Daniel Frazão e a cidade sitiada | Fabio Silvestre Cardoso | Digestivo Cultural

busca | avançada
42810 visitas/dia
1,2 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Terça-feira, 22/3/2005
Daniel Frazão e a cidade sitiada
Fabio Silvestre Cardoso

+ de 3800 Acessos

Recentemente, mais precisamente nos últimos três anos, têm sido muito comentados os romances de uma, digamos, nova geração de escritores. Trata-se de um fenômeno bem peculiar, uma vez que os autores que ora estréiam são jovens. Tornou-se um sucesso de vendas, por exemplo, Hell, de Lolita Pille, que descrevia a fogueira das vaidades da juventude francesa (o início é daqueles que causam polêmica: "Eu sou uma putinha"...). Também na Europa, Melissa Paranallo chocou ao lançar 100 Escovadas antes de ir para cama, em que narra suas aventuras sexuais. Por aqui, onde as modas costumam chegar atrasadas, o escritor fluminense Daniel Frazão assina Cerco (Ed. Rocco, 305 págs.). A essa altura, o leitor deve estar se perguntando: qual é a semelhança entre essa três obras, além do fato de terem sido escritas por jovens? Ora, leitor, a semelhança não é outra senão a obviedade e o lugar comum dessas três narrativas. Daniel Frazão é inteligente o bastante para não replicar os relatos sexuais à maneira de Melissa Paranallo, assim como não cria um universo alheio à realidade, como Lolita Pille. Contudo, aborda com superficialidade o objeto principal de sua narrativa: o jovem.

O livro conta a história de um domingo Sangrento em São Felipe, cidade que, de tão tranqüila, mais parece um cartão-postal. Apesar de ter uma vista paradisíaca, seus habitantes vivem, conforme escreve o autor, uma felicidade plástica, sem sal, sem vibração. E é aqui que os jovens, todos eles, se integram e decidem, juntos, armar uma tocaia para a cidade e seus moradores. Não se trata apenas de pregar uma peça. A tocaia em questão era nada menos do que uma matança generalizada promovida por todos os jovens da até então pacata São Felipe. Na ocasião, sobram apenas alguns sobreviventes que vão tentar, de toda maneira, se manter vivos. Frazão narra com precisão todos os acontecimentos. Sua escrita é fluente e ele mantém o timing certo para cada cena, detalhando cada passagem com as minúcias necessárias, tal como uma reconstituição dessas tragédias adolescentes que assolaram o final da década de 90, sobretudo em algumas escolas dos Estados Unidos.

Ocorre que, se a "reconstituição" é bem feita, falta justamente o conflito, o motivo, a razão que provocou esse assassinato. Daniel Frazão se esquiva nesse ponto. Não há qualquer palavra que explique, que sequer ensaie uma interpretação de tudo o que aconteceu. O autor prefere narrar, descrever e, por vezes, até ironizar, porém não faz esforço algum para dizer aos leitores o porquê de tudo isso. Decerto que a idéia é não tomar partido, como está escrito na apresentação. No entanto, essa proposta se mostra equivocada à medida que a história se desenvolve. A matança da cidade, tal como está, acaba por se banalizar e perde até mesmo o efeito do choque.

Por outro lado, nota-se, também, a forma que Frazão escolhe para abordar as personagens. Aqui, há uma tentativa de expor e analisar a alma de alguns moradores da cidade, quais são suas motivações, bem como seus medos/traumas. Infelizmente, isso não é possível graças aos clichês eleitos pelo autor. É como se Daniel Frazão tenha feito a escolha das características aleatoriamente, num grande saldão de personagens e preparado, assim, uma salada. Desse modo, há o casal de velhos que mantém carinho um pelo outro; o yuppie que só pensa em si mesmo; o intelectual pedante e pouco pragmático; o padre que eleva a fé às últimas conseqüências, além, claro, do jornalista que só pensa na história que irá escrever depois, mais até do que na própria sobrevivência. O trecho a seguir é exemplar: "O jovem jornalista subia cansado pela trilha, por onde antes passara o mutirão de jovens (...) Estava indo para as montanhas, seguindo o rastro de jovens assassinos por uma pequena trilha no meio da floresta, em direção ao topo. Arriscando a própria pele, em nome de um furo de reportagem".

O trecho acima citado nos leva a outro ponto curioso da obra de Daniel Frazão. Os diálogos. Em Cerco, os lugares-comuns são tão corriqueiros que os personagens, outrora realísticos em demasia por sua obviedade, tornam-se quase figuras artificiais. Tão artificiais quanto o cenário insosso de São Felipe. Exemplo disso é a seqüência de uma perseguição. Neste trecho, o autor traça um paralelo com um desenho animado. Então, quando o assassino consegue alcançar seu objetivo, ele solta a pérola: "Você está peldido, coelhinho".

Em que pesem os clichês e os diálogos, existe um outro elemento que precisa ser analisado de perto. Isso porque, apesar de não explicar a razão da chacina, está claro que o cerne do romance é a inquietação dos jovens em relação ao que os cerca. Nesse sentido, há uma observação interessante feita pelo autor a propósito do comportamento dos adolescentes. "Fora uma criança mimada, daquelas que basta um minuto de choradeira para os pais-corujas saírem correndo para satisfazer todos os seus desejos. Quando passava de mãos dadas com sua mãe na frente de alguma loja de doces, chorava, gritava, batia o pé, e pronto, conseguia o que queria.(...) Seus caprichos foram ficando cada vez mais complicados de se realizar". Frazão não chega a afirmar, mas sugere, nessa passagem, que é esse mimo que fez com que o jovem em questão se tornasse assassino. Ora, vamos aqui da literatura para os livros de auto-ajuda, daqueles que ensinam como criar seus filhos, ou algo semelhante. Novamente, trata-se de uma idéia pronta, como se o autor indicasse uma solução para essa eventual inquietude juvenil: pulso firme na educação. Nada mais conservador do que um discurso pseudo-libertário.

Ao fim e ao cabo, Daniel Frazão não arremata o romance. Dá a impressão de que perdeu o fôlego nas longas descrições e narrações dos nove capítulos anteriores. Em determinado momento, os acontecimentos tomam um novo rumo de uma maneira tão abrupta quanto seu início. De uma maneira geral, o romance carece de uma certa tensão que possa fazer frente ao ritmo frenético de o autor contar a história. Aliás, se cabe aqui uma comparação: a obra sofre de algo parecido com a imaturidade, faltando-lhe, portanto, consistência e sobriedade, posto que abundam o estilo verborrágico e a performance.

Para ir além






Fabio Silvestre Cardoso
São Paulo, 22/3/2005


Mais Fabio Silvestre Cardoso
Mais Acessadas de Fabio Silvestre Cardoso em 2005
01. Brasil e Argentina: uma História Comparada - 3/5/2005
02. O século da canção - 5/4/2005
03. Os Clássicos e a Educação Sentimental - 8/2/2005
04. Estudo das Teclas Pretas, de Luiz Faccioli - 22/2/2005
05. O Afeto Autoritário de Renato Janine Ribeiro - 22/11/2005


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




CONVITE DE CASAMENTO - SABRINA 1221
ANNETTE BROADRICK
HARLEQUIN BOOKS
(2002)
R$ 6,90



O DIÁRIO DE UM MAÇOM
PAULO VALZACCH
UNIVERSO DOS LIVROS
(2008)
R$ 15,00



LIDERANDO E INTERAGINDO COM TODOS
JORGE FONTES
PARMA
(2007)
R$ 7,00



50 DIRETRIZES (E 186 METAS) PARA O 50º ANIVERSÁRIO DE OSASCO 2012
PREFEITURA DE OSASCO (SEGUNDA EDIÇÃO)
PREFEITURA OSASCO
(2010)
R$ 18,28



NOVOS TITÃS 35
VARIOS AUTORES
DC - PANINI COMICS
(2013)
R$ 20,00



COMO SER LEGAL
NICK HORNBY
ROCCO
(2002)
R$ 5,50



SINPSES JURÍDICAS VOL. 12 - PROCESSO DE EXECUÇÃO E CAUTELAR
MARCUS VINICIUS RIOS GONÇALVES
SARAIVA
(2009)
R$ 15,17



ISLAMISMO E HUMANISMO LATINO: DESAFIOS E DIÁLOGOS
ARNO DAL RI JR E ARI PEDRO ORO (ORGS)
VOZES
(2004)
R$ 32,28



O PARAÍSO VIA EMBRATEL
LUIZ AUGUSTO MILANESI
PAZ E TERRA
(1978)
R$ 20,00



MANUAL DO SELECIONADOR DE PESSOAL
J. H. BUENO
LTR
(1995)
R$ 10,00





busca | avançada
42810 visitas/dia
1,2 milhão/mês