Inutilidades e pianos | Ana Elisa Ribeiro | Digestivo Cultural

busca | avançada
65765 visitas/dia
1,5 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Brasilianas.org recebe o Ministro da Educação Renato Janine Ribeiro
>>> Partituras lança ferramenta de manipulação de áudio para episódio especial
>>> Papo de Mãe discute o fenômeno da "geração ganguru" na TV Brasil
>>> Michel Melamed fala sobre filme rodado em Nova York neste sábado (29) na TV Brasil
>>> Ética no cotidiano pauta debate no programa Café Filosófico deste sábado (29)
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Pantanal
>>> Por que a discussão política tem de evoluir
>>> Não olhe para trás (ou melhor, olhe sim)
>>> Fake-Fuck-Fotos do Face
>>> Silêncio
>>> Dando conta de Minas
>>> Em noite de lua azul
>>> O poeta, a pedra e o caminho
>>> O testemunho de Bernanos
>>> George Orwell e o alerta contra o totalitarismo
Colunistas
Últimos Posts
>>> 16 de Agosto
>>> Elvis 2015
>>> Eugênio Christi
>>> Nosso Primeiro Periscope
>>> Monica Cotrim
>>> Solange Rebuzzi
>>> Aden Leonardo Camargos
>>> Helena Seger
>>> Camila Oliveira Santos
>>> Cassionei Niches Petry
Últimos Posts
>>> DÍZIMA PERIÓDICA
>>> Um poeta e três esposas
>>> Um poeta e três esposas
>>> Continuísmo - A Praga Maior
>>> É para ter medo de Virginia Woolf
>>> Por que o Lula Inflado incomoda tanto
>>> Monumento a Noël Rosa
>>> SUPERLUA
>>> A grandiosa máquina em busca do êxito
>>> Trilogia de um texto só
Blogueiros
Mais Recentes
>>> 50 Contos e 3 Novelas de Sérgio Sant'Anna
>>> O caminho rumo ao som e a fúria
>>> Rimbaud, biografia do poeta maldito
>>> Hoje a festa é nossa
>>> Babenco traz sua visão do país Carandiru
>>> O fundamentalismo headbanger
>>> Corpo é matéria, corpo é sociedade, corpo é ideia
>>> Um thriller desengonçado: A máscara de Atreu
>>> O melhor nacional do ano
>>> Um Bonde Chamado Desejo
Mais Recentes
>>> O Visconde Que Me Amava
>>> Os Evangelhos: Jesus Cristo
>>> MBA Curso Prático de Marketing
>>> Freakonomics o lado oculto e inesperado de tudo que nos afeta
>>> 1001 dicas e conselhos úteis para melhor usar seu computador: um guia práticopara aproveitar todas as possibilidades do seu PC e da internet
>>> Nadando para o século XXI
>>> O amor é mais um labirinto
>>> O Barroco no Brasil
>>> Evandro Carneiro Esculturas
>>> Stores of the year / 7
>>> Os mais belos castelos e fortalezas de Portugal
>>> Jogos sem Regras Game Without Rules
>>> Santiago de Compostela Os 8 portais do caminhos
>>> Museu Imperial
>>> Spanish Style
>>> Candido Portinari 1903-1962
>>> Larousse Encyclopedia of Byzantine and Medieval Art
>>> A América Latina de colonização espanhola
>>> Leilão de novembro de 2006 Pequena História da Arte Moderna e Cont...
>>> Educando os educadores em turismo: manual de educação em Turismo e Hospitalidade
>>> Exposição Vista Alegre Porcelana Portuguesa testemunho da História
>>> A pintura depois do quadro
>>> O ADVOGADO
>>> O CORRETOR
>>> O RELATÓRIO DA CIA - COMO SERÁ O MUNDO EM 2020
>>> À ESPERA DE UM MILAGRE
>>> O FIM DA INFÂNCIA
>>> MERLIM, O MAGO
>>> AS PROFECIAS MAIAS
>>> A VERDADE SOBRE OS INCAS
>>> HISTÓRIA DA AMÉRICA LATINA - VOL. 1 - AMÉRICA LATINA COLONIAL
>>> APRENDER ANTROPOLOGIA
>>> CURSO DE FILOSOFIA - VOL 2
>>> CURSO DE FILOSOFIA - VOL. 1
>>> OLIVRO DAS RELIGIÕES
>>> O IMPÉRIO AMERICANO -HEGEMONIA OU SOBREVIVÊNCIA
>>> HISTÓRIA SOCIAL DA ARTE E DA LITERATURA
>>> HISTÓRIA MEDIEVAL DA PENINSULA IBÉRICA
>>> HISTÓRIA E VERDADE
>>> O ENIGMA DOS MAIAS
>>> INTRODUÇÃO À HISTÓRIA COMTEPORÂNEA
>>> O NOVO SÉCULO
>>> CAMELOT - OS ANOS KENNEDY
>>> HISTÓRIA RURAL MEDIAEVAL
>>> A CIVILIZAÇÃO MAIA
>>> PREPARE SEUS FILHOS PARA O FUTURO
>>> CARTAS DA ZONA DE GUERRA
>>> A RELIGIÃO DO TERCEIRO MILÊNIO
>>> OPERAÇÃO CAVALO DE TRÓIA 4
>>> OPERAÇÃO CAVALO DE TRÓIA 3
COLUNAS

Quarta-feira, 16/8/2006
Inutilidades e pianos
Ana Elisa Ribeiro

+ de 1900 Acessos
+ 1 Comentário(s)

Tia Lígia

Minha melhor amiga tem uma tia chamada Lígia. A tia Lígia é esposa de um desses caras que passaram a vida se mudando de cidade, de estado, por causa do emprego. Não sei se é funcionário público, do tipo auditor da Receita. Ou se é gerente de banco. Não sei. Mas o cara vivia pulando de galho em galho e a tia Lígia ia atrás. Do mesmo jeito que ela mal conseguia esquentar o assento, ela tinha lá suas mordomias. O empregão do maridão valia as penas previstas. Quando se casou, tia Lígia não sabia que seria assim, tão nômade, mas bem que gostava de ter grana de sobra, fazer boas viagens, ter bons casacos e criar os dois pimpolhos, nascidos entre uma estrada e outra, com mimos de mamãe ricaça.

Tia Lígia nem era muito apegada a nada. Era um transtorno fazer mudança, tirar menino da escola, matricular de novo, arrumar novos amigos para jogar buraco, essas coisas. Mas o maior problema de tia Lígia era o piano. Aquela coisa enorme pra lá e pra cá. E tia Lígia não largava a mão.

O trambolho carcomido por cupins estetas, o diabo do piano que ela punha na sala de toda casa em que morava. Mandava trazer o piano, depois mandava chamar o afinador de pianos, que cobrava uma fortuna. Mas tia Lígia não abria mão do piano. Ele tinha que ser o cenário de toda sala de estar em que tia Lígia morava. O mais interessante, no entanto, era que ninguém em casa, nem tia Lígia, sabia tocar piano.

Antônio

Eu tenho uma amiga casada há muitos anos. Ela é loura, magra, dos olhos tão azuis que deixam a gente cego. Os olhos dela parecem sempre bem cedo. Ela é professora e tem uma fala muito mansa.

A Áurea, minha amiga, é esposa do Antônio, que também é professor, só que de outro lugar. O Antônio teve uma vida difícil, cheia de arritmos que ele não deixou que se metessem nos planos dele. Antônio estudou, trabalhou, casou com a Áurea e teve dois filhos.

A infância do Antônio foi complicada. O pai saiu, a mãe desistiu, a avó reagiu como podia. Antônio cresceu, leu, escreveu e virou professor. Comprou um lote, construiu uma casa e expandiu os planos. Criou os meninos e mudou de vida, junto com a Áurea. Mas embora tudo isso pareça muito evoluído, tem uma coisa que Antônio não saciou na vida: a vontade de tocar piano.

Aquele instrumento grande, bonito e imponente lhe parecia uma jóia de fazer música. O som do piano e os pedais davam em Antônio uma paixão diferente. E bem que Antônio tentou. Insistiu, pediu, sugeriu, insinuou. Queria aprender a tocar piano. Mesmo com toda aquela agenda: "tocar piano bem leva 15 anos". Tempo não era problema para Antônio, ele era vivo que nem gente.

Antônio não desistia. Queria tocar. Não precisava nem dizer outra coisa. Não servia. O piano era o instrumento de cordas mais bonito do mundo. Até que um dia Antônio resolveu pedir. Atravessou, um dia, o caminho da avó e disse, com todas as notas: quero um piano. A avó sorriu. Teve uns dias para pensar. Todo corredor da casa era esconderijo. Antônio sonhava acordado, já tinha planos até de onde pôr o piano. A avó pensava e sofria. Onde já se viu? Um piano no meio da casa? Casa pequena, quarto, sala, banheiro. Onde enfiar um piano? Bobagem de menino que não sabe de nada. Antônio não teria tempo nem dinheiro para ter aulas de piano. Fazer o quê com aquele elefante branco?

Mas Antônio não desistiu. Pediu mais uma vez. Quero muito um piano. E a avó pensou em sanar o problema. Pôs Antônio na aula de datilografia.

Ana

Minha infância foi cheia de instrumentos musicais. O pai tinha o sonho de tocar teclados eletrônicos. Achava lindo. Piano não, porque demora demais a virar pianista, mas teclado é diferente, mais prático, mais rápido. E ler partitura? Era quase um segredo. Até que um dia o pai entrou numa escola de música. Aprendeu muito. Comprou teclado, modelo novo, teclado de móvel ou portátil. A casa cheia de música.

O irmão tocava flauta. Diz a mãe que flauta doce é o instrumento ideal para criança. Musicalização. Solfejo. Sabe solfejar. Daí eu também quis. O curso era o Leila Fletcher. Piano. Eu pedi uma guitarra, mas ganhei o curso de piano.

A professora ensinava a ler partitura e a entender arranjos. Também espetava meus pulsos quando eu os deixava caídos sobre as teclas. Piano é bonito, não posso negar. Mas o piano não era a minha praia. Pedi a guitarra.

Depois veio o professor de violão. Mas como é que eu ia aprender a tocar "Atirei o pau no gato"? Queria tocar muito em dois meses. Ansiedade, calos, cortes, cordas. Foi-se o violão. Mais tarde veio a bateria. Queria tocar Rush em um mês. Pudera. Ninguém quer que um adolescente ganhe uma bateria. Fiquei assim, treinando no colchão da cama, sujeita a batucar nas panelas. Nem isso.

De repente, o clique. O melhor instrumento é aquele que já nasce comigo. Então veio o canto. Esse, sim, atravessou as vontades todas da família. Cantar é bonito, mais do que piano. Um por um, todos juntos, e teríamos formado uma banda, cada um com seus sonhos musicais de infância.


Ana Elisa Ribeiro
Belo Horizonte, 16/8/2006

Quem leu este, também leu esse(s):
01. Gerald Thomas: cidadão do mundo (parte final) de Jardel Dias Cavalcanti
02. Zizitinho Foi Para o Céu de Marilia Mota Silva
03. Viagem a 1968: Tropeços e Desventuras (3) de Marilia Mota Silva
04. Repensando a esquerda de Celso A. Uequed Pitol
05. Almoços com C.S. Lewis de Celso A. Uequed Pitol


Mais Ana Elisa Ribeiro
Mais Acessadas de Ana Elisa Ribeiro em 2006
01. Digite seu nome no Google - 8/3/2006
02. Eu não uso brincos - 27/9/2006
03. Não quero encontrar você no Orkut - 8/2/2006
04. Poesia para os ouvidos e futebol de perebas - 7/6/2006
05. Sobre cafés e diversão 0800 - 11/1/2006


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
17/8/2006
17h38min
ana elisa, muito legal! gostei mais da parte romanceada do que da verdadeira. estou curiosa para ver o que o antonio vai achar dessa mistura. eu gostei muito também de você ter colocado que eu sou magra e espero que seja parte do que é real e não do romanceado...
[Leia outros Comentários de Áurea]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS


AMOR ATÉ DEBAIXO D'ÁGUA
TORRE DEROCHE

De R$ 39,00
Por R$ 19,50
50% off
+ frete grátis



FOLHAS DE RELVA
WALT WHITMAN

De R$ 65,00
Por R$ 32,50
50% off
+ frete grátis



O MUNDO DE WALLY
MARSHA BOULTON

De R$ 32,00
Por R$ 16,00
50% off
+ frete grátis



DO SUBLIME
LONGINO

De R$ 34,60
Por R$ 17,30
50% off
+ frete grátis



BRANCA DE NEVE E O CAÇADOR
LILLY BLAKE

De R$ 34,90
Por R$ 17,45
50% off
+ frete grátis



ADOBE DREAMWEAVER CS5
ADOBE CREATIVE TEAM

De R$ 148,35
Por R$ 74,18
50% off
+ frete grátis



ONDE O ESPORTE SE REINVENTA
BRUNO CHIARIONI E MÁRCIO KROEHN

De R$ 49,90
Por R$ 24,95
50% off
+ frete grátis



DO POVO PARA O POVO
ROGER OSBORNE

De R$ 60,00
Por R$ 30,00
50% off
+ frete grátis



DESCASQUE SEU ABACAXI
BRIAN TRACY

De R$ 32,00
Por R$ 16,00
50% off
+ frete grátis



FOI ELE QUE COMEÇOU, MÃE!
SACHA BAVEYSTOCK

De R$ 29,90
Por R$ 14,95
50% off
+ frete grátis



busca | avançada
65765 visitas/dia
1,5 milhão/mês