Um menino à solta na Odisseia | Carla Ceres | Digestivo Cultural

busca | avançada
63818 visitas/dia
2,2 milhões/mês
Mais Recentes
>>> “Um pé de biblioteca” estimula imaginação e ajuda a criar novas bibliotecas pelo Brasil
>>> Diálogos na Web FAAP: Na pauta, festivais de cinema e crítica cinematográfica
>>> Pauta: E-books de Suspense Grátis na Pandemia!
>>> Hugo França integra a mostra norte-americana “At The Noyes House”
>>> Sesc 24 de Maio apresenta programação de mágica para toda família
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Meu malvado favorito
>>> A pintura do caos, de Kate Manhães
>>> Nem morta!
>>> O pai tá on: um ano de paternidade
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - I
>>> Contentamento descontente: Niketche e poligamia
>>> Cinemateca, Cinemateca Brasileira nossa
>>> A desgraça de ser escritor
>>> Um nu “escandaloso” de Eduardo Sívori
>>> Um grande romance para leitores de... poesia
Colunistas
Últimos Posts
>>> A última performance gravada de Jimmi Hendrix
>>> Sebo de Livros do Seu Odilon
>>> Sucharita Kodali no Fórum 2020
>>> Leitura e livros em pauta
>>> Soul Bossa Nova
>>> Andreessen Horowitz e o futuro dos Marketplaces
>>> Clair de lune, de Debussy, por Lang Lang
>>> Reid Hoffman sobre Marketplaces
>>> Frederico Trajano sobre a retomada
>>> Stock Pickers ao vivo na Expert 2020
Últimos Posts
>>> Três tempos
>>> Matéria subtil
>>> Poder & Tensão
>>> Deu branco
>>> Entre o corpo e a alma
>>> Amuleto
>>> Caracóis me mordam
>>> Nome borrado
>>> De Corpo e alma
>>> Lamentável lamento
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Morando sozinha II
>>> É Julio mesmo, sem acento
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> A Piauí tergiversando sobre o fim dos jornais
>>> Mário Sérgio Cortella #EuMaior
>>> O Gabinete do Dr. Caligari
>>> Ser intelectual dói
>>> Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge
>>> É Julio mesmo, sem acento
Mais Recentes
>>> Yoga, Imortalidade e Liberdade de Mircea Eliade pela Palas Athena (2009)
>>> The Bell - Her wise, witty and compulsive novel de Iris Murdock pela Penguin Books (1962)
>>> Os robôs e o império de Isaac Asimov pela Record (1985)
>>> Wallpaper Magazine May 2020 de Design Directory pela TI Media (2020)
>>> Contato de Carl Sagan pela Guanabara (1986)
>>> Os Três Reos e o Quarto Rei, Lendas Natalinas de Jakob Streit pela Edições Waldorf (1991)
>>> Neuromancer de William Gibson pela Aleph (1991)
>>> O Gênio do Crime de J.C. Marinho Silva pela Edijovem (1999)
>>> O incrível congresso de futurologia de Stanislaw Lem pela Nova Fronteira (1977)
>>> O cair da noite de Isaac Asimov pela Hemus (1981)
>>> Solaris de Stanislaw Lem pela Círculo do livro (1987)
>>> O Livro da Filosofia de Diversos pela Globo (2016)
>>> O homem bicentenário de Isaac Asimov pela Hemus (1976)
>>> Os robôs do amanhecer de Isaac Asimov pela Record (1983)
>>> Cartas de Um Executivo a Seu Filho de G. Kingsley Ward pela Record (1985)
>>> Desenho de Perspectiva (Português) Capa dura , Livro Novo de David Sanmiguel pela Ambientes (2020)
>>> Os anéis de Saturno de Isaac Asimov pela Hemus
>>> Inimigo Rumor 17 de Carlito Azevedo e Outros Editores pela Naify (1993)
>>> Anjos e Demônios de Dan Brown pela Sextante (2004)
>>> Fundação de Isaac Asimov pela Hemus (1982)
>>> Pureza de Jonathan Franzen pela Companhia das Letras (2016)
>>> Os Anos 40 de Rachel Jardim pela José Olympio (1973)
>>> A maçã no escuro de Clarice Lispector pela Círculo do livro
>>> Prontuário de Yoga Antigo (SVÁSTHYA YOGA de Professor de Rose pela Ground (1986)
>>> De corpo inteiro de Clarice Lispector pela Artenova (1975)
>>> A cidade sitiada de Clarice Lispector pela José Olympio (1975)
>>> A paixão segundo GH de Clarice Lispector pela José Olympio (1977)
>>> A Queda para o Alto de Herzer pela Círculo do Livro (1982)
>>> Química e física de Daniel Cruz pela Ática (2002)
>>> Arnaldo Janssen de Alberto Kuyle pela Verbo divino
>>> Uma aprendizagem ou o livro dos prazeres de Clarice Lispector pela Nova Fronteira (1982)
>>> Homo Deus de Yuval Noah Harari pela Companhia das Letras (2016)
>>> Eternidade por um Fio de Ken Follett pela Arqueiro (2014)
>>> Para não esquecer de Clarice Lispector pela Ática (1978)
>>> Em busca do Príncipe Encantado de Bradley Trevor Greive pela Sextante (2002)
>>> Um sopro de vida de Clarice Lispector pela Círculo do livro (1978)
>>> A hora da estrela de Clarice Lispector pela José Olympio (1977)
>>> Os sapatos de Orfeu - Biografia de Carlos Drummond de Andrade de José Maria Cançado pela Scritta (1993)
>>> Sinfonia patética - A vida de Tchaikóvski de Klaus Mann pela Brasiliense (1989)
>>> Merendeiro (A) SGA-DF – Auxiliar de Educação. Especialidade: Copa/Cozinha de Pimentel. et al pela Vesticon (2005)
>>> O caminho dos tormentos Vol. 3 - Manhã sombria de Alexei Tolstoi pela Civilização Brasileira (1966)
>>> O caminho dos tormentos Vol. 2 - O ano dezoito de Alexei Tolstoi pela Civilização Brasileira (1966)
>>> O caminho dos tormentos Vol. 1 - Duas irmãs de Alexei Tolstoi pela Civilização Brasileira (1966)
>>> A Ordem Negra de James Rollins pela Ediouro (2007)
>>> As mentiras que os homens contam de Luiz Fernando Veríssimo pela Objetiva (2002)
>>> Dieta Low Carb de Eliana Rinaldi e Daniela Mesquita pela Ediouro/Duetto (2019)
>>> Estatística fácil de Antônio Arnot Crespo pela Saraiva (1994)
>>> Simpatias de Antonio Carlos pela Pallas (1997)
>>> A idade da Razão de Sartre pela Cia das letras (2020)
>>> O pai minuto de Spencer Johnson pela Record (1996)
COLUNAS

Quinta-feira, 6/11/2014
Um menino à solta na Odisseia
Carla Ceres

+ de 5600 Acessos

Esta semana ganhei de presente um livro que adoraria ter lido na infância. Pena que, na época, ele ainda não existia. Foi lançado em 2013, pela Editora Gaivota e vai deliciar a garotada que se interessa por humor, aventura e mitologia grega. Estou falando de Odisseia de Homero (segundo João Vítor), de autoria do escritor e designer Gustavo Piqueira. Há tempos não me divertia tanto com uma obra oficialmente destinada a crianças e adolescentes.

Não se trata de mais uma das inúmeras adaptações da Odisseia para crianças, longe disso. A primeira parte do livro, a "Odisseia de Homero (segundo João Vítor)" propriamente dita, é um delicioso trabalho escolar, sem pé nem cabeça, escrito durante uma noite, pelo personagem João Vítor, um aluno enrolador e pouco inteligente que está prestes a ser reprovado caso não entregue, na manhã seguinte, um resumo interpretativo das aventuras de Ulisses. Sem acesso à internet e sem saber que deveria resumir e interpretar uma versão adaptada (que não passava de quarenta e sete páginas com ilustrações coloridas), o menino pega, por engano, a obra original e se vê obrigado a decifrar centenas de páginas sem ilustrações, retratando um universo que lhe é totalmente estranho.

João Vítor se vira como pode. Resume cada canto da Odisseia, tendo por referência seu universo familiar e novelas de TV. Aproveita várias oportunidades para deixar recadinhos à professora, ressaltando seus esforços para "aprimorar" o livro original, corrigindo os erros e as "burrices" do autor "Homero da Silva":

"(Professora, na edição que peguei da biblioteca não havia sobrenome do autor, apenas o primeiro nome, Homero. Como todo mundo tem sobrenome, coloquei um bem comum. Um chute, confesso. Se errei, quero apenas deixar claro: a culpa não foi minha, mas sim da biblioteca do colégio que empresta livros incompletos a seus alunos, pouco se lixando se alguém repetir de ano por causa disso)."

Do ponto de vista de João Vítor, Ulisses, além de ser um galinha que traiu "a submissa Penélope (...) com metade das mulheres e deusas do mundo", é um bandido. "Não há outra palavra para definir Ulisses a não ser essa, professora Denise. Ladrão, assassino e sequestrador? Bandido."

Tão divertidas e relevantes quanto o texto, numerosas ilustrações nos mostram como João Vítor "vê" a história. Gustavo Piqueira criou-as através da montagem de fotos contemporâneas e gravuras neoclássicas da Odisseia. O deus Hermes, como motoboy dos deuses, e os muitos churrascos que Ulisses faz na praia, com seu bando de farofeiros são exemplos inesquecíveis. Mesmo tendo capa dura e ilustrações coloridas, o livro não é dos mais caros.

Na segunda parte, a "Odisseia de João Vítor (segundo Gustavo Piqueira)", temos breves e importantes considerações do autor a respeito de obras adaptadas. Até que ponto vale a pena adaptar uma história para envolver o leitor? O que os leitores perdem quando outra pessoa determina quais aspectos de uma obra merecem destaque ou esquecimento?

A terceira parte se chama "Odisseia de Homero através dos tempos" e traz mais de quarenta reproduções coloridas de obras de arte retratando diferentes episódios da Odisseia e dois quadros com o próprio Homero como tema. Selecionando trabalhos de períodos diferentes, Gustavo Piqueira mostra como os personagens "tiveram suas feições e vestuários adaptados ao sabor de cada século".

Mais didática, a quarta parte, "Breve enciclopédia da Odisseia (sem João Vítor para atrapalhar)", explica os pontos que possam ter gerado dúvidas. Autor, obras, personagens, história, geografia, mitologia, usos e costumes, nada escapa, nem o canto final da Odisseia, que João Vítor não teve tempo nem condições de resumir a seu modo. Se lermos atentamente as explicações, nem precisamos conhecer a obra original para concluir que os tais churrascos feitos na praia talvez fossem sacrifícios aos deuses.

João Vítor avacalha a Odisseia, mas deixa o leitor com vontade de conhecer a história original ainda que seja apenas para descobrir de onde o menino tirou suas ideias absurdas. Já as versões adaptadas, embora muitas vezes necessárias, induzem ao comodismo, pois levam a crer que os pontos omitidos são irrelevantes.

O livro de Gustavo Piqueira nem precisaria conter tamanha riqueza de imagens e informações culturais para valer por si mesmo. Bastariam a ideia e o texto. Avacalhar é uma forma festiva de conhecer. Pelo menos para muitos de nós, brasileiros. A irreverência e o senso de humor fazem parte de nosso modo de analisar e apreender o mundo. Preferimos aprender brincando, mesmo que essa brincadeira, aparentemente, ponha em risco a integridade do objeto de estudo.

Nota do Editor
Carla Ceres mantém o blog Algo além dos Livros. http://carlaceres.blogspot.com/


Carla Ceres
Piracicaba, 6/11/2014


Quem leu este, também leu esse(s):
01. O lado louco de Proust de Andréa Trompczynski


Mais Carla Ceres
Mais Acessadas de Carla Ceres em 2014
01. HQs sombrias, anjos e demônios - 2/1/2014
02. Duas distopias à brasileira - 7/8/2014
03. Um menino à solta na Odisseia - 6/11/2014
04. Adolescentes e a publicação prematura - 4/9/2014
05. Vaidade, inveja e violência - 8/5/2014


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




PORT MUNGO
PATRICK MCGRATH
COMPANHIA DAS LETRAS
(2006)
R$ 24,90
+ frete grátis



O GUIA DO MOCHILEIRO DAS GALÁXIAS
DOUGLAS A13:D28ADAMS
SEXTANTE
(2009)
R$ 24,90



REFLEXIONES SOBRE LA HISTORIA DEL MUNDO
JACOBO BURCKHARDT
EL ATENEO
(1944)
R$ 29,40



14, RUE DE TILSITT, PARIS
GUILHERME FIGUEIREDO
CÍRCULO DO LIVRO
R$ 7,50



CONTABILIDADE DE CUSTOS INCLUI O ABC 6ª EDIÇÃO
ELISEU MARTINS
ATLAS
(1998)
R$ 33,00



ROTEIROS DE NAVEGAÇÃO AÉREA VOL 1
MANOEL AGOSTINHO MONTEIRO
ASA
R$ 8,90



O ANEL MÁGICO
DIRCEU NOGUEIRA MAGALHÃES
RAZÃO CULTURAL
(2000)
R$ 23,92



LEGEND: A VERDADE SE TORNARÁ LENDA
MARIE LU
PRUMO
(2012)
R$ 9,90



O QUE A BÍBLIA REALMENTE ENSINA?
ASSOCIAÇÃO TORRE DE VIGIA DE BÍBLIAS E TRATADO
ASSOCIAÇÃO TORRE DE VIGIA
(2005)
R$ 5,00



ALICE NO PAÍS DO ESPELHO
LEWIS CARROLL
L&PM POCKET
(2016)
R$ 14,99
+ frete grátis





busca | avançada
63818 visitas/dia
2,2 milhões/mês