A arte assombrada | Pedro Maciel

busca | avançada
62566 visitas/dia
2,2 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Pauta: E-books de Suspense Grátis na Pandemia!
>>> Hugo França integra a mostra norte-americana “At The Noyes House”
>>> Sesc 24 de Maio apresenta programação de mágica para toda família
>>> Videoaulas On Demand abordam as relações do Homem com a natureza e a imagem
>>> Irene Ravache & Alma Despejada na programação online do Instituto Usiminas
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A pintura do caos, de Kate Manhães
>>> Nem morta!
>>> O pai tá on: um ano de paternidade
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - I
>>> Contentamento descontente: Niketche e poligamia
>>> Cinemateca, Cinemateca Brasileira nossa
>>> A desgraça de ser escritor
>>> Um nu “escandaloso” de Eduardo Sívori
>>> Um grande romance para leitores de... poesia
>>> Filmes de guerra, de outro jeito
Colunistas
Últimos Posts
>>> A última performance gravada de Jimmi Hendrix
>>> Sebo de Livros do Seu Odilon
>>> Sucharita Kodali no Fórum 2020
>>> Leitura e livros em pauta
>>> Soul Bossa Nova
>>> Andreessen Horowitz e o futuro dos Marketplaces
>>> Clair de lune, de Debussy, por Lang Lang
>>> Reid Hoffman sobre Marketplaces
>>> Frederico Trajano sobre a retomada
>>> Stock Pickers ao vivo na Expert 2020
Últimos Posts
>>> Três tempos
>>> Matéria subtil
>>> Poder & Tensão
>>> Deu branco
>>> Entre o corpo e a alma
>>> Amuleto
>>> Caracóis me mordam
>>> Nome borrado
>>> De Corpo e alma
>>> Lamentável lamento
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Um grande romance para leitores de... poesia
>>> Nos porões da ditadura
>>> É Julio mesmo, sem acento
>>> É Julio mesmo, sem acento
>>> O filósofo da contracultura
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> 20 de Agosto #digestivo10anos
>>> Filmes de guerra, de outro jeito
>>> Saints and Sinners
>>> Não há vagas? Então viva a informalidade!
Mais Recentes
>>> Sim, sim! Não, não! de Pe. Jonas Abib pela Canção Nova (2004)
>>> A mulher na janela de A.J. Finn pela Arqueiro (2018)
>>> Delacroix Escapa das Chamas. Um romance em 4 tempos. de Edson Aran pela Record (2009)
>>> Serena. Um Romance. de Ian McEwan pela Companhia Das Letras (2012)
>>> Oeuvres Complètes Tome II de Jean Genet pela Gallimard (1953)
>>> Oeuvres Complètes Tome II de Jean genet pela Gallimard (1953)
>>> Perspectivas da Tecnologia Educacional. de Organizador: João Batista Araújo e Oliveira pela Biblioteca Pioneira de Ciências Sociais (1977)
>>> Tales of Mystery and Imagination. (level 5) de Edgar Allan Poe pela Penguin Readers (2001)
>>> Runner, A Perseguição. de Patrick Lee pela Universo dos Livros (2016)
>>> Falando, lendo, escrevendo, português para estrangeiros de Gabriele Forst pela Pedagógica e universitária ltda (1989)
>>> Tributação dos Serviços de Comunicação de Walter Gazzano dos Santos Filho pela CenoFisco (2004)
>>> Temas de Direito Constitucional - Volume II de Luís Roberto Barroso pela Renovar (2003)
>>> Ritual da unção dos enfermos e sua assistência pastoral de Coordenador, Frei Alberto Beckhãuser pela Paulus (1999)
>>> Síntese de História de México de C. Gonzalez Blackaller Y L. Guevara Ramirez pela Herrero (1971)
>>> Um Certo Verão na Sicília. Uma história de amor. de Marlena de Blasi pela Objetiva (2009)
>>> Deus em questões de André Frossard pela Quadrante (1991)
>>> O diário de um mago de Paulo Coelho pela Klick (1990)
>>> Germinal. de Émile Zola pela Companhia Das Letras (2004)
>>> Espelho não mente de Shirley Souza pela Escala educacional (2008)
>>> Laços Eternos. de Zibia Gasparetto ditado pelo espírito Lucius. pela Vida E Consciência (2005)
>>> A vida secreta das árvores de Peter Wohllben pela Sextante (2017)
>>> Dez leis para ser feliz. Auto-estima de Augusto Cury pela Sextante (2008)
>>> As 25 leis bíblicas do sucesso de William Douglas e Rubens Teixeira pela Sextante (2012)
>>> A divina liturgia de São João Crisóstomo de Responsável: Reverendo Padre Gregório pela Arquidiocese de São Paulo (2007)
>>> Inteligência sócioemocional, a Formação de Mentes Brilhantes de Algusto Cury pela Ei (2013)
>>> Feed. Conexão Fatal. de M. T. Anderson pela Rocco (2007)
>>> Querido John. O que você faria com uma carta que mudasse tudo? de Nicholas Sparks pela Novo Conceito (2010)
>>> Baudolino. de Umberto Eco pela Record (2001)
>>> Perdas & Ganhos. de Lya Luft pela Record (2004)
>>> Hoje acordei gorda de Stella Florence pela Rocco (1999)
>>> Resposta certa de David Nicholls ; tradução de Claudio carina pela Intrínseca (2012)
>>> Evangelizemos o mundo de Osvald J. Smith pela O. S. Boyer (1974)
>>> Uma Casa em Flandres. de Michael Jenkins pela Best Seller (2001)
>>> A escolha de Elphame. de P. C. Cast pela Harlequim (2011)
>>> A segunda esposa. de Elizabeth Buchan pela Record (2009)
>>> Sem Dizer Adeus. de Penny Richards pela Best Seller (2003)
>>> Cinquenta tons mais escuros. de E. L. James pela Intrínseca (2012)
>>> Cinquenta tos de cinza. de E. L. James pela Intrínseca (2012)
>>> Lei de Responsabilidade Fiscal. Teoria, Jurispridência e mais de 150 questões. de Carlos Maurício Figueirêdo & Marcos Nóbrega pela Campus (2007)
>>> O caçador de pipas. de Khaled Hosseini pela Nova Fronteira (2005)
>>> À Moda da Casa da Amizade de Distrito 454 pela Rotary Clube (1990)
>>> A Bíblia. Um Diário de Leitura. de Luiz Paulo Horta pela Zahar Editores (2011)
>>> Histórias do Romantismo. de Vários, com seleção de Ivan Marques. pela Scipione (2014)
>>> Viva Feliz de G. C. Comunicações pela Original (2002)
>>> A Vida e o Sagrado Ensino Fundamental 9 de Amarildo Vieira de Souyza e Maria Aparecida Rocha pela Pax (2012)
>>> Uma Dose Mortal. Hercole Poirot. de Ágatha Christie pela Nova Fronteira (2018)
>>> As Cinco Estações do Corpo. de João Curvo & WalterTuche pela Rocco (2001)
>>> Profecias de Pietro Ubaldi pela Fundapu (1982)
>>> A Grande Síntese de Pietro Ubaldi pela Fundapu (1988)
>>> A Solução Está na Fé de Norman Vincent Peale & Smiley Blanton pela Record (1950)
ENSAIOS

Segunda-feira, 9/1/2006
A arte assombrada
Pedro Maciel

+ de 8600 Acessos
+ 1 Comentário(s)

“Para mim o mistério, o fantástico, existe no cotidiano e é um elemento que respiro com prazer. Adoro filmes de horror, de preferência vampiros. Só leio ficção científica e acredito firmemente na existência de outras dimensões e de infinitos universos paralelos. Acredito também que fadas, gnomos, anjos, demônios são todos habitantes de outras dimensões que atravessam a barreira e surgem no mesmo mundo. Eles deram origem aos nossos mitos ancestrais, o mito do anjo, o mito do demônio. Do bem e do mal”.

As palavras são de Farnese de Andrade, em depoimento inédito de 1976. A partir deste depoimento revelador, pode-se entender a obra e a história de vida do artista. Farnese de Andrade (1926-1996) passou a vida debatendo-se com fantasmas, sonhos e obsessões.

Os objetos do artista revelam os extremos da vida, como a fecundação, germinação, nascimento e morte. Desenhista, gravador, escultor e pintor, é também conhecido como um dos pioneiros da invenção de objetos no Brasil. Desde o início dos anos 60, o artista apropria-se de detritos encontrados em praias, restos de demolições, fragmentos de fotos, oratórios populares, ex-votos e gamelas para criar seus objetos.

O drama de Farnese de Andrade (Ed. CosacNaify), uma espécie de iluminista das sombras, passou-se entre os sentimentos de estranhamento e opressão em relação à religião, à família e à sexualidade. Acreditando ultrapassar o conteúdo da existência que teria quase se esvaído por obra de uma grande angústia, Farnese permaneceu, entretanto, preso ao passado e à sua biografia, a fim de restaurar o seu pensamento atormentado. Recria com as suas soturnas assemblages (obras criadas a partir da justaposição de objetos naturais ou fabricados) uma arqueologia existencial.

“Conheço pouca coisa mais triste do que os trabalhos de Farnese de Andrade”, anota Rodrigo Naves, no esclarecedor texto de apresentação do artista. E prossegue: “Essas cabeças de boneca arrancadas ao corpo lembram maldades da infância. As madeiras gastas de seus trabalhos guardam um tempo esponjoso, que se acumula sobre os ombros e nos paralisa os movimentos. As fotografias e imagens presas nos blocos de poliéster falam de um passado que nos inquieta, mas que não podemos remover ou processar, já que não mais nos pertence.”

Pode-se afirmar que a linguagem barroca de Farnese, além de recuperar as qualidades do ornamental e do cenográfico, busca revelar a essência do tempo. “Seus trabalhos, em vez de serem uma montagem de objetos e imagens, são na verdade uma colagem dos tempos, que, no entanto, tendem sempre a se instalar numa região do passado a que não teremos mais acesso. O mundo da infância, as proibições dos adultos, as interdições imemoriais se reúnem num só espaço, fundem-se, unificam-se de tal forma que jamais poderão ser desvendados. Resta sofrer. Remoer interminavelmente essas culpas sem expiação, essas faltas por que não somos responsáveis, mas que nos vergam sob seu peso”.

O mundo inconsciente, o acaso, os sentimentos afetivos, a religiosidade, e, principalmente, o tempo são matéria-prima de toda obra do artista. Não o tempo de Heráclito que, perplexo com o problema do tempo, pergunta: por que ninguém desce duas vezes o mesmo rio? E nem o tempo do poeta Boileau que diz que “o tempo passa no momento em que algo está longe de mim”.

O que se revela de forma surpreendente nesta obra é que Farnese viveu recolhendo sensações perdidas, memórias inconfessáveis ou coisas imaginadas para traduzir a nostalgia de outros mundos.

Nota do Editor
Texto gentilmente cedido pelo autor. Publicado originalmente em 13 de julho de 2002, no caderno “Idéias”, do Jornal do Brasil.

Para ir além






Pedro Maciel
Belo Horizonte, 9/1/2006

Mais Pedro Maciel
Mais Acessados de Pedro Maciel
01. Italo Calvino: descobridor do fantástico no real - 8/9/2003
02. A arte como destino do ser - 20/5/2002
03. Antônio Cícero: música e poesia - 9/2/2004
04. Imagens do Grande Sertão de Guimarães Rosa - 14/7/2003
05. Nadja, o romance onírico surreal - 10/3/2003


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
31/1/2006
09h35min
No assombro do autor, revejo o assombro do personagem-título, quanto ao existir, ao ser e às implicações a que isso nos leva. A aceitação da turbulência interior, expressa no processo criativo do artista enfocado, o teria levado a, durante toda a vida, expressar a densidade das sombras que o envolveram desde sempre, como um manto protetor. No processo deslumbrante de sua inadequação à vida comum, o personagem parece ter-se refugiado no místico e no fantástico – como, aliás, quase todos nós, por mais incrédulos que pareçamos ser...
[Leia outros Comentários de Elizabeth Castro]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




A ESTRATÉGIA DA SOCIEDADE DEMOCRÁTICA: O PODER, O ESTADO E A ADMI
LUCIANO MESQUITA
NÃO IDENTIFICADA (BRASILIA)
(1975)
R$ 26,28



RODRIGO ANDRADE
ALBERTO TASSINARI E TAISA PALHARES
COSACNAIFY
(2008)
R$ 27,00



208 MANEIRAS DE DEIXAR UM HOMEM LOUCO DE DESEJO
MARGOT SAINT - LOUP
EDIOURO
(1999)
R$ 12,00



COMPAIXÃO - 1ª EDIÇÃO
OSHO
CULTRIX
(2007)
R$ 26,95



ARTHUR E A GUERRA DOS DOIS MUNDOS
LUC BESSON
MARTINS FONTES
(2007)
R$ 22,00



LIVRO UPGRADE 2
RICHMOND
RICHMOND
R$ 107,92



O MUNDO ANTES DO DILÚVIO 5842
MÁRIO GRACIOTTI
CLUBE DO LIVRO
(1962)
R$ 50,00



OS SETE DONS DO ESPIRITO E AS VIRTUDES DA FÉ
JOSÉ CARLOS PEREIRA
SANTUARIO
(2010)
R$ 6,90



HISTÓRIAS DE VIDA
HELENA GOMES ORGANIZADORA
UNIMONTE
(2010)
R$ 11,00



LITTLE MAN
LOUISA M. ALCOTT
PUFFIN CLASSICS
(1994)
R$ 9,80





busca | avançada
62566 visitas/dia
2,2 milhões/mês