Fantasmas do antigo Recife | Guilherme Conte | Digestivo Cultural

busca | avançada
43291 visitas/dia
947 mil/mês
Mais Recentes
>>> Alex Flemming inaugura intervenção "Anaconda" na Casa-Museu Ema Klabin
>>> Fundação Ema Klabin abre Festival Internacional de Música Judaica
>>> Projeto Jardim Imaginário inaugura a instalação "Penetra" de Marcius Galan
>>> Silibrina é uma das bandas brasileiras selecionadas para o SXSW
>>> Chapel Art Show comemora 50 anos e homenageia German Lorca
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A poesia afiada de Thais Guimarães
>>> Manchester à beira-mar, um filme para se guardar
>>> Noel Rosa
>>> Sabemos pensar o diferente?
>>> Notas de leitura sobre Inácio, de Lúcio Cardoso
>>> O jornalismo cultural na era das mídias sociais
>>> Crítica/Cinema: entrevista com José Geraldo Couto
>>> O Wunderteam
>>> Fake news, passado e futuro
>>> Luz sob ossos e sucata: a poesia de Tarso de Melo
Colunistas
Últimos Posts
>>> Jeff Bezos é o mais rico
>>> Stayin' Alive 2017
>>> Mehmari e os 75 anos de Gil
>>> Cornell e o Alice Mudgarden
>>> Leve um Livro e Sarau Leve
>>> Pulga na praça
>>> No Metrópolis, da TV Cultura
>>> Fórum de revisores de textos
>>> Temporada 3 Leve um Livro
>>> Suplemento Literário 50 anos
Últimos Posts
>>> Vegetativo
>>> Açaí com granola
>>> Em suspenso
>>> Nesse mundo de anjos e demônios
>>> A lâmpada
>>> Irredentismo
>>> Tabela periódica
>>> Insone
>>> Entre Súcubos e Íncubos
>>> Aonde eu quero chegar
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Estrangeirismos, empréstimos ou neocolonialismo?
>>> Verão Poesia Internacional BH
>>> Felicidade: reflexões de Eduardo Giannetti
>>> O grande livro do jornalismo
>>> Olga e a história que não deve ser esquecida
>>> Tectônicas por Georgia Kyriakakis
>>> Crítica à arte contemporânea
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Bambodansarna
>>> Sobre Caramujos
Mais Recentes
>>> A arte da Guerra - Os treze capítulos - 2ª ed.
>>> Sua Eminência o Cardeal Dom Lucas Moreira Neves
>>> A Princesa Vermelha
>>> As Ilusões Armadas: A Ditadura Envergonhada - Vol. 01
>>> Estudos sobre os Lusíadas////Estudos da Língua Portuguesa
>>> As Ilusões Armadas: A Ditadura Escancarada - Vol. 02
>>> Hamlet
>>> Fedro
>>> Número Zero
>>> Roma Antiga - De Rômulo a Justiniano. Convencional
>>> Essencial Franz Kafka
>>> The Communist Manisfesto And Other Writings
>>> Harlequin (The Grail Quest) Vol. 01
>>> Nova Visão em Ortodontia-Ortopedia Facial
>>> Sociologia - Introdução à ciência da sociedade (4ª ed.)
>>> Diagnostico,Planejamento e Condutas Clinicas na Técnica Ortodôntica
>>> The Child With Traumatic Brain Injury Or Cerebral Palsy
>>> Teoria Geral do Estado
>>> Roteiro para Mídia Eletrônica - TV, rádio, animação e treinamento corporativo
>>> The Art of The Advocate
>>> O Problema da Obediência em Hobbes
>>> Mitos e Mitologias Políticas
>>> 1946 - Le Droit Mis en Scéne
>>> Enfermagem em Cardiologia
>>> Fundamentos de Dentistica Operatoria
>>> Saude EM Contingencia Com Prudutos Quimicos
>>> O medo de Montalbano
>>> Pátria de Histórias Bahia prosa e poesia
>>> Torrentes Espirituais
>>> Azincourt
>>> A Sarsa de Horeb ou o Mistério da Serpente
>>> Homem e Mulher A Integração como caminho de desenvolvimento
>>> Terra à vista. Histórias de náufragos da Era dos Descobrimentos
>>> A Voz íntima do Amor
>>> Desenho Arquitetônico 2ª ed.
>>> Morar Só - Uma opção de vida
>>> Homens Maus Fazem o que Homens Bons Sonhas
>>> Cidades Historias Mutações Desafios
>>> Sonetos escolhidos 1992-1996 Espelho Partido
>>> Pré-Suasão
>>> Como Identificar um Psicopata
>>> Manual de Persuasão do FBI
>>> A Grande Arte
>>> Jim George ( um jovem segundo o coração de Deus )
>>> Philip yancey ( oracao ela faz alguma diferença? )
>>> Deus, a Liberdade e o Mal
>>> Zeca e o pequeno dinossauro voador
>>> Francisco de Sales - Um Mestre de Espiritualidade
>>> Meninos sem Pátria - Série Vaga-lume
>>> Novíssimo Aulete Dicionário Contemporâneo da Língua Portuguesa
COLUNAS

Quarta-feira, 31/8/2005
Fantasmas do antigo Recife
Guilherme Conte

+ de 9600 Acessos
+ 1 Comentário(s)

Se é válida a definição de que o teatro é a arte de contar histórias, Assombrações do Recife Velho é exemplo do que há de melhor nessa difícil seara. Sem dúvida um dos grandes espetáculos do ano.

A peça marca a inauguração do Espaço Cultural Dna. Julieta Sohn - Casarão do Belvedere, um antigo casarão tombado, encravado no coração do bairro do Bixiga. É o terceiro trabalho da companhia Os Fofos Encenam (os outros dois, Deus sabia de tudo e não fez nada e A mulher do trem voltam aos palcos em outubro, em mostra).

É uma livre adaptação - acrescida por histórias colhidas pelo autor - do livro homônimo (1955) do sociólogo Gilberto Freyre, assinada e dirigida pelo pernambucano Newton Moreno. Esse fato por si só já seria suficiente para abrir os olhos a este espetáculo: Moreno é o autor da belíssima Agreste, uma das peças mais aclamadas dos últimos tempos por aqui.

O universo da peça evoca as mesmas raízes nordestinas de Agreste. Aqui temos um Pernambuco profundamente marcado pela colonização holandesa. É o chão de Ariano Suassuna, de Miguel Arraes. Histórias ingênuas, sinceras: o Boca-de-Ouro; o Papa-Figo; filhos que voltam para visitar suas casas; um finado marido que insiste em visitar sua viúva; Dona Benvinda, que morreu três vezes, "a morta-viva que virou celebridade".

Assombrações, por outro lado, fundamenta-se em uma estrutura diferente: é uma coletânea de histórias de fantasmas do antigo Recife. Alterna gargalhadas fáceis com momentos de profunda emoção, além de um arrepiante maracatu. É uma grande poesia, um espetáculo que não se quer que acabe.

No início somos convidados a acompanhar os personagens aos fundos do casarão. Lá "proseamos" e ouvimos histórias, esperando a "festa". E entramos. Um universo mágico abraça o público, o envolve e encanta. As duas horas passam voando.

O elenco é absolutamente impecável. Os personagens desfilam numa galeria fascinante. Em nenhum momento sequer os atores perdem o pé. Lembra o trabalho do excelente grupo LUME, da UNICAMP, que passou por aqui em ótima mostra, em julho, no SESC Belenzinho. Menção também aos belos figurinos, de época, criados por Leopoldo Pacheco e Carol Badra.

Vale ficar atento, uma vez que são só 25 lugares por apresentação. Só o casarão já valeria a visita. Imperdível.

Para ir além
Assombrações do Recife Velho - Casarão do Belvedere - Rua Pedroso, 267 - Bela Vista - Quinta à sábado, 21h; domingo, 19h - R$ 10,00 - (11) 3842-5522 - Até 13/11.

Leituras de um clássico, além dos moinhos

Em meio às comemorações dos 400 anos do primeiro livro de Dom Quixote, de Miguel de Cervantes, o público paulistano tem a chance de conhecer duas boas leituras bem distintas, dessa que é a segunda obra mais traduzida no mundo. A primeira é a Bíblia.

Muito engraçado é Quixote, o monólogo estrelado e concebido por Carlos Moreno, o imortal garoto Bombril, em cartaz no Teatro Folha. Fábio Namatame é responsável pela direção, cenografia, figurino e co-assina o texto. É uma reestréia: a original estreou por aqui em 2000. Mais sintética, no sentido de percorrer a obra completa, o caminho que segue, com muita eficiência, é o humor.

Moreno: o riso como transformação

O começo da montagem já é inusitado: Moreno recebe, "entre o segundo e o terceiro sinal", o público que ainda está entrando. Numa cadeira, lê o jornal e discute com a platéia sobre as notícias do dia, atualidades, o tempo. Na conversa constrói uma ponte para discutir a função do teatro e sobre a obra.

"O fundamental é ter na transformação da realidade, tornar o mundo um lugar melhor para se viver", diz Moreno. "Quixote olhava para as coisas e via outras, e o teatro é um pouco isso", continua. "É um universo infinito de realidades que podemos criar. É por isso que faço teatro. É o que sei fazer para tentar melhorar o mundo."

O que salta aos olhos é a extrema versatilidade de Moreno. A naturalidade com que passa de um personagem a outro (destaque para uma impagável Maritornes, criada da estalagem que Quixote achou que era um castelo) faz parecer que é fácil. Mérito só atingido por grandes atores. Sua empatia para com a platéia é imediata - herança dos tempos de "1001 utilidades". É de um carisma sincero, inevitável.

A tônica do espetáculo é o olhar de Quixote e sua obstinação. Esse olhar de mutação, que se recusa a ver as coisas tais quais como são. O poder da imaginação ganha em Cervantes lugar de honra e a montagem é extremamente respeitosa a esse ponto. O humor como transformação.

Em uma leitura completamente diversa, muito mais filosófico-reflexiva, é que se sustenta A Sombra de Quixote, criação da Casa Laboratório para as Artes do Teatro São Paulo - Pontedera. A peça tem dramaturgia do italiano Stefano Geraci, direção de Cacá Carvalho e co-direção de Roberto Bacci. Segue em cartaz até outubro em um dos galpões do SESC Belenzinho.

Partindo da metáfora da sombra - que rende um belo jogo de luzes no início -, a peça discute a relação da ilusão e da realidade. Vivemos aprisionados em uma armadura. Um dia, maduros, a deixamos e nos encantamos eternamente. A essência de Cervantes por um viés marcadamente poético.

A Sombra de Quixote: reflexão filosófica

A montagem é fruto de um intenso trabalho de pesquisa capitaneado pelo talentoso Cacá Carvalho (do memorável monólogo A poltrona escura, mergulho de cabeça no universo de Luigi Pirandello) e pelos italianos da Pontedera. A opção do recorte, sem a pretensão de dar, de uma forma ou de outra, conta da totalidade da obra, foi um acerto: flui naturalmente, não se perde.

O elenco, jovem, é irregular; a impressão é que falta maturidade para um trabalho de tal envergadura. Mas dois atores saltam aos olhos: Emerson Ribeiro faz um Quixote ensandecido, que convence. Seu biotipo, inclusive, é mais condizente com o papel que o de Moreno. O dono do palco, porém, é Leonardo Ventura, impagável como Sancho Pança. É um grande ator, imediato destaque.

Destaque também para o cuidado visual. A armadura de Quixote, feita de latas (ervilha, óleo etc.), é ótima. O cenário é sóbrio e faz interessante contraste com os panos e cores, principalmente nos belos momentos de dança.

Integra a Mostra SESC de Artes Mediterrâneo. Um espetáculo bom, muito interessante, mas ainda a amadurecer. Ademais, é uma bela homenagem aos 400 anos de Quixote.

Para ir além
Quixote - Teatro Folha / Shopping Pátio Higienópolis - Av. Higienópolis, 618, piso 2 - Higienópolis - Quarta e quinta, 21h - R$ 14,00 - (11) 3823-2323 - Até 15/09.

A Sombra de Quixote - SESC Belenzinho / Galpão 2 - Av. Álvaro Ramos, 915 - Belenzinho - Sexta a domingo, 21h - R$ 15,00 - (11) 6602-3700 - Até 09/10.

Notas

* O Grupo Tapa reestréia amanhã, 1º de setembro, a ótima montagem de Major Bárbara, genial peça do irlandês Bernard Shaw. Mas fique esperto: é curtíssima temporada - até 11/09 - no teatro Artur Azevedo (Av. Paes de Barros, 955, Mooca/ Quinta à sábado, 21h; domingo, 19h; R$ 10,00). Em 2001 ela levou, entre outros prêmios, os APCA de melhor diretor, para Eduardo Tolentino, e de melhor ator para o brilhante Zecarlos Machado. Veemente recomendação deste colunista.

* Hoje começa no Instituto Cultural Capobianco (quartas, 21h - confira a programação completa no site) o Projeto Quarto de Pensão, coordenado pelo ator/diretor/autor/tradutor Vadim Nikitin. A idéia é interessante: o processo de criação de um espetáculo, aberto ao público. Além dos ensaios - Subterrâneo (ou 2497 Rublos & Meio), baseada em conto de Fiódor Dostoiévski - haverá palestras com gente do calibre de Zé Celso Martinez Corrêa e Boris Schneiderman. Tarimbado, Nikitin traduziu recentemente obras de Dostoiévski para a Editora 34 (inclusive o volume que traz Sonho de um homem ridículo, cuja montagem está em cartaz no mesmo Instituto). Promete.


Guilherme Conte
São Paulo, 31/8/2005


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Viena expõe obra radical de Egon Schiele de Jardel Dias Cavalcanti
02. Notas confessionais de um angustiado (IV) de Cassionei Niches Petry
03. Suspense, Crimes ... e Livros! de Ricardo de Mattos
04. Um mundo além do óbvio de Elisa Andrade Buzzo
05. Festival Chaves no Centro Cultural Vergueiro de Tatiana Cavalcanti


Mais Guilherme Conte
Mais Acessadas de Guilherme Conte em 2005
01. Fantasmas do antigo Recife - 31/8/2005
02. Crônicas de solidão urbana - 30/6/2005
03. Um rio para lavar a dor - 12/10/2005
04. Sobre o gênio que é Harold Pinter - 26/10/2005
05. Rindo de nossa própria miséria - 21/9/2005


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
1/9/2005
09h24min
Caro Guilherme Conte, percebo que, a cada dia, suas críticas estão mais encorpadas e reflexivas. Julgo que isso é fruto não apenas de um talento natural, mas também de um esmerado esforço em se debruçar, com afinco e cuidado, sobre a cena teatral paulistana. Parabéns. Abraços e a estima de Rodrigo Antonio.
[Leia outros Comentários de Rodrigo Antonio]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




OPEN SOURVE LICENSING SOFTWARE FREEDOM AND INTELLECTUAL PROPERTY LAW
LAWRENCE ROSEN
PRENTICE HALL
(2005)
R$ 50,00



COACHING DE CARREIRA
JOSÉ ROBERTO MARQUES
SER MAIS
R$ 34,95
+ frete grátis



UMA CURA PARA MEU FILHO
RUPERT ISAACSON
FONTAMAR
R$ 35,00



COLEÇÃO OBJETIVO: FÍSICA 4 VOLUMES
EDUARDO FIGUEIREDO E RONALDO FOGO E CAIO SÉRGIO V. CALÇADA E RICARDO HELOU DOCA
CERED
R$ 40,00



PROGRAMANDO PARA PROCESSADORES PARALELOS
DAVID B. KIRK
CAMPUS
(2011)
R$ 12,50



NISE. ARQUEÓLOGA DOS MARES
BERNARDO CARNEIRO HORTA
AEROPLANO
(2009)
R$ 250,00



FEIRA DE VERSOS - PARA GOSTAR DE LER (VOL. 36)
JOÃO MELQUÍADES F. DA SILVA, LEANDRO GOMES DE BARROS E PATATIVA DO ASSARÉ
ÁTICA
(2011)
R$ 12,00



INTRODUÇÃO CRÍTICA AO CONHECIMENTO
FRANCISCO LUIZ GARCIA
PAPIRUS
(1988)
R$ 12,00



EL MÉTODO DE LAS ACCIONES FISICAS - CONSTANTIN STANISLAVSKI
CONSTANTIN STANISLAVSKI
EDITORIAL PUEBLO Y EDUCACIÓN - CUBA
(1983)
R$ 28,00



ULYSSES
JAMES JOYCE
PENGUIN COMPANHIA
(2012)
R$ 45,00





busca | avançada
43291 visitas/dia
947 mil/mês