Saudade... | Ana Elisa Ribeiro | Digestivo Cultural

busca | avançada
32696 visitas/dia
1,3 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Companheiro dileto
>>> O Vendedor de Passados
>>> Eugène Delacroix, um quadro uma revolução
>>> Meus Livros
>>> Quem é (e o que faz) Julio Daio Borges
>>> Plágio
>>> O filho eterno e seus prêmios literários
>>> Entrevista com Antonio Henrique Amaral
>>> Entrevista com Antonio Henrique Amaral
>>> Entrevista com Antonio Henrique Amaral
Mais Recentes
>>> O Sagrado Selvagem de Roger Bastide pela Companhia das Letras (2006)
>>> Alternativas à Crise de José Oscar Beozzo (Org.) pela Cortez (2009)
>>> Dentro da Noite Veloz (1a Edição) de Ferreira Gullar pela Civilização Brasileira (1975)
>>> Poesia Comprometida com a Minha e a tua Vida de Thiago de Mello pela Civilização Brasileira (1980)
>>> Que País É Este? e Outros Poemas de Affonso Romano de Sant'Anna pela Civilização Brasileira (1980)
>>> Uma Razão para Respirar de Rebecca Donovan pela Pandorga (2014)
>>> Par Delà le Bien et le Mal de Frédéric Nietzsche pela Mercure de France (1907)
>>> Poesia de Alphonsus de Guimaraes pela Agir (1976)
>>> Princesa à Espera / Princesa Apaixonada de Meg Cabot pela Saraiva (2010)
>>> Portugal e seus Sabores de Angélica Santa Cruz (Org.) pela Abril (2017)
>>> La Volonté de Puissance Tome I de Frédéric Nietzsche pela Mercure de France (1909)
>>> Viagem ao Centro do Computador de Edith Modesto pela Ática (2000)
>>> A Rosa de Sarajevo de Margaret Mazzantini pela Companhia das Letras (2011)
>>> Um Pedaço de TI de Patricia Bittencourt pela Ledriprint (2017)
>>> Bala XXI - Casos, Crônicas, Piadas e Contos de Augusto José Vieira Neto pela Mandamentos (2000)
>>> Filhos Especiais Para Pessoas Especiais - O Milagre do Dia-a-dia de Neusa Maria pela Paulinas (2010)
>>> Pensées Étranglées de E. M. Cioran pela Gallimard (2014)
>>> Le Voyageur et son Ombre de F. NNietzsche pela Denoel (1979)
>>> Colder than Ice de David Patneaude pela Albert Whitman & Company (2003)
>>> Misericordiae Vultus / O Rosto da Misericórdia de Papa Francisco pela Paulinas (2015)
>>> Manual do Agricultor Brasileiro de Carlos Augusto Taunay pela Companhia das Letras (2001)
>>> O Ingenuo de Voltaire pela Dcl (2013)
>>> O Evangelho Segundo O Espiritismo de Allan Kardec pela Feb (1999)
>>> A Princesa de Babilonia de Voltaire pela Dcl (2013)
>>> A Campanha Abolicionista de Jose do Patrocinio pela Dcl (2013)
>>> Zollinger - Atlas de Cirurgia de E. Christopher Ellison, Robert M. Zollinger pela Guanabara Koogan; (2017)
>>> O Hobbit: A batalha dos cinco exercítos : guia ilustrado de Jude Fisher pela WMF Martins Fontes (2014)
>>> Radiografia da Alma de Pe. Hewaldo Trevisan pela Planeta (2010)
>>> Convênios e outros instrumentos de "Administração Consensual"na Gestão Pública do século XXI - Restrições em Ano Eleitoral de Jessé Torres Pereira Junior e Marinês Restelatto Dotti pela Fórum (2010)
>>> Estalos e Rabiscos - Mãos à Obra Literária de Walter Galvani pela Novaprova (2011)
>>> Distrito Federal Paisagem, População e Poder de Marília Peluso e Washington Candido pela Harbra (2006)
>>> Parto de Mim de Vera Pinheiro pela Pallotti (2005)
>>> Deuses americanos de Neil Gaiman pela Intrínseca (2016)
>>> A Ilha dos Prazeres de André Rangel Rios pela Uapê (1996)
>>> A pequena pianista de Jane Hawking pela Única (2017)
>>> Tradição e Novidade na Ciência da Linguagem de Eugenio Coseriu pela Presença- Usp (1980)
>>> Jovens Sem-Terra - Identidade em movimento de Maria Teresa Castelo Branco pela Ufpr (2003)
>>> Os Segredos das Mulheres Inteligentes de Julia Sokol e Steven Carter pela Sextante (2010)
>>> Lettres et Maximes de Épicure pela Librio (2015)
>>> Um Mundo a Construir de Marta Harnecker pela Expressão Popular (2018)
>>> Da RegenciaÀ Queda de Rozas (Rosas)/ Encadernado de Pandiá Calógeras pela Cia. Ed. Nacional (1940)
>>> Psicoterapia y Relaciones Humanas de Carl Rogers e G. Marian Kinget pela Alfaguarra (1971)
>>> O Vinho no Gerúndio de Júlio Anselmo de Sousa Neto pela Gutenberg (2004)
>>> Michel Foucault, Filosofia e Biopolítica de Guilherme Castelo Branco pela Autêntica (2015)
>>> Vidas Provisórias de Edney Silvestre pela Intrínseca (2013)
>>> Introdução À Arqueologia Brasileira: Etnografia e História de Angyone Costa pela Cia. Ed. Nacional (1938)
>>> A Glória de Euclides da Cunha ; Edição Ilustrada/ Brasiliana de Francisco Venancio Filho pela Cia. Ed. Nacional (1940)
>>> A Glória de Euclides da Cunha ; Edição Ilustrada/ Brasiliana de Francisco Venancio Filho pela Cia. Ed. Nacional (1940)
>>> Viñas, Bodegas & Vinos de Argentina de Austral Spectator pela Austral Spectator (2007)
>>> Alexandre, o Conquistador de Airton de Farias pela Prazer de Ler (2013)
COLUNAS

Quarta-feira, 19/11/2003
Saudade...
Ana Elisa Ribeiro

+ de 5700 Acessos

Todo mundo já teve a experiência de uma dor-de-cabeça aviltante, daquelas que pulsam como astros celestes, fazem doer como se fossem implosões.

Uma dor dessas, dizem, serve para sinalizar algo de errado nos mecanismos do corpo. A experiência da dor que pulsa mais quando se pisa o chão também é comum. Subir escadas, dar passos em qualquer direção, correr: nem.

Foi nisso que eu pensei quando falava, dia desses, de saudade. Era um sentimento, talvez mais uma sensação, que queria ser mentira, mas não me deixava em paz. Uma ganância elegante duma pessoa que não estava, que eu nem sequer alcançava com uma chave de pernas. Alguém que eu queria ver, mas era mais que isso, porque quando fui checar as fotografias, não me satisfiz. Então era alguém que eu queria tocar, bem perto, mas aí tive a experiência da impotência. Amarguei momentos de tristeza fina, polida, quando pesquisava em minha memória e não acessava mais o rosto, o sorriso, o movimento. A memória não salva o mover.

Então quanto mais eu pensava, mais eu me lembrava. E quanto mais isso, mais um pulso de dor, uma coisa embolada que me dava uns carunchos por dentro. Ruim. Disseram simpatias: pra deixar santo antônio de cabeça para baixo, tomar chá de cogumelo com rosas cor-de-rosa, dormir do lado direito, não molhar a cabeça quando estivesse menstruada. Não fiz.

E a saudade pulsando. Fel Plus. Ferpa. Imodesta. Eloqüente. Abrasivamente colocada. Disseram que era bom sinal. Não vi. Não sei. Nos outros não dói quando a pimenta é no meu olho. Mas saudade é uma dor-de-cabeça que começa num efeito conquistado e termina vendo o ônibus sair na rodoviária. Aquela carinha mal-ajambrada retendo lágrima. Tem que ser forte, porque isso vai se repetir. Entre nós, um mapa. Coisa pequena perto de tanta desgraça do mundo. Há quem tenha até a morte entre os dois. E eu reclamando...

Olha a saudade aí, ribombando. Em paz comigo, digo ao santo antônio: tem dó. Arrisco um impropério. Vai que ele me pune. Então dou logo um beijinho nas saias do santinho. Era impulso. Mas meu "amigo" urge, lá na outra ponta do estado do Rio. Saudade me consome. Mas quando eu o vejo, suor frio: parece que a saudade deu metástase e fez casulos auto-reprodutivos duma coisa boa que explode no abraço de "Oi, como eu te queria!"...

Mesa e banheiro de mulher
Quando algumas mulheres se juntam numa mesa de bar, as conversas são muito calorosas e interessantes. No caso das mesas de bar em que estou com algumas mulheres, a coisa fica mais evidente. Talvez porque não sejamos mulheres "comuns", que procuram mesas de bares da moda ou que disparam olhares e decotes para todos os lados na intenção de "ficar" com alguém. As mulheres com quem saio e vou pro bar querem investir em si mesmas, querem falar de conquistas, querem falar de dinheiro e saldo, querem falar de boa música. Mas há um assunto que não falha: homem. Porém não falamos de rapazes que usam tênis da moda e nem de garotos metidos a bons cafajestes. Falamos de homens que pensam. E quando não pensam, também acusamos isso. O que é digno de nota. E hoje falávamos na falta de sensibilidade de um rapaz que não soube estar ao lado da namorada num momento difícil: a morte do pai dela. Mesmo durante o turbilhão de doença, morte, velório, cremação, missa de sétimo dia, tudo o que o moço sabia fazer era contar há quanto tempo não fazia sexo e cobrar da namorada uma atitude. Ao que ela respondeu com decepção e lágrimas nos olhos.

Outro assunto digno das mesas de bar é a troca. No prontuário dos candidatos a namorado há um item que avalia "por que tipo de coisa ou evento ele me troca". Unanimidade na maior perda de pontos é o futebol. Se ele me troca por futebol, seja um jogo na tevê, no estádio ou a famosa pelada de sábado, perde muitos pontos. A não ser que a moça resolva vestir a camisa, literalmente. Conheço moças que passaram pro time do cara, interessaram-se por futebol, tudo na tentativa de virarem companheiras do cara. E vão assistir às peladas e ficam torcendo para que o namorado faça o gol. E eles fazem e o dedicam a ela, na arquibancada. E ela, orgulhosa, olha pras outras namoradas como quem diz "Não é uma graça?!". Eu digo que não, não é. Conheço moças que vão tomar cerveja com o moço depois da pelada e tentam entrar no papo. E falam dos "pombos sem asa" e das "bicicletas" com quase nenhuma propriedade. E se o próximo namorado for lutador de sumô, elas subitamente passarão a adorar o esporte sexy. E se for degustador de vinhos, elas serão enólogas. Ou enófilas, no mínimo. E sei também que muitas vezes essas moças entram nas ondas dos caras para vigiá-los. Ou ninguém sabe que ir à pelada, ir ao estádio e beber cerveja junto pode ser uma ótima maneira de fiscalizar? E quando me sento na mesa de bar com meus amigos, ouço alguns reclamando: "Não agüento mais minha namorada indo em tudo. Tem hora que quero vir ao bar sozinho, bater papo com os amigos". Questão de espaço de manobra. Não é nem de sacanagem.

No meu prontuário, me trocar por pelada é fatal. Mas o engraçado é que me trocar por ensaio com a banda de rock não é. Eu até concordo, gosto e tenho que me cuidar pra não ir junto, pra não virar vocalista da banda. Tenho que me cuidar pra não ficar curiosa e acabo indo pro bar falar de literatura, outro assunto que me apetece horrores. Curiosamente, 80% dos namorados que tive tocavam guitarra. E bem. E eu adorava. E continuo achando que esse é um quesito importante. Outros tantos eram escritores, mas isso não me dava tanto tesão. Talvez porque falássemos coisas muito semelhantes e eu não me realizasse em outro setor. Eu me realizo como escritora, eu mesma. Já como musicista... não. Então gosto quando o cara me realiza por meio dele. Coisa de maluco.

Me trocar pela pelada de sábado me enche o saco porque sou egoísta. Não gosto de futebol e aquilo me aluga. Mas me trocar pelo ensaio com a banda me deixa até feliz porque prefiro ganhar um solo de guitarra do que um gol. E não viro fã de banda de axé só porque o namorado toca isso. Até porque se ele tocasse axé, não seria meu namorado. Já vou mesmo nos guitarristas de rock, de blues, de jazz... que sei que vou curtir. E nem preciso vigiar ou fazer manobras para conhecer tudo sobre rock. Não preciso vestir a camisa, porque sou fã de música boa desde criança. O que torna as coisas muito mais autênticas. Ou não é?


Ana Elisa Ribeiro
Belo Horizonte, 19/11/2003


Mais Ana Elisa Ribeiro
Mais Acessadas de Ana Elisa Ribeiro em 2003
01. Descobertas responsáveis - 18/12/2003
02. Saudade... - 19/11/2003
03. O que é um livro? - 5/11/2003
04. E cá já moiro por vós - 13/10/2003
05. Insatisfação - 10/12/2003


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




MAXI MARKETING
STAN RAPP E TOM COLLINS
MCGRAW-HILL
(1988)
R$ 4,00



OS RUSSOS
ANGELO SEGRILLO
CONTEXTO
(2018)
R$ 35,00



COMIDA SATVICA
NÃO INFORMADO
CENTRO DE RAJA YOGA
R$ 10,00



REVOLUÇÃO DIGITAL
ETHEVALDO SIQUEIRA
SARAIVA
(2007)
R$ 55,00



HISTÓRIA DAS IDÉIAS ECONÔMICAS
ROBERT LEKACHMAN - 1ª EDIÇÃO
EDIÇÕES BLOCH
(1973)
R$ 13,00



ADEUS É PARA SUPER - HERÓIS
ISABELA NORONHA
SM PARADIDÁTICO
(2014)
R$ 27,70



LEXPERIENCE EXTREME
CHRISTOPHE NICK
DON QUICHOTTE
(2010)
R$ 45,82



SEGREDOS
NORA ROBERTS
BERTRAND BRASIL
(2005)
R$ 30,00



FILOSOFIA ELEMENTAR DA ROSACRUZ MODERNA
J. VAN RIJCKENBORGH
PENTAGRAMA
(2003)
R$ 12,00



PARA ONDE ELA FOI 4019
GAYLE FORMAN
NOVO CONCEITO
(2015)
R$ 17,00





busca | avançada
32696 visitas/dia
1,3 milhão/mês