Patrícia Melo mergulha no ciúme e na loucura | Nanda Rovere | Digestivo Cultural

busca | avançada
53897 visitas/dia
2,4 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Projeto Nascentes Criativas promove ações culturais gratuitas no interior de Minas
>>> Pekka Pylkkänen (FIN) - Brazil Tour 2024
>>> Domingo, 19, 17h, tem 'Canta Teresa' - Roda Cultural com os rappers Ramonzin e Emitê OG
>>> HOJE E AMANHÃ - JÁ ESTAMOS BEM - IMPROVISO DE DANÇA ABORDA ADOECIMENTO HUMANO E PLANETÁRIO
>>> Selvageria synth pop no Pantera Clube
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> O Big Brother e a legião de Trumans
>>> Garganta profunda_Dusty Springfield
>>> Susan Sontag em carne e osso
>>> Todas as artes: Jardel Dias Cavalcanti
>>> Soco no saco
>>> Xingando semáforos inocentes
>>> Os autômatos de Agnaldo Pinho
>>> Esporte de risco
>>> Tito Leite atravessa o deserto com poesia
>>> Sim, Thomas Bernhard
Colunistas
Últimos Posts
>>> Comfortably Numb por Jéssica di Falchi
>>> Scott Galloway e as Previsões para 2024
>>> O novo GPT-4o
>>> Scott Galloway sobre o futuro dos jovens (2024)
>>> Fernando Ulrich e O Economista Sincero (2024)
>>> The Piper's Call de David Gilmour (2024)
>>> Glenn Greenwald sobre a censura no Brasil de hoje
>>> Fernando Schüler sobre o crime de opinião
>>> Folha:'Censura promovida por Moraes tem de acabar'
>>> Pondé sobre o crime de opinião no Brasil de hoje
Últimos Posts
>>> A insanidade tem regras
>>> Uma coisa não é a outra
>>> AUSÊNCIA
>>> Mestres do ar, a esperança nos céus da II Guerra
>>> O Mal necessário
>>> Guerra. Estupidez e desvario.
>>> Calourada
>>> Apagão
>>> Napoleão, de Ridley de Scott: nem todo poder basta
>>> Sem noção
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Room Full of Mirrors no Royal Albert Hall (1969)
>>> Machado e a AR-15
>>> Religioso, mágico, sofisticado, profano
>>> O iPod por Da Vinci
>>> Gleiser, o cientista pop
>>> Faustão sobre protestos #full
>>> As sobras completas, poesias de Jovino Machado
>>> 7 que sigo
>>> Quem tem medo de Gerald Thomas? (Parte I)
>>> Os 33 mineiros e nossa visão limitada
Mais Recentes
>>> Alquimia - Introdução ao Simbolismo e à Psicologia de Marie-Louise Von Franz pela Cultrix (1993)
>>> Livro Infanto Juvenis 10 Anos Com Mafalda de Guino pela Guino (2010)
>>> Livro Literatura Estrangeira Terra dos Homens de Antoine de Saint-exupéry pela Nova Fronteira
>>> Livro Literatura Estrangeira As Brumas de Avalon A Senhora da Magia de Marion Zimmer Bradley pela Imago (1987)
>>> Livro Cerco De Jerico: O Caminho Da Vitória de Alberto Gambarini pela Ágape (2005)
>>> Livro Infanto Juvenis Projeto Desafio Os Três Porquinhos de Vários Autores pela Moderna (2013)
>>> Livro Infanto Juvenis Dicionário de Humor Infantil de Pedro Bloch pela Ediouro (1998)
>>> Livro Turismo Guia de Viagem Nova York de National Geographic pela Abril (2008)
>>> Livro de Bolso Literatura Estrangeira Mistérios Perdidos de Sir Arthur Conan Doyle pela Literatura Estrangeira (2020)
>>> Livro Infanto Juvenis Flauta Doce Método de Ensino para Crianças de Nereide Schilaro Santa Rosa pela Scipione (1999)
>>> Livro Story Of O de Pauline Réage pela Corgi
>>> Livro Literatura Brasileira Clarice e as Mulheres de Clarice Lispector e Outras pela Prefeitura de São Paulo (2020)
>>> Livro Literatura Estrangeira Meus Dias na Livraria de Morisaki Satoshi Yagisawa pela Bertrand Brasil (2023)
>>> Livro Literatura Estrangeira Às Cegas de Claudio Magris pela Companhia das Letras (2009)
>>> Livro Infanto Juvenis A Lua e a Princesa de Celi S Saito pela Brasil Seikyo (2007)
>>> Carreira Fiscal - Direito Administrativo - Vol.1 - Baseado Nos Editais Dos Concursos Para A Receita Federal Do Brasil de Jerson Carneiro Gonçalves Júnior pela Conceito (2010)
>>> Livro Literatura Estrangeira Médico Astronauta de Frank G. Slaughter pela Record (1970)
>>> Livro Literatura Estrangeira As Brumas de Avalon O Gamo Rei Livro 3 de Marion Zimmer Bradley pela Imago (2008)
>>> Livro de Bolso Religião O Evangelho Segundo o Espiritismo de Allan Kardec pela Ide (2007)
>>> Livro Infanto Juvenis In My Pond de Sara Gillingham pela Concept (2009)
>>> Livro de Bolso Literatura Brasileira Memórias de um Sargento de Milícias de Manuel Antônio de Almeida pela Best Bolso (2010)
>>> Livro Infanto Juvenis Os Árabes na Época de Seu Esplendor de Mokhtar Moktefi Véronique Ageorges pela Augustus (1997)
>>> Livro Gibis Kare Kano As Razões Dele, Os Motivos Dela Volume 12 de Masami Tsuda pela Panini Comics
>>> Livro Literatura Estrangeira Fique Onde Está e Então Corra de John Boyne pela Seguinte (2024)
>>> Livro Infanto Juvenis Chapeuzinho Amarelo de Ziraldo Chico Buarque pela Jose Olympio (1997)
COLUNAS

Segunda-feira, 15/9/2003
Patrícia Melo mergulha no ciúme e na loucura
Nanda Rovere
+ de 10500 Acessos

Valsa Negra é o quinto romance da escritora Patrícia Melo, que também é dramaturga e roteirista de cinema e televisão.

Patrícia lançou o seu primeiro livro, Acqua Toffana, em 1994. Depois vieram O Matador (1995), que recebeu os prêmios Deux Océans e Deutch Krimi, O Elogio da Mentira (1998) e Inferno (2001), contemplado com o prêmio Jabuti.

Quem nunca sentiu ciúmes? Desconfiou do ser amado? Quantas pessoas não estragam a sua vida por causa de um amor? Este é basicamente o assunto do deste Valsa Negra. Ele retrata o drama psicológico de um homem, possessivo, obsessivo, que perde o amor de sua vida por não conseguir controlar o ciúme.

O protagonista (seu nome nunca é citado) é um maestro de prestigio, casado com Marie, uma violinista de sua orquestra; cerca de trinta anos mais jovem, rica e judia. Eles vivem no apartamento dos pais da musicista, no bairro paulistano de Higienópolis.

O autoritarismo do maestro é revelado no seu tratamento com a orquestra, gritando com os músicos e os colocando em situação constrangedora diante dos colegas; mas está presente principalmente no seu relacionamento com Marie.

A origem judia de Marie é o principal motivo da insegurança do maestro. Em várias cenas do livro, ele se vê em situações em que a origem judia de sua mulher o incomoda. Na casa de Marie, por exemplo, ele tem dificuldades que o levam a acreditar que é rejeitado por não pertencer à cultura judaica.

O maestro entra num estado de loucura tão grande que acredita que a mulher tem um amante e que possivelmente esse amante é um músico israelense. Começa a procurar provas de uma possível traição nos objetos pessoais de Marie, lê fervorosamente os seus grifos nos textos sobre Israel que ela guarda; chega até a grampear o telefone das casas dos pais de Marie (quando ela o deixa), em busca de alguma pista que o leve ao amante da esposa. Paga a empregada para vigiar todos os seus passos e fica apreensivo diante de qualquer homem que se aproxima de Marie, enxergando numa simples amizade, resquícios de traição.

Obviamente a obsessão do maestro acaba por distanciá-lo da esposa. Na verdade, o protagonista vive tão centrado no seu mundo que não consegue se relacionar bem com ninguém. Povoam a sua vida: a filha Eduarda com a qual ele não consegue estabelecer um relacionamento profundo; Tereza - sua ex-mulher, que ele deixou para viver com Marie; Adriana - secretária; Rachel - amiga e vizinha; entre outros.

Logo no início do livro, o maestro já expressa todo o seu ciúme e, num ritmo frenético, este vai dominando a sua vida, a sua conduta. Ele tenta se conter, mas não consegue. Vai ao psiquiatra, começa um tratamento, mas a sua doença (transtorno obsessivo compulsivo - TOC) vai evoluindo cada vez mais. Tudo com muito sexo e palavrão.

A vida doentia de uma metrópole como São Paulo se funde com as angústias do protagonista. Tanto que ele sente fortes odores por toda parte, a ponto de cheirar cânfora para poder respirar. Valsa Negra é a valsa do ciúme, do tormento, da doença e, sobretudo, da falta de controle, pois o maestro não quer agir dessa maneira, mas não consegue se controlar.

A morte está presente na sua vida (ele não vê mais graça em nada), pois a obstinação pelo ser amado acaba o transformando numa pessoa egoísta, alheia ao mundo que o cerca e centrado somente nos passos de Marie, numa perseguição doentia e trágica! A todo momento o leitor fica apreensivo com a possibilidade do maestro matar a esposa, os supostos amantes ou então se matar.

Certamente, um dos momentos mais interessantes é quando o maestro vai até Israel a procura de Marie, assim que a mesma o abandona definitivamente. Nessa viagem, o conflito do Oriente Médio, que até então serviu como pano de fundo para o desenvolvimento da trama, fica em evidência. A obstinação do maestro por Marie faz ele perder totalmente o seu amor-próprio, a sua dignidade...

Patrícia trata em seu livro de problemas que todos nós podemos enfrentar em nossas vidas e, certamente por isso, consegue prender a atenção do leitor.

Sobre a literatura de Patrícia Melo
Procuro não julgar demasiadamente uma obra artística, pois acredito que cada pessoa tem uma opinião, uma preferência e isso deve ser respeitado. Obviamente, existe muita coisa ruim no cinema, na TV, no teatro na literatura, etc, mas esse não é o caso de Valsa Negra.

Patrícia Melo se diz influenciada pelas obras de Rubem Fonseca, o qual é uma espécie de padrinho literário. Provavelmente isso a ajudou a obter espaço no mercado editorial e divulgação na mídia. Mas no decorrer da sua trajetória profissional ela tem conquistado o gosto de muitos leitores no Brasil e exterior e ganhou prêmios; é uma das escritoras mais importantes da atualidade e tenho a impressão que ela procura realizar um trabalho sério.

Para escrever Valsa Negra, a escritora fez pesquisa de campo. Assistiu aos ensaios da OSESP - Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, para entender um pouco sobre música clássica e o ambiente em que vivem os músicos de uma orquestra.

Os críticos disseram que este livro é o menos cinematográfico da escritora. De qualquer maneira, os diálogos são ágeis e a narrativa, em primeira pessoa, flui com razoável fluidez.

Sinceramente, não é o meu estilo literário preferido. O enredo, no entanto, me agradou, tanto que devorei as páginas do livro num só dia. Não discute nenhum assunto em profundidade. Deve ser lido sem muita expectativa.

Para quem deseja conhecer um pouco do trabalho da escritora e gosta de cinema, vale dizer que está em cartaz o filme O Homem do Ano. Baseado no livro O Matador, com direção de José Henrique Fonseca e Murilo Benício no elenco, conta a trajetória de um vendedor de carros usados desempregado que vira assassino profissional.

Para ir além





Nanda Rovere
São Paulo, 15/9/2003

Quem leu este, também leu esse(s):
01. O filho eterno e seus prêmios literários de Marcelo Spalding
02. Lendo Dom Quixote de Julio Daio Borges
03. Cornos e burros de Adriana Baggio


Mais Nanda Rovere
Mais Acessadas de Nanda Rovere em 2003
01. Patrícia Melo mergulha no ciúme e na loucura - 15/9/2003
02. O Diário de Anne Frank - 6/10/2003
03. Ler é entrar num mundo de sonhos e descobertas - 13/10/2003
04. Deus Sabia de Tudo e Não Fez Nada - 17/7/2003
05. Grupos de teatro do Rio e de São Paulo em Paraty - 25/8/2003


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O Renascimento do Império China 325
Cláudia Trevisan
Planeta
(2006)



Livro História Geral A Máscara da África
V.S. Naipaul
Companhia das Letras
(2011)



Livro Religião Visão Espírita do Evangelho
Rogério Coelho
Mythos Books
(2007)



A Orelha de Van Gogh 520
Moacyr Scliar
Companhia das Letras
(1989)



Pensar Com os Pés
Allan Percy e Marcelo Barbão
Sextante
(2014)



Livro Documentos A Noite Mais Longa
Miguel Pinheiro
A Esfera Dos Livros
(2014)



Heurística- A ciência do pensamento criador
V. N. Puchkin
Zahar
(1967)



Estudos de Saúde Coletiva - 5
Guilherme Rodrigues da Silva e Outros
Abrasco
(1988)



Livro Literatura Estrangeira O Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares
Ransom Riggs
Leya
(2015)



Direito Meio Ambiente e Cidadania
Flávia de Paiva de Oliveira
Wvc
(2004)





busca | avançada
53897 visitas/dia
2,4 milhões/mês