Um menino à solta na Odisseia | Carla Ceres | Digestivo Cultural

busca | avançada
31663 visitas/dia
896 mil/mês
Mais Recentes
>>> Biblioteca Central da UnB recebe exposição artística 'Quem sou Eu, Quem somos nós'
>>> Feambra traz convidados para discutirem o tema "Museus e Sociedade"
>>> A Cultura do Subúrbio é tema do segundo debate #Colabora com Ideias
>>> Núcleo Viver estreia "Coração Supliciado...", no CRDSP
>>> Jikulumessu é a nova novela angolana que a TV Brasil estreia nesta quinta (25)
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> O dia que nada prometia
>>> Super-heróis ou vilões?
>>> Seis meses em 1945
>>> Senhor Amadeu
>>> Correio
>>> A entranha aberta da literatura de Márcia Barbieri
>>> On the Road, 60 anos
>>> Viena expõe obra radical de Egon Schiele
>>> Dilapidare
>>> A imaginação do escritor
Colunistas
Últimos Posts
>>> Cornell e o Alice Mudgarden
>>> Leve um Livro e Sarau Leve
>>> Pulga na praça
>>> No Metrópolis, da TV Cultura
>>> Fórum de revisores de textos
>>> Temporada 3 Leve um Livro
>>> Suplemento Literário 50 anos
>>> Ajudando um amigo
>>> Ebook gratuito
>>> Poesia para jovens
Últimos Posts
>>> Jano
>>> Diário
>>> Infinitamente infinito
>>> Encantarias da palavra, de Paes Loureiro
>>> Animus mundi
>>> A partilha
>>> Dobraduras e origames
>>> Andamento
>>> Branco (série: Sonetos)
>>> Coroa, só de flores
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser escritor ou estar escritor?
>>> Nouvelle Vague: os jovens turcos
>>> O Oscar e a reencarnação
>>> Tunturi, de António Vieira
>>> Sexteto da Filarmônica de Berlim, no Teatro Alfa
>>> Wittgenstein, o fazedor de símiles
>>> Blogo, logo existo
>>> Antes da filosofia
>>> La Guerra del Fin del Mundo
>>> O humor no divã de Freud
Mais Recentes
>>> O Monge e o Executivo - Uma História sobre a Essência da Liderança
>>> O Beijo Infame
>>> Antes da Coisa Toda Começar
>>> Estruturas da Mente - A Teoria das Inteligências Múltiplas
>>> Guia Politicamente Incorreto da América Latina
>>> O Contrato Social
>>> Tess of the D´Urbervilles
>>> O Grande Conflito
>>> Ágape
>>> Dicionário Enciclopédico Ilustrado Veja Larousse - Volume 1
>>> O Cantor De Tango
>>> 1.000 Lugares Para Conhecer Antes De Morrer
>>> Nietzsche para Estressados
>>> Estorvo
>>> Cozinheiros Demais
>>> A Outra Face Da Doença - A Saúde Revelada Por Deus
>>> L'approche par compétences dans l'enseignement des langues
>>> Pensar Por Conta Própria
>>> O Evangelho Da Meninada
>>> Sinal De Contradição
>>> Limites Sem Trauma
>>> Desta Vez Eu Emagreço!
>>> Alucinado Som De Tuba
>>> Cidade Partida
>>> A Dama Do Lago
>>> Meditação Ocidental
>>> O X Da Questão - Trajetória Do Maior Empreendedor Do Brasil
>>> Carne Trêmula
>>> Frankeinstien
>>> Uma Garrafa No Mar De Gaza
>>> Três Mulheres De Três Pppês
>>> A linha de sombra
>>> Dublinenses
>>> Angústia
>>> A Bíblia e os discos voadores
>>> A consciência de Zeno
>>> No caminho de Swann
>>> Trópico de Câncer
>>> O Ensino de Lacan Volumes 1 e 2
>>> Curso Completo de Tarô (não acompanha as cartas)
>>> Casa de pedra
>>> O fim sem resposta
>>> Eu fico Loko
>>> História Econômica do Brasil
>>> O Tesouro dos Alquimistas
>>> Tao da Física
>>> Forma e Design
>>> A Aprendizagem do Ator
>>> Senhor das Sombras- Ele é Destruição...
>>> Le Guide Pratique des Nouvelles Thérapies
COLUNAS

Quinta-feira, 6/11/2014
Um menino à solta na Odisseia
Carla Ceres

+ de 3900 Acessos

Esta semana ganhei de presente um livro que adoraria ter lido na infância. Pena que, na época, ele ainda não existia. Foi lançado em 2013, pela Editora Gaivota e vai deliciar a garotada que se interessa por humor, aventura e mitologia grega. Estou falando de Odisseia de Homero (segundo João Vítor), de autoria do escritor e designer Gustavo Piqueira. Há tempos não me divertia tanto com uma obra oficialmente destinada a crianças e adolescentes.

Não se trata de mais uma das inúmeras adaptações da Odisseia para crianças, longe disso. A primeira parte do livro, a "Odisseia de Homero (segundo João Vítor)" propriamente dita, é um delicioso trabalho escolar, sem pé nem cabeça, escrito durante uma noite, pelo personagem João Vítor, um aluno enrolador e pouco inteligente que está prestes a ser reprovado caso não entregue, na manhã seguinte, um resumo interpretativo das aventuras de Ulisses. Sem acesso à internet e sem saber que deveria resumir e interpretar uma versão adaptada (que não passava de quarenta e sete páginas com ilustrações coloridas), o menino pega, por engano, a obra original e se vê obrigado a decifrar centenas de páginas sem ilustrações, retratando um universo que lhe é totalmente estranho.

João Vítor se vira como pode. Resume cada canto da Odisseia, tendo por referência seu universo familiar e novelas de TV. Aproveita várias oportunidades para deixar recadinhos à professora, ressaltando seus esforços para "aprimorar" o livro original, corrigindo os erros e as "burrices" do autor "Homero da Silva":

"(Professora, na edição que peguei da biblioteca não havia sobrenome do autor, apenas o primeiro nome, Homero. Como todo mundo tem sobrenome, coloquei um bem comum. Um chute, confesso. Se errei, quero apenas deixar claro: a culpa não foi minha, mas sim da biblioteca do colégio que empresta livros incompletos a seus alunos, pouco se lixando se alguém repetir de ano por causa disso)."

Do ponto de vista de João Vítor, Ulisses, além de ser um galinha que traiu "a submissa Penélope (...) com metade das mulheres e deusas do mundo", é um bandido. "Não há outra palavra para definir Ulisses a não ser essa, professora Denise. Ladrão, assassino e sequestrador? Bandido."

Tão divertidas e relevantes quanto o texto, numerosas ilustrações nos mostram como João Vítor "vê" a história. Gustavo Piqueira criou-as através da montagem de fotos contemporâneas e gravuras neoclássicas da Odisseia. O deus Hermes, como motoboy dos deuses, e os muitos churrascos que Ulisses faz na praia, com seu bando de farofeiros são exemplos inesquecíveis. Mesmo tendo capa dura e ilustrações coloridas, o livro não é dos mais caros.

Na segunda parte, a "Odisseia de João Vítor (segundo Gustavo Piqueira)", temos breves e importantes considerações do autor a respeito de obras adaptadas. Até que ponto vale a pena adaptar uma história para envolver o leitor? O que os leitores perdem quando outra pessoa determina quais aspectos de uma obra merecem destaque ou esquecimento?

A terceira parte se chama "Odisseia de Homero através dos tempos" e traz mais de quarenta reproduções coloridas de obras de arte retratando diferentes episódios da Odisseia e dois quadros com o próprio Homero como tema. Selecionando trabalhos de períodos diferentes, Gustavo Piqueira mostra como os personagens "tiveram suas feições e vestuários adaptados ao sabor de cada século".

Mais didática, a quarta parte, "Breve enciclopédia da Odisseia (sem João Vítor para atrapalhar)", explica os pontos que possam ter gerado dúvidas. Autor, obras, personagens, história, geografia, mitologia, usos e costumes, nada escapa, nem o canto final da Odisseia, que João Vítor não teve tempo nem condições de resumir a seu modo. Se lermos atentamente as explicações, nem precisamos conhecer a obra original para concluir que os tais churrascos feitos na praia talvez fossem sacrifícios aos deuses.

João Vítor avacalha a Odisseia, mas deixa o leitor com vontade de conhecer a história original ainda que seja apenas para descobrir de onde o menino tirou suas ideias absurdas. Já as versões adaptadas, embora muitas vezes necessárias, induzem ao comodismo, pois levam a crer que os pontos omitidos são irrelevantes.

O livro de Gustavo Piqueira nem precisaria conter tamanha riqueza de imagens e informações culturais para valer por si mesmo. Bastariam a ideia e o texto. Avacalhar é uma forma festiva de conhecer. Pelo menos para muitos de nós, brasileiros. A irreverência e o senso de humor fazem parte de nosso modo de analisar e apreender o mundo. Preferimos aprender brincando, mesmo que essa brincadeira, aparentemente, ponha em risco a integridade do objeto de estudo.

Nota do Editor
Carla Ceres mantém o blog Algo além dos Livros. http://carlaceres.blogspot.com/


Carla Ceres
Piracicaba, 6/11/2014


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Sobre mais duas novelas de Lúcio Cardoso de Cassionei Niches Petry
02. A Coreia do Norte contra o sarcasmo de Celso A. Uequed Pitol
03. Os dinossauros resistem, poesia de André L Pinto de Jardel Dias Cavalcanti
04. Abdominal terceirizado - a fronteira de Marta Barcellos
05. Você sabe quem escreveu seu show preferido? de Fabio Gomes


Mais Carla Ceres
Mais Acessadas de Carla Ceres em 2014
01. Duas distopias à brasileira - 7/8/2014
02. HQs sombrias, anjos e demônios - 2/1/2014
03. Um menino à solta na Odisseia - 6/11/2014
04. Adolescentes e a publicação prematura - 4/9/2014
05. Vaidade, inveja e violência - 8/5/2014


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




DOMINANDO SUA CÂMERA DIGITAL - COMO OBTER O MÁXIMO DA SUA DSLR
CHRIS WESTON
BOOKMAN
(2011)
R$ 88,00



ANÁLISE ESTRUTURAL DA NARRATIVA
VÁRIOS
VOZES
(1976)
R$ 21,90
+ frete grátis



HOMO SACER - O PODER SOBERANO E A VIDA NUA I
GIORGIO AGAMBEN
UFMG
(2010)
R$ 100,00



BATALHAS ELEITORAIS
CHICO SANTA RITA
GERAÇÃO EDITORIAL
(2002)
R$ 8,00



A SANTÍSSIMA TRINOSOFIA
CONDE DE SAINT GERMAIN
THOT
R$ 36,10
+ frete grátis



ATRAVÉS DO UNIVERSO
REVIS, BETH
NOVO SÉCULO
(2012)
R$ 30,00



ACORDE, MULHER!
FIORÂNGELA M. DESIDÉRIO
EDIÇÕES PAULINA
(1989)
R$ 7,00



CASA DE MARIANA
JOSÉ CARLOS IMPARATO
ZAGODONNI
(2015)
R$ 5,00



OS ÚLTIMOS DIAS DE POMPÉIA
BULWER LYTTON
EDIOURO
(2002)
R$ 6,90



TEATRO DE ANCHIETA - JOEL PONTES
JOEL PONTES
SNT/FUNARTE
(1978)
R$ 18,00





busca | avançada
31663 visitas/dia
896 mil/mês