A árvore da vida | Vera Moreira | Digestivo Cultural

busca | avançada
61072 visitas/dia
2,6 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Terça-feira, 7/8/2001
A árvore da vida
Vera Moreira

+ de 2700 Acessos

Arrumar gavetas é revirar o passado. Assim como as lembranças que não conseguimos apagar, nossos arquivos materiais são implacáveis, pois sempre que tentamos nos livrar dos papéis, fotos, objetos, etc, nunca é de todo, falta coragem e acabamos voltando a guardar muito mais coisas do que pretendíamos. Na próxima faxina elas reaparecem, às vezes belas surpresas, às vezes nem tão boas. Eu gosto destas faxinas físicas e mentais, ver o lixo abarrotado, papéis amassados, fotos rasgadas, as gavetas novamente com pilhas simétricas. Fico ao menos com a impressão da vida reorganizada, porque organizada acredito ser impossível.

Semana passada, em uma empreitada dessas, descobri um texto escrito em 1996, para uma revista de variedades e cultura que eu fazia em São Paulo, para o Shopping Iguatemi. Foi uma daquelas belas surpresas, fiquei muito feliz de reencontrá-lo, pois já dava por perdido. Não publiquei na época, porque achei pessoal demais, avaliei que nenhum cliente do shopping ia se interessar pelas memórias de infância de uma gaúcha desgarrada e faminta...

Hoje penso diferente, depois de tantas leituras sobre as memórias gastronômicas de pessoas das mais variadas. Um livro bem interessante que li nos últimos tempos neste sentido é a "Cozinha dos Imigrantes", uma coletânea de depoimentos de italianos, japoneses, portugueses, espanhóis, libaneses, sírios, alemães, húngaros, gregos, iugoslavos, austríacos, poloneses, romenos, russos, armênios, e filhos da Bessarábia e do Egito, que honestamente não sei como denominar. Quando o livro chegou ao mercado, imaginei o conteúdo histórico, dados, etc. Mas nada, são relatos simples, diretos, de pessoas que chegaram a São Paulo e agora adultas revisitaram suas experiências gustativas em solo brasileiro, contando sobre a formação de suas famílias. No texto que encontrei amarrotado dentro do exemplar de Dia das Crianças da "Iguatemi" (na página onde publiquei um texto mais cosmopolita, digamos assim) faço essa viagem. Aí vai:

Feliz o mortal que fecha os olhos e volta nos anos para sentir os cheiros, as sensações e as ocasiões em que seu paladar começou a se desenvolver. São lembranças impregnadas de tradições, de história e de vida da terra onde a gente nasceu e dos lugares por onde nossos pais nos levaram.

No sul do Brasil, as coxilhas se derramam verdes a perder de vista, com um gado manso a se mover placidamente, concentrado na tarefa de engordar, alheio ao desafio do encontro do campo com o céu. Uma paisagem bucólica, que sequer de longe parece ter sido palco de derramamentos de sangue de um povo bravo na luta por seu pedaço de chão. As longas extensões de terra do pampa gaúcho são lembrança das mais inesquecíveis, as férias na fazenda, a marcação do gado, o churrasco feito na vala aberta no chão, os peões contando causos, a molecada e os cachorros correndo livres pelo pasto. Os gaúchos são muito apegados à terra e a partir dela estabelecem sua relação com a vida. Podem passar o resto da existência a rodar o mundo, nunca perdem a referência do seu chão. Aliás, o brasileiro, em geral, tem este sentimento em relação ao seu "chão", o país. Não esqueço jamais a cena de uma baiana chegando de uma viagem à Paris, ao pisar no aeroporto de São Paulo: chorava e batia de mansinho com os pés no solo, murmurando "Brasil, Brasil, Brasil querido...". Somos um povo emotivo, de raízes, ligado às tradições e é fácil saber deste ou daquele as lembranças da infância.

Nas fazendas do Rio Grande do Sul, a fartura brota sem cerimônia, desce os rios e entra pela porta das cozinhas despojadas, com o fogão a lenha mantendo sempre quente a grande chaleira com água do chimarrão. Nos meses do verão, os galhos das árvores pendem cansados com os marmelos, as goiabas, os figos e as pêras. É diversão pura para a garotada que trepa pelos troncos e vai lá pra cima jogar ao chão os frutos que logo estarão no tacho a se desmanchar em marmelada vermelha, figada, goiabada ou ainda nos doces de pêra, figo em calda, rapadurinha de marmelo branca (indescritível...). Os açudes serenos pontuam o campo, convidativos ao banho digno de pato, com luta livre, caldos e muçuns a ameaçar os tornozelos. No fim da tarde, a vara de pescar e a latinha com as minhocas são os apetrechos para fisgar a traíra do aperitivo antes do jantar. Na cozinha, a luz do lampião, a frigideira pronta com o óleo para a traíra. No banheiro gelado, a grande caneca de alumínio de água fervente para o banho à luz de velas. É o prelúdio da refeição da paz, da amizade, da harmonia, da família.

Feijão preto, arroz branco, ensopado de espinhaço de ovelha, sopa, galinha ao molho, milho cozido - pratos simples e substanciosos que chegam fumegantes à mesa, liberando os aromas que confortam a alma. Nas fazendas, o que vai à mesa está por ali, horas antes, bem vivo e disposto, como a galinha que cisca à volta da casa absolutamente ignorante ao destino que lhe está reservado lá dentro. A cozinheira sai da casa, escolhe sua vítima e as crianças são convocadas para a caçada. É uma correria, uma gritaria, uma farra; e não tem mistério, nem horror algum, desde muito cedo se aprende nos campos o milagre da vida e que o maior come o menor. Assim como os legumes e verduras da horta, as frutas do pomar, a água fresca e gélida do poço, o leite ordenhado da vaca, a farinha do pão caseiro, as espigas de milho e o charque secando no galpão - alimento direto da fonte para nossa subsistência.

O momento maior nas fazendas, de festa, é e sempre será o churrasco. Domingo a casa se enche de expectativa e os preparativos começam cedo. As batatas são postas a cozinhar, busca-se os ovos no galinheiro para a maionese, separa-se os grãos bons e maus de arroz e de feijão, o charque é picado, as folhas de salada lavadas, as sobremesas arrumadas - sim, churrasco em fronteira não é só carne, é uma orgia - e lá fora, no curral, os peões matam o novilho e a ovelha. A molecada não admite perder nada e sobe na cerca para ver como o novilho se despede da vida. Logo o bicho é carneado e os cortes pendurados para escorrer o sangue. A lã da ovelha sai todinha e também fica a secar para virar pelego, que depois irá para o lombo do cavalo do gaúcho. A vala é aberta no chão, as taquaras transformadas em fortes e longos espetos, a mesa de tábua muito comprida é posta e os bancos de madeira puxados para perto. Senta-se todo mundo à volta do churrasco, numa conversa animada, cada um com sua faca na bainha, só a espera da primeira lasca de carne. Ao longe o mugido de uma vaca, as moscas incomodando por perto, o calor se misturando com a fumaça, embaçando o olhar tranqüilo que se perde no abençoado horizonte verde.


Vera Moreira
Gramado, 7/8/2001


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Por que eu moro em São Paulo de Eduardo Carvalho
02. Os Melhores de Sempre Desta Semana de Nemo Nox
03. A Taça do Mundo é Nossa? de Lisandro Gaertner
04. Nas selvas, as misérias humanas de Rennata Airoldi
05. O tempo de Paulinho da Viola de Urariano Mota


Mais Vera Moreira
Mais Acessadas de Vera Moreira em 2001
01. Para pecar, vá de manga - 16/10/2001
02. Pense no que vai engolir - 24/7/2001
03. Proibida ou não, é musa inspiradora - 11/9/2001
04. Fome de ler - 31/5/2001
05. A morte do respeito - 26/6/2001


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




VOCÊ S. A - COMO ADMINISTRAR SUA CARREIRA COMO SE FOSSE UM NEGÓCIO
RICARDO DE ALMEIDA PRADO XAVIER
STS
(2000)
R$ 9,00



O MUNDO É PLANO UMA BREVE HISTÓRIA DO SÉCULO XXI
THOMAS L. FRIEDMAN
OBJETIVA
(2007)
R$ 25,00



SOZINHO NO PÓLO NORTE: UMA AVENTURA NA TERRA DOS ESQUIMÓS - AUTOGRAFADO
THOMAZ
L&PM POCKET
(2006)
R$ 31,90



JESUS NO LAR
FRANCISCO CÂNDIDO XAVIER
FEB
R$ 15,00



PHIL COLLINS ANTHOLOGY
DIVERSOS
WARNER BOOKS
(1985)
R$ 39,00



O EXEMPLO E AS IDEIAS PERMANECEM
LUIS PAULO CESAR PAZ
DO AUTOR
R$ 5,00



INTRODUÇÃO AO ESTUDO DO DIREITO
PAULO DOURADO DE GUSMÃO
FORENSE
(1991)
R$ 25,00
+ frete grátis



VERONIKA DECIDE MORRER
PAULO COELHO
OBJETIVA
(1998)
R$ 6,90



MOVE UP - INTERMEDIATE STUDENT'S BOOK A
SIMON GREENALL
HEINEMANN
R$ 30,00



PESQUISAR E APRENDER
RUTH ROCHA
SCIPIONE
(1996)
R$ 7,00





busca | avançada
61072 visitas/dia
2,6 milhões/mês