Fui demitida, e agora? | Adriana Baggio | Digestivo Cultural

busca | avançada
38611 visitas/dia
1,4 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Quinta-feira, 31/8/2006
Fui demitida, e agora?
Adriana Baggio

+ de 8200 Acessos
+ 9 Comentário(s)

Esses dias, uma notícia causou bafafá na internet. Um dos integrantes do hilário O Aprendiz 3, contrariando a lógica do programa, acabou se demitindo. Provavelmente, ficou de saco cheio do pastiche de CEO que Roberto Justus faz na televisão. Ao invés de esperar o veredicto com cara de boi prestes a ser abatido, decidiu ser dono do próprio destino e deu o bilhete azul para o publicitário topetudo.

Os telespectadores sentiram-se vingados. Quantas pessoas não gostariam de ter a coragem e/ou a possibilidade de mandar o chefe catar coquinho na ladeira? Eu adoraria! Mas não cheguei a ter esta oportunidade: fui demitida antes.

Ficar sem emprego é ruim, claro. Principalmente para quem não trabalha por esporte, como é o caso da maioria de nós. E esse ruim vai desde o principal - a falta de grana - até aspectos de identidade e socialização. Pois bem, se você trabalha em um lugar legal, uma empresa respeitada no seu segmento, cuja marca você tem orgulho de apresentar no cartão de visita e que vence o bloqueio das mais rígidas secretárias e recepcionistas, vai ser difícil ficar sem essa identidade corporativa.

Depois de perder o emprego, experimente ligar para outra empresa e tentar falar com alguém mais graúdo. A pessoa que atender a ligação vai perguntar seu nome. Você vai dizer. E aí vem a segunda pergunta, fatídica: "Fulano de onde?". Você vai gaguejar antes de explicar que "é particular" ou que a pessoa está esperando a sua ligação. Mas a telefonista (elas sempre são cruéis nesses momentos) vai perceber que faltou algo: seu sobrenome corporativo, o que lhe dá uma identidade profissional. Se você for uma pessoa espirituosa e de pensamento rápido, talvez diga algo como "sou da minha casa" ou "sou da Escola de Balé", etc. Na maioria dos casos, porém, é aquele constrangimento.

Já fui demitida umas duas ou três vezes. As anteriores foram mais dolorosas. Surpreendentemente, esta última foi um alívio. Claro, tirando aquele desespero básico que a perspectiva de falta de salário causa na gente, o resto foi tranqüilo. Ficava me imaginando desempregada, para ver se caía a ficha, mas nada. No dia seguinte, lá estava eu: serena, de bem com a vida, acordando mais cedo que o de costume para ir à yoga. E olhe que eu odeio acordar cedo.

A yoga ajuda, mas ainda não desenvolvi o desapego a ponto de me conformar desse jeito com as injustiças da vida. O que me deixou bem foram algumas circunstâncias, que eu gostaria de dividir com vocês, porque talvez ajude quem está na mesma situação.

1) A empresa da qual saí não era a mesma em que eu entrei. Não que a razão social tenha mudado. O que mudou foram as pessoas, foi o estilo de trabalho, o peso que a minha área tinha no conjunto. Nós não tínhamos mais as mesmas afinidades profissionais e nem de valores. Quando isso acontece, não espere: é melhor começar a buscar outras oportunidades.

2) Toda a equipe da qual eu fazia parte foi demitida junta. Nós, seres humanos, somos gregários. Sentimo-nos bem em grupo, mesmo que seja um de desempregados. No dia seguinte, fomos todos tomar café no meio da tarde, comentar sobre a cena da demissão e especular como a empresa iria sobreviver sem a gente. Se já éramos amigos antes, nos tornamos mais ainda, unidos pela injustiça e pelo infortúnio.

3) Tenho uma boa relação de amigos e muitas vezes já indiquei pessoas para vagas de emprego. Essa network, como se diz no jargão corporativo, é preciosíssima quando quem leva o pé no derrière é você. Mandei um e-mail explicando a situação, atualizando meus contatos e pedindo indicações. Aliás, indicação na minha profissão é fundamental. Poucas vezes se contrata através de anúncio em jornal ou agências de RH.

4) Circular pelos eventos da sua área de atuação, sejam eles sociais ou profissionais, também ajuda as pessoas a lembrarem de você. Dar palestras, manter um vínculo com a universidade e participar de associações de classe é recomendável. Neste ano, acabei realizando várias dessas atividades, o que é excelente para a visibilidade no mercado.

Estas atitudes foram responsáveis, em grande parte, por eu estar sendo chamada para vários trabalhos free lancers e para assumir a disciplina de Marketing de Varejo em uma faculdade. Portanto, trabalho é o que não falta. Emprego mesmo, com um salário legal e vale refeição no final do mês, ainda não apareceu. A graninha dos freelas permite que eu me dê ao luxo de não aceitar qualquer coisa, pelo menos por enquanto. E assim, posso "me demitir" de propostas absurdas que eu nem imagino como algumas empresas têm coragem de fazer para a gente...

Para ir além
Adriana Baggio [criação e redação publicitária]


Adriana Baggio
Curitiba, 31/8/2006


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Os Doze Trabalhos de Mónika. 1. À Beira do Abismo de Heloisa Pait
02. O Novo Museu da Estação da Luz: uma Proposta de Heloisa Pait
03. Do inconveniente de ter escrito de Cassionei Niches Petry
04. Gerald Thomas: Cidadão do Mundo (parte III) de Jardel Dias Cavalcanti
05. Daumier, um caricaturista contra o poder de Jardel Dias Cavalcanti


Mais Adriana Baggio
Mais Acessadas de Adriana Baggio em 2006
01. Dicas para você aparecer no Google - 9/3/2006
02. Eles vão invadir seu Orkut! - 9/2/2006
03. Cruzeiro marítimo: um espetáculo meio mambembe - 23/2/2006
04. O amor e as mulheres pelas letras de Carpinejar - 20/7/2006
05. Breve reflexão cultural sobre gaúchos e lagostas - 12/1/2006


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
29/8/2006
23h44min
Adriana, me identifiquei bastante com esse seu texto. Sobretudo porque fui eu quem decidiu quando sair do meu primeiro e único emprego. Se já não é fácil ver gente menos capacitada do que você conseguir promoções só porque é o puxa-saco do chefinho, imagine ter o tapete puxado, justamente por seu superior? A pessoa fica sem tesão algum pelo trabalho, e foi o que aconteceu comigo. O problema é que o mar não está pra peixe, e não consegui outro emprego ainda. Mas enfim, tenho a sorte de poder contar com meus pais. Mas a situação de desempregado incomoda. Fico imaginando pais de família, sem emprego, como devem se sentir. O sentimento de impotência deve ser extremo e muito ruim. Terrível essa situação do Brasil, onde sobra - demais da conta - mão-de-obra, e falta - e muito - emprego.
[Leia outros Comentários de Rafael Rodrigues]
31/8/2006
09h17min
É isso: quando a corda vai ao ponto do esgarçar-se, o melhor é subir no banquinho e olhar por cima do horizonte da mediocridade, além das cabeças da patuléia. Um abraço!
[Leia outros Comentários de Boris Cunha]
31/8/2006
14h35min
Adriana, já passei por situação semelhante e, pode ter certeza, lá na frente, a gente vai descobrir que algo mais precioso estava reservado para a nossa vida. Confie no seu talento e boa sorte!!!
[Leia outros Comentários de Rose Peixer]
31/8/2006
16h08min
Há onze anos, em 1995, eu tive meu último emprego. É isso que diz a minha carteira de trabalho. Abri uma empresa - da qual saí há um ano e meio - e parti para vôo solo. Não me arrependo. Tem altos e baixos, às vezes a grana é curta - mas tem uma liberdade maravilhosa de não ter dono, nem horário, de poder escrever, ler, viajar, ir ao cinema, namorar... viver! Viver na hora que eu quiser e não na hora que me disserem que eu posso. Acho que você vai gostar da sua nova fase.
[Leia outros Comentários de Daniela Castilho]
31/8/2006
23h09min
Daniela, trabalho como vc, sem horário, sem vínculo, emendando feriados, abrindo a porta da minha casa numa tarde de terça e, graças a Deus, me sustentando legal. Mas... não gosto do meu trabalho (gosto das pessoas e do ambiente, não do ofício). É aí que pega!
[Leia outros Comentários de juliana]
1/9/2006
08h10min
Com o potencial e a enorme capacidade que você tem, Adriana, realmente não tem por que temer. Espero que esta demissão seja uma oportunidade de crescimento profissional, porque, muitas vezes quando estamos empregados vamos nos acomodando com o trabalho e o com o empregador, mesmo quando estes não nos satisfazem mais. Boa sorte!
[Leia outros Comentários de Ana Cirne]
8/9/2006
22h29min
Adriana, seu texto está SOBERBO e quem já esteve desempregado sabe se reconhecer nestas linhas. Desejo que você arrume um emprego que te faça feliz, ok? Um abraço.
[Leia outros Comentários de Denise Bellesia]
9/9/2006
22h28min
Já repararam no prazer quase sexual das empresas quando demitem alguém? Eu já. Só se equipara ao nosso prazer quase sexual quando podemos pedir demissão de um emprego que já chegou ao fim da linha. O problema é que nem sempre podemos ($$) e aí passamos, infelizmente, essa mensagem para o empregador que a capta na hora e fica com a faca e o queijo na mão para gozar fazendo aquilo que nós adoraríamos poder fazer mas por uma circunstância da vida não pudemos.
[Leia outros Comentários de Joel Macedo]
17/11/2006
14h33min
Como tanta gente me deu apoio em forma de comentários, gostaria de compartilhar com vocês que estou "recolocada" novamente. O período como free lancer foi bem legal, eu aprendi bastante e conheci muitas pessoas. Apesar das preocupações, foi um tempo de boas experiências. Brigada!
[Leia outros Comentários de Adriana]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




SANGUE DE AMOR CORRESPONDIDO
MANUEL PUIG
NOVA FRONTEIRA
(1982)
R$ 6,00



OLHOS DE ESPANTO
NINA SCHILKOWSKY
JAGUATIRICA
(2015)
R$ 29,00



PISCICULTURA AO ALCANCE DE TODOS (AUTOGRAFADO)
ALCIDES RIBEIRO TEIXEIRA FILHO
NOBEL
(1992)
R$ 15,00



O HOMEM DO CAVALO BRANCO E OUTRAS NOVELAS
THEODOR STORM
BOA LEITURA
R$ 5,70



O EXERCÍCIO DISCIPLINADO DO OLHAR
DIANA GONÇALVES VIDAL
UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO
(2001)
R$ 150,00



ANUÁRIO - NACIONAL DE LIVRARIAS 2008-2010
VARIOS AUTORES
ANL
(2008)
R$ 30,00



CONHECER OS 5 SENTIDOS - COLEÇÃO PRIMEIRAS DESCOBERTAS
EURO IMPALA
IMPALA
(2011)
R$ 25,00



O QUE VOCÊ QUISER
SARA FAWKES; JULIO DE ANDRADE FILHO
PLANETA DO BRASIL
(2013)
R$ 15,00



O VENDEDOR DE ARMAS
HUGH LAURIE
PLANETA
(2010)
R$ 6,28



POR UM FIO
DRAUZIO VARELLA
COMPANHIA DAS LETRAS
(2004)
R$ 10,00





busca | avançada
38611 visitas/dia
1,4 milhão/mês