma foice, um martelo, os rapazes cabeludos, as moças de minissaias, as letras das canções dos festivais, a dramaturgia do teatro, TV e cinemas, tudo era subversivo, um perigo marxista-lenilista. Então, para contrapor-se à subversão, exageraram e se apropriaram (indevidamente) dos símbolos nacionais. A longo prazo, o estrago foi o povo associar os nossos símbolos ao "antigo regime". A sonora chamada de meu celular é o Hino Nacional Brasileiro. Meu filho de sete anos já o reconhece e canta e já sabe que não precisa escutá-lo apenas, antes dos jogos da seleção brasileira de futebol e nas olimpíadas. É preciso acabar com esta deletéria psicose de subversão. Sugiro trocar o velho dístico positivista da bandeira nacional "Ordem e Progresso" por "Água e Esgoto", de que tanto o Brasil precisa (47% da população).

[Sobre "Símbolos e Identidade Nacional"]

por Paulo Pereira
7/6/2010 às
10h57 187.14.174.147
(+) Paulo Pereira no Digestivo...
 
A metafísica vai muito além
Excelente texto. Embora eu seja Ministro de uma Instituição Religiosa, não deixo de apreciar textos onde se fazem reflexões sobre o aspecto religioso. Eu digo que o Cristianismo vivido e praticado pelas religiões institucionalizadas de forma alguma é a continuação de O Caminho, como era chamado o movimento pelos primeiros Cristãos já no tempo dos Apóstolos. Portanto, concordo com todas as críticas feitas no artigo, desde que esta diferença por mim apontada seja levada em consideração. Devo, contudo, fazer uma crítica quanto ao uso do termo "metafísica" no artigo. No artigo, metafísica aparece quase como sinônimo de religião. Ora, a religião possui aspectos metafísicos, que muitas vezes seus arautos defendem, mas Metafísica vai muito além disto. Eu digo ainda que a Metafísica devia ser mais estudada, chegando ao ponto de substituir as religiões organizadas. A compreensão metafísica de Deus não tem nada a ver com as fantasias da teologia vigente. Em todo caso, Parabéns pela discussão!

[Sobre "Para que o Cristianismo?"]

por Eugênio Ribeiro
http://twitter.com/EugenioChristi
7/6/2010 às
10h15 187.27.124.208
(+) Eugênio Ribeiro no Digestivo...
 
Julio Daio Borges
Editor
mais comentários

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




REALIDADE REVISTA
JOSÉ CARLOS MARÃO E JOSÉ HAMILTON RIBEIRO
REALEJO
(2010)
R$ 38,00



SER E TEMPO - 10ª EDIÇÃO - VOLUME ÚNICO - COLEÇÃO PENSAMENTO HUMANO
MARTIN HEIDEGGER
VOZES
(2015)
R$ 107,95



DO MEU AO TEU CORAÇÃO
PE. PAULO HORNEAUX DE MOURA FILHO
ED. LOYOLA
R$ 5,00



O MUNDO EM QUE VIVEMOS - HISTÓRIA DA CIVILIZAÇÃO MUNDIAL
MAX SAVELLE
VILLA RICA
(1990)
R$ 38,00



A EUCARISTIA QUE CELEBRAMOS
PE. JOVIANO DE LIMA JUNIOR
PAULINAS
(1982)
R$ 10,00
+ frete grátis



O PROJETO PEDAGÓGICO ADMINISTRATIVO DA ESCOLA
JOSÉ GONSALES FILHO
PLÊIADE
(1998)
R$ 5,00



ESTATÍSTICA BÁSICA - DAVID BLACKWELL
DAVID BLACKWELL
MCGRAW HILL
(1974)
R$ 11,00



PLANEJAMENTO E CONTROLE VIA MSPROJECT 2007
ALMIR WIRTH LIMA JR.
ALTA BOOKS
(2008)
R$ 38,00



AQUELE BEIJO QUE EU TE DEI
LUÍS PIMENTEL
ANTARES
(1985)
R$ 9,00



BOCA DO INFERNO
ANA MIRANDA
COMPANHIA DAS LETRAS
(2000)
R$ 15,00





busca | avançada
74378 visitas/dia
2,1 milhões/mês