Fazer conta de cabeça e a calculadora | Ana Elisa Ribeiro | Digestivo Cultural

busca | avançada
30598 visitas/dia
1,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Baile Tropical chega à 100a. edição com festa no Rio
>>> Editora do Brasil lança Série sobre Temas Polêmicos
>>> Leda Nagle bate-papo com Jorge Aragão e Rosamaria Murtinho no Sem Censura
>>> CHAMADA PARA PROJETOS 'GOETHE NA VILA'
>>> Esquina: Conversas sobre o Centro
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Pokémon Go, você foi pego
>>> Notas confessionais de um angustiado (IV)
>>> A Imagem do Som
>>> A noite do meu bem, de Ruy Castro
>>> Quando (não) li Ana Cristina César
>>> Elon Musk
>>> Tempos de Olivia, romance de Patricia Maês
>>> Eu blogo, tu blogas?
>>> A melhor Flip
>>> Brasil em Cannes
Colunistas
Últimos Posts
>>> Lançamento e workshop em BH
>>> Reid Hoffman por Tim Ferriss
>>> Software Programs the World
>>> Daphne Koller do Coursera
>>> The Sharing Economy
>>> Kevin Kelly por Tim Ferriss
>>> Deepak Chopra Speaker Series
>>> Nick Denton sobre Peter Thiel
>>> Bill & Melinda Gates #Code2016
>>> Elon Musk Code Conference 2016
Últimos Posts
>>> *Sátiros e Ninfa*, etapas da criação
>>> Atrito amoroso
>>> Reverberações
>>> Preservativo para a inconveniência
>>> Se eterno fosse o amor
>>> A história da canção: entrevista Paulinho Moska
>>> O chato
>>> *Black flag*, etapas da criação em GIF
>>> Amor de A, a Z - Poema
>>> Filme: Um dia Perfeito - Fernando Léon Aranoa
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Emprego? Exercite o desapego
>>> Festival literário em BH
>>> Il duello
>>> Meu filho e minha mãe
>>> Entrevista com Ryoki Inoue
>>> Como escrever bem - parte 3
>>> Como Proust mudou minha vida
>>> Deus Sabia de Tudo e Não Fez Nada
>>> E Plácido gravou o Tristão...
>>> Dize-me com quem andas e eu te direi quem és
Mais Recentes
>>> Os estupradores
>>> Tutancâmon biblioteca egito
>>> Egito mania volume 6
>>> English Plus
>>> O faraó Alado
>>> Brida
>>> O Espírito Santo Na Tradição Ortodoxa
>>> Eu sou a pirâmide
>>> Estas verdades poderão mudar sua vida
>>> Lua das Fadas
>>> Wicca coleção natureza mágica
>>> Wicca-coleção natureza mágica
>>> O livro da cigana encantada
>>> O livro encantado da cigana
>>> Magia Egípcia
>>> O encanto das Magias e Imantações Ciganas
>>> Antigo livro de São Marcos e São Manso
>>> Manual de Hoodoo,conjure e rootwork
>>> Guia para iniciantes Pilates
>>> O Poder dos Chakras
>>> DeRose - Light Exercises - A técnica corporal sem transpiração
>>> Técnicas de Relaxamento
>>> Massagem e Relaxamento
>>> Exercícios Práticos de Relax (Técnicas de Relaxamento)
>>> O Diafragma
>>> Os Músculos
>>> Respirar Bien para Vivir Mejor
>>> ABC de la Respiracion
>>> Alimentação que pode Prevenir e Curar Problemas Respiratórios
>>> Ciência Hindu-Yogue da Respiração
>>> Respiração
>>> A Magia da Respiração
>>> A expressão Corporal - Uma Disciplina da Comunicação
>>> A Comunicação Não-Verbal
>>> O Brasileiro e seu Corpo
>>> Tabu do Corpo
>>> Organização das Posições e Movimentos Corporais
>>> Trabalho Corporal Intuitivo
>>> Linguagem Corporal
>>> Sangue Fresco (Literatura Infanto-Juvenil)
>>> O demônio do meio dia
>>> A Ressurreição do Corpo
>>> Filipenses- volume 2
>>> Piaget - Vygotsky- Novas contribuições para o debate
>>> O Ser do Valor-Perspectivas de Gabriel Marcel
>>> A Linguagem do Corpo
>>> A Expressão Corporal - Método e Prática
>>> O que é Corpo
>>> Expressão Vocal e Expressão Corporal
>>> A Performance da Oralidade Teatral
COLUNAS

Sexta-feira, 10/8/2012
Fazer conta de cabeça e a calculadora
Ana Elisa Ribeiro

+ de 3800 Acessos

Não guardei na memória como foi que aprendi matemática, mais precisamente, a aritmética mais básica que se pode imaginar. Talvez não tenha mesmo memória disso justamente porque acho que nunca aprendi direito a fazer contas. Somo, subtraio, multiplico e divido, claro, mas sem forçação de barra. Tenho cá uma quedinha pela adição, que, não sei por quê, me parece mais tolerável do que as demais continhas.

Depois de uns dias fazendo esforço para recuperar algo desse meu contexto de "ruim de matemática" (uma pecha que inibe todo aluno por não ser genial), consegui me lembrar das aulas de tabuada, isto é, decoreba, e do Quadro Valor de Lugar (QVL), apoio engenhoso para nos ensinar unidades, dezenas, centenas e lá vai.

Confesso que até hoje me fogem algumas contas de multiplicar. Essas tipo 7x8 me custam uns segundos de inspiração. E graças àquele que inventou o lápis-tabuada, que era, de outro lado, proibido na escola. Calculadora, então, nem num raio de quilômetros. A maquineta era coisa pra engenheiro ou pra gente que só precisava confirmar. Quem não domina tem de fazer conta de cabeça.

Conta de cabeça, conta de cabeça. Como é que eu vou enxergar isso? Abstração, visão, raciocínio. Foi outro dia que, conversando com um físico profissional, descobri por que razão dei de aprender apenas a demonstrar teoremas. É. A despeito de tudo, inclusive do professor, as únicas coisas que me pareceram ter sentido, nos tempos de segundo grau (nem se chamava ainda ensino médio), foram os escalonamentos e os teoremas. Paixão irrefreável por aquele finalmente, quando o mestre escrevia lá, com giz e suspiros, o CQD ou Como Queríamos Demonstrar. Para o meu delírio. Para tocar o sinal e vir lá qualquer outra aula. Bem, então, era isso: teorema é argumentação. Estava explicada minha associação.

E eu pensei que o tal de "fazer conta de cabeça" tivesse saído da moda, das diretrizes curriculares, dos programas de ensino, de onde quer que estivessem. Pensei que uma matemática mais pop ou uma fazeção mais aplicada de contas tivesse encontrado seu valor. Mas não. Estava cá meu pimpolho estudando a tabuada e tentando fazer contas de cabeça, isto é, tentando visualizar pauzinhos, bolinhas, cores, grossuras para então passar aos resultados.

Mas, não sejamos implicantes, houve um avanço: agora se pode calcular com calculadora. Não de primeira nem a conta mais fácil, mas para conferir. Qual não foi minha surpresa quando vi escrito, a tinta, no livro didático da editora famosa, um "Confira com a calculadora". Meu Deus, tiraram o peso das costas dos meninos, aleluia. Então pode-se conferir! Um elemento tão necessário, no dia a dia, para ir à padaria, para pegar ônibus, para comprar chiclete. Então admitiram a checagem, enfim.

Vamos lá. Faça as contas de cabeça. Some, diminua, divida, multiplique, mas veja se fez direito. Cate lá, com papai ou mamãe, uma máquina de calcular, calculadorinha aritmética, dessas made in China mesmo, pro adianto. Vai lá, fez a conta? Então mande bala: 34 + 72. E ainda tive de ensinar ao guri onde ficava o =.

Mas vocês nem imaginam o que foi que eu vi. Vocês não podem imaginar como foi que o garoto reagiu. Uma coisa linda mesmo, linda de se compartilhar. É um negócio que só vi poucas vezes, assim, de pegar no salto, no ato, na virada. Eu vi foi o encantamento dele ao ver a calculadora trabalhar. Foi um susto rápido e alegre o que ele demonstrou quando viu o produto da soma aparecer no visor, sem que ele visse a mágica por trás da interface, sem que ele percebesse qualquer suadeira no dispositivo, qualquer esforço ou tremedeira no somatório. Plim! Estava lá o 106 redondo, que nem o dele, confirmando que, sim, estava tudo certo. Calculadora não erra.

Eu mesma tenho umas tantas pra todo lado da casa, especialmente onde tiver gaveta, que é onde elas repousam sem poeira. Calculadora solar, sem precisar trocar baterias incômodas. Calculadora simples, dessas que vivem sumindo e aparecendo, feito caneta Bic. Isso sem falar naquelas HPs de engenheiros, que só faltam dar conselhos sobre o casamento.

Olha, mas eu vi o prazer e a exclamação nos olhos do menino. Tudo por conta de uma máquina que sabe calcular, sem fazer alarde. Tudo por causa de um tecladinho barato que me oferece o resultado certo, preventivo, atual.

E nessa brincadeira, fui lá na Wikipédia fuçar a calculadora, origens e espécies. Peguei logo um macete engraçado, que ninguém nunca me disse e que sempre me incomodou. Compro dessas calculadorinhas sem OFF e fico encucada, esperando que ela se apague. E não é que aprendi um truque? Se não tem OFF, é só apertar os sinais de dividir e multiplicar, ao mesmo tempo, junto com o ON. E a calculadora desliga. Diz que também funciona apertando-se o 5 e o 6 ou 4, 5 e ON. E nunca mais ficarei esperando a máquina desligar sozinha pra eu sossegar com meus múltiplos de dois.


Ana Elisa Ribeiro
Belo Horizonte, 10/8/2012


Mais Ana Elisa Ribeiro
Mais Acessadas de Ana Elisa Ribeiro em 2012
01. Quero estudar, mas não gosto de ler. #comofaz? - 10/2/2012
02. Voltar com ex e café requentado - 13/1/2012
03. iPad pra todo mundo - 13/4/2012
04. Como amar as pessoas como se não houvesse amanhã - 9/11/2012
05. Fazer conta de cabeça e a calculadora - 10/8/2012


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




APRENDA A AMAR A SI MESMO. EM BUSCA DO AMOR-PRÓPRIO
SHARON WEGSCHEIDER-CRUSE
CULTRIX
(2000)



ESTUDOS SOBRE A VOZ CANTADA
SYLVIO BUENO TEIXEIRA
AP
(1970)
+ frete grátis



ESTILO IPANEMA
CARLOS SCHERR
ROCCO
(2008)
+ frete grátis



O DOMINADOR
TESS GERRITSEN
RECORD
(2005)
+ frete grátis



BRECHT Y EL REALISMO DIALECTICO
JUAN ANTONIO HORMIGON (ORG.)
CASTELLÓ
(1975)
+ frete grátis



COACHING, MISSÃO E SUPERAÇÃO
ANDRÉ PERCIA
SER MAIS
+ frete grátis



CONCEITOS DA PSICANÁLISE - DEPRESSÃO- VOL 14
JEREMY HOLMES
VIVER
(2005)
+ frete grátis



INTEGRAÇÃO DO CORPO
MAURO GUISELINI
MANOLE
(2001)
+ frete grátis



A NOVA CALIFÓRNIA
LIMA BARRETO
CÍRCULO DO LIVRO
(1994)
+ frete grátis



ENSAIOS
TRUMAN CAPOTE
LEYA
(2010)
+ frete grátis





busca | avançada
30598 visitas/dia
1,0 milhão/mês
Cannot connect to POP3 server