Inutilidades e pianos | Ana Elisa Ribeiro | Digestivo Cultural

busca | avançada
25951 visitas/dia
949 mil/mês
Mais Recentes
>>> RECIFE GANHA APLICATIVO QUE TRAÇA PERCURSO LITERÁRIO DA CIDADE
>>> Padrões nas formas de morrer revelam as identidades da vida humana
>>> Diálogo Brasil estreia com entrevista do paratleta Leomon Moreno nesta terça (23) na TV Brasil
>>> LANÇAMENTO: CHINÊS MANDARIM EM 30 DIAS + CD
>>> LANÇAMENTO: POR UMA SIMPLICIDADE FELIZ
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Sobre os três primeiros romances de Lúcio Cardoso
>>> Meu querido mendigo
>>> Na hora do batismo
>>> Simone Weil no palco: pergunta em forma de vida
>>> Existe na cidade alguém, assim como você...
>>> Eleições nos Estados Unidos
>>> Os dinossauros resistem, poesia de André L Pinto
>>> A que ponto chegamos, EUA!
>>> Caiu na rede, virou social
>>> Fragmentos de Leituras e Sentido
Colunistas
Últimos Posts
>>> Lançamento e workshop em BH
>>> Reid Hoffman por Tim Ferriss
>>> Software Programs the World
>>> Daphne Koller do Coursera
>>> The Sharing Economy
>>> Kevin Kelly por Tim Ferriss
>>> Deepak Chopra Speaker Series
>>> Nick Denton sobre Peter Thiel
>>> Bill & Melinda Gates #Code2016
>>> Elon Musk Code Conference 2016
Últimos Posts
>>> Ray-Banless
>>> Primeiro Debate dos Candidatos à Prefeitura
>>> Sem palavras
>>> Contrariando os pessimistas
>>> Fervura
>>> Sobre o Encerramento das Olimpíadas do Rio em 2016
>>> Raízes
>>> Na tessitura da toalha
>>> Sólidos momentos
>>> The enneathlon
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Suspense, Crimes ... e Livros!
>>> Entrevista com o poeta Júlio Castañon Guimarães
>>> O medo como tática em disputa eleitoral
>>> O Oratório de Natal, de J. S. Bach
>>> Um certo tom musical
>>> O escandaloso blog de poesia de Maria Bethânia
>>> 6 anos esta noite
>>> Vida e morte do Correio da Manhã
>>> Nick Denton sobre Peter Thiel
>>> Tempo por todos os lados
Mais Recentes
>>> Kit EMEP - Escala de Maturidade para Escolha Profissional
>>> Universidade Nova - Textos críticos e esperançosos
>>> A Quarta Missão da Universidade - Internacionalização Universitária na Sociedade do Conhecimento
>>> Um Teatro Fora do Eixo - Fernando Peixoto
>>> Orientação Vocacional - a Estratégia Clínica
>>> Psicologia,Organizações e Trabalh
>>> A Mulher no Teatro Brasileiro
>>> Censores de Pincenê e Gravata - Dois momentos da censura teatral no Brasil
>>> Memória ABRACE I - Anais do I Congresso Brasileiro de Pesquisa Pós-Graduação em Artes Cênicas
>>> As Quarenta Questões Sobre a Alma
>>> A Aurora Nascente
>>> A Revolução Neurotecnológica
>>> Arte, Neurociência e Transcendência
>>> Os Exilados da Capela
>>> Narrativa, Identidade e Clínica
>>> Salvador Em Preto e Branco
>>> A Constituição Penal
>>> Manual do Candidato às Eleições
>>> Identidade Frota - A Estrela e a Escuridao 5.0
>>> A semântica do intangível
>>> O Vampiro Cearense
>>> Novos Desafios do Direito do Trabalho
>>> Neoterrorismo: Reflexões e Glossário
>>> Direitos Humanos e Questão Social Na América Latina
>>> Carlos Nejar: Poeta da Condição Humana
>>> A Metrópole e o Interior Fluminenses
>>> Violências nas escolas
>>> Serviço social, Religião e Movimentos Sociais no Brasil
>>> Rio de Janeiro: um olhar socioespacial
>>> Revisitando o território fluminense III
>>> O Militar e a Ciência no Brasil
>>> Brasil 1999-2010 Década de Transformações
>>> Brasil - Índia - África do Sul
>>> Autodeterminação, sua dimensão territorial e direitos humanos
>>> He Calvary Road
>>> Are You Stone Deaf.... Rediscovering God?
>>> The Imitation of Christ
>>> C. T. Studd Cricketer Pioneer
>>> An Autobiography
>>> The Messiah - An Oratório
>>> Elijah An Oratório - Op. 70.
>>> Tortured For Christ
>>> Sketches From Church History - First Edition
>>> Creative Hospitality
>>> Estudos Sobre o Livro de Levítico
>>> Estudos Sobre o Livro de Números
>>> A Spy For God
>>> When Iron Gates Yield
>>> Os Cânticos dos Degraus-Meditações Sobre os Estágios do Crescimento Espiritual
>>> Via Pulchritudinis- O Caminho da Beleza
COLUNAS

Quarta-feira, 16/8/2006
Inutilidades e pianos
Ana Elisa Ribeiro

+ de 2200 Acessos
+ 1 Comentário(s)

Tia Lígia

Minha melhor amiga tem uma tia chamada Lígia. A tia Lígia é esposa de um desses caras que passaram a vida se mudando de cidade, de estado, por causa do emprego. Não sei se é funcionário público, do tipo auditor da Receita. Ou se é gerente de banco. Não sei. Mas o cara vivia pulando de galho em galho e a tia Lígia ia atrás. Do mesmo jeito que ela mal conseguia esquentar o assento, ela tinha lá suas mordomias. O empregão do maridão valia as penas previstas. Quando se casou, tia Lígia não sabia que seria assim, tão nômade, mas bem que gostava de ter grana de sobra, fazer boas viagens, ter bons casacos e criar os dois pimpolhos, nascidos entre uma estrada e outra, com mimos de mamãe ricaça.

Tia Lígia nem era muito apegada a nada. Era um transtorno fazer mudança, tirar menino da escola, matricular de novo, arrumar novos amigos para jogar buraco, essas coisas. Mas o maior problema de tia Lígia era o piano. Aquela coisa enorme pra lá e pra cá. E tia Lígia não largava a mão.

O trambolho carcomido por cupins estetas, o diabo do piano que ela punha na sala de toda casa em que morava. Mandava trazer o piano, depois mandava chamar o afinador de pianos, que cobrava uma fortuna. Mas tia Lígia não abria mão do piano. Ele tinha que ser o cenário de toda sala de estar em que tia Lígia morava. O mais interessante, no entanto, era que ninguém em casa, nem tia Lígia, sabia tocar piano.

Antônio

Eu tenho uma amiga casada há muitos anos. Ela é loura, magra, dos olhos tão azuis que deixam a gente cego. Os olhos dela parecem sempre bem cedo. Ela é professora e tem uma fala muito mansa.

A Áurea, minha amiga, é esposa do Antônio, que também é professor, só que de outro lugar. O Antônio teve uma vida difícil, cheia de arritmos que ele não deixou que se metessem nos planos dele. Antônio estudou, trabalhou, casou com a Áurea e teve dois filhos.

A infância do Antônio foi complicada. O pai saiu, a mãe desistiu, a avó reagiu como podia. Antônio cresceu, leu, escreveu e virou professor. Comprou um lote, construiu uma casa e expandiu os planos. Criou os meninos e mudou de vida, junto com a Áurea. Mas embora tudo isso pareça muito evoluído, tem uma coisa que Antônio não saciou na vida: a vontade de tocar piano.

Aquele instrumento grande, bonito e imponente lhe parecia uma jóia de fazer música. O som do piano e os pedais davam em Antônio uma paixão diferente. E bem que Antônio tentou. Insistiu, pediu, sugeriu, insinuou. Queria aprender a tocar piano. Mesmo com toda aquela agenda: "tocar piano bem leva 15 anos". Tempo não era problema para Antônio, ele era vivo que nem gente.

Antônio não desistia. Queria tocar. Não precisava nem dizer outra coisa. Não servia. O piano era o instrumento de cordas mais bonito do mundo. Até que um dia Antônio resolveu pedir. Atravessou, um dia, o caminho da avó e disse, com todas as notas: quero um piano. A avó sorriu. Teve uns dias para pensar. Todo corredor da casa era esconderijo. Antônio sonhava acordado, já tinha planos até de onde pôr o piano. A avó pensava e sofria. Onde já se viu? Um piano no meio da casa? Casa pequena, quarto, sala, banheiro. Onde enfiar um piano? Bobagem de menino que não sabe de nada. Antônio não teria tempo nem dinheiro para ter aulas de piano. Fazer o quê com aquele elefante branco?

Mas Antônio não desistiu. Pediu mais uma vez. Quero muito um piano. E a avó pensou em sanar o problema. Pôs Antônio na aula de datilografia.

Ana

Minha infância foi cheia de instrumentos musicais. O pai tinha o sonho de tocar teclados eletrônicos. Achava lindo. Piano não, porque demora demais a virar pianista, mas teclado é diferente, mais prático, mais rápido. E ler partitura? Era quase um segredo. Até que um dia o pai entrou numa escola de música. Aprendeu muito. Comprou teclado, modelo novo, teclado de móvel ou portátil. A casa cheia de música.

O irmão tocava flauta. Diz a mãe que flauta doce é o instrumento ideal para criança. Musicalização. Solfejo. Sabe solfejar. Daí eu também quis. O curso era o Leila Fletcher. Piano. Eu pedi uma guitarra, mas ganhei o curso de piano.

A professora ensinava a ler partitura e a entender arranjos. Também espetava meus pulsos quando eu os deixava caídos sobre as teclas. Piano é bonito, não posso negar. Mas o piano não era a minha praia. Pedi a guitarra.

Depois veio o professor de violão. Mas como é que eu ia aprender a tocar "Atirei o pau no gato"? Queria tocar muito em dois meses. Ansiedade, calos, cortes, cordas. Foi-se o violão. Mais tarde veio a bateria. Queria tocar Rush em um mês. Pudera. Ninguém quer que um adolescente ganhe uma bateria. Fiquei assim, treinando no colchão da cama, sujeita a batucar nas panelas. Nem isso.

De repente, o clique. O melhor instrumento é aquele que já nasce comigo. Então veio o canto. Esse, sim, atravessou as vontades todas da família. Cantar é bonito, mais do que piano. Um por um, todos juntos, e teríamos formado uma banda, cada um com seus sonhos musicais de infância.


Ana Elisa Ribeiro
Belo Horizonte, 16/8/2006


Quem leu este, também leu esse(s):
01. A Imagem do Som de Fabio Gomes
02. Wanda Louca Liberal de Marta Barcellos
03. Abdominal terceirizado - a fronteira de Marta Barcellos
04. Memorial de Berlim de Marilia Mota Silva
05. Kleztival: celebrando a música judaica de Heloisa Pait


Mais Ana Elisa Ribeiro
Mais Acessadas de Ana Elisa Ribeiro em 2006
01. Digite seu nome no Google - 8/3/2006
02. Eu não uso brincos - 27/9/2006
03. Não quero encontrar você no Orkut - 8/2/2006
04. Poesia para os ouvidos e futebol de perebas - 7/6/2006
05. Ex-míope ou ficção científica? - 20/12/2006


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
17/8/2006
17h38min
ana elisa, muito legal! gostei mais da parte romanceada do que da verdadeira. estou curiosa para ver o que o antonio vai achar dessa mistura. eu gostei muito também de você ter colocado que eu sou magra e espero que seja parte do que é real e não do romanceado...
[Leia outros Comentários de Áurea]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




CLARA DOS ANJOS
LIMA BARRETO
RIDEEL
(2014)



SOBRE OS ESPELHOS E OUTROS ENSAIOS
UMBERTO ECO
NOVA FRONTEIRA
(1989)
+ frete grátis



INTRODUÇÃO AO MÉTODO DA AÇÃO INCONSCIENTE - EUGÊNIO KUSNET
EUGÊNIO KUSNET
FAAP
(1971)
+ frete grátis



SUSTENTABILIDADE NA PRÁTICA: FUNDAMENTOS, EXPERIÊNCIAS E HABILIDADES
ADRIANA CAMARGO PEREIRA E OUTROS
ANHANGUERA
(2011)
+ frete grátis



VENDO CRISTO NO NOVO TESTAMENTO VOL 4 E 5
STEPHEN KAUNG
TESOURO ABERTO
(2009)
+ frete grátis



VIDA E SEXO
FRANCISCO CÂNDIDO XAVIER/EMMANUEL
FEB
(2016)
+ frete grátis



A REVOLUÇÃO DOS BICHOS
GEORGE ORWELL
CÍRCULO DO LIVRO
(1987)
+ frete grátis



TEX Nº 277 - EMBOSCADA NA MINA 
SERGIO BONELLI
GLOBO
(1992)
+ frete grátis



O GATO
YVES BEAUCHEMIN
DIFEL
(1985)
+ frete grátis



O CAÇADOR DE PIPAS
KHALED HOSSEINI
GLOBO LIVROS
(2015)
+ frete grátis





busca | avançada
25951 visitas/dia
949 mil/mês